Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2018 / 3 / Pesquisadores lançam livro sobre século de políticas para a seca no Semiárido
15/03/2018 08h00 - Atualizado em 16/03/2018 08h56

Pesquisadores lançam livro sobre século de políticas para a seca no Semiárido

Professor da Ufal é um dos autores da obra que é resultado de quatro anos de pesquisas

Arte da capa do livro

Ascom Ufal

O professor do Instituto de Ciências Atmosféricas da Ufal (Icat), Humberto Barbosa, é coautor do livro Um século de secas: por que as políticas hídricas não transformaram o Semiárido brasileiro?, escrito em parceria com a jornalista Catarina Buriti.

A obra é interdisciplinar e trata da história de mais de um século de secas na atual região semiárida brasileira. A pesquisa abrangeu desde as primeiras políticas de açudagem, para o que se entendia como “combate à seca”, no início do século 20, passando pela piscicultura, irrigação, políticas de desenvolvimento econômico, até as recentes ações de construção de cisternas e o Projeto de Integração do Rio São Francisco.

Os autores levaram cerca de quatro anos para produzir o livro. Durante a pesquisa, visitaram e consultaram documentos das principais instituições e organizações sociais que fazem parte da história da política de convivência com a seca no Semiárido.

De acordo com os pesquisadores, eles buscavam encontrar respostas para a seguintes questões: O que todas essas políticas hídricas tiveram em comum? Porque as políticas para a seca não trouxeram mudanças significativas para a região? Qual o motivo de, em pleno século 21, o fenômeno continuar tomando proporções de desastre natural, causando prejuízos generalizados à economia do Semiárido brasileiro? Por que obras intensamente propaladas como soluções para a seca não modificaram ou talvez não alterem o cenário socioeconômico da região?

Com base na pesquisa, além de os autores oferecerem uma compreensão crítica e abrangente sobre a região semiárida do Brasil, no passado e no presente, os especialistas apontam caminhos e traçam estratégias político-institucionais para promover a gestão sustentável da seca, no contexto de possíveis mudanças climáticas.

Em relação ao Semiárido brasileiro, a pesquisa foi validada em municípios dos cariris paraibanos, microrregiões da Paraíba, consideradas as mais secas do Brasil. Além disso, são áreas altamente vulneráveis às mudanças climáticas, ao processo de desertificação e, por essa razão, extremamente carentes de políticas para mitigação dos impactos da seca.

O livro se destina aos públicos de diferentes áreas de atuação, incluindo tomadores de decisão, formuladores de políticas, pesquisadores, professores, estudantes, agentes de organizações da sociedade civil, empresários e ativistas ambientais.

Sobre os autores

Humberto Alves Barbosa é meteorologista, mestre em Sensoriamento Remoto pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e doutor em Solo, Água e Ciências Ambientais pela Universidade do Arizona. É coordenador do Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis) e pesquisador da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Participa como autor de relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC).

Catarina de Oliveira Buriti é escritora, jornalista, historiadora, mestre em História e doutora em Recursos Naturais. Desenvolve pesquisas sobre história da ciência, políticas públicas e Semiárido brasileiro. Atua na área de difusão científica do Instituto Nacional do Semiárido (Insa – Brasil).