Você está aqui: Página Inicial / Informes / Estudantes de Pedagogia produzem vídeos para auxiliar ensino de matemática
23/05/2017 15h11

Estudantes de Pedagogia produzem vídeos para auxiliar ensino de matemática

Atividade fez parte da disciplina do curso e as produções podem ser vistas no Youtube

Ascom Ufal

Um dos grandes objetivos da disciplina Saberes e metodologias do ensino da Matemática 1, do curso de Pedagogia da Ufal, é estimular os graduandos a encontrarem novas formas de ensinar a “temida” disciplina dos cálculos.

Dessa vez, a turma de futuros pedagogos, sob a orientação do professor Carloney Alves de Oliveira, planejaram, elaboraram roteiro e gravaram um conteúdo, com o apoio de dispositivos móveis, para ser usado em sala de aula. O projeto deu certo e os resultados estão divulgados no Youtube. Para conferir uma pequena amostra, clique aqui.

A atividade acadêmica, explica o docente, consistia em possibilitar que os estudantes se apropriassem de alguns conceitos matemáticos, que deveriam ser identificados no processo de filmagem, bem como o de subsidiar o desenvolvimento de vídeos a serem criados no contexto da atividade. “Uma vídeo aula, quando bem planejada, consegue fazer com que os alunos participem ativamente, muitas vezes procurando certo conteúdo que os professores têm dificuldade de encontrar devido às diversas fontes de informações em nossa sociedade”, afirma Oliveira.

Segundo o professor, os graduandos compreenderam que a produção de um vídeo também se configura como um espaço de aprendizagem e de ensino da Matemática. “Para os membros de cada equipe era importante explorar com clareza as potencialidades inerentes às tecnologias móveis e suas possibilidades durante as aulas”, destaca.

Ainda de acordo com Carloney Oliveira, “a comunicação por meio de vídeos para o ensino da Matemática tem revelado um movimento progressivo com o uso das tecnologias móveis”. Ele defende que, “na cultura da mobilidade, a comunicação está cada vez menos confinada a lugares fixos e os novos modos de telecomunicação têm produzido mudanças na estrutura da concepção cotidiana do tempo, do espaço, dos modos de viver, aprender, agir, engajar-se e sentir”.

“Esses alunos serão professores da educação básica e com o acesso facilitado a diferentes informações, aplicativos, jogos, pessoas, culturas e oportunidades criadas pela internet. Tudo pode ser transformado, buscando, assim, desmistificar o ranço de que a Matemática é o bicho papão, que a disciplina é difícil e apenas para alguns privilegiados”, argumenta. “Procurando trabalhar a teoria e a prática de forma lúdica e criativa, pode-se estimular o raciocínio ao trazer novas formas de se trabalhar com a Matemática e não somente o quadro e o giz”, conclui.

Para conferir mais vídeos produzidos pelos estudantes, clique aqui aqui.