Você está aqui: Página Inicial / Informes / Professora do IC aprova projeto de pesquisa no CNPq
16/01/2019 12h07

Professora do IC aprova projeto de pesquisa no CNPq

A professora Xu Yang, recém contratada pelo Instituto de Computação, obteve a aprovação do seu projeto de pesquisa da Chamada CNPq/MCTIC Nº 31/2018 - Meninas nas Ciências Exatas, Engenharias e Computação, do Programa Especial de Inclusão Social, Igualdade e Cidadania.

 

Além da professora Xu Yang, foram também contempladas as professoras Cleuda Custódio Freire (CTEC), Juliana Roberta Theodoro de Lima (IM) e Simoni Plentz Meneghetti (IQB), todas da UFAL.

 

Uma observação importante: a Universidade Federal de Alagoas foi a instituição participante que teve o maior número de projetos aprovados nessa chamada, com 4 aprovações, concorrendo com as principais Instituições Federais de Ensino Superior do país. Um feito notável!

 

Aqui estão o assunto e resumo de projeto:
Assunto: Meninas nas Ciências Exatas, Engenharias e Computação
Resumo: O projeto visa desenvolver  atividades que estimulem a presença de mulheres nas áreas de exatas no estado de Alagoas.  Conta com o envolvimento de pesquisadores de 4 institutos da Universidade Federal de Alagoas em uma rede que busca identificar e motivar 15 excelentes alunas do Ensino Básico da rede pública de Alagoas para estudar temas importantes de Matemática elementar e aplicações com o apoio de 3 estudantes  universitárias das áreas de exatas e 5 professoras da rede básica. Além disso, o projeto pretende formar uma rede de apoio em Alagoas a meninas interessadas em se desenvolver no estudo de Ciências Exatas, bem como traduzir, adaptar e distribuir nas escolas um livro infantil sobre a história da única ganhadora da Medalha Fields (prêmio máximo da Matemática) publicado pela Iniciativa Milênio “Modelos Estocásticos de Sistemas Complejos y Desordenados”, NC130062  do Chile. Pretendemos promover pelo menos 10 palestras em escolas públicas municipais e estaduais sobre o tema “desigualdade de gênero nas exatas”, exemplificando casos onde há meninas destacando-se nas exatas e distribuindo o livro traduzido com a história da Maryam Mirzakhani e possibilitar que as alunas ganhem pelo menos 30 medalhas em competições estaduais e nacionais de ciências exatas. Ao fim do projeto, realizaremosum encontro anual com as alunas e professoras envolvidas no projeto. Esperamos também estimular o ingresso  de pelo menos duas bolsistas ATP-A em mestrados na área de exatas.