Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2017 / 9 / Ufal participa de Mutirão de Reavaliação de Crianças Diagnosticadas com Zika
08/09/2017 11h36 - Atualizado em 11/09/2017 09h52

Ufal participa de Mutirão de Reavaliação de Crianças Diagnosticadas com Zika

Ação ocorreu com o apoio dos estudantes de Pedagogia e Educação Física do Campus A.C. Simões

Alunos participaram do momento de atividades pedagógicas

Cairo Marttins – estagiário de Jornalismo

Estudantes dos cursos de Pedagogia e Educação Física da Universidade Federal de Alagoas participaram do 1° Mutirão de Reavaliação de Crianças diagnosticadas com Zika Congênita no Hospital Escola Dr. Helvio Auto. A ação faz parte das ações executadas pelo Núcleo de Estudos em Educação e Diversidade (Needi) da Ufal, coordenado pela doutora em Educação, Elisangela Leal Mercado.  

O Mutirão intitulado Expresso Nana, foi organizado no final de agosto por um Grupo de Trabalho interinstitucional e contou com o apoio dos estudantes no atendimento de cerca de 70 crianças. Os discentes realizaram atividades recreativas de brincadeiras com materiais lúdicos, especialmente construídos para atender crianças com Síndrome Congênita do Zika.

Eles contribuíram e ampliaram seus conhecimentos, promovendo situações educativas de ludicidade e aprendizagens. Os alunos participaram ainda de rodas de conversas com as mães, coordenadas por professoras da Ufal e, em atividades pedagógicas similares às vivenciadas em instituições de educação infantil.

"Esta foi uma ação enriquecedora tanto para a formação acadêmica, quanto para a própria formação humana”, destacou Elisângela Mercado.  O mutirão faz parte de um grupo de ações realizadas no estado de Alagoas, provocado pela União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (Uncme) para discussões de políticas que garantam às crianças com a síndrome congênita do Zika o direito à educação, saúde e assistência social.

Elisangela entende que a formação de professores extrapola a aquisição e transmissão de conhecimentos e desenvolve a reflexão e vivência de situações cotidianas, bem como a mudança de culturas e práticas. “O Mutirão foi uma oportunidade ímpar para futuros pedagogos e profissionais da Educação Física desenvolverem práticas pedagógicas inclusivas e orientarem as famílias sobre a importância da estimulação precoce e da educação infantil”, frisou a coordenadora.

O Expresso Nana contou com a participação de profissionais das áreas da educação, saúde, assistência social e Defensoria Pública, entre eles: oftalmologista, otorrinolaringologista, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, pediatra, ginecologista, neurologista, odontologista, assistente social, profissionais do INSS, defensor público estadual e diversos profissionais da educação. Esta reavaliação foi organizada pelas representantes do Uncme Marly Vidinha e Elisangela Leal Mercado.

O Mutirão também contou com a participação de representantes da Secretaria Municipal de Educação (Semed), do Conselho Municipal de Educação de Maceió (Comed) e coordenadores das instituições de Educação Infantil da rede Pública Municipal de Maceió e pesquisadores da área de Educação.