Você está aqui: Página Inicial / Extensão / Ações de Extensão

Ações de Extensão

Estas são as ações de extensão desenvolvidas atualmente na FANUT/UFAL (atualizado em 03/08/2017). Caso tenha se interessado, entre em contato com os coordenadores dos projetos para saber como participar.

 

 

Título: Centro de recuperação e educação nutricional – CREN

Resumo: A desnutrição no início da vida resulta em um decréscimo dos requerimentos energéticos ao longo da vida, podendo promover um balanço energético positivo quando a disponibilidade de alimentos aumenta seja como resultado dos programas de suplementação de alimentos; bolsa escola, merenda escolar e/ou migração da zona rural para urbana. Fato este que provocará alterações metabólicas, incluindo o aumento da gordura abdominal, a resistência à insulina e hipertensão arterial. As descobertas da ligação entre a desnutrição e a obesidade nos levaram a ampliarmos o atendimento multiprofissional tanto em regime de semi-internato como ambulatorial no Centro de Recuperação e Educação Nutricional – CREN tanto para crianças como para as mães. O CREN é uma Organização não governamental – OSCIP, conveniada a Universidade Federal de Alagoas – UFAL, que desenvolve um modelo de tratamento no combate aos distúrbios nutricionais, por meio da assistência a criança, adolescentes e suas famílias. Para tal, a mesma oferece assistência em saúde, educação e qualificação de recursos humanos para atendimento de crianças com desnutrição e acompanhamento de suas famílias em situação de risco.O desenvolvimento de atividades práticas dentro da realidade local e regional na área de abrangência da Universidade possibilitarão novas dimensões do processo formativo da Universidade, proporcionando a identificação dos problemas de saúde pública relacionados à nutrição bem como seus fatores determinantes, possibilitando o desenvolvimento de estratégias para lidar com estes problemas ou a avaliação do impacto de estratégias utilizadas, colaborando para o desenvolvimento de politicas públicas, principalmente no âmbito do SUS.

Coordenadora: Gabriela Rossiter Stux Veiga (gstux@hotmail.com)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Título: Feijão com arroz (fca): o dia a dia da nutrição e alimentação saudável

Resumo: O “Feijão com Arroz...” (FCA) é um projeto de educação nutricional desenvolvido pelo laboratório de nutrição em cardiologia (NUTRICARDIO)/FANUT, desde 2008, na perspectiva de promoção da saúde. Para este exercício seu público-alvo são (1) hipertensos acompanhados nas unidades básicas de saúde de Maceió e de municípios de Alagoas, estudados em pesquisa para o SUS (PPSUS/CNPq/FAPEAL) do grupo proponente realizada em 2014/2016; (2) cooperados da COOPLUM, e (3) funcionários do HUPAA/UFAL, por meio de oficinas de educação nutricional; (4) comunidade universitária, por meio da tradicional feira regular do FCA: a NUTRIFEIRA; (5) feirantes da NUTRIFEIRA; (6) público em geral, ouvinte de programa de rádio do IZP. Serão desenvolvidas atividades de avaliação nutricional e de orientação nutricional e dietética, de educação nutricional e prevenção e promoção da saúde com temas sobre alimentação e nutrição em cardiologia e co-morbidades, contextualizados no cotidiano das pessoas, a partir das suas necessidades, preferencialmente definidos pelo próprio público alvo. As atividades serão interativas, lúdicas, utilizando jogos, manipulação de alimentos/modelos de alimentos, de modo a facilitar a participação direta do público alvo. Serão realizadas no laboratório de técnica e dietética/FANUT e em salas de aula do HUPAA e da FANUT, nas UBS, na COOPLUM, em área aberta do campus universitário e em rádio local. Os livros “...3,4 feijão com arroz no prato”(2011), “...pra fazer farofa-fá!”(2013), e “...SALamê minguê...O ESCOLHIDO FOI VOCE!”(2015), com seus respectivos CDs, de autoria da equipe FCA/NUTRICARDIO, publicados pela EDUFAL, serão utilizados como material educativo. Além destes serão utilizados material didático oriundos do Ministério da Saúde, Sociedades Brasileiras de Cardiologia de Alimentação e Nutrição, etc. O FCA traz também a proposta de fazer uma interlocução com aulas práticas de 3 disciplinas da graduação do curso de nutrição da UFAL: nutrição clínica I que trata das doenças crônicas não transmissíveis e técnica dietética.

Coordenadora: Sandra Mary Lima Vasconcelos (sandra-mary@hotmail.com)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Título: Cultivando a saúde e praticando o lazer na horta - promoção da alimentação adequada e saudável e do lazer a partir da implantação de horta em um centro municipal de educação infantil (CMEI)

Resumo: A Organização Mundial da Saúde, por meio dos estados membro, em 2004, lançou a Estratégia Global para Alimentação, Atividade Física e Saúde (WHO, 2004), na qual fica claro e bem definido o papel da alimentação adequada e saudável como um fator de promoção da saúde e de prevenção doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), como a hipertensão arterial, o diabetes, a obesidade, além de doenças carenciais, a exemplo da desnutrição e da anemia por deficiência de ferro. Em consonância, o Ministério da Saúde atualizou e aprimorou as bases e as diretrizes da Política Nacional de Alimentação e Nutrição (BRASIL, 2012), concebida com o propósito de melhorar as condições de alimentação, nutrição e saúde da população brasileira, que deve ser alcançado pela consecução das ações que integram as nove diretrizes estabelecidas. A segunda diretriz - Promoção da Alimentação Adequada e Saudável – norteia a proposta do presente Projeto. O principal objetivo é a promoção da saúde e da alimentação adequada e saudável por meio de uma horta que foi implantada com a participação de estudantes dos cursos de graduação em Nutrição e em Agroecologia em um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI). As crianças e os educadores são os responsáveis pelos cuidados e pela manutenção da horta, com o objetivo de estabelecer um vínculo com as hortaliças produzidas. A horta foi construída sobre uma estrutura de alvenaria em altura adequada para as crianças; a terra está depositada em telhas, que eram resto de construção da UFAL, e servem como canteiros. As mudas são produzidas no Centro de Ciências Agrárias e no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas – IFAL (Satuba). As hortaliças produzidas na horta são destinadas ao consumo interno. Os estudantes dos cursos de graduação desenvolvem atividades de educação alimentar e nutricional e em saúde com os educadores e com as crianças com o objetivo de estimular o consumo destes alimentos no ambiente escolar.

Coordenadora: Leiko Asakura (leiko.asakura@fanut.ufal.br)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Título: ReduSAL: estratégias para diminuir o consumo de sódio na alimentação da população

Resumo: Apesar de necessária, a alimentação saudável não é facilmente alcançada, principalmente quando se tem a necessidade de modificações dietéticas. Dentre as Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) uma das mais comuns é a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) que acomete cerca de 15% a 20% da população adulta. Uma das recomendações não medicamentosas para a prevenção primaria da HAS está relacionada ao consumo controlado de sódio. Entretanto, dados da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) de 2008/2009 destaca que o brasileiro vem consumindo quase o dobro de sódio em relação ao recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) que é de 2000mg de sódio por dia. No que diz respeito ao publico jovem, observou-se que 83% e 76% dos meninos de 10 a 13 anos, das áreas urbanas e rurais, respectivamente, consomem sódio acima da recomendação, estando esse consumo relacionado a alimentos como pizza, carnes processadas, salgadinhos industrializados, biscoito recheado e refrigerantes (IBGE, 2010). Com isto, este trabalho tem como objetivo contribuir para um consumo controlado de sal/sódio e, assim, para a melhoria da qualidade de vida de estudantes, educadores, pais e colaboradores do Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI) e da Organização não governamental Miosótis de Maceió - AL. Para isto, serão desenvolvidas atividades que visem adequar a quantidade de sal das preparações oferecidas às recomendações. Para tanto, serão realizadas, em um primeiro momento, atividades dentro das Unidades Produtoras de Refeições (UPR) de cada parceiro, que incluirão a análise do cardápio e das Fichas Técnicas de Preparo (FTP) e atividades que permitam corrigir as não conformidades encontradas a partir desse diagnóstico. Num segundo momento, serão desenvolvidas atividades com o público-alvo, que consistirão em identificar a aquisição e o consumo de alimentos/preparações fontes de sódio pelo público-alvo e realizar atividades de educação alimentar e nutricional com eles. Sendo assim, este projeto de extensão visa transmitir conhecimentos práticos em nutrição e promover a sociabilidade, a integração e a cooperação entre os participantes. Considerando que a extensão universitária prevê um envolvimento mais próximo da academia com a comunidade, este projeto favorecerá aos estudantes de nutrição a oportunidade de ampliar seus conhecimentos e interagir com a comunidade, promovendo assim, a integração ensino, pesquisa e extensão.

Coordenadora: Gabriela Rossiter Stux Veiga (gstux@hotmail.com)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Título: Colhendo bons frutos: nutrição e agroecologia

Resumo: O projeto tem como público-alvo os agricultores do Assentamento Zumbi dos Palmares (AZP) e assentamentos circunvizinhos (Branquinha –AL), bem como a comunidade da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). O objetivo do trabalho é favorecer a inclusão socioeconômica da comunidade do AZP através do cultivo e do beneficiamento de produtos agroecológicos, visando atender às demandas das feiras orgânicas da UFAL e promover a alimentação saudável na comunidade da UFAL. Serão desenvolvidas: oficinas e cursos de capacitação em economia solidária, desenvolvimento sustentável, políticas públicas de fortalecimento da agricultura familiar e agroecologia, cooperativismo, agroecologia e apicultura; estimulo à produção e diversificação de alimentos orgânicos através de investimento em irrigação e apicultura; inserção dos conteúdos relativos à temática do projeto nas disciplinas do curso de Graduação em Nutrição, perfil socioeconômico dos agricultores do AZP, educação alimentar e nutricional, mapeamento dos produtos da feira orgânica, promoção e participação em eventos. Espera-se influenciar a realidade no AZP, contribuindo para a redução das desigualdades sociais, através do processo de sustentabilidade, incrementando a comercialização através das feiras e vendas para o PNAE e PAA.

Coordenadora: Maria Alice Araújo Oliveira (alicemcz@superig.com.br)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Título: Avaliação da conscientização e autonomia de um estilo de vida saudável em um grupo composto por mulheres com excesso de peso e baixa renda, submetidos a um programa de treinamento físico e educação nutricional.

Resumo: A obesidade atingiu proporções pandêmicas, sendo considerada a quinta principal causa de morte no mundo. Segundo o relatório da Organização Mundial da Saúde de 2012, pelo menos 2,8 milhões de adultos morrem a cada ano como resultado de excesso de peso ou obesidade. Além disso, 44% da carga de diabetes, 23% da carga de cardiopatia isquêmica e entre 7% e 41% dos encargos de câncer são atribuíveis ao sobrepeso e à obesidade. É sabido que a obesidade é uma doença multifatorial complexa, incluindo não apenas fatores ambientais como inatividade física e a má alimentação, apesar desses fatores serem o de maior importância para tal acometimento. Outros fatores também contribuem para o desenvolvimento da obesidade: fatores genéticos (patologias congênitas), intrauterinos (crianças cujas mães tiveram diabetes gestacional; ou crianças cujas mães eram obesas mórbidas durante a gestação), baixo peso ao nascer, oscilação de peso no início da vida e o tipo de aleitamento que a criança recebeu no início da vida. Nas últimas décadas, tem sido observado que os maiores incrementos da obesidade têm ocorrido em populações de países em desenvolvimento que apresentaram maior êxodo rural, com consequente mudança de hábito alimentar. Bremer (2012) em seu estudo de revisão aponta que 10% da variância da síndrome metabólica pode ser explicada por fatores genéticos e os outros 90% são de responsabilidade do ambiente. Diante do exposto, o presente projeto propõe promover o desenvolvimento de um protocolo de atividades práticas visando desenvolver uma metodologia de intervenção nutricional e de atividade física, pelo período de 12 meses, em mulheres com excesso de peso residentes próximas ao Centro de Recuperação e Educação Nutricional – CREN, local no qual será desenvolvido o projeto (localizado em área vizinha a Universidade Federal de Alagoas e de maior vulnerabilidade social do município de Maceió) , dentro da realidade local e regional na área de abrangência da Universidade, proporcionando a identificação dos problemas de saúde pública relacionados à nutrição bem como seus fatores determinantes. Dessa forma, possibilitando o desenvolvimento de estratégias para lidar com estes problemas e a avaliação do impacto de estratégias utilizadas, colaborando para o desenvolvimento de politicas públicas. Assim, pretendemos determinar a qualidade destas iniciativas de tratamento da obesidade, e desenvolver uma estratégia eficaz de promoção a saúde e de prevenção da obesidade. Este estudo tem como objetivo desenvolver um estilo de vida mais saudável em longo prazo. Além disso, avaliaremos se o tratamento interdisciplinar melhora o quadro de obesidade e distúrbios associados, nas mulheres participantes do projeto, em dois momentos, sendo o 1º antes do início do tratamento e o 2º ao final de 12 meses de tratamento.

Coordenadora: Ana Paula Grotti Clemente (anagrotticlemente@gmail.com)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Para mais informações acesse o Portal SIGAA-UFAL.