Você está aqui: Página Inicial / Pós-Graduação / Ciências Farmacêuticas / Inserção Internacional

Inserção Internacional

Cooperação e Intercâmbio


O estabelecimento de parcerias com instituições nacionais e internacionais é imprescindível para o desenvolvimento da pós-graduação e da pesquisa, para a troca de conhecimentos, para a cooperação técnica e científica, para o aprimoramento do corpo docente e discente e para a evolução e sustentabilidade dos programas de pós-graduação, com conseqüências significativas para a graduação.

Nesse sentido, o Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas da Escola de Enfermagem e Farmácia vem fazendo um movimento importante na direção de criar acordos de cooperação e intercâmbio com instituições no Brasil e no exterior.

Atualmente, os pesquisadores do Programa estabelecem intercâmbio com as mais renomadas instituições de ensino superior do país. Estas parcerias estão permitindo o desenvolvimento de novos projetos de pesquisa, o que tem possibilitado a captação de recursos de diferentes órgãos financiadores (CNPq, Fapeal, BNDES, Capes, BNB, INCT/CNPq, MS etc) fortalecendo as parcerias e as atividades de pesquisa em Alagoas e no Brasil.

Podemos citar como Laboratórios/Universidades parceiras: Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas da Universidade Federal do Rio de Janeiro; Laboratório de Nanocompósitos Poliméricos do Instituto de Macromoléculas Professora Eloísa Mano, da Universidade Federal do Rio de Janeiro; Laboratório de Farmacologia Pré-Clínica, da Universidade Federal de Sergipe; Laboratório de Tecnologia Farmacêutica, da Universidade Federal da Paraíba, dentre outros.

Além das cooperações nacionais, o grupo tem ampla parceria com laboratórios localizados em renomadas universidades da França.

Université de Strasbourg (França)

1. Laboratoire d’Innovation Thérapeutique (Laboratório de Inovação Terapêutica, que atua nas áreas de síntese e química medicinal, como química de heterociclos, reações de acoplamento cruzado catalisadas (Paládio, cobre, etc.), síntese de peptídeos (síntese em fase sólida ou líquida), receptores acoplados à proteína G, cinases, inibidores de fosfodiesterase, dor e hiperalgesia induzida por opioides, inflamação (anti-TNFα).

Jean-Jacques Bourguignon, Ph.D.

Dra. Martine Schmith, Ph.D.

2. Institut de Biologie Moléculaire des Plantes (Instituto de Biologia Molecular de Plantas, que atua nas áreas de metabolômica, genética de plantas, citocromos P450, evolução, caracterização funcional, lipídios, metabolismo de fenóis e isoprnoides, biopolímeros, compostos aromáticos, sinalização e defesa).

Danièle Werck, Ph.D.

3. Laboratoire de Biophotonique et Pharmacologie (Laboratório de Biofotônica e Farmacologia, que trabalha com pesquisa farmacológica na área de vasos, cardiovascular em torno de processos de oxireduçao e polifenois naturais):

Valérie Schini-Kerth, Ph.D.