Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2017 / 6 / Método de cultivo vertical de melões é desenvolvido no Ceca
07/06/2017 12h36 - Atualizado em 12/06/2017 10h52

Método de cultivo vertical de melões é desenvolvido no Ceca

Objetivos são melhorar o aproveitamento dos recursos naturais e aumentar a produtividade

Método é desenvolvido como parte do doutorado de Islan Diego

Sara Graziele - estagiária de jornalismo

Está sendo testado no Centro de Ciências Agrárias da Ufal (Ceca) um método de plantio de melões em sistema vertical. O experimento faz parte da tese de doutorado desenvolvida pelo estudante Islan Diego, e busca otimizar o uso dos recursos naturais e o cultivo das plantas.

O método permitirá um melhor aproveitamento de terreno e de água, assim como um melhor monitoramento da planta, que por estar posicionada verticalmente não ocupa tanto espaço no solo e permite fácil acesso aos seus ramos sem que seja preciso danificá-los para um monitoramento do fruto. “Essa estratégia de utilizar um cultivo vertical já está levando em consideração uma utilização máxima da área, porque os recursos são limitados, a água é limitada, principal fator limitante nessas regiões, então, otimizando esse uso da área, você otimiza também os demais recursos, principalmente a água”, explicou Islan.

O sistema foi pensado com base nas necessidades características da região nordeste, principal cultivadora do fruto. As estimativas, com base na média de dois frutos de 1,5 kg por planta, seria de um aumento de 30 para 48 toneladas por hectare por cada ciclo produtivo. Apesar de o sistema ser mais caro, seria possível a existência de três ciclos produtivos por ano, ao invés de apenas um, como acontece com o melão plantado diretamente no solo. Dessa forma, o sistema é pago e ainda gera um lucro maior para o produtor.

Outro diferencial interessante da pesquisa é que ela utiliza uma variedade de melão desenvolvida no próprio Ceca. A variedade provisoriamente batizada de AL-MEL, é resultado da mistura de duas outras variedades de melão: a Cucumis melo inodorus e Cucumis melo reticulatus. AL-MEL é resultado do trabalho do professor Paulo Vanderlei, que buscou combinar a rigidez da casca e alta durabilidade da variedade inodorus com a doçura e fragrância da reticulatus.

O melão AL-MEL vem sendo desenvolvido desde os anos 80 e sua 5ª geração está em testes no momento e, em breve, será lançada para o mercado. Segundo o professor Paulo, o objetivo da criação dele é “obter um melão que seja adaptado às condições climáticas de Alagoas, que poderá também ser cultivado no restante da região nordeste. Um melão diferenciado, de extrema qualidade, tipo exportação”. O professor ressalta ainda que, geralmente, os programas de melhoramento genético focam em uma variedade só, fazendo o melão desenvolvido no Ceca ser único no país.

Na pesquisa, Islan também testa processos de seleção natural, onde as plantas são cultivadas com uma solução de água com sal. A salinidade nas águas nordestinas é um processo natural causado pelo desgaste das águas nos lençóis freáticos, porém a salinidade é tóxica e prejudicial às plantas, fazendo com que áreas de plantio sejam abandonadas devido a esse processo. Com as plantas derivadas dessa pesquisa será possível a reutilização dessas áreas impróprias para outros cultivos.