Você está aqui: Página Inicial / Graduação / Arquitetura e Urbanismo / Histórico

Histórico

O Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Alagoas foi criado em novembro de 1973, nos padrões definidos pela Reforma Universitária de 1968, juntamente com outros 10 cursos de diferentes áreas de conhecimento. Em 24/09/1974, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão aprova a sua estrutura curricular e em agosto de 1979 é reconhecido pelo Conselho Federal de Educação, portaria ministerial nº 853.

Locou-se o referido Curso, juntamente ao de Engenharia Civil, no Centro de Tecnologia (CTEC), a fim de aproveitar a infraestrutura existente.

A formação de um corpo de professores-arquitetos fomentou as primeiras discussões sobre os rumos do Curso. Estas reflexões resultaram no 1º Seminário de Avaliação do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFAL, realizado em 1977, com o objetivo de discutir uma proposta pioneira de mudança, que permitisse a integração do ensino, da pesquisa e da extensão, como forma de melhorar a sua qualidade.

1a Turma.jpg

Foto: 1ª Turma de Arquitetura e Urbanismo da UFAL

A congregação de esforços gerou bons resultados, entre os quais, a criação, em 1979, do Departamento de Arquitetura e Urbanismo, que acolheu os professores já contratados, e efetuou um concurso público para contratação de novos professores em 1980.

Em 1981 elaborou-se o primeiro Plano Departamental que priorizava trabalhar a estrutura do departamento e do curso de modo integrado, abrindo perspectivas para o início dos primeiros projetos de pesquisa e extensão associados ao ensino.

Como resultado das ações propostas no Plano Departamental, discutiu-se, também, a reestruturação do ensino de graduação, visando não somente uma modificação curricular, mas, sobretudo, a adequação do ensino de arquitetura e urbanismo à realidade socioeconômica vigente.

A mudança do sistema acadêmico da UFAL levou os professores do departamento de Arquitetura e Urbanismo, no ano de 1993, a longas e profícuas discussões sobre a reestruturação curricular e elaboração do Projeto Pedagógico do Curso. Implementado para a primeira turma do regime seriado (1994), o projeto sofreu alterações em 1997, em virtude das mudanças efetuadas pela Câmara de Ensino da SESU-MEC no currículo mínimo dos Cursos de Arquitetura e Urbanismo do país, que por sua vez, foram fruto de estudos e discussões empreendidas pela Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura (ABEA).

O desenvolvimento das atividades de pesquisa, ampliando a produção científica resultou na consolidação dos grupos de pesquisa e na implantação do Programa de Treinamento Especial em Arquitetura e Urbanismo PET-ARQ criado em 1995, e que realiza atividades de pesquisa (iniciação cientifica), ensino (aprendizado, apresentação de seminários e minicursos, entre outros) e extensão (organização de eventos e participação em projetos sociais), com o objetivo de garantir aos alunos do curso oportunidades de vivenciarem experiências não presentes em estruturas curriculares convencionais.

O Departamento de Arquitetura acolheu originalmente o Programa interdisciplinar e interdepartamental de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA), iniciado em 1997, transferido para o Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente com a criação das Unidades Acadêmicas.

A década de 1990 presenciou a saída de vários professores para suas qualificações (mestrado e doutorados), e o retorno deles propiciou a criação do Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas do Espaço Habitado (DEHA) aprovado pela Capes, com sua primeira seleção no ano de 2003.

No ano de 2005, o Departamento de Arquitetura e Urbanismo passou por um processo de discussão objetivando a formação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), criada em março de 2006. A independência da FAU completa um ciclo de amadurecimento institucional junto à Universidade Federal de Alagoas.

A partir de 2011, a FAU passa a oferecer também o curso de Design, possibilitado pelos recursos provenientes do REUNI, visando difundir o conhecimento e promover o desenvolvimento do Design, nos níveis de ensino, pesquisa e extensão; formando profissionais bacharéis em Design, capazes de atuar em diferentes áreas, com propostas inovadoras e sustentáveis, adequação ao mercado, empreendedorismo, inserção no contexto local e regional e promoção dos valores éticos, sociais e ambientais, visando contribuir para a criação de profissionais competitivos no setor de design da região.