Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2017 / 5 / Defesa do Rio São Francisco conta com apoio de estudantes
02/05/2017 13h34 - Atualizado em 02/05/2017 15h16

Defesa do Rio São Francisco conta com apoio de estudantes

Participantes do Encontro Regional de Agroecologia, no Ceca, fizeram passeata

Estudantes participaram de passeata em defesa do Rio São Francisco

Diana Monteiro - jornalista

A movimentação no último final na orla de Maceió contou com a caminhada dos estudantes participantes do 16º Encontro Regional de Agroecologia do Nordeste (ERA -NE), no domingo (30l),  aliando-se à luta  liderada pelo Comitê de Bacias Hidrográficas do São Francisco (CBHSF).

Com rostos pintados lembrando a figura de carranca, cartazes, música e carro de som, os estudantes fizeram o percurso de um trecho da praia de Ponta Verde à Jatiúca, onde foi entregue um abaixo-assinado ao presidente do Comitê e ambientalista alagoano Anivaldo Miranda.

O evento, realizado no Centro de Ciências Agrárias (Ceca) da Universidade Federal de Alagoas  transcorreu de 27 de abril a 1º de maio e teve como tema central Na rota do Velho Chico: a agroecologia e os movimentos sociais na luta contra as opressões no campo e na academia. O debate centralizou-se em propagar os ensinamentos agroecológicos, em todos seus aspectos humanos, sociais e ambientais, incentivando a construção de um novo modelo de sociedade.

A Agroecologia é definida como uma vertente agronômica que engloba técnicas ecológicas de cultivo com sustentabilidade social. Também incorpora fontes alternativas de energia e sua principal preocupação é "sistematizar todos os esforços num modelo tecnológico socialmente justo, economicamente viável e ecologicamente sustentável".

O documento contendo as assinaturas foi entregue pelo coordenador do evento em Alagoas, Eugênio Lessa Bulhões, estudante do curso da Ufal que reforçou a importância da área da agroecologia em todo o processo de luta em defesa do Alto, Médio, Sub-médio e Baixo São Francisco.  Na oportunidade foi feito um minuto de silêncio pelo então desaparecimento do estudante do curso de Engenharia de Pesca José Marcos de Oliveira, vítima de afogamento no Rio São Francisco, em Penedo, onde foi sepultado.