Buscar

Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2017 / 8

8

Dia da Mulher Negra na Ufal discute saúde, cultura e empoderamento

Programação contou com oficina, mesa redonda e apresentação cultural

Dia da Mulher Negra é celebrado na Ufal

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo 

 

Na última terça-feira (25), o Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Alagoas (Sintufal) promoveu um debate para marcar o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha e Dia Nacional de Tereza de Benguela. É a segunda vez que a data é comemorada na Ufal e neste ano, o tema discutido foi Saúde da mulher, cultura e empoderamento.

“O objetivo maior é a formação da nossa categoria. O tema chama a atenção da mulher negra para se cuidar e estamos aproveitando esse espaço para discussões e empoderamento”, afirmou a coordenadora de Direitos Humanos, gênero, raça e etnia do Sintufal, Girlaine Santos.

Para a advogada Kandysse Melo, do Escritório da Mulher, o dia 25 de julho é uma data de resistência que tem importância nacional. “Trazer para uma instituição de ensino superior a questão do povo negro quebra barreiras e preconceitos. Serve para reforçar que além de empoderadas, as mulheres negras precisam reconhecer seus direitos”, disse.

Na programação, o psicólogo Sidney José dos Santos coordenou uma mesa redonda sobre a saúde da mulher negra, discutindo a questão da anemia falciforme, doença genética frequente em Alagoas. “Estudos indicam que até 10% da população negra pode ser portadora do traço falcêmico. No continente africano, 12 mil crianças nascem por ano com a doença. A anemia falciforme traz prejuízos de ordem biológica, social e psicológica”, afirmou Sidney, especialista em doença falciforme.

Cultura e empoderamento

A intérprete de dança Ana Carla Moraes participa do evento desde a primeira edição e reconhece a importância do dia 25 de julho por ser específico para as mulheres negras. “O dia 8 de março não abrange todas as mulheres. Somos invisibilizadas todos os dias, ainda mais as mulheres negras de religião afro”, afirmou.

Como pesquisadora da dança em Alagoas, Ana Carla sempre pensou em como poderia contribuir com sua linguagem para uma dança mais política e crítica. “Minha performance é sobre o genocídio da mulher negra, periférica e LGBT que está morrendo dentro dessa estrutura perversa do machismo e do racismo. É uma construção que retrata a mulher que ainda hoje está na luta e na resistência”, reforçou.

Além da apresentação cultural, o Dia da Mulher Negra teve Oficina de Turbante com a hairstyle Yalla Silva. “As mulheres africanas usavam o turbante para diferenciar classe social e evolução espiritual. Na oficina eu trago o turbante estético, sem focar na questão religiosa, que requer cuidado e segredo”, finalizou.

Nota à comunidade universitária

Em virtude da paralisação dos serviços de transportes públicos na região metropolitana de Maceió, e para evitar maiores prejuízos acadêmicos, a Pró-reitoria de Graduação (Prograd) orienta aos docentes que ministram aula na data de hoje, dia 1º de agosto, a evitarem dar início a novos conteúdos, bem como a não registrarem falta dos estudantes, pois muitos dependem exclusivamente desses transportes para chegarem à Universidade.

 

Pós-graduação em Sociologia abre vagas para alunos especiais

Interessados têm até 10 de agosto para se candidatarem

Sara Graziele - estagiária de jornalismo

O Programa de Pós-Graduação em Sociologia abriu vagas para alunos especiais. Os alunos interessados devem ter concluído graduação e poderão se matricular em uma das disciplinas oferecidas no segundo semestre. As  inscrições devem ser feitas até 10 de agosto, e para realizá-las o aluno interessado deve enviar os documento exigidos no edital em anexo para o e-mail: selecaoppgs@gmail.com.

Os documentos necessários para a realização da inscrição são: ficha de inscrição, disponível no edital; diploma ou certidão de graduação; Identidade; CPF; Curriculum lattes e uma carta de intenção que justifique seu interesse pelo curso.

As disciplinas disponibilizadas para o segundo semestre são Teorias dos Movimentos Sociais, ministrada pelo professor Cristiano das Neves Bodart, e Crime e Espaço Urbano, ministrada pelo professor Emerson Oliveira do Nascimento. Os alunos serão selecionados pelos professores que ministrarão as aulas, com base na avaliação de currículo e a carta de intenções do candidato. O resultado será disponibilizado em 16 de agosto e o edital não prevê ações de recurso. Os candidatos selecionados receberão a confirmação em seu e-mail e por meio do site do PPGS.

Candidatos que já cursaram duas matérias como aluno especial, que desistiram ou foram reprovados em disciplinas do curso anteriormente não poderão se candidatar. A matrícula dos selecionados será feita no dia 18 de agosto na secretaria do PPGS e serão exigidos os originais e cópias dos documentos pedidos para a inscrição. O edital pode ser encontrado no site do ICS. 

Andifes publica nota em apoio ao reitor da Uneal

Publicação foi feita após relato do reitor em exercício da Ufal em reunião da Associação

Ascom Ufal

O reitor em exercício da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), professor José Vieira, relatou à Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), o caso da denúncia de ameaça de morte publicada pelo reitor da Universidade do Estado de Alagoas (Uneal), professor Jairo Campos.

Após o relato, a Andifes tornou pública uma nota de solidariedade em defesa da vida, civilização, autonomia universitária e em defesa da Uneal. A nota foi feita após reunião do Conselho da Associação, no último dia 28 de julho. Os reitores das universidades federais manifestaram repúdio a toda forma de violência, coação e tentativa de intimidação, assim como irrestrita solidariedade ao reitor e ao Conselho Universitário da Uneal e a comunidade acadêmica daquela instituição.

Veja nota em anexo.

Andifes publica nota sobre medida provisória 785

Reitores das instituições federais manifestaram inconformidade com conteúdo da emenda

Ascom Ufal

Reitores presentes na 165ª Reunião Ordinária do Conselho Pleno da Andifes, em Natal, RN, dias 27 e 28 de julho de 2017, manifestaram sua total inconformidade com o conteúdo e a forma da Emenda Aditiva 55 à Medida Provisória 785 de 2017 que visa transformar a identidade e, por conseqüência, o nome da Universidade Federal da Integração Latino Americana (UNILA), aglutinando, sob consulta, dois campi da Universidade Federal da Paraná (UFPR).

Veja nota completa aqui.

MHN promove 12ª edição do Fim de Semana no Museu

Evento vai oferecer curso para crianças de 8 a 12 anos

Arte de divulgação

Graziela França- estudante de Jornalismo

Atividades científicas, culturais e artísticas já fazem parte da programação mensal do Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), por meio do projeto Fim de Semana no Museu que chega a sua 12ª edição, nos dias 5 e 6 de agosto. O evento acontece na sede do MHN, localizado na Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade), das 9h às 12h e das 13h às 17h.

Com uma programação variada e atrações para todo o público, o 12° Fim de Semana no Museu traz oficinas, cursos, palestras, aula de tango, apresentação da Orquestra Sinfônica da Ufal, poesia, entre outros. Serão muitas atividades práticas para despertar o interesse do público para a ciência, além das atividades culturais e artísticas.

Para a professora Flávia Moura, responsável pelo setor de etnoecologia e por esta edição do evento, a intenção é trazer a ciência no cotidiano, por isso o tema será Na cabeça e nas mãos.

 “A importância é ampliar o conhecimento científico na sociedade, atrair público para uma atividade de lazer saudável e educativa, estimular as pessoas a pensar em ciência como uma coisa muito interessante, de fácil compreensão e que ajuda no desenvolvimento pessoal e de nossa sociedade”, destacou a professora.

Além de toda a programação, uma novidade é um curso de Cientista Mirim, dividido em módulos ministrados a cada edição do Fim de Semana no Museu. Podem participar crianças de 8 a 12 anos.

Serviço:

O quê: 12° Fim de Semana no Museu

Quando: 5 e 6 de agosto

Horário: das 9h às 12h; 13h às 17h

Local: Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade)

Inscrição de chapas para Comissão de Ética de Enfermagem do HU começa dia 8

Eleição está prevista para 5 de setembro

Ascom Ufal

Profissionais de enfermagem efetivos, servidores e empregados públicos lotados no Hospital Professor Alberto Antunes (HUPAA/Ebserh/Ufal), que tenham interesse em fazer parte da Comissão de Ética da categoria, devem inscrever a chapa de candidatos no período de 8 a 18 de agosto, na Secretaria da Divisão de Enfermagem do HU, 2º andar.

De acordo com o edital de convocação, as chapas deverão ser formadas por cinco membros pertencentes ao quadro efetivo de pessoal de enfermagem do HUPAA, sendo três enfermeiros e dois técnicos ou auxiliares de enfermagem.

A inscrição deve ser feita por meio de solicitação formal e os candidatos precisam atender aos requisitos obrigatórios exigidos no edital.

A data prevista para eleição é 5 de setembro, das 7h às 20h, nas dependências do HU.

Confira o edital no anexo.

Projeto de extensão de Direito doa livros para o sistema prisional

Foram doados 500 livros para incentivo ao projeto Lêberdade

Livros foram arrecadados em campanha na FDA

Sara Graziele - estagiária de Jornalismo

O projeto de extensão Reconstruindo Elos, da Faculdade de Direito da Ufal (FDA), doou 500 livros para o sistema prisional de Alagoas. A ideia é incentivar a continuidade do projeto Lêberdade, que tem como objetivo a remição de pena a partir da leitura.

As obras doadas foram arrecadas em uma campanha promovida na FDA. Coordenado pelas professoras Elaine Pimentel e Ruth Vasconcelos, o projeto visa ser um elo permanente de arrecadação de livros e pretende participar da montagem de bibliotecas em todas a unidades prisionais.

Sobre o Reconstruindo Elos

Reconstruindo Elos é um projeto de extensão que realiza ações em sistemas prisionais, socioeducativos, com menores infratores, e no Centro Psiquiátrico Pedro Marinho Suruagy. O objetivo é auxiliar no processo de ressocialização e reintegração dessas pessoas, levando discussões sobre temas como direitos humanos, ética, atualidades, maioridade penal, direito do consumidor, música, violência doméstica, entre outros.

O projeto realiza rodas de discussão, palestras e, para os adolescentes e pacientes do centro psiquiátrico, ainda são desenvolvidos espaços lúdicos. Inicialmente, o Reconstruindo Elos era desenvolvido apenas por estudantes de Direito, mas, atualmente é interdisciplinar e também conta com a participação de alunos de Psicologia e Pedagogia. 

Ascom divulga resultado da primeira fase de seleção de estudantes para a Bienal

Classificados farão prova escrita na próxima segunda-feira (7)

Prova eliminatória será dia 7 de agosto

Ascom Ufal

Após a etapa de análise do Histórico Escolar, a Assessoria de Comunicação da Ufal divulgou o resultado da classificação dos inscritos que participam do processo de seleção de voluntários da 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas. Nesta fase classificatória a comissão julgadora considerou a média do coeficiente dos candidatos.

Confira a classificação no anexo.

A próxima etapa será eliminatória e consiste em uma prova escrita, marcada para a próxima segunda-feira (7), às 10h, na Sala 1 do Centro de Interesse Comunitário (CIC).

De acordo com o edital da Chamada, “serão considerados como critérios avaliativos para a segunda etapa aspectos como: escrita em conformidade com a norma padrão, ortografia, centralidade do tema, coesão, coerência e criatividade”.

Dos 24 classificados para a segunda fase do processo seletivo, 13 alunos serão escolhidos para fazer parte da equipe de comunicação da Bienal e atuar nas atividades de divulgação do evento.

O resultado final será conhecido no dia 14 de agosto. A 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas acontece de 29 de setembro a 8 de outubro.

Circuito Penedo de Cinema abre inscrições para trabalhos acadêmicos

Interessados podem submeter artigos ou resumos expandidos até o dia 25 de setembro

Estudantes, professores e técnicos do Ensino Superior podem inscrever trabalhos acadêmicos até 25 de setembro (Foto - Vanessa Mota)

Deriky Pereira - Ascom Circuito

Estão abertas as inscrições de trabalhos acadêmicos para o 7º Encontro de Cinema Alagoano, evento que integra o Circuito Penedo de Cinema. A oportunidade é direcionada a estudantes, professores e técnico-administrativos do ensino superior do país, que podem inscrever resumos expandidos ou artigos até o dia 25 de setembro, por meio do site: doity.com.br/encontrocinema.

De acordo com a chamada divulgada na última quarta-feira (2), cada trabalho poderá ser composto por, no máximo, três autores e cada participante poderá inscrever até dois trabalhos. Além disso, no momento do envio, o nome do arquivo precisa conter as primeiras palavras do título do texto e os materiais enviados devem seguir o padrão da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

O coordenador geral do Circuito Penedo de Cinema, professor Sérgio Onofre, destaca a importância da troca de experiências durante o Encontro. “É uma oportunidade para estudantes e pesquisadores de diferentes cursos de cinema existentes no país hoje apresentarem seus trabalhos e reflexões. É um momento importante e a gente espera que as pessoas que se dedicam ao estudo do cinema no Brasil compareçam em massa ao nosso evento”, diz.

A lista de trabalhos selecionados para apresentação no 7º Encontro de Cinema Alagoano será divulgada no dia 10 de outubro pelo site oficial do Circuito e nas páginas do Facebook e Instagram do evento.

Apresentação

Cada trabalho selecionado para o 7º Encontro de Cinema Alagoano terá, no máximo, dez minutos para apresentação. A emissão de certificados de participação será restrita aos autores que apresentarem os trabalhos presencialmente no dia 11 de novembro.

“Como evento acadêmico é fundamental a garantia de espaços para a reflexão e debate sobre cinema no Brasil, em Alagoas, e sobre ele em diferentes aspectos, desde a formação à produção e à circulação. E, nesse sentido, o 7º Encontro de Cinema Alagoano representa essa janela dentro do Circuito, para que possa haver um momento de discussão sobre o cinema no país”, complementa Onofre.

Sobre o Circuito

O Circuito Penedo de Cinema, que acontecerá de 7 a 11 de novembro em Penedo (AL), é realizado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) numa parceria com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult), e pelo Instituto de Estudos Culturais, Políticos e Sociais do Homem Contemporâneo (IECPS), com patrocínio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF). 

Para mais informações, acesse o site oficial do Circuito

Estudantes do Paespe visitam estádio Rei Pelé

Programa realiza atividades multidisciplinares com alunos das escolas públicas do Estado

Os alunos tiveram uma aula diferente sobre a história do futebol

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

O Programa de Apoio aos Estudantes das Escolas Públicas do Estado (Paespe) realizou, na última sexta-feira (28), uma visita guiada ao maior complexo esportivo de Alagoas, localizado no bairro do Trapiche, o estádio Rei Pelé. O objetivo foi promover uma aula interativa sobre a história do futebol. 

Durante a atividade, os alunos conheceram o museu fundado por Lauthenay Perdigão há mais de 20 anos. Eles tiveram acesso aos ambientes de treinamento e planejamento de táticas para os jogos, além de participarem de um momento recreativo no campo de futebol e desfrutarem da sensação de estar no lugar dos atletas. As atividades foram acompanhadas pelo professor Eduardo Lucena, do Centro de Tecnologia (Ctec) da Ufal.

Além de visitas técnicas, o Paespe realiza aulas preparatórias para o Enem e atividades multidisciplinares como curso de informática básica, palestras e oficinas.

Ufal realiza a 14ª Semana de Economia em agosto

Evento discute o cenário de crise do país e os impactos para as populações alagoana e brasileira

Arte de divulgação

Janaina Alves - relações públicas 

O Programa de Educação Tutorial (PET) de Economia da Ufal realiza, entre os dias 14 e 18 de agosto, a 14ª edição da Semana de Economia. Este ano, o evento discutirá o cenário atual de crise pelo qual passa o Brasil e os impactos e reflexos dela nas populações brasileira e alagoana. As atividades acontecem no auditório Nabuco Lopes, localizado no prédio da Reitoria, no Campus A.C. Simões, e no Auditório da Faculdade de Serviço Social (FSSO). A programação segue abaixo. 

No primeiro dia de debates as palestras serão voltadas para o contexto do estado de Alagoas. Pela manhã, a partir das 9h, Osvaldo Maciel, diretor da Edufal e doutor em História pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) fará um resgate histórico sobre a formação de Alagoas e as perspectivas de desenvolvimento. À noite, o economista e professor da Ufal, Cícero Péricles, apresentará questões referentes ao cenário econômico de Alagoas no contexto da crise econômica e política. Participa, ainda, o economista e presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal), Fábio Guedes, que apresentará um panorama sobre a Ciência e Tecnologia e as políticas de investimento implementadas em Alagoas. 

O evento contará com outros convidados especialistas no assunto no cenário nacional e local, como a professora da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Vanessa Petrelli, que vai discutir alternativas de política econômica para o país, e o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Eduardo Costa Pinto, que apresentará o jogo político-econômico vivenciado atualmente. Já os professores alagoanos Basile Christopoulos (Seune) e Luciana Caetano (Feac) discutirão as reformas da previdência e trabalhista, contribuindo para uma melhor compreensão das medidas implementadas pelo governo.

Outras informações podem ser acessadas no site do evento ou na página do PET Facebook.

Aberto edital para cessão de espaços de alimentação na Ufal

Além do campus da Ufal em Maceió, as cidades de Arapiraca, Delmiro Gouveia e Palmeira dos Índios também terão espaços cedidos

Cessão de espaços é para cantinas e restaurantes

Sara Graziele - estagiária de Jornalismo

Está aberto o edital para cessão de lanchonetes e restaurantes nos campi da Ufal. A licitação permite o uso dos espaços de alimentação em forma de cantina nos prédios da Faculdade de Letras (Fale), Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Feac), Institutos de Física (IF) e de Química e Biotecnologia (IQB), bloco João de Deus, Cento de Interesse Comunitário (CIC) e Comunicação Social (COS).

É possível concorrer na licitação para ter direito ao uso do espaço em forma de restaurante na Faculdade de Direito de Alagoas (FDA), Centro de Educação (Cedu) e antigo Csau. Já nos campi fora de sede, a licitação contempla a cantina de Palmeira dos Índios e os restaurantes de Arapiraca e Delmiro Gouveia.

Encontre aqui as Informações sobre áreas dos lotes e lances iniciais.

A comissão de licitação vai realizar o recebimento e abertura dos envelopes contendo a documentação exigida, em ato público, na sala de reunião do Conselho Universitário, no dia 17 de agosto. Deverão ser entregues dois envelopes, um com os documentos contendo a habilitação jurídica da empresa que concorre à vaga, e outro envelope com as propostas de preço.

Os envelopes podem ser enviados por correios ou serem entregues pessoalmente por representantes legais das empresas. Mesmo que queira concorrer a mais de um lote, cada empresa só precisa entregar um envelope de proposta de preços especificando para cada lote os valores que se propõe a pagar.

Podem participar da licitação empresas com credenciamento regular no Sicaf e não registradas nesse sistema. Não poderão participar empresas que tenham decretado falência, estejam em situação de concordata ou liquidação, empresas impedidas de licitar, pessoas físicas, entre outras condições presentes no edital.

Tecnologia identifica estado nutricional de agricultores pelas unhas

Difundir método no SUS é um dos objetivos de pesquisa desenvolvida pela Ufal

Análise das unhas faz parte de uma pesquisa sobre biossegurança alimentar

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

Já pensou em poder avaliar sua alimentação dos últimos seis meses a partir de um pedaço de unha? A tecnologia inovadora, desenvolvida pelo professor Rodrigo de Jesus Silva, da Universidade Federal do Acre (Ufac), está sendo utilizada em uma pesquisa na Universidade Federal de Alagoas para analisar a situação nutricional das famílias de seis assentamentos da mesorregião alagoana. Um dos objetivos do projeto é difundir o método para área da saúde, capacitando profissionais para reproduzir a técnica no Sistema Único de Saúde (SUS).                                                     

O estudo é feito a partir da metodologia de isótopos estáveis, que já vem sendo utilizada para avaliar aspectos de transição alimentar e é realizada com coleta de partes de unhas cortadas pelo próprio entrevistado durante a pesquisa. “As diferenças na proporção entre os isótopos de carbono e nitrogênio ocorre naturalmente e permite inferir quais tipos de alimento foram consumidos nos últimos seis meses”, explica a coordenadora do projeto, professora Wanda Hirai.

A análise da coleta vai complementar outros dados da pesquisa interdisciplinar intitulada Saúde ambiental e biossegurança em comunidades rurais nas mesorregiões do estado de Alagoas, que visa verificar a segurança alimentar e nutricional e sua relação com as formas de uso e ocupação do solo em famílias de assentamentos rurais. “Os índices de insegurança alimentar no Brasil são contraditórios. Eles são mais altos na zona rural do que na zona urbana porque não é o acesso à terra que garante a produção. Vários fatores são determinantes para essa condição e é nesse sentido que nossos diálogos se juntam”, afirma a coordenadora.  A coleta de unhas será encaminhada para o Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo (Usp) para análise.

Levantamento

Os dados são coletados com as 150 famílias do Assentamento Zumbi dos Palmares, localizado no município de Branquinha, por meio de um extenso questionário com 18 páginas. Esse levantamento integra outra pesquisa, coordenada pela professora Maria Alice, da Faculdade de Nutrição (Fanut) e complementa o trabalho sobre biossegurança. Os estudantes de Nutrição e de Agroecologia, orientados pelos coordenadores dos dois projetos, visitam os lotes e entrevistam as famílias sobre questões relacionadas à saúde e produção agrícola.

O professor Rafael Navas, do Centro de Ciências Agrárias (Ceca) da Ufal, coordena os estudos sobre a forma de uso e ocupação do solo. O levantamento é feito nos lotes do assentamento, onde são verificados o tipo de produção, como é produzido, em que época e se fazem uso de agrotóxicos. “Primeiro entendemos como eles produzem, depois relacionamos com a questão alimentar. Queremos saber se cultivar um maior número de itens contribui para a segurança alimentar da família”, explica. O trabalho é feito junto ao projeto de extensão Colhendo Bons Frutos: nutrição e agroecologia, que auxilia apresentando alternativas agroecológicas para controle de pragas e manejo.

Para coleta de dados e imagens das comunidades estudadas, o estudo conta com mapeamento aéreo com uso da metodologia VANT (veículo aéreo não tripulado), executado pelo professor Gabriel Paes Marangon, do curso de Engenharia Florestal da Ufal.

A professora Maria Alice, à frente da pesquisa Saúde, nutrição e condições socioeconômicas dos agricultores dos assentamentos do município de Branquinha, Alagoas e do projeto de extensão Colhendo Bons Frutos, identifica os problemas relacionados à saúde das famílias, como anemia e sobrepeso, que são os mais recorrentes. “Fazemos a dosagem de hemoglobina e a partir do resultado orientamos que a pessoa procure o posto de saúde e solicite a suplementação garantida pelo SUS”, afirma. Ao final da coleta, os dados vão ser entregues nas unidades de saúde para reforçar o acompanhamento.

Veja mais sobre o trabalho do projeto Colhendo Bons Frutos no assentamento.

Além dos cursos de Nutrição, Agroecologia e Engenharia Florestal, a pesquisa envolve o de Serviço Social, que se preocupa com o acesso dos agricultores às políticas públicas. “Eles produzem, mas não conseguem escoar a produção, quando na verdade existem programas do governo destinados a essa compra. Nosso papel é ver quais são as dificuldades, quem está habilitado, ver como o agricultor está sendo atendido por esses programas ou porque não está sendo atendido”, conta Hirai, professora da Faculdade de Serviço Social (FSSO).

O projeto Saúde ambiental e biossegurança em comunidades rurais nas mesorregiões do estado de Alagoas tem origem de um edital do Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS), financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de Alagoas (Fapeal) e envolve instituições do Sudeste e Norte do país. Depois do levantamento no AZP, a pesquisa segue para outros cinco assentamentos, analisando 30 famílias em cada, são eles: Dom Helder, na Zona da Mata; Unidos pela Terra e Papagaio, em Igaci; e Santa Maria e Pau Santo, em Cacimbinhas.

Ufal convida instituições para discutir formatação da SBPC 2018

Reunião de apresentação da 70ª edição do evento em Alagoas acontecerá na próxima terça

Reitora Valéria Correia e vice José Vieira estiveram na última edição da SBPC, em Belo Horizonte

Mercia Pimentel - jornalista

Danielly Bezerra - estudante de Relações Públicas

O vice-reitor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), professor José Vieira da Cruz,  convidou instituições do setor público e privado do estado para discutir o planejamento da  70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que em 2018 será sediada na Ufal. O encontro com os apoiadores será realizado na próxima terça-feira (08), no hotel Ritz Lagoa da Anta, às 16h.

Nomes do governo do Estado, Prefeitura, Secretarias de Educação, de Ciência e Tecnologia, do Turismo, das Federações do Comércio e Indústria, do setor privado e das instituições de ensino superior de Alagoas já confirmaram presença.

Na ocasião dedicada à fala do vice-reitor da Ufal, a gestão pretende explanar a importância e os principais objetivos da Reunião da Sociedade e reforçar os ganhos científicos, sociais, culturais e econômicos que o estado recebe com essa oportunidade. Será apresentado o quantitativo da última edição da Reunião Anual, em Belo Horizonte (MG), com dados recolhidos pela equipe da Universidade.

A SBPC é uma organização de pesquisadores em prol do desenvolvimento científico, tecnológico e educacional do país. Suas reuniões acontecem anualmente, tendo já se consolidado como o maior evento de divulgação científica da América Latina. Esta será a primeira vez que Alagoas recebe o evento, sendo a Ufal a instituição realizadora.   

Prêmio deixa a Ufal entre as cinco melhores universidades do país

No Evento Nacional Enactus Brasil (Eneb) as organizações foram avaliadas pelos projetos em empreendedorismo social

Representantes de Alagoas na premiação, no Rio de Janeiro

Jessyka Faustino, estudante de Jornalismo 

Estudantes da Universidade Federal de Alagoas participaram, nos dias 20 e 21 de julho, no Rio de Janeiro, do maior evento de empreendedorismo social do país. O Evento Nacional Enactus Brasil reuniu todas as organizações da entidade e os representantes de Alagoas conquistaram três medalhas.

O projeto Amitis ganhou o 2º lugar na categoria Alimentação em Foco da Cargil e 3º na Empoderamento Econômico de Mulheres do Walmart. Já o Desafio InpEV rendeu a 2ª colocação para um projeto estruturado em parceria com a Universidade Federal do Pará.   

Somando todas as premiações a Enactus Ufal conseguiu cerca de R$13 mil para investir nesses projetos. "É a coroação de um ciclo de muito trabalho e dedicação aos nosso projetos e nos deixa extremamente orgulhosos pois estamos entre os cinco melhores times do Brasil e causamos impacto na vida de diversas pessoas do nosso Estado. Recebemos também premiações financeiras através dos editais que participamos e isso será muito importante para nosso próximo ciclo pois teremos maior capacidade de investir nos nossos projetos e poder crescer ainda mais", comemora o presidente da Enactus Ufal, Andrey Palmeira, estudante de Engenharia Civil. 

O atual diretor de Gestão de Pessoas da organização em Alagoas, Marcus Melo, estudante de Engenharia Química, foi indicado a finalista na categoria Líder Estudante do Ano e salientou a importância da organização para sua vida.

“A Enactus Ufal foi de extrema importância para desenvolvimento de habilidades que até então meu curso não ofereceu. Além da liderança, aprendi sobre metodologias, gestão de pessoas e projetos, etc., mas mais importante que o desenvolvimento profissional, foi o pessoal, obtido com essa experiência. Não é em toda organização que temos a oportunidade de estar em contato direto com comunidades vulneráveis. Nossos projetos são, na verdade, uma troca de conhecimento, nós aprendemos com eles e eles conosco”, destacou.

A Enactus na Ufal e os projetos 

A Enactus é uma organização sem fins lucrativos dedicada a inspirar e incentivar jovens a desenvolverem ações empreendedoras que tragam alguma melhoria social para as comunidades em que vivem, que se organiza em 36 países com a colaboração de estudantes, líderes executivos e líderes acadêmicos. Em Alagoas, desde 2015, a entidade se divide em três projetos: 

Projeto Amitis  

O projeto está implantando uma horta hidropônica na ONG Inâe, no conjunto Village Campestre 2, visando trabalhar com as mulheres de lá para inserir a comunidade no ciclo produtivo, melhorando não só a alimentação, mas também gerando renda e levantando os debates da igualdade de gênero. 

Projeto João-de-Barro 

Proporcionará minicursos em escolas técnicas públicas e privadas nas áreas fundamentais da Construção Civil, e visa auxiliar na construção de espaços públicos e habitações salubres e dignas em comunidades vulneráveis através de reformas, utilizando o conceito da autoconstrução e da reutilização de resíduos sólidos gerados pela indústria da construção civil. 

Para mais informações: http://www.enactusufal.com.br/ 

Pesquisadora da Ufal avalia os avanços e desafios da Lei Maria da Penha

Elvira Simões destaca que a Lei colocou a violência doméstica e familiar como um problema social que deve ser enfrentado por todos

Elvira Barreto, professora da FSSO

Lenilda Luna - jornalista

Neste dia 7 de agosto, a Lei nº 11.340, mais conhecida como Lei Maria da Penha, completa 11 anos de promulgada. Ela cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher e foi nomeada de Maria da Penha em homenagem à farmacêutica cearense Maria da Penha Maia Fernandes, que ficou paraplégica em função de um tiro de espingarda que foi disparado pelo seu marido, na época. Ela lutou para que o agressor pagasse pelo crime e inspirou uma legislação mais severa, que garante uma rede de proteção e acompanhamento para as vítimas.

Nesta data importante para todas as mulheres, ainda há muito o que lutar, já que Alagoas, de acordo com os dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP), de janeiro a junho deste ano, 2.314 mulheres foram agredidas em Alagoas. O número deste semestre já supera o do ano passado.

A professora Elvira Barreto, coordenadora do Núcleo Temático Mulher e Cidadania da Ufal, professora da Faculdade de Serviço Social, e que se encontra atualmente em Salamanca, na Espanha, para o pós-doutorado, avaliou as conquistas e desafios da Lei. "A Lei Maria da Penha, promulgada em 2006, é de indiscutível importância para o Brasil e, em particular, para as mulheres brasileiras, por constituir um marco fundamental no enfrentamento da violência contra as mulheres e por ser um ‘divisor de águas’ de âmbito sociocultural no que concerne ao reconhecimento de que o ambiente doméstico e familiar [privado-íntimo] é um espaço de direitos, em particular de direitos das mulheres", ressalta a professora.

Segundo Elvira, com a promulgação da Lei, "abre-se uma ponte entre o público e o privado, cuja fronteira deveria ser respeitada e valorizada na concepção originária da modernidade capitalista, principalmente no que tange à intimidade amorosa dos casais. Com a Lei Maria da Penha, torna-se possível a ruptura do binômio espaço público-espaço privado, estando aquele no âmbito da jurisdição do direito e do Estado e, este, no âmbito da moral familiar e da intimidade protetora das relações interpessoais", reflete.

A pesquisadora destaca os dados que revelam que a violência doméstica não é uma questão de âmbito privado do casal, mas um grave problema social. "A violência homicida atingiu mais de 50 mil mulheres entre 2000 e 2010, ano este em que a taxa de mortes foi de 4,6 por cem mil habitantes, sendo que, em relação aos homens, 15% dos homicídios ocorrem na residência e, já no que diz respeito às mulheres, essa cifra sobe para alarmantes 40%. Cifras como essas não se restringem ao Brasil; reconhece-se a gravidade da problemática mundialmente", relata Elvira.

Ela ressalta ainda que a Lei é um referencial, além de dar visibilidade a uma problemática grave vivenciada pelas mulheres. "A Lei introduz no contexto social do país um amplo cabedal de medidas no campo da prevenção, enfrentamento e proteção que, todavia, requer aprimoramento na Rede de Proteção à Mulher. No nosso ponto de vista, houve avanços, mas ainda há muito a ser feito para garantir a efetividade da Lei e de mudanças de ordem sociocultural na educação que reforça a violência na estruturação identitária das pessoas do sexo masculino, em particular", destaca ela.

Mas, apesar dos avanços, Elvira destaca que é preciso garantir os mecanismos para a implementação da rede de proteção garantida na Lei Maria da Penha. "Os crimes contra a mulher não cessaram; é real e implacável a violência no âmbito doméstico. O Estado ainda é falho quanto à proteção daquela que denunciou seu agressor e a ineficácia estatal gera desproteção em dobro à vida da mulher vítima que, na maioria dos casos, sofreu muito para chegar à denúncia e, é fato que muitas ainda morrem por fazê-la", alerta a pesquisadora.

Elvira Simões ressalta o quanto ainda precisamos refletir sobre esse assunto. "A violência doméstica contra a mulher é um assunto extremamente complexo, real e que precisa ser tratado com profunda seriedade desde a educação infantil, no seio familiar e na escola, para que meninos e meninas sejam socializados a partir de referenciais e princípios que conduzam ao respeito e à valorização da igualdade nas relações de gênero e da diversidade em todos os campos da vida em sociedade", conclui.

Curso de Teatro promove primeiro sábado cultural

Evento Manifestarte acontece dia 12 de agosto, no Espaço Cultural

Arte de divulgação

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

O que você acha de passar um dia diferente, com direito a muitas apresentações culturais e tudo de graça? Pois então, o curso de licenciatura em Teatro da Universidade Federal de Alagoas promove o Manifestarte, no dia 12 de agosto, a partir das 14h, no Espaço Cultural, na Praça Visconde de Sinimbu.

Será o primeiro sábado cultural e vai mostrar várias produções artísticas locais e comemorar o Dia do Estudante. A ideia dos alunos de Teatro é promover um momento de vivências e trocas de saberes, além de difundir a riqueza da cultura alagoana.

A programação começa com a banda de pífano Fulô da Chica Boa, seguida da Cooperativa de Performance, Perfomance Jal e Performance Panffy - Instinto Selvagem. Para encerrar, terá apresentação de Mary Alves, voz e violão.

Paespe inicia inscrições para alunos de escolas públicas

Estudantes podem se inscrever até 30 de agosto

Ascom Ufal

O Programa de Apoio ao Estudante de Escola Pública do Estado (Paespe), por meio dos projetos Paespe e Paespe Júnior, oferta 200 vagas destinadas aos alunos das redes municipal e estadual de ensino.

O Paespe é voltado para os estudantes da 2ª série do ensino médio que farão o Enem 2018, e o Paespe Júnior Júnior atende os alunos o 9º ano do ensino fundamental e 1ª série do ensino médio.

As inscrições podem ser realizadas no site da Copeve e se estendem até o dia 30 de agosto.  A coordenação alerta aos estudantes que ainda não possuem RG e CPF para providenciar com urgência a fim de não perder o prazo de inscrição. Ainda, se disponibiliza, de segunda a sexta das 08h às 17h para auxiliar no preenchimento do formulário de inscrição.

O Paespe atua desde 1992 preparando os alunos para o ingresso no ensino superior, tendo como essência a formação de cidadãos. Além das aulas preparatórias para o Enem, o programa oferece atividades multidisciplinares, tais como: curso de informática básica, palestras, oficinas e visitas técnicas.

As atividades ocorrem no Centro de Tecnologia do Campus A. C. Simões sob coordenação do professor Roberaldo Carvalho, e conta com a participação de docentes e discentes da Ufal. De acordo com a coordenação, cerca de 50% dos estudantes oriundos do Paespe ingressaram em cursos superiores da Ufal, e o percentual aumenta se contabilizar outras Instituições Públicas (Ifal, Uncisal, Uneal) e Instituições Privadas através do Prouni.

Ufal se prepara para avaliação do MEC

Gestão institui cronograma de ação

Rafaela Oliveira - estudante de Relações Públicas

O período de avaliação está se aproximando e a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) se prepara para receber a comissão enviada pelo Ministério da Educação. O recredenciamento é o resultado de uma avaliação que define se a Instituição de Ensino Superior (IES) atende aos indicadores de qualidade para a oferta de cursos de graduação e pós-graduação. É a primeira vez em 56 anos que a instituição passa por esse tipo de avaliação.

O processo de recredenciamento institucional está previsto na Lei do Sinaes no 10.861/2004, e conforme Decreto Federal 5.773/2006 e Portaria Normativa n° 40, de 12 de dezembro de 2007, republicada em 29 de dezembro de 2010, na qual as IES devem periodicamente, após processo regular de avaliação, renovar seu processo de credenciamento. 

De acordo com o procurador educacional institucional, Tiago Leandro Cruz, apesar do momento ser especial, não há motivos para preocupação: “A Ufal já recebe rotineiramente comissões do Inep para a avaliação dos cursos. A diferença é que dessa vez seremos avaliados enquanto instituição. É um processo comum, que todas as instituições de ensino superior passam e que busca garantir o que a lei do Sinaes preconiza”, explica.


Diálogo é prioridade na preparação

Para auxiliar na difusão da importância do processo diante da comunidade acadêmica, foi formada uma comissão de recredenciamento, presidida pela reitora Valéria Correia e composta pelo procurador estudantil institucional Tiago Leandro Cruz, pelo pró-reitor de Gestão Institucional, Flávio José Domingos, e Conceição Valença, docente do Centro de Educação (Cedu), que assessora o processo.

A Comissão definiu um plano de ação para envolver a comunidade acadêmica no processo. O cronograma inclui reuniões com os setores da administração central, com os gestores das unidades acadêmicas, com os núcleos docentes estruturantes (NDEs) e colegiados de curso.

“As visitas nas unidades acadêmicas possuem dois objetivos: o primeiro é criar um momento particular onde possamos informar os estudantes, técnicos e professores da importância do recredenciamento. O segundo é garantir o diálogo direto com a comunidade acadêmica, mostrando as ações feitas pela gestão até agora e as fragilidades ainda existentes”, destaca o procurador institucional.

O primeiro encontro das unidades acadêmicas foi realizado no Instituto de Psicologia (IP), no Campus A.C. Simões, onde a reitora Valéria Correia se reuniu com o conselho ampliado no dia 11 de julho. Estiveram presentes o vice-reitor, José Vieira, a pró-reitora de Graduação, Sandra Regina, a pró-reitora Estudantil, Silvana Medeiros, o superintendente de infraestrutura, Márcio Barboza e o procurado institucional, Tiago Cruz.

O cronograma completo das visitas às unidades acadêmicas pode ser acessado no link.

Certificados de especialização passam a ser emitidos pelo Sigaa

Propósito da mudança é otimizar e informatizar os procedimentos para a emissão do documento

Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo


Com o objetivo de registrar e imprimir os certificados dos cursos de especialização da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) de forma mais simples e rápida, o Departamento de Registro e Controle Acadêmico (DRCA), em parceria com a Pró- reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep) e o Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI), fizeram a implementação do módulo Diplomas para Lato Sensu no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa).

De acordo com Rosana Sarita, diretora do DRCA, as emissões dos diplomas de especialização eram feitas de forma manual. “O interessado concluía a especialização e solicitava o seu certificado no DRCA, que digitava o mesmo e encaminhava para o registro, a ser realizado através de escrita manual em livros específicos de papel”, esclareceu.

Com a execução do novo padrão, o gerenciamento dos diplomas de especialização será digitalizado. “Ao terminar a especialização o aluno solicita o certificado, que é registrado em livro digital, e seu certificado será gerado automaticamente para impressão”, informou Sarita. Segundo ela, esse novo módulo otimiza o tempo de  emissão do documento, além de contar com uma base de dados totalmente informatizada.

“Apesar do cenário atual de cortes no orçamento das universidades brasileiras, não medimos esforços para que alcancemos melhorias e o desenvolvimento de processos de inovação tecnológica e administrativa”, declarou Rosana, que enfatizou também que as mudanças visam a prestação de um serviço público de excelência.

Atleta paralímpica da Ufal conquista ouro nos Jogos Universitários

Estudante de Biblioteconomia foi a única representante feminina de Alagoas

Érica Ferro conquistou ouro dos 200m medley

Ascom Ufal

No final do mês de julho, a aluna do curso de Biblioteconomia da Ufal, Erica Ferro, participou da 2ª edição dos Jogos Paralímpicos Universitários, em São Paulo, organizada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) em parceria com a Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU). Ela ganhou medalha de ouro nos 200m medley e bronze nos 100m costas.

A estudante, única representante da Ufal nos jogos e única representante feminina de Alagoas, ainda garantiu a 5ª colocação na prova dos 50m livre. Ela conta que suas marcas só não foram melhores devido a uma indisposição horas antes da competição. Ao falar dos resultados, Érica, portadora de uma síndrome rara, a Moebius, que afeta diretamente a face, relembra as dificuldades que enfrentou até aqui e como o esporte mudou sua vida.

“Passei muitos anos da minha vida fechada pra o mundo, com medo das pessoas e evitando passar por situações de discriminação. O que me fez vencer todos esses traumas foi a natação. O esporte me salvou e me levou a um mundo que eu não conhecia. . Eu conheci outras pessoas com deficiência nas competições que participei e vi que eu não era a única a passar por dificuldades e nem seria a última. Percebi que eu não tinha que me esconder nem ter vergonha de mim, porque não havia nada de errado comigo. A sociedade que estava errada em ditar padrões de normalidade. Não tem nada de ruim em ser deficiente. O ruim não é a deficiência, é a desinformação da sociedade para com as pessoas com deficiência e a falta de acessibilidade, não só em questões arquitetônicas”, relatou.

Como atleta, Érica é uma incentivadora do esporte para pessoas portadoras de deficiência. “Meu desejo é que mais pessoas com deficiência conheçam alguma modalidade esportiva, se exercitem e, se possível, participem de algum evento, para se permitirem ir além dos limites impostos pelas condições físicas e/ou pelas condições sociais”, enfatizou. 

Corpo Cênico da Ufal prepara circulação da primeira montagem

Calendário segue até dezembro deste ano e, por isso, bolsas foram prorrogadas

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

O primeiro espetáculo do Corpo Cênico da Universidade Federal de Alagoas vai estrear no final deste mês e a ideia é circular com a montagem por todos os campi da Ufal, na capital e no interior, e em outros locais onde for convidado. A estreia de Medeamaterial, do escritor alemão Heiner Müller, será no Espaço Cultural, na Praça Visconde de Sinimbu, mas a data ainda será confirmada.

Já estão marcadas as apresentações durante a 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas, maior evento literário do Estado, que acontece de 29 de setembro a 8 de outubro de 2017, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió.

Por conta desse calendário de apresentações, previsto até o final do ano, a Pró-reitoria de Extensão decidiu prorrogar as bolsas dos alunos participantes do Corpo Cênico até o mês de dezembro. Desde agosto de 2016, data de instalação desse equipamento cultural, seus integrantes vêm trabalhando sob a direção do professor do curso de Teatro, Marcelo Gianini.

O Corpo Cênico foi criado para promover a integração entre a formação acadêmica e o exercício prático nos cursos de Teatro e Dança, destacando a articulação com a comunidade externaO diretor explica que o texto escolhido, Medeamaterialfaz um mergulho no mito Medea e apresenta questões da mulher do século 21. São 11 pessoas no elenco e a produção é do próprio grupo, incluindo figurino, maquiagem, iluminação e cenário.

Lista com nomes dos selecionados para as Casas de Cultura da Ufal já está disponível

Estudantes devem confirmar matrícula no primeiro dia de aula, marcado para o dia 9 de agosto

Cursos são ofertados no Espaço Cultural da Ufal

Ascom Ufal

A Pró-reitoria de Extensão (Proex) divulgou, nesta quinta-feira (8), os nomes dos selecionados para estudar nas Casas de Cultura da Ufal, localizadas no Espaço Cultural, Praça Sinimbu, Centro de Maceió. Aqueles que se candidataram a uma das 880 vagas, distribuídas entre os cursos de línguas de Inglês, Espanhol, Francês, Português e Libras, já podem conferir o resultado neste link.

De acordo com o edital, o aluno que conseguiu vaga na primeira chamada deve comparecer ao primeiro dia de aula do curso em que foi matriculado para efeito de confirmação de matrícula, de posse de um documento oficial com foto.

Quem não comparecer à primeira aula será considerado desistente e o próximo na fila de espera será convocado. O próximo aluno chamado deve comparecer à segunda aula para efeito de confirmação de matrícula. Se não o fizer, também será considerado desistente. Ainda conforme o edital, não haverá terceira chamada por questões pedagógicas.

As aulas começam no dia 9 de agosto.

Sobre os cursos das Casas de Cultura da Ufal

Gratuitos e com inscrições abertas para a comunidade em geral, os cursos das Casas de Cultura são projetos de extensão da Faculdade de Letras da Ufal, em parceria com a Pró-reitoria de Extensão (Proex).

O objetivo é o estímulo à difusão das línguas alemã, espanhola, francesa, inglesa, portuguesa, brasileira de sinais (Libras) e das suas expressões culturais.

A carga horária semestral é de 45 horas, com um encontro presencial por semana.

Ufal oferece curso de capacitação de profissionais de saúde da Rede Básica

As aulas acontecerão nos dias 10 e 17 de agosto

Sara Graziele - estagiária de Jornalismo 

Servidores da rede pública de saúde podem se inscrever para participar de um curso oferecido numa parceria entre Ufal, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e Ministério da Educação (MEC). O curso será feito em módulos com o objetivo de melhorar a comunicação entre os diferentes pontos de atenção envolvidos com o atendimento dos serviços de saúde, assim como melhorar a efetividade nos agendamentos via Sisreg, diminuindo a dificuldade encontrada pelos usuários no momento do agendamento da consulta.

A oferta é para duas turmas. A primeira, começará na próxima quinta-feira, dia 10 de agosto e tem como público-alvo profissionais da assistência direta ao paciente. Já a segunda turma, que terá início no dia 17, é destinada aos profissionais de regulação, controle e avaliação e agendadores de consulta e exames. Para ambas são disponibilizadas 50 vagas.

As inscrições estão sendo feitas online e também podem ser realizadas na hora do evento. Confira nos anexos o projeto e o conteúdo que será desenvolvido no curso.

Para fazer a inscrição na Turma 1 clique aqui

Para fazer a inscrição na Turma 2 clique aqui

Restaurante Universitário não funcionará no feriado do Dia do Estudante

Apenas os alunos da Residência Universitária vão ser atendidos

RU de Maceió vai atender residentes

Ascom Ufal

A coordenação do Restaurante Universitário informa que durante o feriado do Dia do Estudante os RUs estarão fechados. O atendimento será suspenso na sexta-feira (11) e no sábado (12) por não ser dia letivo, de acordo com o calendário acadêmico.

No Campus A.C. Simões, somente os alunos da Residência Universitária vão ser atendidos.

Lançado edital de seleção para docentes efetivos da Ufal

As inscrições vão até 31 de agosto; edital contempla cursos em Maceió e no sertão

Inscrições vão até 31 de agosto

Sara Graziele - estagiária de Jornalismo

A Ufal, por meio da Pró-reitoria de Gestão de Pessoas e do Trabalho (Progep), abriu as inscrições do concurso público para selecionar professores efetivos. As vagas estão distribuídas entre os campi A.C. Simões e do Sertão.  As inscrições podem ser realizadas até 31 de agosto.

São três vagas ofertadas, sendo uma delas para professor assistente e duas para professor auxiliar. Serão avaliados profissionais das áreas de Estudos da Linguagem, Educação e Libras.

A data provável para o início das etapas de seleção é 15 de outubro. Os cartões com data, hora e local da prova só estarão disponíveis a partir de 29 de setembro, no site da Copeve.

Os candidatos podem solicitar isenção da taxa de inscrição até 21 de agosto.

Para mais informações, acesse o edital do concurso.

Superintendente defende saúde pública de qualidade durante posse no HU

O presidente da Ebserh anunciou a liberação de R$ 1 milhão para o Hospital

Regina Maria conclama servidores à fortalecer o HU para a população

Lenilda Luna - jornalista e Gilmarques de Castro (colaborador) 

A posse da professora Regina Maria do Santos como superintendente do Hospital Universitário Alberto Antunes (HU) da Ufal foi bastante concorrida durante a manhã desta terça-feira (8). Participaram da solenidade o reitor em exercício, professor José Vieira, o presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh),  Kleber de Melo Moraes, além de servidores do hospital e integrantes da gestão da Ufal e da Ebserh. Também estavam presentes as lideranças sindicais dos trabalhadores das instituições.

Professora da Escola de Enfermagem e Farmácia (Esenfar) e doutora em Enfermagem, Regina Maria já integrava a equipe de gestão do Hospital Universitário desde maio de 2016, com a professora Fátima Siliansky, que foi exonerada numa decisão unilateral da Ebserh no início de junho deste ano. Após algumas negociações, a professora Valéria Correia, reitora da Ufal, defendeu a prerrogativa de indicação da direção do HU e apresentou o nome de Regina Maria, que foi nomeada em 14 de junho.

A solenidade de posse foi um momento para reafirmar o compromisso dos gestores com um serviço público de qualidade no único hospital que atende totalmente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em um Estado onde cerca de 90% da população não tem plano de saúde. "Lutamos pelos direitos à educação e ao serviço de saúde gratuito. O HU é um espaço de ensinamentos, assistência e de pesquisa. Contamos com o compromisso de todos, independente de vínculo empregatício com a Ebserh ou RJU para cumprir a missão de desenvolvimento e sustentabilidade do HU", ressaltou a superintendente.

O reitor em exercício da Ufal, José Vieira Cruz, destacou o ativismo da professora Regina Maria em defesa do SUS. “Estou feliz em presidir essa solenidade de posse, porque sei o que a professora Regina representa na luta pela educação e saúde de qualidade para a população alagoana e brasileira. O estado de Alagoas tem grandes belezas naturais, porém vive grandes desafios no campo socioeconômico, com indicadores de desenvolvimento humano alarmantes. Precisamos lutar por esse hospital tão necessário à comunidade e eu sei que essa instituição está em boas mãos", declarou José Vieira.

O presidente nacional da Ebserh, Kleber de Melo Moraes, garantiu apoio à nova gestão. "Como nordestino, enfrento as dificuldades e desafios com firmeza. Estou empenhado em garantir pessoal para o funcionamento dos hospitais universitários e já conseguimos a autorização do MEC para convocar os concursados que aguardam para tomar posse. Também estou garantindo à superintendente do HU da Ufal a liberação imediata de um milhão e 50 mil reais [R$1,05 milhão] para que ela possa dar andamento aos projetos de trabalho apresentados para equipar o hospital", anunciou o presidente da Ebserh.

Campus do Sertão realiza acolhimento aos novos estudantes

O vice-reitor José Vieira ministrou a aula magna que deu início às atividades acadêmicas no local

Solenidade de abertura da programação da Semana de Acolhimento

Cairo Martins - estagiário de Jornalismo

Com calendário acadêmico diferenciado, a sede do Campus do Sertão da Ufal, em Delmiro Gouveia, recebeu a Semana de Acolhimento, entre os dias 31 de julho e 3 de agosto. O evento foi preparado em parceria com a Pró-reitoria de Graduação (Prograd), com programação diversificada incluindo palestras, mesas-redondas, apresentações culturais e outras atividades.

Na ocasião, os novos discentes foram recepcionados pelo vice-reitor José Vieira, que proferiu a aula magna e discursou sobre o tema A resistência da universidade pública em tempos de crise. Gestores, coordenadores e representantes dos centros acadêmicos do campus também participaram da programação da Semana de Acolhimento.

Os novos alunos receberam informações pertinentes aos trâmites acadêmicos dentro da Universidade, assim como seus direitos e deveres enquanto discentes. Durante a programação  houve a apresentação cultural do grupo Coro do Sertão, Grupo Cultural do Salgado, com uma apresentação do coco de roda, e a participação do Grupo de Cultura Negra do Sertão Abi Axé Egbé.

Os professores Ismar Inácio dos Santos Filho e Maria Aparecida Silva lançaram livros e concederam tarde de autógrafos.

Ciência, responsabilidade social e soberania é o tema da SBPC 2018

Ufal e 15 instituições parceiras se reuniram ontem para discutir realização do evento em Alagoas

Ufal e instituições públicas e privadas selam parceria para a próxima edição da SBPC

Mercia Pimentel - jornalista e Danielly Bezerra dos Santos - estudante de Relações Públicas

Em reunião realizada nesta terça-feira (8), foi divulgado o tema da próxima edição da Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que será realizada na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). A 70ª edição do evento, no período de 22 a 28 de julho de 2018, terá como tema Ciência, responsabilidade social e soberania. Gestores da Ufal e convidados de outras instituições discutiram sobre conceito, formato e o impacto que a realização de um evento como este trará para a região.

O vice-reitor da Ufal, José Vieira da Cruz, apresentou a temática ao grupo, justificado que a escolha partiu da própria Universidade e foi acolhida pela comissão organizadora nacional. “A SBPC tem estimulado, ao longo das últimas décadas, pesquisadores de diferentes áreas de formação e idades, a pensar a ciência como um fundamento de responsabilidade social para o desenvolvimento sustentável e de soberania entre os povos, em particular, em relação à independência tecnológica, política e cultural de cada país”, disse Vieira ao explicar o conceito.

O pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da Ufal, professor Alejandro Frery, destacou a importância de instituições públicas e privadas estarem reunidas para pensar a SBPC de modo amplo, coletivo e coeso. “Temos aqui a tríplice hélice academia-governo-empresas. É muito importante que todos trabalhemos juntos para construir um evento de qualidade e que fique marcado na história da ciência em Alagoas”, salientou Frery, que também é vice-coordenador da comissão executiva local.

“É a primeira vez que a reunião anual irá acontecer em Alagoas. Com esse fato, o recado é claro: queremos mudar a realidade do nosso Estado, destacou André Lage, coordenador de Pesquisa da Ufal, acrescentando que a SBPC em Alagoas colocará o estado em evidência  no que diz respeito à produção e disseminação do conhecimento.

Para Fábio Guedes, diretor da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), receber a SBPC em 2018 é celebrar, também, um momento muito especial. "Ainda estaremos comemorando os 200 anos de emancipação do Estado. Está definido o empenho da Ufal e da SBPC em realizar a Reunião Anual em Alagoas. Em nosso Estado, só crescemos se houver cooperação”, frisou.

“Hoje, tratamos de um fato, a SBPC vai acontecer. Todas as instituições são convidadas a construir isso juntos. O tamanho desta participação dependerá do interesse, do investimento e da execução”, arrematou o vice-reitor da Ufal.  

Dentre os convidados, estavam presentes a reitora honorária, Delza Gitaí; representantes de instituições de ensino superior como Uneal, Uncisal, Ifal, Cesmac, Uninassau, Unit e FAN, além de nomes das secretarias de Estado da Educação (Seduc) e da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti). Fapeal, Fundepes, Iphan, Sebrae, Fiea e Eletrobras Alagoas. As reuniões de planejamento acontecerão às primeiras quintas-feiras de cada mês, no Gabinete do vice-reitor da Ufal, podendo também haver a adesão de outras instituições.

Ufal participa de debates sobre energia e política energética para Alagoas

Evento denominado de Teatro da Energia conta com parceria do Clube de Engenharia do Estado

Primeiro ato do Teatro de Energia, realizado no Clube de Engenharia de Macei[o

Diana Monteiro - jornalista

Com o tema Suprimento de energia ao Nordeste: A solução por Alagoas o debate marcou o primeiro ato do Teatro da Energia, promovido pelo Clube de Engenharia, no final de julho, tendo como público-alvo estudantes, engenheiros, pesquisadores, técnicos e sociedade em geral. Para oportunizar à comunidade maior conhecimento sobre o assunto, as discussões transcorrem esta semana, com entrevistas no programa de televisão local Bartpapo, conduzido pelo apresentador Geraldo Câmara. Abrirá o programa a entrevista com o professor André Aquino, do Instituto de Computação (IC), da Universidade Federal de Alagoas e presidente da Comissão Interna de Conservação de Energia (Cice), da instituição.

Segundo André Aquino, a iniciativa para a criação do Teatro da Energia, foi do professor Geoberto Espírito Santo, também da Ufal, tido como uma das referências da área. Destacou que a dinâmica de trabalho definida é dividir os debates em seis atos, o primeiro já realizado, tendo como local o Clube de Engenharia, no bairro do Farol.

Quanto à exibição no programa Bartepapo, André destaca que é um desdobramento da importante ação de interesse da sociedade. E frisa: “Iniciado na segunda-feira, até sexta-feira, dia 11, o programa exibe a partir das 12 horas, entrevista de 30 minutos, cada dia com uma pessoa diferente. A entrevista é reapresentada no mesmo dia às 19h30 e meia-noite”, diz.

Além dele, os entrevistados desta semana são: Aloísio Ferreira, presidente do Clube de Engenharia de Alagoas; Danúbio Lacerda, do Núcleo de Energia da Federação das Indústria do Estado de Alagoas (Fiea); Alberon Toledo, do Grüne Energie do Brasil; e Fábio Loureiro, diretor geral da Caixa de Assistência dos Profissionais dos Conselhos Regionais do Estado, conhecida como Mutua.

Acrescenta que a discussão em torno da temática geral objetiva: discutir energia e política energética mostrando a sociedade os diversos pontos de vista sobre o tema a ser enfocado; acompanhar o desenvolvimento da regulação do setor e manter atualizado os diversos segmentos dos setores econômicos e sociais do Estado de Alagoas; identificar nichos e possibilidades de negócios que podem decorrer da troca de ideias e informações sobre as necessidades da população referentes à produção e uso de energia.

Também, coletar informações para encaminhamento de ações que possam estimular o investimento no desenvolvimento da energia e dos recursos energéticos existentes no Estado de Alagoas; e estimular a sociedade alagoana, pelo conhecimento mais aprofundado das questões energéticas, a prática do exercício da cidadania energética.

GT Energia da Ufal

Em julho de 2016 foi criado na Universidade Federal de Alagoas o Grupo de Trabalho em Energia com o objetivo de mapear, acompanhar e propor ações relacionadas à eficiência energética e geração distribuída na instituição, inicialmente composto por 22 pessoas representantes de nove unidades acadêmicas, além de membros da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep) e Superintendência de Infraestrutura (Sinfra).

A Ufal oferta o curso de graduação em Engenharia de Energias Renováveis, o curso de Mestrado Profissional em Energia da Biomassa e na área de pesquisa o Programa de Melhoramento da Cana-de-açúcar (PGCA) e o Laboratório de Computação Científica e Análise Numérica, que atua na área de petróleo e gás. Há também pesquisas, por grupos individuais, nas áreas de energia da biomassa, biodiesel, eficiência energética, geração fotovoltaica e eólica, dentre outros.

A comissão permanente da Cice/Ufal, presidida por André Aquino, é formada pelos seguintes professores: Márcio Cavalcante e Igor Cavalcante, do Centro de Ciências Agrárias (Ceca); Wellinsílvio Costa dos Santos, do Centro de Tecnologia (Ctec); Heitor Soares Ramos, do Instituto de Computação (IC); e Cícero da Silva, do Campus do Sertão.

Estudantes do ensino médio participam de Encontro de Sociologia na Ufal

Os debates foram realizados no auditório do LCCV

Professora Kamila apresentando a primeira mesa

Ascom Ufal

O Instituto de Ciências Sociais (ICS) realizou, na última terça-feira (8), o 1° Encontro de Sociologia do Ensino Médio, com o objetivo de aproximar a Universidade e a Escola. Foram convidados os alunos do 3° ano da Escola Rosalvo Ribeiro, que estudam com a professora Kamila Silvestre, na disciplina de Sociologia.

"O evento é uma forma de proporcionar a esses estudantes um primeiro contato com o conhecimento científico elaborado na Universidade", explicou a professora. As exposições e debates, que foram realizados com o apoio do grupo de pesquisa Cultura, Identidade e Movimentos sociais, no auditório do Laboratório de Computação Científica e Visualização (LCCV), contaram com a participação dos professores Welkson Pires, Cristiano Bodart e Nascimento de França, do ICS, do estudante Ewerton Diego e da jornalista Lenilda Luna.

Foram abordados temas relacionados aos Movimentos Sociais e Ações Coletivas. Os alunos participaram ativamente, colocando questionamentos aos expositores, além de promoverem apresentações culturais. "Fiquei muito feliz com a participação dos meus alunos na atividade e fico grata pela contribuição de todos. Um agradecimento especial ao professor Cristiano Bodart, que organizou o evento, e à professora Vanda Leite, coordenadora pedagógica do Colégio Rosalvo Ribeiro, que apoiou a vinda dos alunos para a Ufal", agradeceu Kamila.

 

Ressonância Magnética Nuclear vai beneficiar seis pós-graduações

O equipamento foi entregue à Ufal em 2012, mas só recentemente foi instalado no Núcleo de Ressonância

A reitora Valéria Correia garantiu aos pesquisadores os investimentos anuais para o laboratório

Lenilda Luna - jornalista

O Núcleo de Análises e Pesquisa em Ressonância Magnética Nuclear (NAPRMN), do Instituto de Química e Biotecnologia (IQB), conta com um novo equipamento, que vai possibilitar pesquisas em seis programas de pós-graduação. Trata-se do Aparelho de Ressonância Magnética Nuclear AVvance 600 MHz Bruker, que foi adquirido em 2010, entregue em 2012, mas só foi instalado recentemente, no mês de julho.

O equipamento custou cerca de R$ 3 milhões e foi adquirido por meio do edital do Fundo Setorial de Infraestrutura (CT-Infra) que tem o objetivo de financiar projetos de implantação e recuperação da infraestrutura de pesquisa. "Para que o equipamento começasse a funcionar, foi necessário um investimento inicial de R$ 122 mil, utilizado na aquisição de material criogênico (nitrogênio e hélio líquidos), indispensáveis para a instalação", informou o professor Thiago Mendonça de Aquino, do IQB.

Os recursos para a instalação foram garantidos através de um projeto de pesquisa aprovado junto à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), submetidos pelos professores Thiago Aquino e Edson Bento. "Além disso, para o funcionamento do equipamento, a gestão da Ufal custeará a aquisição dos mesmos materiais criogênicos, num valor anual de R$ 180 mil", disse Aquino.

Segundo o professor, com o funcionamento deste equipamento, será possível efetuar a análise de macromoléculas, tais como peptídeos, proteínas, polímeros e polissacarídeos. "Na área de fármacos e medicamentos, poderão ser realizados vários estudos importantes para elucidação estrutural e controle de qualidade de produtos. Em adição, novas linhas de pesquisa de caráter multi-intertransdisciplinar, nas áreas de Química, Saúde e Biotecnologia poderão ser implementadas", relata o pesquisador.

Segundo o pró-reitor de Gestão Institucional, Flávio Domingos, esse laboratório precisa de manutenção constante. "Os equipamentos instalados necessitam recebimento de gases de forma sistêmica para seu funcionamento. Recebemos a demanda do IQB, que trabalhou incessantemente no processo de aquisição dessa modalidade de produtos. Avaliamos a situação e temos como fazer frente, do ponto de vista de orçamento", garantiu o pró-reitor.

Flávio Domingos ressalta o esforço da gestão para atender a essas demandas, diante dos cortes no orçamento da Universidade. "As demandas de manutenção com insumos têm sido incorporadas, mas a dificuldade maior encontra-se em novas aquisições. Desta forma, é fundamental que unidades acadêmicas que possuem demandas de insumos de laboratório informem à gestão central e, acima de tudo, iniciem os processos de compra através de seus técnicos em laboratórios e agentes-Sinfra", destaca o pró-reitor. 

Cerca de 45 pesquisadores, envolvendo orientando, além de parcerias nacionais e estrangeiras, vão se beneficiar com a instalação deste equipamento. "Mesmo em tempos difíceis para o orçamento das universidades, a gestão tem buscado utilizar os recurso de forma eficiente sem perder de vista o seu compromisso com a função social da Universidade e a indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão", declarou a reitora Valéria Correia.

A reitora ressalta que umas das diretrizes adotadas pela gestão é a destinação de recursos para espaços multiusuários que beneficiem um maior conjunto de cursos e programas. "A inauguração das instalações do equipamento de ressonância magnética nuclear ratifica o nosso compromisso com a pesquisa de qualidade e com nossos pesquisadores que prestam um serviço essencial à sociedade e à instituição", finalizou Valéria Correia. 

Faculdade de Letras realiza reunião sobre avaliação da Ufal

Dando continuidade ao calendário de ações, a reunião teve como objetivo esclarecer o processo para docentes da unidade

Reunião foi realizada na Faculdade de Letras.jpg

Sara Graziele - estagiária de jornalismo

Na última sexta-feira (4), foi realizada mais uma reunião com as unidades acadêmicas sobre o processo de recredenciamento da Ufal. Desta vez, o encontro ocorreu na Faculdade de Letras (Fale). Foi promovido um espaço para esclarecer aos professores e coordenadores, em quê consiste o a avaliação da Ufal pelo MEC e quais os passos têm sido tomados pela Gestão para o processo.

A professora Maria da Conceição Valença da Silva ministrou a reunião. E além do corpo docente da Fale, estiveram presentes na reunião, o reitor em exercício José Vieira Cruz, a pró-reitora de Graduação, Sandra Regina Paz e a pró-reitora de Extensão, Joelma de Oliveira Albuquerque.

As reuniões com as unidades acadêmicas são a terceira parte do processo de preparação da Universidade para a avaliação neste ano. Esses encontros também já foram realizados com as comissões Permanente de Avaliação (CPA) e de Auto Avaliação (CAAs), além dos colegiados de curso e Núcleos Docentes Estruturantes (NDEs), todos compondo partes dos processos de preparação.

Confira aqui o calendário com as próximas visitas às unidades.

Consuni aprova Política de Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico

A política de organização dos documentos acadêmicos é uma das exigências para a avaliação da Ufal

Representantes da comissão que elaborou a política na mesa da sessão do Consuni

Lenilda Luna - jornalista

A Universidade Federal de Alagoas está vivendo um período de reorganização em vários aspectos administrativos e acadêmicos. Com a avaliação do Ministério da Educação, que acontece pela primeira vez em 56 anos de existência da instituição, as unidades estão engajadas em atender a todos os itens necessários.

Mais uma etapa foi concluída na última segunda-feira (7), quando o Conselho Universitário aprovou a Política de Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico no âmbito da Ufal. O documento foi elaborado, após levantamentos e estudos, pelas equipes do Departamento de Registro e Controle Acadêmico (DRCA) e Arquivo Central da Ufal.

A equipe que apresentou a proposta de política contextualizou que, em agosto de 2014, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Legislação e Documentos (Inep), ao atualizar o Instrumento de Avaliação Externa para os atos de Credenciamento, Recredenciamento e Transformação de Organização Acadêmica, incluiu, entre os requisitos legais e normativos, a Política de Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico.

A Constituição Federal de 1988 garante aos cidadãos o acesso aos arquivos, enquanto instrumentos de apoio à organização do Estado e da sociedade. Esse acesso, que faz parte do princípio da transparência das ações do Governo, deve ser organizado por meio de programas de gestão de documentos, o que garantirá o "suporte às decisões político-administrativas e os direitos dos cidadãos".

O debate sobre o assunto entre os conselheiros presentes à sessão ordinária do Consuni foi bastante criterioso, abordando vários aspectos sobre a responsabilidade e organização deste trabalho. Após os esclarecimentos e várias propostas de alteração da minuta, a Política de Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico foi aprovada por unanimidade.

O reitor em exercício, professor José Vieira Cruz, parabenizou a equipe pelo trabalho de pesquisa e elaboração do documento que define as normas sobre a manutenção e guarda do acervo acadêmico. "Destacamos o empenho e qualidade dos nossos técnico-administrativos e professores em cumprir todos os critérios para qualificação e recredenciamento da nossa Universidade", finalizou o reitor.

O texto aprovado pode ser consultado em anexo.

Edufal recebe títulos de editora da Universidade de São Carlos

Os títulos da Ufscar são de várias áreas de conhecimento

Livros estão disponíveis na Edufal

Márcia Alencar – jornalista

A Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal) está com grande estoque de títulos da Editora da Universidade Federal de São Carlos (Edufscar) em várias áreas de conhecimento, que podem ser encontrados na sede da Editora, no prédio do CIC no Campus A. C. Simões. A nova remessa, numa antiga parceira com a Edufal, chega para atender a demanda da comunidade acadêmica.

Na área de exatas, destacam-se os livros Concreto Armado – Cálculo e detalhamento de estruturas usuais, 4ª edição, de Roberto Chust Carvalho e Jasson Rodrigues de Figueiredo Filho; Dimensionamento de Elementos e Ligações em estrutura de aço, de Alex Sander Clemente de Souza e; Bê-á-bá da acústica arquitetônica – Ouvindo a Arquitetura, de Léa Cristina Lucas de Souza, Manuela Guedes de Almeida e Luis Bragança, com ilustração de Luís Renato do Nascimento.

Na área de Educação a Distância, o destaque é para três livros que compõem uma série: Educação a Distância e Tecnologias Digitais – Reflexões sobre sujeitos, saberes, contextos e processos; Educação a Distância Qualidade e Convergências – Sujeitos, conhecimentos, práticas e tecnologias, ambos de Daniel Mill e Aline Reali (organizadores) e Educação a Distância desafios contemporâneos, de Daniel Mill e Nara Pimentel (organizadores).

Em outras áreas de conhecimento, vale conferir o livro de Anete Abramowicz (organizadora), Estudos da Infância no Brasil –encontros e memórias e; Violência e seus Paradoxos- práticas discursivas pelas lentes de Michel Foucault, de Sílvia Mara de Melo e Cleudemar Alves Fernandes.

Alguns títulos que estão na Edufal foram adotados por professores em cursos de graduação e pós-graduação da Universidade Federal de Alagoas. Conheçam a Editora da Universidade Federal de São Carlos e seus 24 anos de história.

ICBS promove debate sobre gestão da natureza

Evento será na segunda-feira (14), no Campus A. C. Simões e está com inscrições abertas

Evento será no ICBS. Foto: Luane Eleutério - Labium Imagem

Diana Monteiro - jornalista

O Laboratório de Conservação no Século 21 (Lacos) e o Programa de Pós-graduação em Diversidade Biológica e Conservação nos Trópicos (Dibict), do Centro de Ciências Biológicas da Saúde (ICBS/Ufal), promovem um debate que tem como foco a gestão da natureza. O evento está marcado para a próxima segunda-feira (14), a partir das 9h, na Sala 18 da unidade acadêmica. 

O 4º debate sobre Conservação no Século 21, sob a coordenação de Ana Malhado e Richard Ladle, tem vagas limitadas e contará com a participação do professor Paul Jepson, da Universidade de Oxford (Inglaterra), Susanne Schmitt, da WWF-UK (Reino Unido) e Iran Normande, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). 

O evento está com inscrições abertas que devem ser feitas por meio do formulário online disponível aqui.

Áreas de atuação

O Lacos 21 da Ufal desenvolve um trabalho multi e interdisciplinar, refletindo interesses em ecologia, conservação aplicada, biogeografia, educação e comunicação da ciência. Também incorpora ideias e quadros de áreas como ciências sociais para melhor abordar questões fundamentais como a extinção, a diminuição das populações e os impactos das mudanças climáticas na biodiversidade.

O trabalho do Lacos está dividido em cinco áreas principais que se sobrepõem: Biogeografia da conservação; Ecologia e Evolução; Comunicação e entendimento público de conservação; Práticas de conservação; e Cultura da Ciência. 

Vem aí a terceira edição do Científica Mente

Será dia 16 de agosto e as escolas já podem agendar suas turmas

Arte de divulgação

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

A Usina Ciência promove mais uma edição do Científica Mente. Será dia 16 deste mês, das 9h às 16h, no Centro de Interesse Comunitário (CIC), no Campus A.C. Simões. Mais uma vez a sociedade está convidada para participar do evento que une aprendizado e diversão.

A entrada é gratuita e as escolas podem agendar a vista de suas turmas. Para isso, o professor responsável deve enviar e-mail para quicienciaiqb@gmail.com e marcar o horário de visita. Há horários disponíveis nos turnos manhã e tarde.

De acordo com a professora Monique Angelo, que coordena o projeto, será uma oportunidade de interagir com o mundo das ciências. “Será um dia repleto de muita ciência, aprendizado e diversão, com shows de Química, Física, Biologia e Planetário”,disse.

Horizontes: exposição abre dia 15 na Pinacoteca

Mostra vai homenagear 200 anos de Alagoas

Arte de divulgação

Ascom Ufal

A Pinacoteca Universitária, em parceria com o Governo do Estado, realizará a ​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​exposição Horizontes em comemoração aos 200 anos de Emancipação Política de Alagoas. A mostra apresentará em sua composição um panorama visual da arte contemporânea regional, reunindo produções de artistas locais renomados e dando oportunidade a outros que se mostram em novos horizontes.

A exibição contará com mais de 40 obras inéditas ocupando dois dos três salões do museu e terá abertura no dia 15 de agosto, com visitação até 7 de outubro.

A mostra reunirá obras de novos artistas com grandes nomes que já fizeram parte da história do museu. Carlos Santos, Ed Garcia, Rick Marco, Joaquim Prado, JoãoDionísio, Tony Admond, Nícolas Elifas, Gilbef e Pão foram os selecionados por meio de uma campanha promovida pela Pinacoteca Universitária. Cada um com sua própria técnica e poética, representando Alagoas por meio de suas produções. Juntos irão compor o projeto proposto pela exposição Horizontes.

A 8ª edição da Bienal do Livro de Alagoas também vai receber a exposição, assim como outras ações culturais em homenagem aos 200 anos, com apoio da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom).

Mais informações pelo telefones 3214-1545 e 3214-1428 ou nas redes cociais: facebook.com/pinacotecaufal | instagram.com/pinacotecaufal/ | twitter.com/pinacotecaufal

SERVIÇO

Exposição: Horizontes

Local: Pinacoteca Universitária - Praça Visconde de Sinimbu, 206, 1º piso, Centro

Abertura: 15 de agosto, às 20 h.

Visitação: 16 de agosto até 7 de outubro (segunda a sexta, das 8h30 às 18h).

Entrada gratuita​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​

Estudante? Sim, sempre.

Conheça a história de quem acredita nos estudos como um ciclo em constante transformação

Quem escolhe estudar, sempre estará vinculado aos livros

Manuella Soares – jornalista e Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo

Quem é estudante com certeza já ouviu algum professor dizer: “Um dia eu já estive sentado aí no seu lugar”. Na verdade, a cadeira é só uma referência à posição de aluno, mas quem é professor, nunca deixa de ser estudante. Por isso, nesta data onde os discentes são homenageados, a Ufal mostra a história de Thaíssa Lúcio, que acabou de defender sua tese de doutorado e ser aprovada como docente efetiva no Campus Arapiraca. Ela é só mais um exemplo de que quando as escolhas são norteadas pelos estudos o caminho a seguir sempre levará de volta à estas cadeiras.

A nova doutora em Eletroquímica Orgânica entrou na Ufal em 2008 como graduanda. Após concluir o curso de Química e emendar no mestrado da área, na própria Ufal, Thaíssa decidiu não parar mais de se dedicar a aprender sempre. E relembra que a trajetória não foi simples, mas enfatiza que é necessário criar estratégias para resolver os desafios da melhor forma possível e saber agarrar as oportunidades. Para ela, o processo de dedicação já inicia bem antes: “Fui bolsista no ensino fundamental, assim como no ensino médio, exceto no 1º ano, que minha madrinha Evônia arcava com as despesas. E nessa mesma escola em que ganhei a bolsa dos diretores, fui professora e tive as primeiras experiências em sala de aula”, declarou.

Além de considerar sua dedicação e comprometimento como méritos, Thaíssa destacou a relevante participação da comunidade acadêmica durante toda sua formação. “Aqui na Universidade, sempre houve uma organização acadêmica sólida, e eu tive a sorte de ter professores que viam o diferencial nos alunos e os incentivavam de acordo com o perfil”, ressaltou a egressa, relatando a diferença que alguns de seus professores fizeram na sua vida acadêmica, como exemplo, os docentes Laura Cristiane e Vinicius Del Colle.

“Ela é extremamente dedicada e muito responsável. Durante os anos que ficou conosco no PET [Programa de Educação Tutorial] sempre desempenhou espírito de liderança e desenvoltura para lidar com atividades do grupo, bem como na relação interpessoal com os demais integrantes”, expressou Del Colle , coordenador do curso de Química em Arapiraca.

Universidade incentiva mais conhecimentos

Assim como Thaíssa, muitos alunos procuram se engajar em atividades para se aproximar da docência ou da pesquisa científica. A Universidade Federal de Alagoas oferece programas que propiciam aos estudantes enxergar o próprio curso por uma ótica diferente da que ele imaginou ao entrar na graduação.

Foi o que aconteceu com o professor André Lage, em sua época de aluno. “Após ter perdido as disciplinas de um semestre letivo inteiro por falta de motivação na graduação, encontrei na pesquisa um motivo para continuar no curso de Ciência da Computação e, em seguida, ter feito mestrado e doutorado na área. Foi o Pibic [Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica] que me permitiu conhecer e enxergar esse mundo. Foi a oportunidade que me faltava e que eu mal sabia que existia”, contou, com entusiasmo em defender o programa que hoje coordena na Ufal.

“É um Programa que tem uma incrível capacidade de transformar as vidas profissionais das pessoas. Mesmo que elas não sigam a carreira de pesquisador, a experiência na pesquisa científica é fundamental para o amadurecimento do pensamento crítico e da formação de pessoas com capacidade crítica que a sociedade precisa, com o olhar do cientista”, destacou.

No ciclo 2017-2018do Pibic na Ufal houve 1.415 Planos de Trabalhos submetidos por meio de projetos, dos quais 1.331 foram qualificados (907 bolsistas e 424 colaboradores). Isso representa um aumento de 15,6% da demanda qualificada em relação ao ciclo anterior, ou seja, tem muito mais alunos interessados em estudar a ciência com dedicação e disciplina.

Buscar sempre mais é o incentivo da Pró-reitoria de Graduação. “A gente deseja que nossos estudantes tenham muita força, que se tornem sempre aguerridos nos estudos, porque a universidade é o espaço da criatividade, do pensamento crítico, do conhecimento científico, elaborado e sistematizado”, destacou a pró-reitora Sandra Regina Paz.

Já o coordenador de pesquisa da Propep, André Lage, revela um ponto essencial para despertar o interesse do aluno em se aprofundar nos estudos: a empatia. “Nós, pesquisadores, precisamos ter empatia para com os estudantes que estão no seu processo de aprendizado, para que a inserção dos alunos de graduação nas atividades de pesquisa seja mais efetiva e didática. Para isso, é preciso ter muita paciência com os estudantes e dedicar bastante tempo com reuniões, indicações e/ou preparação de materiais de estudo, etc. Acredito que, dessa forma, o engajamento dos alunos na pesquisa científica, seja na graduação ou na pós-graduação, será mais prazeroso e mais eficaz”, disse.

Ufal acolhe egressos com novas oportunidades

A maior instituição de ensino superior pública de Alagoas dispõe de todas as condições para o estudante se qualificar. São 44 programas de pós-graduação, incluindo mestrados acadêmicos, profissionais e, doutorado. Muitos terminam a graduação, mas não encerram um ciclo. Eles voltam para a Ufal com o intuito de aprender mais e se aprofundar nas suas áreas.

“Nós temos cursos de especialização, mestrado e doutorado. É a possibilidade para que os nossos alunos possam voltar à sociedade com compromisso, responsabilidade ética e profissionalismo. É o retorno do investimento que a sociedade faz na universidade”, ressaltou o reitor em exercício, José Vieira Cruz.

Thaíssa regressou várias vezes para a Ufal, colheu excelentes frutos e, agora, pretende continuar semeando novas oportunidades para outros alunos. “Eu vou dar dedicação exclusiva, trabalhar no laboratório do campus e adaptar a minha linha de pesquisa, mas vou continuar aqui [Campus A. C. Simões] também, até porque a gente nunca perde o laço”, contou, sendo um exemplo de que são esses vínculos acadêmicos que acrescentam no currículo da experiência.

Nunca deixar de ser estudante

Sabe aquela cadeira onde o aluno senta pra aprender? Pois é... quem escolhe ter mais conhecimento, dificilmente vai deixa-la vazia.

“Nós temos que estar atualizados nas áreas de atuação, o que implica em acompanhar as publicações nos principais periódicos das nossas áreas e áreas correlatas. Além disso, temos que escrever e executar projetos de pesquisa, relatórios e artigos científicos, revisar relatórios, projetos e artigos científicos para as agência de fomento e periódicos, edicão de periódico, comitê de conferências científicas, dentre outras atividades administrativas que o pesquisador, quando este também é professor, tem que realizar (aulas, participação em órgãos colegiados, comissões, coordenações de cursos de graduação e pós, chefia de departamento/instituto, etc.). Finalmente, temos também a tarefa de orientar, de conduzir o aluno no seu próprio processo de aprendizado sobre como provocar a fronteira do conhecimento científico. Com todas essas tarefas, é comum esquecermos que um dia, nós pesquisadores, fomos estudantes e passamos por todas as etapas de formação do pesquisador”, relatou André Lage, mostrando que a cadeira sempre vai estar ali, sabiamente disponível.

Ufal apoia maior evento científico de Enfermagem do Brasil

Congresso Brasileiro de Enfermagem será em setembro, em Maceió

Arte de divulgação

Ascom Ufal

A Universidade Federal de Alagoas faz parte da organização do Congresso Brasileiro de Enfermagem (Cben), que este ano terá como sede a cidade de Maceió. O maior evento científico da área no país vai ser realizado de 5 a 8 de setembro, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, e as inscrições já estão abertas.

Clique aqui para fazer a inscrição online.

Na 69ª edição do Cben, promovida e realizada pela Associação Brasileira de Enfermagem (Aben), o tema central é O trabalho da Enfermagem na construção de uma sociedade democrática. A comissão organizadora justifica a importância do tema numa referência às conjunturas nacional e internacional que combinam medidas e decisões das quais alegam favorecer avanços econômicos na contramão de avanços sociais, humanos e democráticos.  

“Os fatores que condicionam e determinam o processo saúde-doença estão progressivamente afastando pessoas e coletividades do pleno exercício do direito à saúde e outros direitos fundamentais, submetendo-as a sofrimentos desnecessários, além de comprometerem a sua qualidade de vida, inclusive de trabalhadores de saúde/enfermagem”, ressaltam os organizadores. E completam: “​Neste contexto, aprofunda-se a precarização das condições de trabalho em saúde/Enfermagem, em que fica reduzido o potencial transformador desse trabalho na consecução de justiça e igualdade social. Então, no Cben o objetivo será discutir estratégias de democratização do direito à saúde, sempre na perspectiva da construção de uma sociedade livre e justa, sem exploração e discriminação de qualquer natureza”.

Considerando o objetivo do evento, as discussões abordadas serão em torno de temas como formação em saúde/Enfermagem; trabalho Interprofissional; saúde da pessoa em situação de rua; cuidado paliativo; assédio moral; saúde mental; Enfermagem na carreira militar; saúde do trabalhador; raça/etnia; gênero; pesquisa científica; ética e bioética; sustentabilidade; processo de trabalho; saúde da população indígena; inclusão Social; entre outros.

A estimativa da comissão organizadora é de cerca de três mil pessoas no congresso, entre trabalhadores e estudantes de Enfermagem, de todos os estados brasileiros. É a segunda vez que Maceió sedia o Cben; a primeira foi em 2011.

Na programação, que conta com participantes de renome nacional e internacional, o dia 5 está dedicado às atividades pré-evento, como minicursos e oficinas, além da conferência de abertura, às 20h no auditório do Centro de Convenções.  Já dos dias 6 a 8, terão mesas-redondas, diálogos temáticos, rodas de conversa, apresentação de trabalhos, entre outras atividades científicas e deliberativas relacionadas à área. O 69º Cben conta com apresentações culturais e uma feira tecnológica, trazendo novidades sobre a prática em saúde. 

No evento, também acontecerá a prova de título para Especialista em Enfermagem em Psiquiatria e Saúde Mental, oportunidade para os profissionais que desenvolvem suas práticas nestes serviços adquirirem titulação. Dentro da programação haverá ainda o Colóquio de Enfermagem em Saúde Mental. 

Outra novidade deste Cben é o Espaço Mocambo, dedicado à socialização de experiências relacionadas à Educação Popular em Saúde, onde terá uma Mostra de Experiências em Audiovisual. 

Apoio da realização

A comissão organizadora do evento conta com enfermeiros e estudantes de grande parte dos cursos de graduação em Enfermagem de Alagoas, bem como com enfermeiros do serviço e da gestão. A Ufal contribui diretamente na organização, com apoio da professora Danielly Santos dos Anjos Cardoso na coordenação da comissão executiva e os docentes do curso de Maceió, Laís de Miranda, Lenira Wanderley, Regina Maria dos Santos, Isabel Comassetto, Jovânia Marques de Oliveira e Silva, Célia Alves Rozendo, Maria Elisângela Torres de Lima Sanches e Verônica de Medeiros Alves, Janine Melo de Oliveira, Thaís Honório Lins Bernardo, Ana Carolina Santana Vieira, Fernanda Silva Monteiro, Maria Cristina Soares Figueiredo Trezza. Também estão envolvidos na organização os professores da graduação em Enfermagem da Ufal em Arapiraca, como Diego de Oliveira Souza e Sóstenes Ericson Vicente da Silva.

Além da participação dos servidores na comissão organizadora e na programação científica, a gestão central da Ufal, por meio da reitora Valéria Correia e do vice-reitor José Vieira, colabora com o incentivo à vinda dos palestrantes e apoio com grupos culturais vinculados à Universidade para se apresentarem durante o evento. A Pró-reitoria de Gestão de Pessoas e do Trabalho (Progep) realizou o edital para seleção de servidores enfermeiros, técnicos e auxiliares de Enfermagem para custeio de sua participação no 69º Cben como forma de proporcionar o desenvolvimento dos servidores da área de Enfermagem da Universidade.

Entre as instituições apoiadoras também estão Governo do Estado de Alagoas, Maceió Conventions & Visitors Bureaus, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal).

Pesquisadores publicam artigo de referência sobre tratamento da febre chikungunya

O trabalho publicado em destaque num periódico internacional reúne compostos fármacos para o tratamento da doença

Pesquisadores que assinam o artigo

Lenilda Luna - jornalista

Os pesquisadores do Grupo de Pesquisa Química Medicinal, que realiza planejamento, síntese e avaliação farmacológica de novos compostos para a produção de medicamentos, publicaram um artigo científico sobre química medicinal para o tratamento da febre Chikungunya. A pesquisa reuniu mais de 300 compostos sintéticos, semi-sintéticos e naturais que combatem os sintomas da doença no organismo humano.

A doença causa pelo vírus CHIKV e transmitida pelo mesmo mosquito da dengue, o Aedes aegypti, atingiu mais de 18 mil pessoas só em Alagoas, em 2016, segundo o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde de Alagoas (Sesau). Diante da preocupação da população e dos médicos com o número de casos, quase tantos quanto os registros de dengue, a atenção dos pesquisadores voltou-se para o problema.

A proposta de reunir numa publicação todos os compostos que pudessem ser utilizados no tratamento da Chikungunya partiu do pesquisador Edeildo Ferreira da Silva-Júnior. "A nossa ideia foi criar uma enciclopédia de compostos químicos com atividade para a Chikungunya. É uma revisão, mas reúne 303 compostos agrupados em um único trabalho, tornando-se uma referência que contribui com outras pesquisas sobre o assunto", ressalta o pesquisador.

O artigo foi publicado em julho na revista Bioorganic & Medicinal Chemistry, da editora Elsevier, é assinado também pelos orientadores João Xavier de Araújo Júnior, da Esenfar, e Thiago M. Aquino, do Instituto de Química e Biotecnologia, além dos colaboradores Giovanni Leoncini e Érica Rodrigues. O periódico é referência em publicações de literatura médica e científica no mundo.

"A revista publicou nosso artigo em menos de uma semana, com destaque do resumo na capa. Os editores avisaram que a publicação ainda estará disponível esse mês por conta da quantidade de visualizações, comentários e citações do artigo", comemorou Edeildo.

Segundo o pesquisador, o artigo foi bastante acessado com a ferramenta  www.researchgate.net que é uma espécie de Google dos pesquisadores. "Esse banco de dados reúne trabalhos científicos do mundo inteiro e notifica os acessos. Nosso artigo foi consultado em países como China, Japão, Estados Unidos, Reino Unido, entre outros. Isto é muito importante para divulgar o nosso grupo de pesquisa para a comunidade científica internacional e a Ufal também ganha muito com essa visibilidade", destacou Edeildo.

O pesquisador Giovanni Ortiz Leoncini, doutorando em Química, também comemorou o resultado. "Os laboratórios nacionais e estrangeiros que pesquisam e produzem fármacos para o tratamento da Chikungunya atentaram para o nosso trabalho. Fizemos uma revisão bastante criteriosa para compostos com ação intracelular e extracelular, reunindo moléculas pontencialmente ativas para aplicação medicinal no tratamento da doença. Nosso artigo torna-se uma referencia para os especialistas nessa área", ressalta Giovanni.

Érica Rodrigues também está muito satisfeita com o amplo alcance atingido pelo artigo. Ela é recém-graduada em Farmácia, mas participa do grupo de pesquisa desde 2014, sob a orientação do professor João Xavier. "Para quem vai começar o mestrado, como eu, é um grande peso para o currículo já ter participado de um trabalho coletivo que resultou num artigo publicado em uma revista científica de referência. Sem dúvida, é um ótimo começo", comemorou a pesquisadora. 

Mestrado Profiap publica edital de credenciamento de professores

Interessados devem enviar formulário preenchido até sexta-feira (18)

Professor Gustavo Madeiro, coordenador pró-tempore do mestrado em Administração

Diana Monteiro - jornalista

A Universidade Federal de Alagoas está com edital aberto de credenciamento de professores para o Mestrado Profissional em Administração Pública (Profiap), que tem seleção conduzida pela coordenação nacional e exige como critérios para a candidatura a docente permanente, o título de doutor em qualquer área de conhecimento e para docente colaborador, o título de mestre.

O mestrado é atrelado à Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Feac) e está temporariamente sob a coordenação local do professor Gustavo Madeiro da Silva. Ele faz uma orientação aos docentes interessados em atuarem no curso: “Os candidatos devem acessar o site da Feac, na aba pós-graduação, mestrado em Administração Pública, seleções/editais, preencher o formulário de credenciamento/descredenciamento e enviá-lo, assinado e digitalizado, à coordenação do Profiap local”, orienta.

Madeiro adianta que caberá à coordenação nacional do Profiap, conforme os critérios da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), a análise dos pedidos para a área de Administração, Contabilidade e Turismo. “A coordenação local levará o pedido ao Pleno do Curso, que analisará a necessidade de docentes no programa e tomará a decisão da aprovação. Se o pleno aprovar a solicitação, a coordenação deverá solicitar o ofício à reitora/Pró-reitoria de Pesquisa e enviar a indicação ao comitê gestor do Profiap Nacional”, enfatiza Madeiro. O formulário deve ser enviado até sexta-feira (18), pelo seguinte e-mail: mestrado.admpfeac@gmail.com

Mais informações sobre o Profiap da Ufal no site.

 

Linguista José Luiz Fiorin fará abertura da 10ª Semana de Letras da Ufal

Evento será de 18 a 22 de setembro; inscrições já podem ser feitas

Prazo para submissão de trabalhos é até dia 18

Ascom Ufal

Com uma programação voltada para o tema Linguagem e(m) diálogos, os interessados em participar da 10ª Semana de Letras da Ufal já podem realizar a inscrição e garantir vaga para conferências, minicursos, mesas-redondas, oficinas, comunicações orais de alunos, além de prestigiar o CinePET, o Cinei, as apresentações culturais, a 5ª Expoletras e o 5º Concurso de Contos Arriete Vilela. O evento será de 18 a 22 de setembro.

Os que desejam apresentar trabalhos devem ficar atentos, pois o prazo já termina nesta sexta-feira (18). Os resumos devem atender aos requisitos previstos no edital. Para mais informações, acesse o site do evento

Organizada pelo Programa de Educação Tutorial (PET) do curso, em parceria com a direção da Faculdade de Letras, a coordenação da graduação e, desde 2012, com o Núcleo de Estudos Indigenistas (NEI), a Semana tem o objetivo de integrar a comunidade acadêmica da área das diversas unidades acadêmicas. 

Fiorin na abertura da Semana 

A conferência de abertura da 10ª Semana de Letras será com o renomado linguista e professor da Universidade de São Paulo (USP), José Luiz Fiorin. 

Autor e organizador de diversos e importantes livros na área de Linguística, o pesquisador falará sobre o tema O papel da linguagem na vida dos seres humanos. 

A abertura será no dia 18 de setembro, das 16h30 às 18h, no auditório da Reitoria da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Campus A. C. Simões, em Maceió. 

5º Concurso de Contos Arriete Vilela

Com o objetivo de estimular a produção literária dos alunos do curso e divulgar os trabalhos, o 5º Concurso de Contos Arriete Vilela é uma competição voltada para os graduandos em Letras das faculdades de Alagoas. 

Cada estudante pode inscrever apenas um conto, escrito em Língua Portuguesa, não publicado na edição anterior do concurso (edição 2016). 

Para se inscrever, os autores devem se encaminhar à Secretaria da Faculdade de Letras (Fale) da Ufal, no Campus A.C. Simões, no horário das 8h às 21h, de segunda-feira a sexta-feira, até o dia 23 de agosto. 

O evento é promovido pelo PET Letras, com o apoio da Fale, e integra a programação da 10ª Semana. Clique aqui para mais informações sobre o concurso.

Capacitação para o método canguru deixa equipe do HU mais humanizada

O projeto é proposto pelo Ministério da Saúde e faz parte do programa Rede Cegonha

Uma das oficinas realizadas foi a estação do aleitamento materno

Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo

Com o intuito de preparar os profissionais da saúde que lidam diretamente com partos e recém-nascidos prematuros e de baixo peso, o Hospital Universitário capacita a equipe para o Método Canguru. A preparação faz parte do programa Rede Cegonha, do Sistema Único de Saúde (SUS) e a última turma participou da capacitação entre os dias 7 e 10 de agosto.

O método se caracteriza pela atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso. A neonatologista Ana Maria, explica que o nome do projeto se refere aos primeiros contatos afetivos da mãe com o bebê. “Com esse método, crianças de muito baixo peso recebem tratamento individualizado, voltado para as peculiaridades de cada um. Um outro aspecto é que a equipe não se volta para tratar somente do recém-nascido, mas sim da mãe e do bebê em conjunto, sem separá-los, pois, o projeto visa o vínculo e o aleitamento materno”, explica.

A fisioterapeuta Jayanna Salgueiro, que faz parte da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) Neonatal, alega que a capacitação vem proporcionando o fortalecimento do trabalho em equipe, além de trazer uma maior percepção e um diálogo com a mãe. “Eu vou poder usar a minha presença no setor de forma mais humana, principalmente em relação ao cuidado com a mãe. Aumentou muito o meu conhecimento, em coisas que eu não sabia ou não tinha noção”, relata.

De acordo com a coordenadora estadual do Método Canguru, Sirmani Melo Frazão, é exigido pelo Ministério da Saúde que pelo menos 80% dos funcionários que lidam com bebês necessitam estar treinados no Método Canguru. Na realização do curso, além da participação de profissionais do HU, houve o apoio da equipe da Maternidade Escola Santa Mônica, que é considerado um hospital de referência estadual no método e possui tutores formados.

A capacitação no HU

Em sua terceira edição e com carga horária de 24 horas, o curso é voltado para toda a equipe, desde técnicos de enfermagem a médicos. Ana Maria frisa a importância da participação de todos os profissionais da área: “É bem interessante porque na capacitação toda a equipe tem o mesmo peso, pois assim nós conseguimos garantir uma boa assistência, sem necessidade de haver hierarquia. Por esse motivo o curso é oferecido para profissionais variados que fazem parte do grupo”.

Durante o curso, os profissionais participam de diversas dinâmicas, e conforme a neonatologista, isso traz uma maior aproximação da equipe. São tratados aspectos comportamentais dos recém-nascidos e também o impacto que uma falha do especialista pode causar na vida da criança e da mãe. “A gente mostra para a equipe que o recém-nascido sente dor, é sensível, que ele precisa da presença dos familiares, e o principal: que ele não é um objeto, é um ser vivo”, destacou Ana Maria.

A oficina Estações para treinamentos de cuidados humanizados é uma das atividades realizadas durante o curso, ela envolve estações de aleitamento materno, de banho humanizado, de peso humanizado, entre outras, como aulas para alertar na dor e estresse do recém-nascido.

Mudanças na equipe e na família

“A gente introduz a mãe para o cuidado, ensina, dá apoio, alerta o profissional para ser mais claro e otimista na passagem dos boletins diários, e vai fazendo com que a mãe tenha vínculo com a criança, que só existe quando ela a enxerga”, declarou a neonatologista, que defende que apesar de a capacitação ser realizada com os profissionais, as famílias também saem ganhando. “Acontece de uma criança estar em estado grave e a mãe não a vê como viável e se aproxima menos, porém o que faz o amor é a aproximação, e quanto mais a gente conhece, mais a gente ama. E nós podemos ajudar nesse processo”, finalizou.

Jayanna Salgueiro concorda com a colocação. De acordo com ela, muitas vezes o profissional foca muito no bebê interno, e esquece de observar a mãe também, que quer falar, se expressar, mas com o “corre-corre” da equipe acaba não tendo a devida atenção.

Segundo Ana Maria, após o curso, os profissionais da Unidade Neonatal mudam o comportamento, pois eles são sensibilizados a isso. “Eles passam a ter mais cuidado com ruídos, no manuseio, e no sono do recém-nascido, que é muito importante para que haja a migração e o amadurecimento dos neurônios”, contou.

A Rede Cegonha

A Rede Cegonha é um programa proposto pelo Ministério da Saúde e visa a melhoria do atendimento humanizado à gestante, ao parto, ao pós-parto e do recém-nascido até crianças com até dois anos de idade. O objetivo central é buscar a redução da mortalidade materna e infantil com ênfase no componente neonatal, além de orientar os pais dos bebês para planejamento familiar.

Museu Théo Brandão tem mais um canal de divulgação de atividades e pesquisas

Site conta história do MTB e divulga exposições de curta e longa durações

Site reúne todas as informações sobre o Museu Théo Brandão

Ascom Ufal 

Com o objetivo de aproximar o público e ampliar os canais de comunicação, o Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (MTB) lançou o site www.mtb.ufal.br.

A página contém informações sobre a história do Museu, a Biblioteca, o acervo, a exposição de longa duração e as exposições de curta duração dos últimos anos, além de notícias sobre eventos e projetos do equipamento cultural da Ufal. O site também conta com um espaço reservado à divulgação de pesquisas relacionadas à Antropologia e ao Folclore.

O projeto foi desenvolvido pelo web designer Tom Carvalho e conta com a colaboração de Jacqueline Batista e Victor Sarmento na área de comunicação social. Agora, o público do MTB tem mais uma plataforma para facilitar o acesso à informação.

 

Público garantido nos próximos concertos do Quinta Sinfônica

Escolas da rede pública já agendaram a participação de seus alunos

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

A Diretoria de Teatros de Alagoas (Diteal) conseguiu agendar com escolas da rede pública municipal de Maceió para levar seus alunos ao Quinta Sinfônica, projeto de extensão da Universidade Federal de Alagoas que oferece concertos gratuitos para toda a comunidade. Até o final deste ano, 200 crianças vão assistir à Orquestra no Teatro Deodoro, na última quinta-feira de cada mês.

A Diteal é parceria da Ufal na realização do Quinta Sinfônica desde 2011. Esse é um projeto de extensão da Universidade que vem conseguindo apresentar um repertório de músicas que vão do erudito ao popular, buscando formar público para concerto.

No concerto do próximo dia 31, já estão confirmados alunos das escolas municipais Nise da Silveira e Antônio Brandão. O agendamento é feito diretamente com a Diteal, pelo e-mail escolasditeal@gmail.com

Cris Honorato, responsável pelo agendamento das escolas, garante que esse número é referente a cada concerto e pode aumentar, caso as escolas estaduais e as particulares consigam fechar a agenda. “Fechamos com a Semed [Secretaria Municipal de Educação de Maceió] a participação de 200 alunos por concertos, mas também convidamos as escolas estaduais, as da rede particular e alguns Cras [Centro de Referência de Assistência Social] também demonstraram interesse em participar”, completou.

Ufal tem participação em livro que será lançado pela Edufba

São dois artigos de autoria do professor Marcos Moreira, da licenciatura em Música

Publicação é da Editora da Universidade Federal da Bahia

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora com Ascom da Edufba

Nesta quinta-feira, dia 17, a Editora da Universidade Federal da Bahia (Edufba) vai lançar o livro Ensino coletivo de instrumentos musicais: contribuições da pesquisa científica, da Série Paralaxe, organizado por Tais Dantas e Diana Santiago. A publicação tem a colaboração de vários pesquisadores, entre eles o professor Marcos Moreira, do curso de licenciatura em Música da Universidade Federal de Alagoas.

O lançamento acontecerá durante o 14ª Festival de Livros e Autores da Ufba, em Salvador, das 17h às 20h. O livro é uma coletânea de artigos resultados das pesquisas sobre Ensino Coletivo de Instrumento Musical (Ecim), realizadas no Programa de Pós-graduação em Música da Ufba nos últimos anos. E Marcos Moreira é autor de dois dos capítulos que compõem a publicação: Mulheres em filarmônicas: pioneirismos e busca de igualdade no Nordeste do Brasil e Norte de Portugal e; O Método Da Capo: ensino coletivo e aprendizagem instrumental inicial da Filarmônica do Divino, do Estado de Sergipe.

A Ufba foi pioneira na institucionalização das metodologias e das práticas de Ecim no âmbito das universidades brasileiras, por meio da criação das oficinas de música, do projeto de extensão ligado à Escola de Música, e da produção apresentada no Programa de Pós-graduação em Música.

Informações adicionais sobre o livro: 

ISBN: 978-85- 232-1572- 9

Ano: 2017

Formato: 17x24 cm

Número de páginas: 212

Preço especial de lançamento: R$ 16,50

Ufal sedia 8º Encontro de Pesquisa em Educação de Alagoas

Com edições a cada dois anos, em 2017 o evento comemora os 15 anos do PPGE na Universidade

Além do vice-reitor, José Vieira e do coordenador do PPGE, Anderson Menezes, a mesa de abertura contou diversos docentes da instituição

Thamires Ribeiro – estagiário de Jornalismo

Com a temática A Educação na Contemporaneidade: entre a emancipação e o retrocesso, foi aberto nesta terça-feira (15) o 8º Encontro de Pesquisa em Educação de Alagoas (Epeal). O evento é realizado pelo Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE) do Centro de Educação da Ufal (Cedu), em parceria com a Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), a Associação Nacional de Política e Administração da Educação (Anpae) e o Instituto Federal de Alagoas (Ifal). O Encontro deste ano está ligado a uma edição especial em comemoração aos 15 anos do PPGE na Ufal.

O Epeal acontece bienalmente, e é voltado para pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação e aos interessados na temática. Nesta edição, o evento irá discutir as vulnerabilidades sociais a partir das seguintes linhas de pesquisa: História e política; Educação e linguagem; Processos educativos; Educação e inclusão e; Educação e tecnologias.

O 8º Encontro de Pesquisa em Educação de Alagoas, que tem como objetivo central discutir práticas e culturas educativas no Estado, abriu as atividades com exibições culturais, incluindo recitação de poesias e a apresentação do rapper alagoano, Nando Rozende.

De acordo com Anderson Menezes, coordenador do PPGE, o Epeal é aberto para toda a comunidade acadêmica, e a participação de todos é de extrema importância, pois, “retoma autores de biografias que discutem a prática educativa que lidam desde a educação infantil até o ensino superior. E irá tratar de processos educativos que procuram revalorizar o papel docente, discente, políticas públicas e educativas no âmbito de uma cidade educadora”.

A programação se estenderá até sexta-feira (18) das 9h às 17h, e contará com conferências, mesas-redondas, pôsteres, práticas educativas, comunicações orais, mesas temáticas, apresentações de trabalhos e minicursos. Mais informações, como os horários e locais das atividades, podem ser conferidos aqui no site do evento

Profbio recebe alunos selecionados para a primeira turma

O mestrado profissional em Biologia começa com conceito 4 na Capes

Mesa da solenidade de abertura do Profbio

Lenilda Luna - jornalista

Na manhã desta quarta-feira (16), foi realizada a aula inaugural do Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional (Profbio), da Ufal. O curso é semipresencial, com aulas presenciais às quartas, e tem como objetivo a qualificação profissional de professores de Biologia das redes públicas de ensino que estão em exercício da docência.

A rede nacional do curso conta com 18 universidades e é coordenada pela Universidade Federal de Minas Gerais. "Trabalhamos durante dois anos para trazer esse mestrado para a Ufal e ficamos felizes em receber os 15 alunos selecionados para a primeira turma. Esperamos que o curso contribua com o trabalho de vocês em sala de aula", disse Iracilda Lima, diretora do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (Icbs), ao dar as boas-vindas aos mestrandos.

A solenidade de abertura contou com a presença dos alunos, professores do curso e representantes da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep). Helson Flávio Sobrinho, coordenador de Pesquisa, ressaltou a importância do mestrado já começar com conceito 4 na Capes. "Isso demonstra a qualidade do trabalho feito para instituir o curso na Ufal. Vocês terão professores altamente qualificados. Vamos fazer o possível também para garantir uma boa infraestrutura", declarou Helson aos alunos.

Melissa Fontes Landell, doutora em Microbiologia Agrícola e do Ambiente, é a coordenadora do mestrado. Ela destacou a proposta inovadora do curso. "Queremos propor novas metodologias para o ensino de Biologia no ensino médio. Temos certeza de que teremos muitas experiências para compartilhar. Ficamos felizes também em anunciar que o mestrado vai contar com o reforço de um professor visitante", informou a coordenadora.

Clique aqui para saber mais sobre o Profbio.

Ciclo de palestras sobre ensino de Geografia começa nesta quinta-feira

“Agosto Legal” e “Fronteiras do Conhecimento Geográfico”, transcorrem respectivamente: nos dias 17 e 18, 23 e 24 deste mês

Arte de divulgação

Diana Monteiro - jornalista 

O Laboratório de Educação Geográfica do Estado de Alagoas (Legal) em parceria com o Núcleo de Estudos do Quaternário do Nordeste do Brasil (Nequat) promovem um ciclo de palestras e oficinas que têm como foco temáticas desenvolvidas no Ensino de Geografia.  Os debates começam nesta quinta-feira (17), no auditório do Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente (Igdema/Ufal, Campus A. C. Simões.

As palestras denominadas Agosto Legal e Fronteiras do conhecimento geográfico  têm como objetivos dialogar com a comunidade acadêmica sobre temáticas relacionadas ao ensino da Geografia; compreender como se dá o processo de construção do conhecimento em alfabetização cartográfica e letramento geográfico; e refletir sobre o espaço escolar nos dias atuais.

“Esperamos como resultados, que haja reflexão junto ao público participante sobre os temas a serem explorados e também conclusões temporárias sobre o espaço escolar e o ensino de Geografia, foco das atividades programadas”, frisa Kinsey Pinto, coordenador do Laboratório Legal junto com a professora Maria Francineila Pinheiro. O Núcleo Nequat, que também é promotor do ciclo de palestras, está sob a coordenação do professor Kleython de Araújo Monteiro.

Agosto Legal

Conforme à programação, nesta quinta-feira (17), a partir das 13h30, está definido o credenciamento, seguido da abertura, às 14h30, com participação da professora Maria Francineila Pinheiro, da Ufal. A partir das 15h, haverá a Oficina Alfabetização Cartográfica, a ser conduzida por Gerlivan Felinto da Silva. Às 19h a professora Ana Cláudia Ramos Sacramento, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), fará a palestra intitulada Mediação do conhecimento didático em Geografia.

Na sexta-feira (18), as atividades têm início às 14h com a palestra De Geraldo Vandré à Anitta: a música no ensino de Geografia, com o professor Kinsey Pinto.

Fronteiras do Conhecimento

Na segunda semana, o ciclo de palestras se dará nos dias 23 e 24, a partir das 19h, e contará com a participação de dois pesquisadores que são referências na área. No dia 23, o palestrante será o professor Antônio Carlos Castrogiovanni, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), que atua nas áreas de ensino de Geografia e Turismo.

Já no dia 24 de agosto, a palestra, às 19h, será com o professor Antônio Carlos de Barros Corrêa, docente da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Ele é atua nas áreas de Geociências com ênfase em Geomorfologia com foco nos seguintes temas: geomorfologia do quaternário, geomorfologia do semiárido do Nordeste e análise geossistêmica.

Usina Ciência realiza terceira edição do Científica Mente no Campus A.C. Simões

Objetivo é promover a interação com o mundo das ciências de forma divertida

Alunos da Escola Estadual Ferdinanda Malta, do município de Rio Largo.

Letícia Sant’Ana - estudante de Jornalismo

Os experimentos educativos da Usina Ciência chegaram ao Campus A.C. Simões da Ufal nesta quarta-feira (16). O projeto realizou durante o dia a terceira edição do Científica Mente, evento que promove a integração com o mundo das ciências de forma divertida. Nesta edição, estudantes de 10 escolas participaram das aulas - show de química, biologia e física no Centro de Interesse Comunitário (CIC).

“A ideia é trazer para dentro da Universidade as atividades da Usina Ciência para que mais estudantes dessa região possam conhecer. As edições do Científica Mente na Ufal recebem com frequência alunos do interior e isso é muito bom”, afirmou a professora do Instituto de Química e Biotecnologia (IQB) da Ufal, Monique Ângelo, que integra a equipe da Usina Ciência.

Os estudantes da Escola Estadual Ferdinanda Malta, do município de Rio Largo, vieram participar do evento pela segunda vez, trazendo 60 alunos de duas turmas do segundo ano do ensino médio. “Eles sentem a necessidade dessa integração com a prática. É uma ótima oportunidade para sair um pouco da frente do quadro”, contou o professor de Biologia, Elriley Murta.

Além das aulas - shows no CIC, o público pode conhecer o Planetário, projeto que envolve alunos de graduação de diferentes áreas como física e engenharias. “Já visitamos quase o estado inteiro com o Planetário itinerante nas escolas e na Universidade. O objetivo maior é levar ciência e astronomia, especificamente, através dessa experiência de mostrar o universo para o público”, afirmou o estudante de Geografia, Genisson Panta.

O evento é realizado em parceria com o grupo de pesquisa QuiCiência, do IQB, que oferece os monitores para as aulas-shows. A coordenadora do Colégio Interativo, de Maceió, contou que a experiência de participar do Científica Mente é importante para que os estudantes vejam na prática o que estão acostumados a trabalhar apenas na sala de aula. “É importante essa vivência na Universidade porque logo eles estarão aqui”, complementou Ericka de Cássia Monteiro.

O projeto de extensão Usina Ciência mantém atividades regulares e os agendamentos de aulas-show para o segundo semestre de 2017 podem ser feitos através de um formulário online, disponível neste endereço.

Museu Théo Brandão promove Mostra de Talentos no próximo sábado

Evento contará com performances artísticas de dança, poesia e teatro

Arte de divulgação

Letícia Bezerra – bolsista de Relações Públicas

No próximo sábado, dia 19, o Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (MTB) estará de portas abertas para a Mostra Poéticas e Talentos Coreográficos. O evento, que tem início às 14h, segue a proposta de suas edições anteriores, trazendo diversidade nas apresentações artísticas. 

A performance Trem bala, feita por Daylhane Cunha, convida o público a uma conexão profunda com o sentido da vida, por meio de movimentos em harmonia à apresentação com a trilha sonora na voz de Ana Vilela. Já Padam, apresentado por Joana Wildhagen, traz uma forma de composição indiana baseada na expressão amorosa de caráter devocional. 

Inspirada nas obras do Mestre José Zumba, a coreografia Retrato da nossa cor, de José Marcos dos Santos, é resultado do estudo sobre a cultura popular pelo viés da dança na escola e levanta questões referentes à Maceió negra e pobre. 

A parte teatral fica por conta do grupo Os Loucos Também Amam!, com a peça Os loucos. Já o grupo Street Dance Kings and Queens (SDKQ), com a coreografia Nosso cotidiano, experimentos e movimentos, propõe uma reflexão, por meio da música e da dança, sobre as relações interpessoais vividas de forma coletiva. 

O grupo Cara Crew traz uma coreografia com o mesmo nome da equipe, que tem como inspiração os desafios do povo nordestino em cidades multiculturais. Já Divergência, de Bruno Borges, mostra, por meio do ballet moderno, as diferenças humanas e os conflitos dos desesperos de sentimentos. 

Representando o estilo break, o grupo formado por Vanderson Simplício, Arthur da Silva, Vandeckson Simplício, Carlos Santos e Emerson Lima mostrará seu projeto Gama Beats vai à luta através da dança: politização e multiplicação da cultura hip hop.

Com uma proposta interativa entre público, ambiente e intérpretes, o experimento Inquietação, coordenado por Jailton de Oliveira Kronos, apresenta danças com temas como a violência contra a mulher e o ser invisível.

Nos poemas Fui assaltada! e A sereia, a autora Tâmara Lúcia dos Santos Silva une imagens, palavras e sentimentos diversos, com objetivo de provocar uma reflexão sobre experiências por ela vivenciadas.

O evento é aberto ao público. Mais informações pelos telefones 3214-1713 | 1710 e 1716 ou pelas redes sociais – Instagram e Facebook: @museutheobrandao. 

Comissão de licitação realiza concorrência pública para lanchonetes e restaurantes

Foram recebidos 13 envelopes para os espaços nos três campi da Ufal

Comissão de licitação vai verificar se os concorrentes seguiram exigências do edital

Lenilda Luna - jornalista

A sessão pública para abertura dos envelopes de documentação para concorrência aos 14 espaços públicos da Ufal nos três campi iniciou às 10h desta quinta-feira(17), na sala de reuniões do Conselho Universitário. Foram recebidos 13 envelopes de candidatos aos espaços oferecidos no edital de Concorrência Pública n° 02/2016, que foi publicado em julho deste ano e disponibilizado no Portal da Transparência da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). A sessão foi conduzida pelo engenheiro da Superintendência de Infraestrutura (Sinfra), Fernando Coelho, que é presidente da Comissão Permanente de Licitação da Ufal.

O edital ofereceu a cessão de cantina nos prédios da Faculdade de Letras (Fale), Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Feac), Institutos de Física (IF) e de Química e Biotecnologia (IQB), bloco João de Deus, Cento de Interesse Comunitário (CIC) e Comunicação Social (COS), além de restaurantes na Faculdade de Direito de Alagoas (FDA), Centro de Educação (Cedu) e antigo Csau, no Campus A.C. Simões. No interior, foram licitados a cantina de Palmeira dos Índios e os restaurantes de Arapiraca e Delmiro Gouveia.

Na sessão pública, os concorrentes entregaram dois envelopes, um com os documentos contendo a habilitação jurídica da empresa e outro com as propostas de preço. Essa foi a primeira licitação de espaços públicos dessa Gestão. "O processo é importante porque garante uma concorrência pública e transparente para os espaços da Ufal, oferece aos estudantes e frequentadores dos campi uma ampliação das opções de alimentação, com qualidade. Além disso, como a concorrência é para quem oferece o melhor lance, a Universidade garante uma receita necessária nesse período de corte de verbas e contingenciamento", pondera Diogo Ferraz, gerente de Serviços Gerais da Sinfra.

A concorrência vai permitir a ocupação de espaços com tamanhos e preços diversos, sendo o menor preço o da Cantina do prédio João de Deus, que tem um lance mínimo de R$ 240, até o Restaurante da Esenfar (antigo Csau), com lance inicial de R$ 1.870. Os envelopes com a documentação serão avaliados pela comissão de licitação, para verificar se tudo está de acordo com os critérios do edital. Após esta avaliação, os concorrentes habilitados serão convocados para abertura das propostas de preços. Só após esta fase, será divulgado o resultado final.

Alunos de Arquitetura elaboram projetos para pontos de ônibus na Ufal

Atividade tem como local o Campus A. C. Simões e visa a viabilidade de adequação ideal dos espaços para os usuários

Trabalho fará intervenção em pontos de ônibus no Campus A.C. Simões

Diana Monteiro  - jornalista

Os usuários do transporte público coletivo no Campus A.C. Simões ganharam um importante aliado visando adequação de pontos de ônibus instalados nas vias centrais. É que alunos do primeiro período do curso de Arquitetura e Urbanismo da Ufal elaboraram projetos que contemplam:  aspectos estéticos da arquitetura dos citados espaços; percepção das relações das edificações com o entorno de suas localizações; problematização das vias de circulação de veículos e pedestres; e acessibilidade dos aspectos de conforto ambiental, como ventilação e iluminação. A concretização dos projetos referentes à construtibilidade e à segurança dos usuários, também faz parte dos estudos elaborados.

A atividade integra a disciplina Projeto Arquitetônico 1 ministrada pelas professoras Suzann Cordeiro e Morgana Duarte, e envolve 43 alunos recém-chegados ao curso. Suzann coordena o Núcleo de Estudos de Projetos Especiais (Nupes) e Morgana participa do Grupo de Projetos Arquitetônicos (Gepa) de Arquitetura. “Para desenvolver um projeto arquitetônico de pequena complexidade, como são os pontos de ônibus, os alunos foram divididos em seis equipes e são alvos dos estudos seis espaços no campus: o Caic [na entrada], Biblioteca Central, Instituto de Matemática, Faculdade de Direito, Faculdade de Serviço Social, e Núcleo de Desenvolvimento Infantil”, adiantou Suzann.

A professora acrescenta que a atividade acadêmica é dotada de duas etapas, sendo a primeira já concretizada, com a construção de seis maquetes físicas a serem distribuídas conforme o ponto de ônibus, alvo do projeto. “Na segunda-feira [dia 21], as maquetes serão instaladas em escala real e a observação do uso, de 7h30 às 17h30. Como observação, os alunos irão filmar, fotografar e observar os usos dos espaços para verificar se o projeto concebido é viável, de fato, para propostas de intervenção futura. Esperamos, portanto, que a comunidade usuária colabore com a atividade do dia 21”, enfatizou.

Suzann adiantou que no dia 28 deste mês está definida uma Mostra das avaliações obtidas na segunda etapa do projeto. Será na Sala de Exposição da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), de 7h30 às 17h30, no Campus A. C. Simões. 

Gestão da Ufal faz alerta sobre tentativa de golpe

E-mail falso circula utilizando o nome do pró-reitor de Pesquisa e Pós- graduação

E-mail falso usa nome de pró-reitor da Ufal

Ascom Ufal

E-mails fraudulentos sobre uma suposta seleção de prestadores de serviço  estão circulando entre a comunidade acadêmica da Universidade Federal de Alagoas, direcionados aos estudantes de pós-graduação e docentes, no intuito de coletar informações pessoais e obter vantagens financeiras. A Gestão da Ufal esclarece que mensagens enviadas a partir do endereço eletrônico acfrery.ufal@gmail.com não são de autoria do pró-reitor Alejandro Cesar Frery Orgambid nem de outros membros da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação. A orientação é para desconsiderar e marcar como spam.

Medidas legais no sentido de investigar os responsáveis, desativar a conta e coibir golpes desta natureza já estão sendo tomadas pela Procuradoria da Universidade. Coordenadores, diretores de unidades acadêmicas, gestores de unidades dos campi A.C. Simões, Arapiraca e do Sertão foram alertados sobre a situação por meio de circular interna. 

Esse tipo de golpe é caracterizado como phishing, quando os estelionatários tentam obter dados como RG, CPF e informações financeiras. Bancos e órgãos públicos nunca pedem o envio de senhas, dados pessoais ou solicitam pagamento de taxas por e-mail. A Gestão da Ufal orienta que, ao receber mensagens desta natureza, o usuário deve desconfiar e nunca clicar em links ou preencher formulários.

Ufal é destaque em Congresso Internacional de Propriedade Intelectual

Pesquisadores de Alagoas compõem maior delegação externa do evento

Delegação de alunos e professores da Ufal

Alcilene Vieira – jornalista colaboradora

O mestrado em Propriedade Intelectual e Transferência em Tecnologia para Inovação (ProfinitT) da Ufal é destaque no 1º Congresso Internacional do programa, que acontece durante esta semana, em Salvador.

 A Ufal superou as expectativas no evento, obtendo 27 trabalhos aprovados, o maior número da instituição. Seis deles receberam o prêmio de trabalho destaque. Além disso, a delegação alagoana composta por alunos e professores foi a segunda maior, ficando atrás apenas da anfitriã do evento, Bahia.

“Esse resultado positivo é fruto do incentivo dos professores e empenho dos mestrandos, que juntos fizeram toda a diferença no 7º Prospect. No primeiro que participamos, em 2013, foi apenas um trabalho apresentado. Esse ano tivemos 27, um número bastante expressivo que nos colocou em lugar de destaque no evento”, ressaltou a professora Silvia Uchôa, coordenadora da disciplina de Prospecção na Ufal.

A coordenadora do Programa de Inovação Tecnológica e Empreendedorismo (Pite/Ufal), Eliana Almeida, que também participa do congresso, ressaltou a importância da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep) no apoio ao mestrado. “A Propep tem apoiado o Profnit desde o início e isso aqui é o resultado desse apoio. Estamos recebendo muitos alunos e eles estão respondendo positivamente, o que pode ser comprovado pelo número de trabalhos aceites no Congresso. Isso é sinal que está crescendo essa vocação para fazer a inovação, resultado de nossas pesquisas diárias”, comentou.

O evento teve 253 participantes de 22 estados e quatro países: Brasil, Portugal, Argentina e Uruguai, onde gestores, pesquisadores e representantes de vários órgãos e instituições brasileiras e estrangeiras, contribuíram para desenhar o panorama de como está o progresso da Ciência, Tecnologia e Inovação, gerando debates sobre a gestão da Propriedade Intelectual no país e no mundo.

“Está sendo um evento muito produtivo do ponto de vista de qualidade técnica das apresentações, mas também muito produtivo do ponto de vista de trazer novidades do que está acontecendo no ambiente nacional de inovação, a exemplo da questão da biodiversidade”, destacou o Pró-reitor do Fortec/Profnit e coordenador geral do Profnit/Ufal, Josealdo Tonholo.

A proposta é para Maceió ser a sede do 2º Congresso Internacional do Profnit, no segundo semestre de 2018, integrando a programação da 70ª reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

O evento

Em paralelo ao 1º Congresso Internacional do Profnit 2017, de 15 a 18 de agosto, na Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) também acontecem outros eventos: 7º Congresso Brasileiro de Prospecção Tecnológica 2017, 6º Encontro de Pós-graduações em PI&TT e Inovação, 1º Workshop Tech Mining e Inovação, 15ª Reunião da Regional Nordeste do Fortec e o Fórum Cyted da Rede Tecnologia e Transferência (Inova). 

Nota de repúdio

Gestão da Ufal se manifesta em favor da autonomia universitária na UFRB

Nota de repúdio 

A Gestão da Universidade Federal de Alagoas vem a público repudiar a grave interferência na autonomia universitária cometida em decisão judicial determinando a suspensão da outorga do título de Doutor Honoris Causa que ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva receberia, nesta sexta-feira(18), da Universidade Federal do Recôncavo (UFRB).

A decisão de entregar o título foi tomada pelo Conselho Universitário (Consuni) da UFRB em sessão realizada no dia 11 de agosto deste ano. É portanto, uma deliberação do conselho que representa a comunidade universitária. Este colegiado é previsto na definição de autonomia universitária da Lei de Diretrizes e Bases da Educação promulgada em 1996, que consolida as garantias da Constituição Federal de 1988.

Consideramos com muita apreensão uma decisão judicial que contraria princípios do Estado Democrático de Direito, fruto da luta e organização da sociedade civil. As Universidades, como espaço de produção científica, formação de profissionais e de intervenção social deve ser preservada das decisões autocráticas e autoritárias. O espírito da gestão participativa e das decisões colegiadas move a vida universitária e assim deve ser.

Esta gestão universitária manifesta, portanto, toda solidariedade ao reitor Silvio Luiz de Oliveira Soglia e a todos os integrantes do Conselho Universitário.

José Vieira
Reitor em exercício da Universidade Federal de Alagoas

Escola Técnica de Artes apresenta Duo Massayó

Recital será no Iphan, com entrada franca, no próximo 24 de agosto

Arte de divulgação

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

O som do Duo Massayó está se propagando pela cidade. Na próxima quinta-feira (24), a Escola Técnica de Artes (ETA) apresenta o show de Augusto Moralez e Felipe Bugos, na sede do Iphan, em Jaraguá. Começa às 19h30 e a entrada é gratuita. É só chegar e aproveitar porque a dupla promete.

Augusto Moralez é professor da ETA e coordena o Núcleo de Percussão (NUP) da Universidade Federal de Alagoas, um programa de extensão que abriga o Duo Massayó. Felipe Burgos está concluindo o curso de licenciatura em Música na Ufal, é compositor e parceiro de Moralez nesse projeto.

Em julho deste ano, o Duo Massayó se apresentou em Salvador, no Festival Internacional de Percussão da Ufba, que teve entre convidados artistas dos Estados Unidos, da Colômbia, França e vários professores do Brasil. Nesse evento, Moralez também levou o Grupo Percufal que integra o NUP.

O que é o NUP

O NUP é um programa de extensão, que tem três projetos em andamento: Repertório Brasileiro para Vibrafones, Duo Massayó e Percufal. Este ano, Moralez registrou 27 ações desenvolvidas pelo núcleo.

O Duo Massayó é um projeto aprovado em edital do Programa de Iniciação Artística (Proinart) da Ufal e o Percufal, grupo de percussão da ETA. 

Laboratórios de informática recebem novos computadores

O projeto Revitaliza Laboratório recebeu um investimento de quase R$ 2 milhões

Laboratório da Fanut

Lenilda Luna - jornalista

A Gestão da Ufal realiza a entrega de 500 computadores novos para laboratórios de informática. A ação, nomeada Revitaliza Laboratórios, recebeu um investimento de R$ 1,9 milhão. O levantamento da demanda de todas as unidades acadêmicas e equipamentos da Ufal foi feito pelo Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI).

Conforme a pesquisa, a necessidade da Universidade é de três mil computadores para diversos espaços. "Todavia, diante dos limites orçamentários, a Gestão Central adotou como diretriz para a destinação dos computadores adquiridos que sejam espaços coletivos, como laboratórios para estudantes de graduação e pós-graduação", informa Marcelo Queiroz, assessor da Reitoria.

Os computadores estão sendo instalados gradualmente pelo NTI e entregues pelos gestores. A Biblioteca Central recebeu 40 computadores novos em julho. Na ocasião, a reitora da Ufal, professora Valéria Correia, destacou o esforço em responder às necessidades dos estudantes". Mesmo com a Universidade em crise conseguimos um mínimo de conforto para os alunos estudarem", disse.

Também já foram entregues 25 computadores para o Instituto de Matemática(IM), 48 para o Instituto de Computação (IC),  17 para a Faculdade de Nutrição (Fanut), nove para a Faculdade de Serviço Social (Fsso), 30 para a sala de capacitação da Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (Progep), 15 para o Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (Icbs), 40 para o Centro de Tecnologia (Ctec)  e 15 para o Centro de Ciências Agrárias (Ceca). "A Faculdade de Medicina receberá dez, assim que for corrigida uma infiltração no Laboratório. As providências estão sendo tomadas pela Sinfra", informou Marcelo.

Todos os equipamentos instalados vão receber manutenção feita pelos técnicos do NTI. Os diretores das Unidades Acadêmicas e dos órgãos que estão recebendo os computadores assinam um termo de compromisso. "Mas esses são bens coletivos, fundamentais para o trabalho de toda a comunidade universitária, por isso, acreditamos no compromisso de todos em manter os equipamentos em boas condições de funcionamento", ressalta Kleymerson Lins, diretor do NTI.

Trabalhos do MHN são apresentados em Congresso Nacional de Herpetologia

Estudante foi premiado em uma das categorias do concurso de fotografia do evento

Participantes da Ufal no evento. Foto: Josemar Mendes

Graziela França – estudante de Jornalismo

Bolsistas e estudantes colaboradores do Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) participaram da 8ª Edição do Congresso Nacional de Herpetologia, entre os dias 14 e 18 de agosto, na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (Ufms), em Campo Grande.

No evento foram apresentados 12 trabalhos pelos estudantes de Ciências Biológicas da Ufal Jonas Moraes, Luana Cavalcante, Michelly Cordeiro, Raphael Batista e Willams Fagner Soares. A professora Leonora Tavares Bastos, do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (Icbs) também participou do evento.

Dos trabalhos apresentados, dez foram desenvolvidos no setor de herpetologia do MHN, ramo da ciência que estuda anfíbios e répteis, com a colaboração das biólogas Selma Torquato e Ingrid Tibúrcio. Os estudantes destacaram o incentivo para que eles pudessem participar do evento, levando resultados de pesquisa e apresentando em formato de pôsteres.

“Participar do congresso é importante porque existe a possibilidade de observar e aprender sobre técnicas de pesquisa desenvolvidas em diferentes partes do mundo, além de poder apresentar resultados de pesquisas realizadas no Museu e na Ufal”, comentou Willams Fagner.

Os trabalhos envolviam informações sobre levantamento de herpetofauna em Alagoas e no Rio Grande do Norte, histologia, banco de tecidos para análises moleculares e banco de imagens para facilitar o acesso às informações dos cerca de 13.500 exemplares de anfíbios e répteis depositados na coleção do setor no Museu.

Além das apresentações os estudantes também participaram de outras atividades, como palestras, minicursos e torneio de futsal.

Premiação no concurso de fotografia

No concurso de fotografia do congresso, o graduando Willams Fagner foi premiado na categoria Originalidade com uma foto do Aplastodiscus sp, conhecido como “Perereca flautinha”, registro feito na Estação Ecológica da cidade de Murici, Zona da Mata alagoana.

“Receber esse prêmio é importante, pois mantêm a tradição de vários pesquisadores alagoanos que são reconhecidos pelas imagens que produzem. Além disso, algumas atividades desenvolvidas no MHN que envolvem uso de fotografias, e ter prêmios associados a elas dá um maior valor científico e cultural. Pessoalmente, é muito gratificante, já que fotografia de natureza é uma das principais atividades que desenvolvo e que pretendo continuar desenvolvendo para mostrar o quanto a fauna que ocorre no Estado é rica e bela”, contou o estudante.

Começa sexta (25) o 1º Encontro Alagoano de Comunicação e Negócio

Inscrições ainda estão abertas; podem participar estudantes e profissionais das áreas da comunicação

Arte de divulgação

Larissa Lopes – estudante de Jornalismo

Contagem regressiva para o 1º Encontro Alagoano de Comunicação e Negócio. Na próxima sexta-feira (25), a Casa da Indústria de Maceió vai receber o evento promovido por estudantes de Relações Públicas da Universidade Federal de Alagoas e que tem como tema Aprendendo para empreender: perspectivas no mercado da comunicação. O encontro terá a presença de palestrantes empreendedores da área de comunicação, que apresentarão temas relevantes em palestras e workshops para incentivar a cultura empreendedora entre estudantes e profissionais de comunicação.

A organização já está preparada para receber o público. “A expectativa é que os participantes possam sair do encontro com um novo olhar, com vontade de empreender e não apenas esperar que haja vaga no mercado de trabalho que é o que está difícil atualmente”, relata o estudante de Relações Públicas e um dos organizadores, Maxwell Monteiro. Segundo ele, o evento já atingiu a venda de 90% de inscrições, mas ainda dá tempo para quem tem interesse em participar, basta acessar o site e fazer o pagamento online. O valor das taxas continuam de R$ 30 para estudantes e R$ 50 para profissionais da área.

A programação terá início às 13h e seguirá até às 21h. Vale reforçar que o evento garante certificado com carga horária de 10 horas e o material estará disponível após o evento, pois será enviado diretamente para o e-mail informado no cadastro da inscrição. Confira o perfil dos palestrantes e a programação em anexo. 

Para obter outros esclarecimentos envie e-mail para enacon2017@gmail.com ou entre em contato com os organizadores do 1º Enacon por telefone: Alcilene Vieira(82) 99118-9646; Maxwell Monteiro: (82) 99902-5071; Lucas França: (82) 99995-7920; e Amanda Vieira (82) 99104-8952.

O 1º Enacon também está no Instagram por meio do perfil @enacon2017.

SERVIÇO

O quê: 1º Encontro Alagoano de Comunicação e Negócio (Enacon)

Quando: 25 de agosto, das 13h às 21h.

Onde: Casa da Indústria, situada no bairro do Farol, em Maceió.

Proginst publica nota sobre desabastecimento de água

Último atendimento feito pelo fornecedor data de julho deste ano, gerando problemas para a Universidade

Ascom Ufal

A Pró-reitoria de Gestão Institucional (Proginst) publicou nota esclarecendo sobre o desabastecimento de água potável engarrafada na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Segundo o pró-reitor Flávio Domingos, a aquisição de água potável engarrafada é feita através de processo de compra (pregão), ainda estando em vigência até março de 2018. Entretanto, o último atendimento feito pelo fornecedor à Universidade foi no dia 24 de julho deste ano, gerando problemas para a instituição.

O documento ressalta ainda que as dificuldades na prestação do serviço são de total responsabilidade do fornecedor e que todos os pagamentos de notas fiscais foram quitados, não havendo pendências com empresa.

Após várias tentativas de negociação, a gestão da Ufal resolveu notificar os responsáveis, para que sejam aplicadas as devidas penalidades. "Enquanto isso, a gestão está trabalhando no sentido de uma resolução emergencial e também em soluções definitivas para o problema", justificou o pró-reitor. 

Veja a nota completa clicando no link abaixo.

Grupequi atende animais utilizados por carroceiros no Benedito Bentes

Exames e orientações para os cuidados com os equídeos foram feitos em praça pública

Animais foram examinados e vacinados em praça pública

Lenilda Luna – jornalista

O coreto da praça Padre Cícero, no bairro do Benedito Bentes, tornou-se um consultório veterinário no último sábado (19). Durante toda a manhã, estudantes e professores do Grupo de Pesquisa e Extensão em Equídeos, da Unidade de Ensino de Viçosa da Universidade Federal de Alagoas (Grupequi - Ufal), fizeram atendimento para os cavalos dos carroceiros que atuam na região.

O Grupo, criado em 2009 no curso  de Medicina Veterinária e Zootecnia da Ufal, tem tido reconhecimento pela qualidade das pesquisas realizadas e pelo importante trabalho de extensão realizado junto aos carroceiros de Maceió. “Nós tínhamos um ponto fixo no Vergel, mas, por alguns problemas que ocorreram, estamos agora realizando esse trabalho itinerante”, informou Yane Fernandes Moreira, estudante de Medicina Veterinária e integrante do grupo.

O Grupequi é liderado pelos professores Pierre Barnabé e Tobyas Maia e conta com a participação de vários estudantes, que complementam a formação com esse exercício prático da profissão nas comunidades de baixa renda, onde a carroça puxada por cavalos ainda é muito utilizada como meio de subsistência. Para os carroceiros, o atendimento veterinário no bairro é uma grande oportunidade. “Eu não teria condições de pagar R$ 400 numa consulta dessas. Meu cavalo foi examinado e vacinado. Estou muito satisfeito”, disse o carroceiro, José Cícero Cavalcante da Silva.  

Sede do Comitê de Ética em Pesquisa é transferida para o CIC

Atendimento é realizado de segunda a quinta-feira, das 8h às 12h

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

A Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep) informa que a sede do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP), antes localizada no prédio da Reitoria, agora está no térreo do Centro de Interesse Comunitário (CIC), na sala ao lado do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Alagoas (Sintufal).

O CEP atende o público de segunda a quinta-feira, das 8h às 12h. O Comitê também pode ser acessado pelo endereço eletrônico comitedeeticaufal@gmail.com ou pelo telefone 3214-1041.

Em breve, a Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) também passará a funcionar no CIC. A data da mudança ainda não foi agendada.

Projeto Colhendo Bons Frutos promove 1º Encontro Alagoano de Feiras Agroecológicas

Evento ocorre até amanhã (23) e pretende articular agricultores, além de fortalecer espaços de comercialização

Ascom Ufal

Até esta quarta-feira (23), o projeto Colhendo Bons Frutos: nutrição e agroecologia, da Faculdade de Nutrição da Ufal, e o Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas (Emater/AL), em articulação com a Rede Alagoana de Agroecologia, promovem o 1º Encontro Alagoano de Feiras Agroecológicas: ampliação e qualificação.

O evento, iniciado no dia 22 de agosto, ocorre no Centro Social da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Alagoas (Fetag) e reúne um público de 80 participantes provenientes de associações de agricultores, setores públicos municipal, estadual e federal, além de professores e estudantes.

De acordo com os organizadores, o evento tem como objetivos promover, ampliar e qualificar as feiras agroecológicas no estado. A programação pretende articular os espaços de comercialização dos produtos, associações de agricultores, movimentos sociais e instituições governamentais, além de promover as boas práticas de manipulação de alimentos comercializados nas feiras e construir um plano de ação que amplie e fortaleça a venda de agroecológicos do estado.

Grupos de trabalho (GT) abordarão temas como a importância das feiras agroecológicas; comunicação e divulgação; organização interna e externa; atendimento e relação com clientes; legislação e relação com poder público; estratégias produtivas. Como facilitador do debate, o evento contará com a participação de Flávio Duarte, da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA- NE).

Na ocasião, serão identificados problemas, desafios e oportunidades para as feiras no estado. A meta é debater sobre as questões e estratégias de atuação sugeridas pelos GTs, pactuar os compromissos, definir agenda e pauta das próximas atividades.

“Em Alagoas, as feiras agroecológicas ganham espaço cada vez mais evidente, tanto do ponto de vista da criação de estratégias da agricultura familiar de se relacionar com mercados, quanto de consumidores que se preocupam com a segurança do que estão consumindo, levando para casa, para sua família, alimentos livres de agrotóxicos”, destaca a professora da Fanut e coordenadora do projeto Colhendo Bons Frutos, professora Maria Alice Araújo Oliveira.

São parceiros na realização do Encontro a Faculdade de Serviço Social, por meio do projeto Zumbido e GEPSAN; o Centro de Ciências Agrárias (Ceca); a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Alagoas (Fetag/AL); a Comissão Permanente de Orgânicos (CPOrg-AL); o Movimento dos Sem Terra (MST); o Instituto Federal de Alagoas (Ifal); o Núcleo de Agroecologia Zumbi dos Palmares (NEA-ZP/Ifal);SEAGRI; a Cáritas Diocesana - Palmeiras dos Índios; a Visão Mundial; o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra); o Sebrae, o Instituto Mundo Unido; a Associação das Produtoras Agroecológicas da Zona da Mata (Aproagro) e a Resiliência Ambiental.

Confira a programação abaixo.

Ufal é parceira em curso de Produção de Áudio e Vídeo

Aulas serão realizadas no Laboratório Escola de Cinema da Unidade Educacional de Penedo

Curso fortalece ações vinculadas à sétima arte desenvolvidas em Penedo

Deriky Pereira – jornalista colaborador

Por meio da Unidade de Ensino de Penedo, a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) atuará como parceira da Secretaria de Estado da Educação (SEE-AL) no curso Médio Pronatec de Produção de Áudio e Vídeo. A iniciativa terá início na próxima segunda-feira (28) e as aulas serão ministradas no Laboratório Escola de Cinema e Audiovisual, em Penedo. O local possui a infraestrutura para que o curso seja ofertado na cidade. No total, 40 vagas estão sendo ofertadas para os estudantes do 2º ano do ensino médio.

“O curso é importante pelo estímulo à formação de mão de obra na área do audiovisual e vai dar aos jovens uma formação mínima para começarem a atuar nesse campo. Além disso, a ação também fortalece as demais vinculadas à sétima arte que desenvolvemos na cidade, desde os cineclubes ao Circuito Penedo de Cinema e fortalece as ações do laboratório no cumprimento do seu papel institucional”, explica o professor Sérgio Onofre, que supervisionará o curso e também é coordenador do laboratório.

A aula inaugural do curso será ministrada pelo professor Elder Maia, que vai tratar do mercado do audiovisual. “Ele mostrará para a garotada como o mercado é promissor e está aberto com grandes possibilidades de inserção profissional”, complementa o professor.

“Interesses que se encontram”

Os cursos ofertados pela SEE-AL se voltam para os alunos do segundo ano do ensino médio e oferecerão formação técnica complementar. No caso do Mediotec de Produção de Áudio e Vídeo, será ofertado para os estudantes que tenham ensino regular durante a manhã e farão as aulas no turno da tarde. Com um total de 800 horas, no final das atividades, o estudante sai com o certificado de técnico em produção em áudio e vídeo.

Sérgio Onofre explica ainda, que existem outros cursos ofertados, mas esse é o único que contará com apoio do Laboratório da Universidade em Penedo, visto que conta com a estrutura necessária para ministrar as aulas.

“Esse curso vai inaugurar as ações do Laboratório. É mais uma ação no hall das atividades que são vinculadas ao Cinema em Penedo, ações que visam consolidar a ideia de uma graduação em Cinema. Essa parceria vem de encontro às metas que estabelecemos para o Lab-Escola de Cinema, pois estamos trabalhando no sentido de construir uma infraestrutura para oferecer esse tipo de atividade no município, então são dois interesses que se encontram”, conclui.

Final do mês tem recital de Piano no Espaço Cultural

Mario Marochi se apresenta na sala 11, às 19h30; a entrada é franca

Arte de divulgação

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

Na agenda do Espaço Cultural tem recital de piano no próximo dia 30, com Mário Marochi. Ele se apresenta na sala 11, às 19h30, com sonatas de Beethoven , Haydn e Ravel. A entrada é franca; é só chegar e aproveitar.

Mario Marochi é pianista e professor da Escola Técnica de Artes da Universidade Federal de Alagoas e vai tocar Sonata Opus 7, de Ludwig Van  Beethoven; Sonata HOB 16-20; de Joseph Haydn; e Sonatina, de Maurice Ravel. “Não faz parte de nenhum projeto, mas é um recital que quero tocar essas três sonatas”, declarou.

De acordo com Marochi, será um recital que mostra a forma sonata do período Clássico, época da história da música em que viveram Joseph Haydn (1732-1809) e Ludwig Van Beethoven (1770-1807), além de uma sonatina (sonata pequena) do chamado período impressionista, quando viveu Maurice Ravel (1835-1937). A Sonata de Haydn foi composta em 1780; a Sonata Opus 7, entre 1796-1797; e a Sonatina de Ravel, entre 1903-1905.

Sobre Mario Marochi

Mario Marochi tem graduação em licenciatura pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (2001), bacharelado pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (2002) e é mestre em Música pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007). Desde 2010 é professor de piano da Ufal e desenvolve pesquisa sobre performance musical e sobre a obra do compositor paranaense Brazílio Itiberê da Cunha.

SERVIÇO

O quê: Recital de piano com Mario Marochi

Quando: dia 30 de agosto

Horário: às 19h30

Onde: sala 11, Espaço Cultural, na Praça Visconde de Sinimbu.

Entrada gratuita

Grupo de Estudos Medievais promove encontros para leitura

As atividades são abertas ao público e têm início amanhã (24)

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

O Grupo de Estudos Medievais (GEM) e a coordenação do curso de Filosofia convidam o público em geral para participar das atividades do semestre 2017.1. As reuniões semanais para leitura de textos são realizadas nas quintas-feiras, às 17h, na Sala de Projetos do Curso de Filosofia (sala 05). 

O primeiro encontro acontece amanhã (24) e as datas dos próximos podem ser encontradas no cartaz em anexo. 

Ceca promove minicurso de biossegurança e primeiros socorros

Será no dia 31 de agosto e pretende orientar profissionais e alunos sobre os riscos nos laboratórios

Arte de divulgação

Sara Graziele - estagiária de jornalismo

O Centro de Ciências Agrárias (Ceca) promove no dia 31 de agosto o 1º Minicurso de Biossegurança e Primeiros Socorros. O minicurso tem como objetivo discutir e ampliar os conhecimentos em relação à segurança nos laboratórios, devido aos diversos riscos a que os profissionais e alunos estão expostos ao lidarem com materiais e equipamentos. A ideia é orientar sobre os perigos que correm para evitar acidentes.

O minicurso acontecerá nos horários matutino e vespertino, e contará com três momentos que serão reproduzidos nos dois horários. Os temas abordados são: Biossegurança em Laboratório de Ensino/Pesquisa, que terá como palestrantes os técnicos dos laboratórios do Ceca; Biosseguridade nas atividades de campo, com palestras ministradas por técnicos agrícolas do Centro; e Primeiros Socorros, que terá um palestrante convidado do Corpo de Bombeiros.

Haverá ainda espaço para perguntas e respostas, solucionando dúvidas dos presentes e um coffee break. As aulas serão no auditório do Centro de Ciências Agrárias da Ufal. Podem participar alunos da graduação e pós-graduação, docentes e técnicos do Ceca. Será emitido um certificado de quarto horas para os participantes do evento. 

ICBS recebe oficina sobre plano de manejo da Costa dos Corais

Evento será nesta sexta-feira (25) e inscrições devem ser realizadas até hoje

Arte de divulgação

Graziela França- estudante de Jornalismo

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) realiza uma oficina para estudantes e pesquisadores que dá início à revisão do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais. O evento tem apoio dos professores e pesquisadores envolvidos no projeto de Pesquisa Ecológica de Longa Duração (Peld), e acontece nesta sexta-feira (25), das 9h às 16h, na sala 18 da pós-graduação do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

O objetivo é buscar subsídios para a revisão do plano de manejo da APA, que é um dos principais instrumentos de gestão de uma unidade de conservação, além de reunir pesquisadores para identificar e sugerir prioridades nas demandas de gestão e conservação da biodiversidade.

Na Oficina também serão discutidos o atual panorama de zonas de conservação da unidade, o novo modelo de elaboração de planos de manejo do ICMBio, identificação das áreas ou grupos taxonômicos de atuação dos pesquisadores e sua interface com o território da APA Costa dos Corais, normas que devem ser estabelecidas para diminuir os impactos, entre outros assuntos.                   

Inscrições

O evento conta com 50 vagas direcionadas para estudantes e pesquisadores das instituições de ensino, pesquisa e de organizações ambientalistas não-governamentais. Os interessados devem se inscrever por meio do endereço eletrônico apacc.socioambiental@gmail.com, até o final do dia de hoje (24).

Museu Théo Brandão oferece minicurso com temática indígena

As aulas serão apresentadas pelo professor Aldir Santos de Paula, pesquisador na área das línguas indígenas

Arte de divulgação

Letícia Bezerra – estudante de Relações Públicas

Nos dias 29 e 30 de agosto, o Museu Théo Brandão promove o minicurso Línguas brasileiras: refletindo sobre a diversidade linguística no Brasil. As aulas serão ministradas pelo professor Aldir Santos de Paula, das 14h às 16h, no auditório do Museu. Os interessados devem se inscrever no primeiro dia do evento, 30 minutos antes do início das aulas.

De acordo com o professor Aldir, o objetivo do minicurso é apresentar um panorama das línguas faladas no território brasileiro, com especial ênfase nas línguas indígenas, ao tempo em que apresenta e discute a diversidade cultural dos povos indígenas no Brasil.

A proposta é promover o debate sobre o perfil sociolinguístico desses povos e suas possíveis causas, além de ampliar a compreensão sobre a pluralidade linguística no país, enfatizando os diferentes contextos monolíngues, bilíngues e multilíngues.

O professor Aldir Santos de Paula leciona na Faculdade de Letras (Fale/Ufal), é formado em Letras pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e tem doutorado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Sua experiência na área de Linguística tem ênfase em Teoria e Análise Linguística, com atuação em línguas indígenas, línguas pano, língua portuguesa, sociolinguística e educação indígena.

A entrada é gratuita. Mais informações pelos telefones 3214-1716/1715/1710.

Programa Idiomas sem Fronteiras seleciona professores de Inglês para cadastro reserva

As inscrições serão feitas de 28 a 31 de agosto na Faculdade de Letras da Ufal

Seleção é para cadastro reserva de professores de inglês

Ascom Ufal

O Programa Idiomas sem Fronteiras (IsF) da Universidade Federal de Alagoas, coordenado pelo professor Sérgio Ifa, publicou edital de seleção para cadastro reserva de professores bolsistas de língua inglesa para atuar no Núcleo de Línguas (NucLi-IsF). As inscrições serão realizadas, exclusivamente, na Faculdade de Letras (Fale), localizada no Campus A. C. Simões, na sala da coordenação do Nucli, do dia 28 até o dia 31 de agosto, das 10h às 12h e das 15h às 17h.

Serão oferecidas cinco vagas para cadastro reserva, com prazo de validade de um ano, contado a partir da publicação do resultado final, podendo, a critério do Nucli, ser prorrogado por igual período. O preenchimento das vagas será feito à proporção da disponibilidade de vaga. A inserção do candidato no cadastro não estabelece vínculo como professor ou de qualquer outra natureza dentro do Programa Inglês sem Fronteiras, não gerando qualquer garantia ou direito de ingresso, presente ou futuro, no projeto.

O Programa Idiomas sem Fronteiras (IsF) da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação (MEC) tem a finalidade de propiciar a formação inicial e continuada e a capacitação em idiomas de estudantes, professores e corpo técnico-administrativo das instituições de ensino superior (IES), de professores de idiomas da rede pública de Educação Básica, bem como a formação e a capacitação de estrangeiros em língua portuguesa, contribuindo para o desenvolvimento de uma política linguística para o país.

Para mais detalhes, leia o Edital em anexo.

Mestrado profissional em Ensino na Saúde realiza mostra de trabalhos

Evento fez parte da programação do 1º Encontro Norte-Nordeste de Ensino nas Profissões da Saúde

Mostra de Saúde do Mestrado Profissional em Ensino na Saúde

Ascom Ufal

A 3ª Mostra de Ensino na Saúde do mestrado profissional da área da Ufal (MPES) foi realizada no dia 18 de agosto, em paralelo à programação do 1º Encontro Norte-Nordeste de Ensino nas Profissões da Saúde.  O Programa da Ufal foi pioneiro na realização de um evento que reuniu coordenadores desta modalidade de mestrado das regiões Norte e Nordeste do Brasil.

O Encontro contou com a presença da vice-coordenadora da Área de Ensino da Capes, que proferiu a palestra Mestrados profissionais em Ensino em Saúde – histórico, atualidade e perspectivas. 

Outro destaque foi a mesa-redonda intitulada Mestrados profissionais em Ensino na Saúde do Norte-Nordeste: Como estamos e para onde vamos?, com a presença das professoras convidadas Cleide Carneiro (UECE), Nara Macedo Botelho (Uepa), Cláudia Mendes (Unichristus) e Marise Reis de Freitas (UFRN).

Durante o evento, houve a entrega do Prêmio Professora Sônia Maria de Souza Cavalcanti à mestre Patrícia Cavalcante de Sá Florêncio, egressa do Mestrado Profissional em Ensino na Saúde da Ufal, turma 2014, que alcançou a maior pontuação de melhor produto educacional do MPES da Faculdade de Medicina (Famed/Ufal).

Também houve Sessão de Pôsters Comentados e apresentações orais dos produtos educacionais desenvolvidos no mestrado da Famed, além de apresentações culturais realizadas pelos mestrandos das turmas 2016 e 2017, incluindo o maestro Rodrigo Andrade, com o Coral da Uncisal. 

Vice-reitor entrega certificados do Programa Enap em Rede

Pela primeira vez o curso teve metade das vagas destinadas a servidores da Ufal

o vice-reitor entregou os certificados aos participantes do curso

Cairo Martins - estagiário de Jornalismo

O vice-reitor José Vieira participou do encerramento do curso de Elaboração de Projetos (Eproj), direcionado aos servidores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), conferido pela parceria da instituição com a Escola Nacional de Administração Pública (Enap).  Na ocasião, na última sexta-feira (18), Vieira e o coordenador de Desenvolvimento de Recursos Humanos, Faustino Júnior, entregaram os certificados dos servidores concluintes.

O curso aconteceu pela primeira vez na Ufal e trouxe a novidade de ter 50% das vagas destinadas aos servidores da Instituição. A capacitação foi ministrada pelo doutor em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Vitarque Lucas Paes Coelho. Além dos servidores da Ufal, participaram representantes de diversos órgãos do Poder Executivo, do Governo do Estado de Alagoas e prefeituras.

Em maio deste ano, a Enap firmou vínculo com a Universidade. E a partir de agora, anualmente, os servidores de Alagoas terão a oportunidade de se capacitar, contribuindo para o seu desenvolvimento pessoal e profissional sem precisar se deslocar para a sede da Enap ou instituições polo em outros estados. A perspectiva da instituição é que a oferta do curso seja aumentada para o próximo ano por meio do programa Enap em Rede.

 

Enap em Rede

O Programa, idealizado pela Escola Nacional de Administração Pública, vem desde 1996, proporcionando capacitações gerenciais aos servidores públicos federais, e complementarmente aos servidores estaduais e municipais de forma descentralizada, atendendo às necessidades de desenvolvimento deles. Durante sua existência, o Programa Enap em Rede tem viabilizado a capacitação anual de dois mil servidores, colaborando, assim, com o necessário fortalecimento da capacidade de gestão pública.

Abertas as inscrições para Simpósio de Aquicultura Sustentável e Ecotoxicologia Aquática

Evento será no dia 28 de setembro, no Centro de Ciências Agrárias (Ceca) e oferta 130 vagas

Simpósio será realizado no Ceca

Diana Monteiro - jornalista

Alagoas é conhecido como o Estado das Águas, apresentando grande potencial para aquicultura e pesca e assim se destaca devido à disponibilidade de recursos hídricos e variabilidade de espécies aquícolas. As pesquisas apontam que a cada ano, mesmo com a potencialidade existente, os recursos pesqueiros estão depreciando e como alternativa para a recuperação desses estoques, a inserção da aquicultura é considerada pelos estudiosos dessa área como importante para alavancar e incrementar a produção aquícola, refletindo positivamente na economia local. 

Para debater a viabilidade e importância dada à aquicultura em todo processo de desenvolvimento e crescimento econômico e social, a Universidade Federal de Alagoas vai realizar, dia 28 de setembro, o 1º Simpósio de Aquicultura Sustentável e Ecotoxicologia Aquática. As inscrições para as 130 vagas já estão abertas.

Clique aqui para se inscrever e ter mais informações.

O evento terá como local o auditório do Centro de Ciências Agrárias (Ceca), em Rio Largo e transcorrerá das 8h30 às 16h30. A palestra de abertura será feita pelo professor Carlos Azevedo, da Universidade do Porto (Portugal), que enfocará o tema Aspectos morfológicos ultrasestruturais e filogenéticos das microparasitoses da fauna icitiológica brasileira.

Segundo o professor Emerson Soares, coordenador do Laboratório de Aquicultura (Laqua) da Ufal e referência na área, o simpósio tem como propósito divulgar, discutir e disseminar as recentes inovações tecnológicas utilizadas na aquicultura, que envolvem: biossegurança, toxicologia na aquicultura, cultivo de organismos aquáticos, alimentos alternativos utilizados na nutrição de organismos aquáticos e aproveitamento do pescado.

O simpósio tem como público- alvo alunos dos cursos de graduação em Zootecnia, Agronomia, Técnico em Agropecuária e de pós-graduação em Zootecnia, profissionais da Cadeia Produtiva da Aquicultura, e ainda  profissionais de outras áreas interessados no assunto. “O objetivo maior é reunir e estimular os participantes, tornando conhecidas as mais recentes inovações tecnológicas e pesquisas voltadas para produção, transformação e sustentabilidade dos organismos aquáticos”, reforça o pesquisador Emerson. Os participantes terão direito a certificado. 

Vários pesquisadores da Ufal e de outras universidades do país com estudos científicos voltados à área de Aquicultura também serão palestrantes, como: Sônia Salgueiro Machado, do Instituto de Química e Biotecnologia (IQB); Elton Lima Santos e Misleni Ricarte de Lima, do Ceca; Petrônio Alves Coelho Filho, da Unidade Penedo; Jerusa Maria de Oliveira, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Minas Gerais; e Carlos Alberto Silva, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Terceira edição da Musifal será lançada final deste mês

Além da produção científica, revista traz homenagem às mulheres nas bandas de música

Capa da antiga revista Musifal

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

Após seis anos, desde sua última publicação, a revista Musifal está de volta com a terceira edição, dentro dos padrões do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) da Universidade Federal de Alagoas. Esse próximo número está recheado de artigos científicos de pesquisadores de várias partes do Brasil, que foram apresentados durante a 7ª Jornada Pedagógica para Músicos de Banda, realizada em novembro de 2016, em Marechal Deodoro-AL.

Marcos Moreira, coordenador do curso de licenciatura em Música da Ufal, e os professores Flávio Ferreira e Milson Fireman estão na comissão organizadora. De acordo com Moreira, esta 3ª edição contemplaprodução científica numa linha que vai da Musicologia à Educação Musical, além de uma homenagem àsmulheres nas bandas de música, uma das linhas do grupo de pesquisa Metodologia Instrumental do qual Moreira também participa.

Projeto registrado na Pró-reitoria e Extensão, a Musifal tem a proposta de apresentar o que vem sendo estudado e pesquisado na área de Música em Alagoas e no Nordeste brasileiro. “Na Comissão Editorialtemos grandes pesquisadores doutores: Diana Santiago, Joel Barbosa e Celson Benedito, da Ufba [Universidade Federal da Bahia]; Marco Toledo, da UFC [Universidade Federal do Ceará]; Diósnio Neto, da USP; e Alexandre Andrade, do Instituto Piaget, de Portugal”, disse Moreira.

A terceira edição, já no novo formato dentro do SEER, também será apresentada na 8ª Jornada Pedagógica para Músicos de Banda – 8ª JPMB, que já está no calendário de eventos de Marechal Deodoro e acontece no final desse ano. “A partir da próxima edição de 2018, nossa revista publicará artigos inscritos na Jornada e também passará a publicar os artigos do Simpósio da Associação Brasileira de Musicologia, que fará parceria permanente com a Jornada Pedagógica”, completou Moreira.

Essa parceria, segundo o professor, dará mais notoriedade à revista e numa dimensão muito mais abrangente. “Vamos ser uma ramificação do simpósio com a temática bandas de música. Com isso, nossa revista vai ampliar o alcance e terá ramificações no meio científico na área de música, além do Nordeste,em regiões como São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Para nós é um crescimento muito grande”, completou.

Acesse aqui a plataforma SEER da Ufal onde a Musifal será publicada

 

Semana Pedagógica discute reforma curricular do curso de Farmácia

Evento será de 28 a 30 de agosto

Arte de divulgação

Ascom Ufal

Professores e alunos do curso de Farmácia da Ufal, além de representantes de conselho da classe,  secretaria municipal de saúde e Hospital Universitário Alberto Antunes, são convidados a participar da 1ª Semana Pedagógica da referida graduação. O evento será realizado a partir da próxima segunda-feira (28) até o dia 30, e faz parte do processo de reforma curricular do curso de Farmácia, que vem ocorrendo dentro do Núcleo Docente Estruturante (NDE), desde o inicio de 2016.

O objetivo é realizar uma discussão das propostas sobre o Projeto Pedagógico e qualificar os professores para atender as alterações nas diretrizes curriculares. Haverá um fórum sob a coordenação da professora Sabrina Neves, com a participação do PET GraduaSUS, NDE e coordenação da Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas na organização do evento.

A programação conta com palestras, mesas-redondas e oficinas para produção e elaboração de propostas para o Projeto Pedagógico do curso de Farmácia. 

Confira a programação completa em anexo.

Expofísica 2017 recebe inscrição de visitantes de 28 a 31 de agosto

Evento, a ser realizado em setembro, reúne estudantes e público em geral

Arte de divulgação

Thâmara Gonzaga – jornalista

Setembro é mês de Expofísica 2017 no Campus A.C. Simões da Ufal. Este ano, a exposição completa 15 anos e será realizada no período de 27 a 29. O evento, promovido pelo Instituto de Física (IF), busca estimular nos estudantes do ensino médio e na comunidade em geral a curiosidade sobre o conhecimento científico, tecnológico e a inovação do mundo da física.

Diretores e professores de escolas podem agendar a visita de turmas no período de 28 a 31 de agosto, por meio do endereço eletrônico tereza@fis.ufal.br. Com sucesso de público a cada edição, a Expofísica já recebeu visitas até de alunos da Bahia. A coordenadora-geral do evento e docente do IF, Tereza de Araújo, avisa que o ideal é garantir a visitação o quanto antes. “Comumente, nas primeiras horas do primeiro dia de inscrição, todas as vagas são preenchidas”, informa.

Programação

Durante os dias do evento, os visitantes terão acesso a diversos conteúdos da Física, com abordagens que relacionam assuntos vistos em sala de aula com o cotidiano.

No stand A física da música, haverá apresentação dos conceitos de oscilações, ondas, frequência, comprimento de onda, som, timbre, instrumentos musicais e outros, com o uso de multimídia e banda musical formada por alunos.

Já nos espaços conjugados destinados a Atividades práticas com laser e Mostra de experimentos didáticos serão apresentados experimentos relacionados à luz, alguns associados a fenômenos naturais presentes no dia a dia, além do famoso Gerador de Van der Graff.

Apresentação de trabalhos realizados por escolas de Ensino Médio de Alagoas também faz parte da programação.

Mais informações pelo telefone 3214-1433 ou 99982 – 2556.

GraduaSUS realiza Mostra para compartilhar, avaliar e planejar ações

Gestão lançou 1º Fórum dos Colegiados dos Cursos de Saúde da Ufal

Abertura da Mostra Integrada de Experiência e Avaliação do PET Saúde GraduaSUS

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

Com o objetivo de compartilhar experiências e avaliar as ações executadas no primeiro ano, o Programa de Educação pelo Trabalho (PET) para Saúde promoveu a Mostra Integrada de Experiência e Avaliação do PET Saúde GraduaSUS Alagoas. O evento foi realizado no auditório Vera Rocha, nesta sexta-feira (25), e reuniu professores, profissionais de saúde e estudantes dos três grupos PET do Estado: dois na Universidade Federal de Alagoas (Ufal), nos  Maceió e Arapiraca; e um no Cesmac. A partir da integração dos grupos com os órgãos municipais e estaduais, a Mostra propôs sensibilizar gestores e atores sociais a fim de garantir a legitimidade das ações para o fortalecimento do SUS, por meio da política de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde.

“É o momento de avaliarmos nossas ações para subsidiar o planejamento e a execução das ações do ano 2 no âmbito de Alagoas, por isso o trabalho deve ser feito de maneira articulada”, afirmou a coordenadora do PET Saúde GraduaSUS, Emilene Donato. A mesa de abertura foi composta por representantes das instituições de Ensino Superior Ufal, Cesmac e Uncisal, envolvidas no PET e das secretarias Municipal e Estadual de Saúde.

Na abertura do evento, a dançaterapêuta Érica Régis, do Movimento Popular de Saúde, apresentou a dança cigana turca, em uma performance que valorizava a arte doméstica. “A dança como terapia ainda é uma prática elitizada. Precisamos inserir essa e outras práticas no SUS”, falou.

A pró-reitora Sandra Regina Paz, representando a reitora Maria Valéria Correia, reafirmou o compromisso da Universidade com a saúde pública. “É um evento de grande relevância social e é uma alegria recebê-los na Ufal. É necessária essa integração das diversas instituições com as secretarias porque somos mais fortes quando estamos juntos”, reforçou Sandra. O representante do Fórum em Defesa do SUS/Alagoas afirmou ser um dever de todos lutar pelo fortalecimento do serviço público na atual conjuntura. “Não deixem de pautar esse direito em um momento que a saúde pública sofre sérios ataques”, afirmou Bruno Fontan.

Finalizando a mesa, a pró-reitora de Extensão, Joelma Albuquerque, afirmou que políticas como o PET auxiliam no aprendizado de uma maneira especial. “Os problemas que estão postos na realidade devem ser trabalhados também na Universidade e a extensão cumpre esse papel”, pontuou. Na ocasião, a Gestão lançou o 1º Fórum dos Colegiados dos Cursos de Saúde da Ufal.

O evento contou ainda com rodas de conversa e painel de projetos mediado pelas coordenadoras gerais do PET Saúde GraduaSUS Ufal (Maceió e Arapiraca) e Cesmac. 

Segurança alimentar motiva pesquisa com camarões do litoral alagoano

Consumo do crustáceo congelado há mais de 90 dias pode ter riscos à saúde; cascas servem como suplemento alimentar

Alíquotas de 30 g de filé e 15 g de casca dos camarões L. schmitti, F. subtilis e F. brasiliensis coletados na costa de Maceio

Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo

Com foco voltado para segurança alimentar, a professora Ana López, do Instituto de Química e Biotecnologia da Universidade Federal de Alagoas (IQB-Ufal), e dois orientandos do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) analisaram os tipos de carotenoides em espécies de camarões que habitam no litoral alagoano. Essas substâncias são conhecidas por combater os radicais livres, que estão associados ao envelhecimento. Além disso, testaram a qualidade desses crustáceos no que diz respeito aos microrganismos neles presente.

Durante a pesquisa, que teve início com a professora Giselda Lira, da Faculdade de Nutrição (Fanut), foram estudadas três espécies: a Farfantepenaeus brasiliensis e a Farfantepenaeus subtilis, que são de camarões rosas; e a Litopenaeus Schmitti que é uma espécie de camarão branco. Nelas foram identificados e quantificados os carotenoides, que de acordo com a professora, não são substâncias produzidas pelo camarão, mas sim armazenadas em função deles ingerirem algas, bactérias e resíduos de partes aéreas de plantas que contém essas moléculas.

 “Nós observamos o que havia de diferente acontecendo entre as espécies, em diferentes estações do ano e períodos de congelamento. E em paralelo, avaliamos a atividade antioxidante e comparamos com outras classes de antioxidantes que podem ser utilizados em alimentos. O estudo foi repetido em duas estações do ano, com espécies adquiridas no mercado de pescado da praia de Ponta Verde, imediatamente após a chegada dos pescadores. Fizemos a separação de filé e casca, como no estudo prévio da professora Giselda, as amostras foram cozidas ou não, e em seguida foi feito o armazenamento sob congelamento durante 45 e 90 dias”, explicou López.

Simultaneamente, foi feito o isolamento de microrganismos das amostras. “Felizmente não foram encontradas bactérias psicrotróficas [capazes de se multiplicar em baixa temperatura], e apenas nas amostras que ficaram 90 dias sob congelamento a concentração de mesofílicas totais [que se desenvolvem melhor em temperatura moderada] ultrapassou o limite máximo de qualidade definido para pescado, sendo detectadas cinco espécies histaminogênicas”, concluiu. Para a docente, nas amostras que permaneceram até 45 dias sob congelamento, não houve preocupação do ponto de vista da segurança alimentar, “uma vez que o número de colônias foi inferior ao limite estabelecido pela legislação”.

No decorrer dos estudos realizados, Ana López verificou que “para as três espécies de camarões estudadas o cozimento concentrou o teor de carotenoides, antes complexados com proteínas, e que nas cascas já era superior ao dos filés em face do teor de água originalmente presente nestes. Porém, esse tratamento reduziu ligeiramente a atividade antioxidante”, sendo que tal diminuição acentuou-se após 45 dias de armazenamento das amostras das três espécies a -17°C. “Provavelmente, porque a estabilidade dos carotenoides foi alterada”, explicou.

Além disso, foi concluído que “as amostras das espécies pescadas no período de setembro apresentaram concentrações de carotenoides e atividade antioxidante levemente diferentes daquelas obtidas em janeiro, mostrando que a sazonabilidade influenciou na qualidade nutracêutica [nutrição + farmacêutica] do camarão, em especial porque tal classe de pigmento antioxidante depende da oferta de algas no ambiente marinho”.

 “Nas condições de higiene, desde o ambiente de coleta dos camarões até sua manipulação para a comercialização, ocorre contato e absorção de água, que pode estar contaminada por microrganismos, e mesmo após o breve cozimento, o armazenamento prolongado a baixas temperaturas favorece a proliferação daquelas formas que estavam latentes. Enfim, quanto mais subsídios para se conhecer a qualidade de um alimento, melhor se torna o controle, e mais saudável é o produto que chega até o consumidor”, declarou a docente.

Pesquisas continuam e já foram reconhecidas

Segundo a professora, os trabalhos foram divididos por áreas de estudo. Enquanto a estudante de Química, Flávia Adaís, realizava a identificação e quantificação do carotenoide predominante, nominado astaxantina, e suas respectivas atividades antioxidantes, o estudante de Ciências Biológicas, Everton Martins, se dedicou a isolar bactérias histaminogênicas e mesófilas totais nas amostras in natura ou cozidas, armazenadas ou não sob longos períodos de congelamento. Ele testou a possível atividade antimicrobiana de espécies de pimentas, com diferentes concentrações de antioxidantes, sobre tais bactérias.

Pela participação no referido projeto, a recém-egressa, Flávia Adais, recebeu certificado de excelência acadêmica, e utilizou tal tema para elaborar seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), que foi defendido ano passado. Recentemente ela foi nomeada para a vaga de técnico em Química no Centro de Ciências Agrárias (Ceca).

Everton Martins decidiu seguir a mesma linha de pesquisa para desenvolver seu TCC. Ele passou a trabalhar com diferentes tipos de pimentas utilizadas no preparo de camarões, testando a atividade antimicrobiana de seus extratos hidroetanolicos contra as bactérias que foram isoladas dos camarões estudados. Apesar da baixa concentração desses extratos, as pimentas rosa e malagueta foram capazes de inibir moderadamente quatro das cinco bactérias testadas, e ainda apresentaram maiores teores de compostos fenólicos, flavonoides e atividade antioxidante que as demais estudadas.

 “De uma certa maneira, a capacitação desses dois alunos no projeto também foi bem aprimorada, visto que não apenas participaram do Pibic, mas terminaram por desenvolver os respectivos TCCs, e como Flávia Adaís se formou no início deste ano, um aluno do 2º período de Medicina, Elvys Pereira, a substituiu no projeto para avaliar a atividade antimicrobiana dos carotenoides previamente isolados, diferente de Everton que avaliou as especiarias”, ressaltou Ana López.

Cascas dos camarões como suplemento alimentar

A professora destacou a importância desse tipo de pesquisa para a sociedade em geral: “Nós precisamos estudar a segurança dos alimentos que consumimos, e pescado é algo que os alagoanos consomem bastante. Precisamos entender suas funcionalidades e se esses alimentos são seguros para serem consumidos. Quando analisamos a parte de microbiologia, um dos objetivos foi garantir que, de tal ponto de vista, esse alimento pode ser consumido sem problemas”. Ela ressaltou ainda que a Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau) deveria manter um trabalho permanente de coletas, análises e divulgação dos resultados alcançados para toda a população.

Pensando no ponto de vista funcional, Ana López afirmou que todos precisamos conhecer bem a composição dos alimentos. “Os antioxidantes, por exemplo, podem combater radicais livres [moléculas, que em excesso podem ser tóxicas ao nosso organismo], favorecendo os sistemas vascular e cardíaco. Por isso é interessante que a população saiba que está consumindo algo que tenha também essa finalidade”, declarou.

De acordo com a professora, as cascas dos camarões que geralmente são dejetos e acabam poluindo o meio ambiente, poderiam alcançar outra finalidade, a de suplemento alimentar. “Extrair da casca de camarão o carotenoide astaxantina, desde que não esteja contaminado com impurezas alergênicas, lhe dá uma finalidade nutracêutica, e de certa forma contribui para reduzir o volume de um tipo de poluente orgânico”, esclareceu.

A docente explicou ainda que apesar de popular na dieta, a produção de camarões no Brasil é bem inferior ao que poderia ser. “Se a gente comparar o Brasil com outros países que têm uma costa litorânea muito menor do que a nossa, estimulamos pouco o setor pesqueiro, e Alagoas menos ainda”, declarou. Segundo ela, nós temos uma demanda muito grande de exportação, e por isso poderia haver maior incentivo ao setor. “Talvez entre tantas razões, uma seja a logística de higiene alimentar requerida pelos mercados externos, porém, se sanada, criaria muitos empregos, inclusive de nível superior na área de análises”, complementou.

Quinta Sinfônica: projeto Viva Hekel é convidado da Orquestra Sinfônica

A grande noite será próximo 31 de agosto, no Teatro Deodoro

Orquestra Sinfônica em apresentação no Museu de História Natural da Ufal

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

Mais uma grande noite está prevista para o próximo 31 de agosto no Quinta Sinfônica. A Orquestra da Universidade Federal de Alagoas recebe como convidado especial o projeto Viva Hekel. O concerto começa às 20h, no Teatro Deodoro, e a entrada é gratuita.

Nessa próxima edição, também haverá convidados especiais na plateia. Duzentos alunos das escolas municipais Nise da Silveira e Antônio Brandão já confirmaram presença. Até o último concerto do ano, esse público já está garantido, com crianças e adolescentes de várias escolas de Maceió, públicas e privadas, uma iniciativa da Diretoria de Teatros de Alagoas (Diteal).

O concerto

A primeira parte do concerto será com o projeto Viva Hekel, um resgate da obra do compositor, arranjador e maestro Hekel Tavares, alagoano, que este ano completaria 120 anos. A pianista Selma Brito, o músico Luciano Falcão e o tenor Luciano Peixoto vão apresentar cinco de suas peças: Sabiá, Biatatá, Guacyra, Festival e Favela.

A Orquestra entra na segunda parte do concerto, apresentando obras de três compositores: Benjamin Britten, Jacques Offenbach e Henryk Wieniawsk.  A OSU entrará com sua composição atual de 42 integrantes e terá a regência de Debora Borges.

Projeto Viva Hekel

Idealizado pelo músico Luciano Falcão, o espetáculo apresentado pelo Viva Hekel  foi contemplado pelo Prêmio Diogo Silvestre, do Governo de Alagoas. O trio apresenta a obra do compositor alagoano, ainda desconhecido das novas gerações.

SERVIÇO

O quê: Quinta Sinfônica com a Orquestra Sinfônica da Ufal e o projeto Viva Hekel
Quando: 31 de agosto
Onde: Teatro Deodoro, às 20h
Entrada gratuita

Leia também: Público garantido nos próximos concertos do Quinta Sinfônica

Andifes emite nota sobre situação orçamentária das universidades

Reitora da Ufal esteve em Brasília para participar das discussões

Reunião da Andifes para tratar sobre perspectivas econômicas foi realizada em Brasília

Ascom Ufal

A Associação dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior divulgou nota pública na reunião ordinária do seu Conselho Pleno, realizada na última quinta-feira (24), em Brasília, sobre a situação orçamentária que alcança todas as universidades federais do país. A reitora da Ufal, Valéria Correia, participou de um seminário na Andifes onde foram discutidas as perspectivas econômicas das instituições.

Confira a íntegra da nota em anexo.

Circuito Penedo de Cinema divulga lista de filmes selecionados

Foram escolhidos 41 curtas-metragens para concorrer nas três mostras competitivas do evento

Filmes serão exibidos em estrutura montada na Praça 12 de Abril, Centro Histórico de Penedo (AL) (Foto-Jonathan Lins).jpg

Natália Oliveira - jornalista colaboradora

O Circuito Penedo de Cinema divulgou nesta segunda-feira (28) a lista completa dos filmes competidores do evento. Foram escolhidos 41 curtas-metragens, sendo 13 para a mostra competitiva do 10º Festival do Cinema Brasileiro de Penedo, 17 para o 7º Festival de Cinema Universitário de Alagoas e 11 curtas para a 4ª Mostra Velho Chico de Cinema Ambiental, que assume o caráter de mostra competitiva pela primeira vez.

O Estado de São Paulo é o que mais tem representantes, com sete curtas-metragens, seguido por Goiás com seis obras. Logo após estão Alagoas e Rio Grande do Sul, representados por cinco filmes, e depois, Minas Gerais e Bahia, com quatro produções cada. Filmes de Pernambuco, Sergipe, Paraíba, Santa Catarina, Paraná e Rio de Janeiro também estão na disputa para concorrer a R$ 37 mil, que correspondem ao valor total dos prêmios de melhor filme pelos juris Oficial e Popular de cada mostra competitiva.

A novidade deste ano é que, pela primeira vez, o evento contará com a presença de um representante de todos os filmes concorrentes. Um realizador de cada curta-metragem selecionado receberá transporte, alimentação e hospedagem para participar do Circuito Penedo de Cinema, que será realizado entre 7 e 11 de novembro. Em 2015 e 2016, apenas o Festival de Cinema Universitário foi contemplado com essa iniciativa.

Para Sérgio Onofre, coordenador geral do Circuito, essa conquista é fundamental para enriquecer o evento. “Do ponto de vista do realizador, poder estar presente durante a exibição da sua obra e perceber como o público acolhe o trabalho é maravilhoso. A presença dos realizadores possibilita o processo de troca de experiência entre diretores, produtores locais e o público, e o evento busca criar um espaço para que essa interação possa acontecer”, enfatizou.

Seleção dos filmes

A curadoria dos curtas-metragens foi realizada por três comissões com profissionais de Alagoas e Sergipe. Os responsáveis pela seleção dos filmes da Mostra Universitária foram o jornalista e publicitário, Alberto Casagrande; a jornalista, documentarista e professora da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Ana Flávia Ferraz; e a cineclubista, produtora cultural e mestranda em Cinema e Narrativas Sociais pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Yanara Galvão.

A comissão de seleção da Mostra Ambiental foi composta pelos professores do curso de Ciências Biológicas da Ufal, Kim Ribeiro e Camila Porto; e pelo ator e cofundador do Ateliê Sesc de Cinema, Glauber Xavier. Já os filmes do Festival Brasileiro foram selecionados pelo diretor do Centro Cultural Arte Pajuçara, Marcos Sampaio; roteirista de Cinema e TV, Tairone Feitosa; e pela produtora e diretora, Vera Rocha.

De acordo com Marcos Sampaio, selecionar os filmes diante de mais de 350 inscrições foi um processo difícil. “Não foi uma tarefa simples, então é possível ressaltar duas questões. Primeiro em relação à grande quantidade de filmes inscritos, o que demonstra a força do evento. Em segundo lugar, vem a qualidade dos filmes e sua diversidade. O cinema brasileiro contempla a diversidade em seus vários aspectos, sejam eles regionais, temáticos, nas suas linguagens e abordagens. Acreditamos que os filmes selecionados se enquadram e compõem esse painel que é o hoje o cinema nacional”, destacou.

Sobre o Circuito

O Circuito Penedo de Cinema, que acontecerá de 7 a 11 de novembro em Penedo (AL), é realizado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) numa parceria com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult), e pelo Instituto de Estudos Culturais, Políticos e Sociais do Homem Contemporâneo (IECPS), com patrocínio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF).

Confira a lista dos filmes selecionados para as mostras Brasileira, Universitária e Ambiental do Circuito Penedo de Cinema.

Evento discute empreendedorismo, comunicação e negócio em Maceió

Enacon foi organizado por quatro estudantes de Relações Públicas da Ufal

Pedro Prochno foi um dos palestrantes mais esperados (Fotos - Comissão Organizadora)

Deriky Pereira - jornalista colaborador e Larissa Lopes - estudante de Jornalismo

O 1º Encontro Alagoano de Comunicação e Negócio (Enacon) foi realizado na última sexta-feira (25), no auditório da Casa da Indústria, em Maceió. Idealizado por quatro estudantes de Relações Públicas da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o evento foi marcado por diversos debates sobre comunicação, negócio e empreendedorismo e contou com a presença de estudantes e profissionais de Jornalismo, Relações Públicas, Publicidade e Administração, que tiveram a oportunidade de vivenciar uma intensa troca de conhecimentos.

A primeira palestrante foi a jornalista Luana Nunes, da Algo Mais Consultoria e Assessoria, que ressaltou os desafios do trabalho e disse que a sua equipe sempre faz o melhor que pode no trabalho com seus clientes e isso é fundamental para um bom relacionamento de ambas as partes. “Eu gosto de empreender. Não sei se o melhor que fazemos é aquilo que o mercado quer, mas quando a gente não consegue fazer tudo, vamos lá e contratamos profissionais. A equipe da Algo Mais é integrada, não temos o que chamam de rádio corredor. Por isso é importante dizer também que dependendo da forma que você se comunica, você pode estragar a comunicação”, disse.

Luana ressaltou a importância do networking que, pra ela, começa já no relacionamento entre os estudantes em sala de aula. “Têm aqueles que dizem ‘eu não vou sair na placa da formatura porque briguei com o outro’ sendo que, muitas vezes, aquele amigo pode te recomendar num trabalho, por exemplo. É importante networking sempre”, revelou a jornalista, que também salientou a importância de valorizar o cliente: “A gente trabalha todos os dias para dar valor ao nosso cliente, para que ele não nos abandone e, assim, estabelecemos uma relação de confiança. Se não tiver confiança não tem trabalho de sucesso e, o cliente não quer um trabalho razoável”.

O segundo palestrante foi Henrique Silva, da empresa de comunicação digital Mam.bo, que falou sobre a gestão de marcas e como empreender nas redes sociais. Ele ressaltou a importância de ter foco nas redes, além de saber investir e entender sobre elas para ter sucesso na comunicação digital. Já a relações públicas, jornalista e professora Edna Cunha, trouxe a temática Terceirização e Comunicação Organizacional: oportunidades x desafios e destacou sobre a importância de como o profissional de comunicação deve iniciar seu trabalho em uma empresa, além do cuidado na hora de aceitar certas propostas trabalhistas.

Ainda no Enacon, o workshop Da Ideia do Negócio ministrado por Maurício Oliveira, do Sebrae, trouxe uma dinâmica de como criar seu modelo de negócio e de como gerenciá-lo. “A importância de segmentar seus clientes, proposta de valores, fazer o portfólio da sua empresa, canais de comunicação, relacionamento com os clientes, receitas, recursos principais, atividades principais, parcerias principais e estrutura de custos”, destacou Maurício.

Para encerrar o evento, o relações públicas e atual gerente de comunicação do aplicativo Uber, Pedro Prochno, contou um pouco sobre sua trajetória e o mundo da profissão de Relações Públicas. “Saber contar história, ter capacidade de planejar, gerenciar problemas e crises, saber usar dados, ser inovador, ter capacidade de leitura de cenários", apontou Pedro ao dar essas seis dicas essenciais para o profissional da área.

O 1° Enacon também é um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) dos alunos de Relações Públicas, ao qual consideram um grande desafio a sua realização. “É uma experiência, além de desafiadora, maravilhosa, você começar um evento que se torna pioneiro no estado de Alagoas trazendo uma temática de comunicação e negócio com zero real no bolso, aí a gente já diz tudo”, destacou Alcilene Vieira, umas das organizadoras.

Maratona de conhecimento: avaliação positiva

Para Fabíola Cavalcante, formada em Relações Públicas pela Ufal, o evento trouxe um novo olhar para comunicação e uma nova perspectiva do mercado de trabalho em Alagoas. “Foi inspirador, reacendeu minha paixão pela Comunicação e me fez relembrar o motivo de ter escolhido a profissão. As palestras foram enriquecedoras, uma verdadeira injeção de ânimo, pois bem sabemos que o caminho não é fácil, mas com trabalho duro, muito estudo e dedicação sei que poderei me tornar uma boa profissional e atender as expectativas do mercado”, disse.

Bruna Albuquerque disse ter adorado as quase oito horas de maratona de conhecimento. “As palestras foram estrategicamente bem escolhidas e o conteúdo passado pelos palestrantes serão de grande valia, pois o conhecimento adquirido nessa maratona de palestras vieram a me acrescentar pessoal e profissionalmente”, salientou.

Já Magda Sueli destacou a oportunidade do debate sobre temas como empreendedorismo e negócio que, segundo ela, “é uma temática pouco explorada e a iniciativa foi uma boa sacada da organização.” Ela reforçou ainda que o modo com o qual os palestrantes ministraram as oficinas fez toda a diferença. “Eles nos trouxeram conhecimentos e dicas que vão além do que é visto em sala, o modo com que foram expostas as ideias, a maneira com que a comunicação pode ser aplicada em planos e empreendimentos foram essenciais para a um futuro negócio promissor”, concluiu.

 

Ufal se destaca em concurso de aplicativos da Secretaria da Fazenda

Numa maratona de três dias de programação, estudantes e servidor desenvolveram apps para facilitar os serviços prestados pela Sefaz

Servidor da Ufal ganha prêmio no Hackathon

Thâmara Gonzaga – jornalista

Foram três dias de uma maratona puxada e desafiadora, na busca de transformar códigos de programação em algo acessível e útil para sociedade alagoana. E os resultados de tanto esforço não poderiam ter sido melhores para estudantes, ex-alunos do Instituto de Computação (IC) e também para um servidor do Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) da Ufal. Eles conquistaram o primeiro lugar em categorias do Hackathon Insano – 72 horas, competição promovida pela Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz/AL), realizada de 18 a 20 de agosto, que tinha como desafio o desenvolvimento de aplicativos para telefones móveis que aproximassem a sociedade dos serviços prestados pelo órgão.

Na categoria Economiza Alagoas do concurso, os estudantes do curso de Ciência da Computação, Rubens Pessoa e Yves Bastos, junto a Bartolomeu Rodrigues, conquistaram o primeiro lugar com o app "Appelou". “A proposta [do aplicativo] é pesquisar o melhor preço de um determinado produto. Essa consulta é feita nos estabelecimentos próximos ao usuário e com base nos valores declarados nas notas fiscais”, explica Rubens Pessoa. “Fico feliz por ter representado o Instituto de Computação e por trazer este sucesso também para a Ufal”, destaca. Assim como cada equipe vencedora, eles ganharam um prêmio de R$ 10 mil para dividir entre os integrantes.

Rubens conta que nunca havia participado de um hackathon, mas afirma que já faz parte do seu interesse o desenvolvimento de aplicativos e que gostou da experiência. “Foi a minha primeira participação em um evento desse tipo e, sem dúvidas, muito importante para o crescimento pessoal e profissional”, diz. “Essa experiência de criar um negócio e um produto em 72 horas vai, com certeza, ficar marcada na minha vida”, contou o estudante que é estagiário na Ilhasoft como desenvolvedor de aplicativos iOS.

Atualmente, muitos jovens vêm se dedicando à criação de apps. Enquanto desenvolvedor já premiado, Rubens dá dicas para criar um bom aplicativo. “Acho que duas coisas são principais. A primeira: tire sua ideia do papel. Uma ideia por si só não tem valor até que ela se torne realidade. A segunda: em vez de focar em funcionalidades, foque no usuário final. Tente entendê-lo”, ressalta. “É mais interessante um app com menos funcionalidades e que conquiste o usuário final com um design atrativo, facilidade de uso, etc., do que um com muitas funcionalidades onde a sua complexidade acaba afastando o usuário final”, aponta. “Como desenvolvedor eu sei que é muito fácil de se seduzir pela ideia de adicionar muitas funções, mas quando nos propomos a lançar algo para o público, o primeiro e principal objetivo deve ser conquistar o usuário”, complementa. 

Mais aluno da Ufal em primeiro lugar

Também estudante do IC, Daniel San Ferreira da Rocha, junto com Lucas Miranda de Barros (ex-aluno de computação da Ufal), Luiza Mesquita e Antônio Victor Ferreira de Lima formaram a equipe Iceberg e conquistaram o primeiro lugar na Categoria Nota Fiscal Cidadã. “É sempre muito gratificante poder trazer conquistas para o Instituto de Computação e para a Ufal. Lugares esses que estão sendo fundamentais para o meu crescimento profissional”, afirma Daniel San da Rocha.

O aplicativo desenvolvido pelos jovens foi o "Participa". “Os principais objetivos dele são incentivar os cidadãos a denunciarem estabelecimentos que não emitem a nota fiscal, ou que não pedem, não colocam o CPF do comprador ou, ainda, que lhe dão a nota fiscal, mas não prestam conta com a Sefaz”, esclarece. “Um outro objetivo também é incentivar as pessoas a colocarem o CPF nas notas das suas compras, para isso o usuário poderá acompanhar seu saldo em dinheiro, verificar quantas notas já foram computadas para o próximo sorteio realizado pela Secretaria, compartilhar suas notas com uma instituição social para dobrar seus pontos, além de poder acompanhar um pequeno ranking de engajamentos dos seus amigos”, acrescenta.

Com interesse pelo desenvolvimento de apps, ele já tinha participado de um hackathon com duração de apenas um dia. “Nesse, infelizmente, não consegui conquistar nenhuma premiação, mas toda a experiência é sempre válida para o nosso crescimento profissional”, diz o estudante que, atualmente, atua como desenvolvedor Android na Ilhasoft.

Para Daniel San, o evento foi um verdadeiro teste. “Participar de um evento desse tipo nos desafia a aplicar ao máximo as nossas habilidades, tanto pessoais quanto profissionais, como organização, planejamento, relacionamento interpessoal e conhecimento técnico do que será desenvolvido”, argumenta. “Participar de iniciativas como essa são de extrema importância, pois, no mínimo, você terá a oportunidade de expandir seu network, conhecendo outros profissionais”, reconhece.

Para os que querem investir na atividade de desenvolvedor, o estudante aconselha: “Enquanto empreendedor, o ‘cara’ das ideias, o mais importante é manter o aplicativo simples e intuitivo, procurando sempre resolver o problema de algum público”, destaca. “Estudar bem o seu público - alvo é muito importante para resolver o problema dele. Sua ideia não vale de nada se não botar a mão na massa para conseguir aplicá-la na solução de algum problema”.

Ele destaca também a importância dos estudos: “Enquanto profissional da área de computação, diria que é muito importante construir um conhecimento sólido nas tecnologias que se pretende usar e estar sempre estudando para usar o que for de mais novo na área de interesse. Desta maneira, conseguirá entregar o melhor app que o usuário final já usou, rápido e sem travamentos”.

Servidor do NTI também foi premiado

Para o analista do Núcleo de Tecnologia da Informação da Ufal (NTI), João Roberto, esse concurso também foi a primeira experiência numa maratona de desenvolvimento de aplicativos e que já trouxe um excelente resultado. Ao somar o trabalho com Harrison Guedes, eles conquistaram a primeira colocação na categoria Contribuinte Conectado. 

"O app foi a implementação do projeto Contribuinte Conectado, idealizado por alguns servidores fazendários”, esclareceu Roberto. Segundo o servidor da Ufal, “o objetivo foi reunir todos os serviços voltados para o contribuinte PJ [pessoa jurídica], que hoje são oferecidos no site da Sefaz/AL. Dois exemplos desses serviços seriam a situação cadastral da empresa do contribuinte e a emissão de Certidões de Débito”.

 Ele conta que, antes do evento, não tinha nem interesse em desenvolver aplicativos. “Inclusive, foi o primeiro app que criei. Arriscamos e conseguimos sair com o prêmio”, afirma mostrando que a ousadia parece ser uma marca daqueles que resolvem lidar com a tecnologia.

Como sugestão para aqueles que querem seguir na área de desenvolvedor de app, Roberto afirma: “a minha única dica é deixar a programação de apps em segundo plano e priorizar o valor de negócio que a solução pode trazer à sociedade ou a uma instituição”.

Com graduação e mestrado em Ciência da Computação, o servidor da Ufal reconhece que além da premiação em dinheiro, “foi um privilégio poder desenvolver um software que irá ajudar o contribuinte alagoano”.

 

Confira os vencedores do Hackathon Insano/ Sefaz AL:

 

Categoria Economiza Alagoas – Equipe vencedora: Crimeia

Yves Raphael de Almeida Bastos (Aluno do IC/Ufal)

Rubens Pessoa de Barros Filho (Aluno do IC/Ufal)

Bartolomeu Rodrigues Neto

 

Categoria Participa – Equipe vencedora: Iceberg

Daniel San Ferreira da Rocha (Aluno do IC/Ufal)

Lucas Miranda de Barros (Ex-aluno do IC/Ufal)

Luiza Mesquita

Antônio Victor Ferreira de Lima

 

Categoria Contribuinte Conectado – Equipe: HJ

João Roberto dos Santos Júnior (servidor do NTI Ufal)

Harrison Ricardo de Alves Guedes

 

Categoria GP-Mob – Equipe: Plus

Tiago Alves Nogueira de Souza

Clenisson Calaça Cavalcante Gomes

Luana Lins da Rocha

Danilo Rodrigues de Macedo

 

Divisão de Segurança esclarece sobre ocorrência no A. C. Simões

Caso foi registrado nas imediações da praça dos bancos

Ascom Ufal

Em relação ao assalto ocorrido ontem na via principal do Campus A. C. Simões, a Divisão de Segurança da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) colheu as informações relacionadas ao fato e apresentou um relato à administração central da instituição.

Segundo as informações colhidas pelo setor, por volta das 15h, um segurança de um estabelecimento comercial chegou à Universidade dirigindo um veículo de cor vermelha, entrando pela Portaria Village com destino a uma das agências bancárias situadas no campus.

Ainda conforme o relato, após estacionar o carro na via que fica entre as agências bancárias e o prédio do curso de Educação Física, a vítima foi abordada por dois indivíduos – um deles armado – que estavam numa moto preta, de placa não identificada. Foi levada uma quantia alta, cujo valor não pôde ser informado.

Os suspeitos utilizaram outra portaria, na BR 104, para acesso à Ufal. Eles estavam usando capacete, o que dificultou a identificação dos suspeitos. A Polícia Militar foi acionada pela Ufal e encaminhou a vítima para registrar o Boletim de Ocorrência numa delegacia.

A gestão da Ufal enviou ofício à Polícia Federal para conhecimento do caso e que sejam tomadas as providências cabíveis, uma vez que não é da competência da Universidade realizar investigação. Uma reunião já estava agendada com o comandante do Batalhão de Polícia de Guarda da Polícia Militar, tenente-coronel Davi Monteiro, para tratar da segurança no entorno da Cidade Universitária.

Ufal divulga seleção para professor substituto

As inscrições serão abertas em 31 de agosto

Inscrições podem ser feitas de 31 de agosto a 12 de setembro

Ascom Ufal

A Pró-reitora de Gestão de Pessoas e do Trabalho (Progep) publicou edital para seleção de professor substituto para os três campi da Ufal. As inscrições estarão abertas a partir da próxima quinta-feira (31) e seguem até 12 de setembro.

A entrega do Currículo Lattes e dos documentos comprobatórios deverá ser feita no período de 31 de agosto a 14 de setembro, no horário das 9h às 17h, na secretaria da respectiva unidade acadêmica ou campi do interior.

As provas serão realizadas no período de 2 a 6 de outubro. São oferecidas 13 vagas para o Campus Arapiraca, na sede e nas Unidades de Palmeira dos Índios e Penedo; dez vagas para o Campus A.C. Simões, em Maceió; além do cadastro reserva nos três campi.

Confira mais detalhes no edital.

Fim de Semana no Museu comemora a chegada da Primavera

13ª edição do evento acontece nos dias 2 e 3 de setembro, com programação diversa e atividades gratuitas

Arte de divulgação

Graziela França- estudante de Jornalismo

Nos dias 2 e 3 de setembro, o Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) realiza a 13ª edição do Fim de Semana no Museu. Desta vez, o evento será organizado pelo setor de Botânica, trazendo um clima primaveril e comemorando a chegada da estação mais florida do ano.

A programação traz atividades gratuitas, tendo como referência os valores da diversidade e generosidade. Serão minicursos, oficinas, mesas redondas, vivências ao ar livre, exposições, além das atrações culturais e artísticas com apresentações de Tango e Maracatu.

De acordo com Carlos Correia, um dos organizadores do evento, o Fim de Semana no Museu aproxima a ciência da população. “Eu vejo o projeto como um movimento muito necessário que busca estabelecer uma ponte entre as pessoas e os conhecimentos científicos sobre história natural que o MHN produz. Para mim, é importante reconhecer que o real significado do saber somente se expressa quando compartilhado contato com a comunidade”, destacou o biólogo.

O Fim de Semana no Museu acontece na sede do MHN, localizado na Avenida Amazonas, Prado (Praça da Faculdade). As atividades são das 9h às 12h e das 14h às 17h, nos dois dias de evento.

Serviço:

O quê: 13º Fim de Semana no Museu

Quando: 2 e 3 de setembro

Horário: 9h às 12h, 14h às 17h

Local: Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade)

Cineclube Elegbá exibe 'Estrelas além do tempo'

Evento acontece na próxima quinta (31) no Museu Théo Brandão

Arte de divulgação

Letícia Bezerra – bolsista de Relações Públicas

Nesta quinta, 31 de agosto, às 15h, o Cineclube Elegbá exibirá o filme Estrelas além do tempo, no auditório do Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (MTB).

O longa-metragem, que foi baseado no livro Hidden Figures, retrata a trajetória de três mulheres negras nos anos 60, trabalhando no centro específico de matemática da Nasa. Elas buscam ajudar os Estados Unidos na corrida espacial contra a Rússia e se empenham para superar os desafios diários de uma época marcada pela segregação racial e preconceito contra as mulheres.

Dirigido por Theodore Melfi, o filme recebeu o prêmio de Melhor Elenco no SAG Awards de 2017, teve três indicações ao Oscar e duas ao Globo de Ouro, além de ter sido um sucesso de bilheterias.

O cineclube Elegbá integra os projetos do Fórum Mestre Zumba – pensamentos afroameríndios e acontece no MTB, na última quinta-feira de cada mês. A entrada é gratuita.

 

Circuito Penedo de Cinema inscreve trabalhos acadêmicos até 25 de setembro

Artigos e resumos expandidos devem ser enviados por meio da plataforma Doity

Deriky Pereira - Ascom Circuito

Começou a contagem regressiva para a submissão de trabalhos acadêmicos a serem apresentados no Circuito Penedo de Cinema. A janela de inscrição segue aberta até o dia 25 de setembro e é direcionada a estudantes, professores e técnico-administrativos do ensino superior do país, que podem inscrever resumos expandidos ou artigos por meio do site doity.com.br/encontrocinema.

Os trabalhos, que farão parte do 7º Encontro de Cinema Alagoano, poderão ser compostos por, no máximo, três autores e cada participante pode inscrever até dois artigos ou resumos expandidos com a temática do Cinema. Além disso, no momento do envio, o nome do arquivo precisa conter as primeiras palavras do título do trabalho e os textos devem seguir o padrão da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

O coordenador geral do Circuito, professor Sérgio Onofre, enfatiza a importância da troca de experiências durante o encontro. “É uma oportunidade para estudantes e pesquisadores de diferentes cursos de Cinema existentes no país hoje apresentarem seus trabalhos e reflexões. É um momento importante e a gente espera que as pessoas que se dedicam ao estudo do cinema no Brasil compareçam em massa ao nosso evento”, ressalta.

A lista de trabalhos selecionados para apresentação será divulgada no dia 10 de outubro pelo site do Circuito e na redes sociais do evento. Vale destacar que a emissão de certificados de participação será restrita aos autores que apresentarem os trabalhos presencialmente no dia 11 de novembro.

Sobre o Circuito

O Circuito Penedo de Cinema, que acontecerá de 7 a 11 de novembro em Penedo (AL), é realizado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) numa parceria com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult), e pelo Instituto de Estudos Culturais, Políticos e Sociais do Homem Contemporâneo (IECPS), com patrocínio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF).

Para mais informações, acesse o site do Circuito.

Edufal lança novo título na área de educação

O livro 'Tecnologias digitais da informação e comunicação na educação' é resultado de grupo de pesquisa do Programa de Pós-graduação em Educação

Livro está disponível na Edufal e no site da editora

Márcia Alencar – Jornalista

A Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal) está com novo título à disposição da comunidade universitária, na área de educação: Tecnologias digitais da informação e comunicação na educação. A obra é organizada por Cleide Jane de Sá Araújo Costa e Anamelea de Campos Pinto.

Já lançado nesse mês de agosto em alguns eventos da área, o livro apresenta os resultados dos estudos realizados pelos pesquisadores do Grupo de Pesquisa Tecnologias da Informação e Comunicação de Professores Presencial e a Distância Online, ligados à linha Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação, do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE), da Universidade Federal de Alagoas.

Segundo as organizadoras do livro, professoras doutora na área, a obra tem o objetivo de divulgar os trabalhos desenvolvidos pelos pesquisadores, mestrandos e bolsistas de iniciação científica. Eles realizam estudos sobre metodologias educacionais no âmbito da educação, a formação de professor e as TDIC em ambientes escolares e não escolares, no contexto do processo de ensino e aprendizagem.

“As pesquisas relatadas no livro revelam um olhar diferenciado a respeito da utilização das TDIC para a formação dos professores, incluindo e promovendo uma cultura tecnológica em sua prática pedagógica nos diversos cenários da educação em nosso país”, relata a professora Cleide Jane Costa. A estrutura de exposição dos textos segue uma orientação, que permitirá ao leitor um direcionamento relativo ao objeto de estudo em questão.

Na apresentação do livro, a professora Anamelea de Campos Pinto destaca que “a leitura dos vários textos permitirá aos leitores construir novas redes conexionais para a formulação de novas pesquisas, que certamente enriquecerão não somente a área das tecnologias de Informação e Comunicação, como também as áreas correlatas”.

Esse novo título e muitos outros da Edufal e de editoras universitárias e comerciais são encontrados na sede da Editora Universitária, no Campus A. C. Simões, em Maceió; na extensão do Espaço Cultural; e no Campus do Sertão, na cidade de Delmiro Gouveia. As vendas também são realizadas pelo site www.edufal.com.br.    

Instituto de Ciências Sociais publica segunda edição da Revista Mundaú

O periódico é editado pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Cultural

Capa da Revista Mundaú

Diana Monteiro – jornalista

Desafios e dilemas da ética em pesquisa nas Ciências Humanas é o foco  Revista Mundaú, de circulação semestral e publicada pelo Programa de Pós-graduação em Antropologia Cultural, do Instituto de Ciências Sociais (ICS), da Universidade Federal de Alagoas. O periódico eletrônico, que recebe artigos em fluxo contínuo e na forma de dossiês temáticos, tem por objetivo contribuir com o debate antropológico, o avanço da pesquisa e a divulgação de artigos dos especialistas da área, trazendo temas e questões do debate contemporânea da citada disciplina. 

Segundo os organizadores do número em circulação Cinthya Sarti, Everton e Nadia Meinerz, o periódico Mundaú está aberto à colaboração de pesquisadores de universidades e de instituições de pesquisa nacionais e internacionais na área da antropologia, na forma de artigos, em português, espanhol, inglês e francês.

A editoria da Revista é composta pelas pesquisadoras: Débora Allebrant; Fernanda Rechenberg  e Rachel Rocha, contando também com participação da estagiária Hellen Monique Caetano, do curso de Ciências Sociais. Para o próximo número, os artigos, encarte visual, resenhas e debates devem ser enviados até o dia 31 de dezembro e tem como dossiê Etnologia indígena: diálogos e interfaces do conhecimento a ser organizado pelos professores Evaldo da Silva Mendes e Guillermo Wilde.

Sobre o nome escolhido para o periódico as editoras explicam: “Mundaú é uma palavra tupi, que significa 'o rio das chuvas ou das cascatas', sendo então imagem de receptáculo e de abundância. O nome está identificado com Alagoas, é de uma das mais importantes lagoas que compõem o Complexo Lagunar Munda´-Manguaba, na Capital Maceió, e em torno do qual muitas cidades surgiram e muitas práticas culturais se consolidaram e se atualizam".

Clique aqui para conhecer a Revista Mundaú

Aulas e expediente estão mantidos na Ufal nesta quinta-feira

Reitora Valéria Correia ligou para as autoridades de Segurança Pública

Lenilda Luna - jornalista

 

Por conta dos questionamentos externados pelos estudantes em redes sociais, preocupados com a questão da segurança no campus da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), a reitora Valéria Correia manteve contato telefônico com o secretário Executivo de Políticas da Segurança Pública (SSP), delegado Manoel Acácio Jr., na tarde desta quarta-feira (30).

Durante a conversa, o secretário informou que a inteligência da SSP e o efetivo policial estão atentos às movimentações e mantêm a situação sob controle. “A conversa foi tranquilizadora e o secretário garantiu que podemos fazer contato diante de qualquer eventualidade. Portanto, vamos manter a nossa rotina normal”, disse a reitora Valéria Correia.

Durante a conversa, o secretário ressaltou que não há nada de concreto sobre a anormalidade na segurança pública, portanto o policiamento segue sua operação normal. A reitora Valéria Correia ligou ainda para o Comandante Geral da PM, tenente-coronel Marcos Sampaio, que garantiu um reforço nas rondas no entorno da Ufal.

Além disso, antes mesmo da ocorrência de dois assaltos dentro do Campus A.C. Simões esta semana, a reitora já havia agendado uma reunião com o comandante do Batalhão de Polícia de Guarda da Polícia Militar, tenente-coronel Davi Monteiro, para tratar da segurança nas proximidades da Cidade Universitária.

A Divisão de Segurança da Superintendência de Infraestrutura (Sinfra) da Ufal também já foi alertada para reforçar as rondas e alertar sobre qualquer situação suspeita. “Estaremos atentos, mas não podemos suspender as atividades em função de uma situação de pânico sem nenhum elemento concreto apontado pelas autoridades de Segurança Pública”, ressaltou Valéria Correia.

Seguem abertas inscrições para a 3º Semana Nacional de Filosofia

O evento será realizado de 13 a 15 de setembro no bloco do Ichca

O professor Roberto Machado, da UFRJ, será um dos conferencistas do evento

Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo

Entre os dias 13 e 15 de setembro acontecerá a 3ª Semana Nacional de Filosofia da Ufal, no Campus A. C. Simões, que tem por objetivo apresentar as pesquisas filosóficas realizadas nacionalmente por estudantes e pesquisadores da área. A programação contará com mesas de comunicações científicas, minicursos e conferências, das 13h40 às 21h30 no auditório do Ichca e nas salas de projeto do curso de Filosofia.  

Entre os conferencistas e ministrantes, estão os docentes da Ufal Thaynam Bueno e João Dias, que abordarão respectivamente Sêneca, o conceito de clemência e o exercício da razão e A temperatura do corpo no pensamento moderno: notas sobre o projeto cartesiano. Como convidados externos estão o professor Tarik de Athayde Prata, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que apresentará a conferência A problemática da consciência e da subjetividade na atual Filosofia da Mente;  e Matheus Hidalgo, professor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), com a temática Crítica sartreana ao sujeito em “A transcendência do Ego”. Já o docente da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Roberto Machado, vai apresentar a conferência Michel Foucault: Filósofo e militante.

O professor e organizador do evento, Fernando Monegalha, enfatizou a importância da participação dos estudantes e interessados na temática. “É uma oportunidade única de travar contato com a pesquisa de importantes professores de outros estados, assim como com trabalhos de seus colegas de curso, que apresentarão nas mesas de comunicações”, declarou.

Para participar do evento é necessário preencher a ficha de inscrição disponível aqui e enviar para o e-mail semana.filosofia.ufal@gmail.com, até o próximo dia 4. Os participantes dos minicursos e conferências receberão certificado correspondente às horas das referidas atividades.

Mais informações podem ser conferidas por meio do site do evento

Procuradoria Educacional orienta sobre prazos do Enade

Estudantes e coordenadores do Ciclo 2 devem ficar atentos ao cadastramento e preenchimento de questionário

Concluintes do Ciclo 2 têm até 26 de novembro

Diana Monteiro - jornalista

Alunos concluintes do bacharelado das Ciências Exatas e áreas afins que realizarão a prova do Exame Nacional de Desempenho de Estudante (Enade), em novembro deste ano, têm até o dia 26  do citado mês para realizar o cadastramento. A Procuradoria Institucional Educacional (P.E.I) da Universidade Federal também alerta ainda às coordenações do Ciclo 2, que o prazo para o preenchimento do Questionário do Estudante transcorrem até o dia 26 de novembro.

O questionário compõe 15% do Conceito Preliminar do Curso (CPC), cuja nota é divulgada um ano após a realização do Enade e define se o curso terá ou não o seu ato regulatório de oferta renovado. Já a nota do Enade é a média ponderada das notas padronizadas do respectivo curso de graduação em Formação Geral e Conhecimento Específico, sendo 25% o peso de FG e 75% o peso do CE.

Segundo o procurador Institucional Tiago Cruz, a atual gestão da Ufal tem buscado, como uma das diretrizes, consolidar os processos de avaliação estabelecidos pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) sem desconsiderar o contexto econômico que passam as universidades e, que impactam nos indicadores, especialmente de infraestrutura. “Contamos com o empenho de todos para a elevação dos indicadores da Universidade”, disse.

Sobre o processo de participação no Enade, o procurador complementa: “É importante que as coordenações conversem e orientem os estudantes  sobre o preenchimento do questionário e, se possível, agendem, por meio de um cronograma interno no curso, para o encaminhamento e efetivação do processo. Ele destaca que é importante, para mais conhecimento sobre o questionário, acessar aqui.

Nota Técnica

Sobre a Nota Técnica da Procuradoria Educacional Institucional/2015, que trata do processo de composição do Conceito Preliminar do Curso (CPC), Tiago Cruz aproveita para dizer que o objetivo foi apresentar os Indicadores de Qualidade da Universidade Federal de Alagoas divulgados pelo INEP em 8 de março de 2017, assim como destacar alguns apontamentos aos gestores da IES, aos membros dos Núcleos Docentes Estruturantes (NDEs), colegiados dos cursos, Comissão Própria de Avaliação (CPA) e Comissões de Auto Avaliação (CAAs) das unidades/campi do Ciclo 3 sobre os indicadores divulgados.

O procurador complementa dizendo que a apresentação traz ainda elementos comparativos a 2012, quando foi feita a penúltima avaliação do referido Ciclo 3 avaliado em 2015, o qual gerou os indicadores divulgados recentemente. Quanto às informações sobre o Recredenciamento/Avaliação da Ufal o procurador diz que podem ser conhecidas por meio do seguinte link: http://www.ufal.edu.br/ pei/recrdencimento-ufal.

 

Curso de extensão em dança contemporânea abre inscrições a partir de segunda

É gratuito e oferece 20 vagas para alunos e pessoas da comunidade

Professora Kamila em performance em Dança Contemporânea - Foto: Ivana Cubas

Simoneide Araújo – jornalista colaboradora

O curso de extensão Dança Contemporânea – Investigações Técnico-criativas terá início no próximo dia 14, mas as inscrições online acontecem de 4 a 11 de setembro, pelo SIGAAAs aulas serão realizadas às quintas-feiras, das 12h às 13h30, na sala 23 do Espaço Cultural da Universidade Federal de Alagoas.

Coordenado pela professora Kamila Mesquita, da licenciatura em Dança, o curso é gratuito e oferece 20 vagas para alunos da Ufal, servidores e pessoas da comunidade a partir dos 16 anos de idade. “Neste curso revisitaremos, dentro de uma perspectiva investigativa, algumas abordagens técnicas de dança moderna, conciliando tais estudos técnicos a abordagens somáticas, buscando a construção de um corpo-em-dança na contemporaneidade”, justificou Kamila.

As aulas práticas acontecerão ao longo de 12 semanas. Segundo a professora, o exercício final será uma atividade aberta ao público, onde haverá compartilhamento de possíveis resultados cênicos construídos ao longo do curso e rodas de improvisação.

No conteúdo programático estão previstos os temas: estudo do peso e variações de tonicidade muscular; centro de gravidade; centro de leveza; apoios – estudo sobre apoios em diferentes partes do corpo e superfícies de contato; apoio ativo e passivo; alavancas de movimento; centro motor; “releases”; oposições e vetorizações ósseas.

Também fazem parte dos conteúdos abordados na disciplina: espirais; tridimensionalidade corpórea; relações corpo-espaço; estudo e apropriação de princípios de movimento da dança moderna; queda e recuperação; equilíbrios e desequilíbrios; pulso do movimento/ritmo externo – identificar o pulso do movimento e relacioná-lo a ritmos sonoros externos, observando as interferências provocadas na fluência dos movimentos.

Ufal recebe comitiva da SBPC para organizar a 70ª Reunião Anual

O evento de grande relevância científica para a América Latina será sediado no Campus A.C. Simões

Valéria Correia ressaltou compromisso de toda a equipe no êxito da tarefa recebida

Lenilda Luna – jornalista

O anúncio de que a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) seria a anfitriã da 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) aconteceu em julho de 2016, durante a reunião realizada na Bahia. Desde então, a gestão da Ufal está se mobilizando para organizar este evento que é considerado de alta relevância para a comunidade científica e acadêmica do Brasil e da América Latina, cumprindo a missão de buscar o avanço científico, tecnológico, educacional e cultural.

Durante dois dias, 30 e 31 de agosto, a Ufal recebeu a visita técnica de uma comitiva da SBPC, formada pelo presidente da entidade, Ildeu de Castro Moreira, pelo secretário-geral, Paulo Hoffmann, e pelos representantes Luiz Dionísio e Fernanda Albuquerque. Eles participaram de reuniões com a reitora Valéria Correia, com os coordenadores executivos do evento na Ufal, que são o vice-reitor José Vieira e a professora Eliana Silva de Almeida, além de integrantes da gestão. Também foi realizada reunião com representantes das comissões de trabalho.

O tema da 70ª edição, que foi definido em agosto do ano passado, será Ciência, Responsabilidade Social e Soberania. “Temos uma expectativa muito positiva com essa próxima edição, por ser numa linda cidade, como é Maceió, e também pela disposição da equipe, que iniciou os trabalhos com muita antecipação, para garantir um evento de muito sucesso e produtividade. São muitos aspectos a serem planejados, desde os mais gerais, relacionados ao tema e ao contexto social, até os mais específicos, como alojamento, transporte, alimentação, sinalização dos locais de atividades, porque envolve muitos participantes de várias partes do mundo”, ressaltou Ildeu Moreira, presidente da SBPC.

A reitora Valéria Correia também ressaltou esse compromisso de toda a equipe no êxito da tarefa recebida. “Ainda na gestão da professora Helena Nader como presidenta da SBPC, realizamos as primeiras reuniões de planejamento, em 2016, e agora estamos dando continuidade. Queremos envolver a sociedade alagoana na realização deste grande evento, que pela primeira vez acontece em Alagoas. Já tivemos várias reuniões com instituições parceiras, como a Fapeal (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas). O professor Fábio Guedes está conosco desde o início deste projeto e já contamos com o Centro de Convenções para a solenidade de abertura”, relatou a reitora.

A previsão é que cerca de 10 mil pessoas, vindas de várias partes do país e do mundo, participem da 70ª Reunião Anual da SBPC. Serão vários eventos simultâneos acontecendo durante os dias do encontro. Nos dias que antecedem o evento, devem acontecer ainda atividades temáticas, voltadas para questões específicas de jovens, afro-indígenas, cultura e educação.

Debate com os presidenciáveis

Em função do tema escolhido que trata da soberania nacional e da Ciência, em ano de campanha eleitoral para presidente do país, numa conjuntura de contingenciamento de verbas para as universidades, uma das atividades definidas, na reunião desta quarta-feira (30), foi a realização de um debate com os candidatos à presidência do Brasil. “Com certeza será um debate que vai chamar a atenção do Brasil e do mundo para a Reunião da SBPC. Queremos, com esse debate, comprometer os candidatos com o desenvolvimento científico do nosso país. Estamos vivendo um período de mobilizações da comunidade acadêmica em defesa dos investimentos para a Ciência e precisamos debater esse tema durante a reunião da SBPC”, ressaltou a reitora.