Buscar

Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2017 / 4

4

Ufal conquista medalhas em competição esportiva internacional

Evento foi realizado na praia de Pajuçara, em Maceió; atletas homenagearam estudantes vítimas de acidente com ônibus

Atletas da Ufal ganham troféu em competição internacional

Ascom Ufal

Alunos da Universidade Federal de Alagoas participaram do International University Beach Games, realizado entre os dias 28 de março e 1º de abril, em Maceió. A Ufal representou Alagoas com as equipes de Bech Soccer Feminino (Futebol de Areia), Beach Soccer masculino (Futebol de Areia) e a equipe de Beach Handball Masculino (Handebol de Areia).

O time masculino de handebol de areia conquistou a medalha de prata e a equipe do futebol feminino garantiu o pódio com a medalha de bronze para a Ufal.

A abertura do evento, na praia de Pajuçara, foi prestigiada por várias autoridades e pelo presidente da Confederação Brasileira de Desportos Universitários (CBDU),o professor Luciano Cabral, que foi ex-aluno da Universidade e docente substituto do curso de Educação Física.

A aluna Alycia Eduarda de Oliveira Silva, do curso de Geografia, proferiu o Juramento do Atleta, antes de dar início aos jogos na arena montada na orla de Maceió. Nas últimas partidas da competição os atletas da Ufal entraram com tarjas pretas em sinal de luto pelos falecidos no acidente que envolveu dois ônibus que transportavam alunos da Ufal e Uneal.

“Contamos sempre com a presença de vários alunos da Ufal torcendo de forma ordeira e pacífica. Quero fazer um agradecimento especial aos professores José Leandro Tavares da Costa, Luigi Alpino e Antônio Paulo Pacheco Bidart, respectivamente técnicos colaboradores do Futebol de Praia Feminino, Futebol de Praia Masculino e Handebol de Praia Masculino”, destacou Francisco de Assis Farias, gerente de Esportes da Pró-reitoria Estudantil (Proest).

Sesc faz parceria com Ufal para realização do Palco Giratório

Apresentações artísticas e oficinas serão realizadas no Espaço Cultural, na Praça Sinimbu

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

A edição do Palco Giratório deste ano terá a parceria da Universidade Federal de Alagoas e, com isso, parte da programação acontecerá no Espaço Cultural, na Praça Visconde de Sinimbu. O projeto é uma ação do Departamento Nacional do Sesc e busca promover a descentralização e a difusão das produções cênicas no país. O evento acontecerá de 6 a 20 de abril, pela manhã, à tarde e à noite.

De acordo com o coordenador de Assuntos Culturais da Ufal, Ivanildo Piccoli, essa parceria com o Sesc-Alagoas é muito importante, uma vez que várias apresentações artísticas e oficinas serão realizadas dentro do espaço da Universidade. Para ele, essa interação é muito positiva.

A programação completa do evento está disponível no site do Sec-Alagoas, mas, logo abaixo, você confere o que vai acontecer no Espaço Cultural da Ufal. Serão quatro oficinas e cinco espetáculos e performances:

Dia 6 de abril – apresentação do espetáculo Lete, da Beradera Companhia de Teatro. Será na Sala Preta, às 19h;

Dia 7 de abril – oficina de teatro Jogo, presença e centelha de vida, das 10h às 13h e das 14h às 17h. A proposta é capacitar o ator para atuar com verdade cênica, percepção estética, domínio das emoções e prontidão para o jogo;

Dia 8 de abril – espetáculo teatral Caranguejo Overdrive, da Aquela Cia de Teatro, do Rio de Janeiro. Na Sala Preta, às 19h;

Dia 10 de abril – espetáculo de circo Palafita, do Grupo Fuzuê, do Ceará. Também na Sala Preta, às 19h;

Dia 13 de abril – performance DNA de DAN, do Grupo Maikon K, do Paraná. No estacionamento do Espaço Cultural, às 17h;

Dia 14 de abril – performance Corpo Ancestral, também com o Grupo Mikon K. Na Sala preta, às 18h;

Dia 15 de abril – oficina de performance Corpo Abismo – práticas de presença, na Sala Preta, das 10h às 13h e das 14h às 17h;

Dia 18 de abril – oficina de teatro Processo de revelação, também na Sala Preta, das 10h às 13h e das 14h às 17h;

Dia 20 de abril – oficina de performance Corpo presente, na Sala Preta, das 10h às 13h e das 14h às 17h.

Mais informações no Assessoria de comunicação do Sesc Alagoas, pelo telefone 2123-2437.

Proex convoca classificados para 2ª etapa da seleção do Pré-Enem Comunitário

Candidatos a novos bolsistas passarão por entrevista e vão ministrar aula para banca

Confira a lista de classificados na 1ª etapa

Ascom Ufal

O Programa Conexões de Saberes da Universidade Federal de Alagoas, vinculado à Pró-reitoria de Extensão (Proex), divulgou a lista de selecionados para a segunda etapa do processo seletivo dos novos bolsistas do projeto Pré-Enem Comunitário.

A próxima etapa terá caráter classificatório e o candidato vai participar de uma entrevista e ministrar uma aula que será avaliada por uma banca examinadora. Os selecionados devem comparecer no dia, horário e local estabelecidos no resultado.

Mais informações pelo 3214-1091.

Confira aqui os classificados.

Sessões de cinema vão fazer reflexão sobre questões ambientais

Primeiro filme exibido abordará problema de saneamento básico

Convite de divulgação

Manuella Soares - jornalista

Cinema e debate. Essa combinação é a essência do projeto Cine Ambiental, desenvolvido por alunos da disciplina Projetos Integradores 1, do curso ´de licenciatura em Ciências Biológicas da Ufal. Serão realizadas três sessões cinematográficas acompanhadas de discussões sobre questões ambientais atuais na cidade de Maceió.

A primeira sessão está marcada para a próxima sexta-feira (7), às 15h, no Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS), com o tema Saneamento básico.  Os próximos encontros serão nos dias 14, para discutir Resíduos sólidos; e 24, com o debate sobre Educação ambiental.

O projeto tem o objetivo de trabalhar a percepção ambiental dos estudantes desenvolvendo um debate saudável e estimulando a participação de todos para a interação na temática.

“Esperamos que não somente possamos proporcionar um momento para discutir os problemas que generalizadamente todos entendemos, mas leva-los a refletir além do senso comum, identificar as diferentes concepções em cada fase do ensino, valorizando o saber lúdico de cada um”, ressaltam os participantes do projeto.

Fórum vai debater questões do setor de mineração em Alagoas

Grupo de Extensão da Ufal está na organização do evento que acontece no dia 7, em Murici

Arte de divulgação

Manuella Soares - jornalista

O Grupo de Extensão de Engenharia e Segurança do Trabalho (Geest/Ufal) promove o Fórum da Mineração de Alagoas, em parceria com a Prefeitura de Murici e a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas (Sedetur). O evento será na próxima sexta-feira (7), no auditório da Prefeitura de Murici.

O Fórum vai abordar informações sobre a regularização nas pedreiras, segurança do trabalho e possíveis aprimoramentos no setor de mineração de granito do Estado. Representantes de diversos órgão estarão presentes, como Sedetur, Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Instituto do Meio Ambiente (IMA) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

A programação conta com discussões sobre regulamentação dos trabalhadores de cooperativas; fiscalização nas pedreiras clandestinas; licenciamento; tributação; ações para fomentar o setor mineral; e o granito no mercado arquitetônico, entre outros temas.

“A realização do Fórum é de muita importância para nós, pois nos permite apesentar os resultados que o Geest obteve junto à Cooperpedras, cooperativa que abrange os municípios de Murici, União dos Palmares e Branquinha”, ressaltou Stacyly Cristine, diretora financeira do Grupo.

Grupo de Extensão promove caminhadas para comunidade universitária no Campus A.C. Simões

Iniciativa é de professores e alunos dos cursos de Educação Física, Ciências Biológicas e Nutrição

Alunos se alongam antes da caminha em frente ao CIC

Janaina Alves - relações públicas 

Ter um tempo para se exercitar em meio aos compromissos do dia a dia nem sempre é possível. Pensando nisso, professores e alunos dos cursos de Educação Física, Ciências Biológicas e Nutrição desenvolveram o projeto de extensão Ciclos Vitais, que consiste em oferecer à comunidade universitária caminhadas, avaliação física e nutricional.

De acordo com a professora Ana Rosa, do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS), o que ensejou a criação do projeto foram as queixas dos colegas e alunos que não encontravam tempo para a prática de exercício ou de esporte. "O projeto também é uma oportunidade de além de cuidar da saúde, promover a interação entre as pessoas aqui na Ufal", disse. 

A proposta é trazer para dentro do campus um momento para cuidar do corpo e da mente, com a prática de um exercício simples e que ao mesmo tempo traz inúmeros benefícios para a saúde. Também participam do projeto o Centro de Educação (Cedu), representado pela professora Socorro Dantas, do curso de Educação Física; e a Faculdade de Nutrição (Fanut), com o professor Ciro Rego Júnior.

O projeto vai além da prática do exercício, propondo a coleta e análise de dados dos participantes para uma posterior avaliação dos benefícios alcançados. Amostras de colesterol e perfil lipidêmico serão colhidos e analisados pela professora Priscila Guimarães, do ICBS e conta com a parceria da Coordenação de Qualidade de Vida no Trabalho (CQVT), ligada à Progep.

O propósito do grupo é transformar o projeto num programa de promoção à saúde da instituição que aconteça de forma perene e possa atender mais pessoas. "Nós gostaríamos que daqui saísse também um grupo de corrida", completou Ana Rosa. 

Como fazer para participar

Alunos, servidores e comunidade em geral que queiram fazer parte do grupo precisam frequentar os encontros que acontecem às segundas, quartas e sextas-feiras, às 16h30, em frente ao Centro de Interesse Comunitário (CIC). Sempre antes da caminhada o grupo faz uma série de alongamento.

Serviço Social comemora 60 anos em Alagoas

Conquistas e desafios foram expostos ao analisar a contribuição da Ufal na história do curso

Prédio de Serviço Social (Fotos: Thiago Prado)

Rose Ferreira – jornalista colaboradora

Ao longo de seis décadas são muitas histórias de lutas, conquistas e contribuições. O ensino de Serviço Social em Alagoas começou em 1957, na Escola Padre Anchieta, e ganhou projeção com a criação do curso de graduação na Ufal. Desde a formação da primeira turma, na década de 70 até os dias atuais, a Universidade tem deixado sua marca no empenho à estruturação do curso, na oportunidade de ensino no interior, no destaque em pesquisas e parcerias, além de eleger a primeira reitora assistente social da história das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) do país.

“Somos o único curso que em seu código de ética tem o compromisso com a classe trabalhadora. Em tempos difíceis como o que vivemos, onde o preconceito e o conservadorismo voltam à tona com muita força no país, temos o desafio de reafirmar nossos princípios éticos. É nesse contexto que o Serviço Social e a universidade têm um papel fundamental de desvendar o real e se colocar também junto às lutas sociais e na defesa de uma sociedade mais justa e igualitária”, destacou a reitora Valéria Correia.

Desde 1993, a Ufal passou a ofertar o curso de Serviço Social no turno da noite, ampliando seu alcance. E a trajetória foi, recentemente, fortalecida depois da implantação do curso na unidade educacional de Palmeira dos Índios, ligada ao Campus Arapiraca, em 2006, e que, atualmente, tem conceito quatro na avaliação institucional do Ministério da Educação (MEC). 

A coordenadora na unidade de Palmeira, Marinês Coral, lembra que ao final de 2016, o curso tinha nove docentes, sendo quatro já doutores, três prestes a concluir o doutorado e dois mestres, o que evidencia a qualidade dos profissionais e da graduação no interior.

Os dados são comemorados pelo Centro Acadêmico Maninha Xucuru. “Palmeira dos Índios não é a unidade problema, como muitos já disseram; ao contrário, é a solução, por ter proporcionado o acesso da classe trabalhadora ao ensino superior”, ressaltou Lela Sobreiro, representante do CA de Palmeira dos Índios.

O caminho é traçado com muita dedicação para inserir o nome do curso no cenário nacional. A diretora da Faculdade de Serviço Social (FSSO), Rosa Prédes, conta que os projetos são muitos e mais conquistas virão. “Se é de batalhas que se vive a vida, a luta nos movimenta e a resistência nos fortalece, então é nessa perspectiva que a comissão está trabalhando, visualizando a possibilidade de lançamento de livros sobre os 60 anos de Serviço Social, com publicação do edital em breve. Esse ano ainda, vamos abrir o doutorado no curso; realizaremos um seminário; teremos participação efetiva na Bienal com lançamento de obras, debates etc; e promoveremos o 4º colóquio nacional e o 1º internacional”, pontuou Prédes, com entusiasmo.

Comemorações

No último dia 21, a direção da Faculdade de Serviço Social da Ufal (FSSO) organizou uma programação especial para comemorar os 60 anos do curso em Alagoas, no Campus A.C. Simões, em Maceió. O dia começou com um momento simbólico de plantio de uma muda de Pau-Brasil, em frente ao prédio da FSSO, e seguiu com uma mesa-redonda intitulada A contribuição da Ufal nos 60 anos do curso de Serviço Social em Alagoas, no auditório da Reitoria.

Ao se dirigir aos estudantes, Layana Farias, representante da Executiva Nacional dos Estudantes de Serviço Social e do Centro Acadêmico Rosa Luxembergo ressaltou a importância dos futuros assistentes sociais estarem comprometidos com o projeto ético-político do curso e com a classe trabalhadora, para que sejam cada vez mais uma categoria combativa e de luta. “Os tempos são sombrios; o momento pede organização, luta e resistência acima de tudo”, conclamou.

A representante do Cress-AL, Edmée Barros, fez uma retrospectiva histórica enfatizando o compromissos da profissão, que tem como princípio a defesa dos direitos humanos. “A luta pela qualidade da formação profissional ao longo dessas décadas e nos dias atuais tem sido um dos principais objetivos dessa categoria e o curso de Serviço Social de Alagoas, nesses 60 anos, formou profissionais que fizeram história e tem feito, na prática e na luta, pela divulgação dos direitos sociais no nosso Estado”, destacou.

Homenageada no evento, a reitora Valéria Correia reforçou o compromisso da Gestão com a estruturação da unidade educacional de Palmeira dos Índios e evidenciou a qualidade do curso, tanto na graduação, como no mestrado, relembrando fatos históricos. Também receberam homenagens as pioneiras da trajetória e os mais novos estudantes. 

Pinacoteca da Ufal apresenta mostra inédita da mineira Eugênia França

A exposição traz reflexão e crítica ao elitismo e seu consumismo exacerbado

Eugênia França

Simoneide Araujo com Ascom Pinacoteca

Nesta terça-feira (4), a Pinacoteca da Universidade Federal de Alagoas apresenta a nova exposição “Do lado de cá, do lado de lá”, da mineira Eugênia França. A abertura oficial será às 20h, com entrada gratuita. A visitação da mostra começa no dia 5 de abril e vai até 19 de maio.

A artista plástica traz uma reflexão sobre a relação ingênua da criança com o objeto, que resulta em afeto desinteressado. “São meninas de periferia, que apesar de fazerem parte da realidade do nosso País, causam estranhamento ao serem representadas com suas bonecas decrépitas. Isso uma sociedade onde as interações humanas são baseadas no poder econômico”, destacou.

Eugênia usa lonas velhas de caminhão como suporte para eternizar vestígios, rastros e histórias que compõem suas telas. Com seu trabalho, ela faz crítica ao elitismo e seu consumismo exacerbado, inclusive em seu método de produção, dando espaço para a reutilização da matéria.

É por meio de suas criações que Eugenia pretende demonstrar como o capitalismo é perverso ao excluir não apenas objetos considerados obsoletos, mas também seres humanos que não participam da lógica consumista. “A exposição propõe levantar uma discussão acerca do lugar que nós ocupamos na sociedade capitalista em que vivemos”, disse.

E completa: “As relações que estabelecemos com as pessoas e com os objetos apontam para a perpetuação do instituído, uma vez que nós somos repetidores de um sistema que geralmente não questionamos, o que reflete nas escolhas, nos papéis desempenhados e no lugar que ocupamos na sociedade”.

A artista

Eugenia França vive e trabalha em Contagem, Minas Gerais é graduada em Serviço Social pela PUC, especialista em terapia sistêmica pela Holon Espaço Dinâmico e Bacharel em Artes Plásticas pela UEMG. Participou de várias mostras coletivas em Belo Horizonte (MG), mas “Do lado de cá, do lado de lá.” é sua primeira individual e a Pinacoteca Universitária o primeiro museu de arte do circuito que a exposição fará no decorrer do ano. Os próximos museus serão nos estados do Maranhão e Santa Catarina.

SERVIÇO

Exposição: Do lado de cá, do lado de lá.
Local: Pinacoteca Universitária - Praça Visconde de Sinimbu, 206, 1o piso, Centro
Abertura: 4 de abril de 2017, às 20h
Visitação: 5 de abril até 19 de maio (segunda a sexta, das 8h30 às 18h).
Visitas em grupo agendadas pelo telefone (82) 3214 1545 ou pelo e-mail pinaufal@gmail.com.

Entrada gratuita

Comunidade universitária do Campus Arapiraca presta homenagem às vítimas do acidente

Presentes vestiram-se de branco para a celebração do ato ecumênico

Presentes vestiram-se de branco em homenagem às vítimas

Redação Ascom

Esta segunda-feira (3), foi de  muita emoção no Campus Arapiraca. Estudantes, professores e técnicos vestiram-se de branco e realizaram uma solenidade em memória às cinco vítimas fatais do acidente ocorrido na última quinta-feira, dia 30 de março, entre dois ônibus escolares,  dos municípios de Teotônio Vilela e de Junqueiro, nas proximidades do município de São Sebastião.

Também estavam presentes ao ato ecumênico os  coordenadores e direção do Campus Arapiraca e professores de Psicologia e de Serviço Social da unidade de Palmeira dos Índios. A reitoria da  Ufal foi representada pela pró-reitora Estudantil,  Silvana Medeiros, pró-reitora de Extensão, Joelma Albuquerque, e professora Lígia Ferreira, do Neab. 

A foto foi registrada pela professora Marcia Silva e as informações enviadas por Adriana Adrião, da Comissão Geral do Centro Acadêmico A Voz da Enfermagem - CAVEn, do Campus de Arapiraca.

Pibid seleciona professores supervisores e estudantes bolsistas

Inscrições vão até esta quarta-feira (5)

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) está com inscrições abertas até a próxima quarta-feira, 5 de abril, para seleção de professores supervisores (Edital 07/2017) e estudantes bolsistas (Edital 08/2017).  As inscrições podem ser feitas por e-mail. Os candidatos devem encaminhar a ficha de inscrição e  as cópias dos documentos solicitados.

Já no dia 13 de abril será divulgado o resultado com a lista dos candidatos aprovados no limite de vagas, que serão convocados a assinar documentação no mesmo dia. Os demais candidatos aprovados serão cadastrados como banco de reserva.

As vagas para docentes serão distribuídas para escolas de Maceió e Matriz de Camaragibe, e envolvem os cursos de Educação Física, Filosofia, Geografia, História e Pedagogia. Podem concorrer à bolsa no valor de R$ 765 mensais, professores licenciados e em efetivo exercício docente, nas áreas previstas no edital, e que atuem na educação básica.

A seleção será feita em etapas, onde primeiro é feita a análise da carta de intenções, justificando as razões e interesses pessoais diversos em participar do Programa; entrevista; e análise de currículo.

Estudantes

Os estudantes que se interessarem em participar do Pibid devem estar matriculados nos cursos de Biologia, Educação Física, Filosofia, Letras/Inglês, Pedagogia e Química. As vagas serão distribuídas em escolas de Maceió, Arapiraca, Delmiro Gouveia e Matriz de Camaragibe. Além disso, o aluno deve estar cursando entre o 2° e o 6° período do curso, e terá atividades em carga horária de oito horas semanais, com bolsa no valor de R$ 400.

Os documentos necessários para a inscrição de estudantes são: formulário de inscrição, cópia do comprovante de matrícula, histórico escolar analítico, cópia do RG e CPF, e carta de intenções sobre a participação no Programa. A seleção também será feita em etapas; primeiro serão analisados o histórico escolar e a carta de intenções. Após as duas etapas, que são eliminatórias e classificatórias, será realizada uma entrevista com os selecionados.

Os candidatos aprovados e classificados terão o prazo até o dia 12 de abril para entregarem ao coordenador da área da seleção os dados necessários para serem incluídos no Sistema da Capes ainda no mês de fevereiro/2017. A seleção tem validade de 12 meses.

Consuni aprecia relatório da Fundepes e aprova calendário acadêmico de 2017

Sessão ordinária homenageou vítimas do acidentes com transportes escolares

A sessão foi iniciada com um minuto de silêncio pelas vítimas do acidente no agreste

Lenilda Luna - jornalista

A sessão ordinária do Conselho Universitário, realizada nesta segunda-feira (3), foi iniciada com o pedido de um minuto de silêncio, feito pela reitora Valéria Correia, em homenagem à memória das vítimas do acidente envolvendo dois ônibus de transporte de estudantes, ocorrido nas imediações do município de São Sebastião, na noite de quinta-feira, 30 de março. A Ufal decretou luto por três dias pela morte da aluna Débora Afra Borges Vasconcelos, do curso de Enfermagem do Campus Arapiraca.

Ainda nos informes, a reitora anunciou oficialmente o resultado das eleições para a direção do Campus do Sertão, parabenizando os eleitos: professores Agnaldo José dos Santos (diretor geral) e Thiago Trindade Matias (diretor acadêmico). Outra questão colocada nas informações iniciais, pela reitora, foi o esclarecimento sobre as providências que estão sendo tomadas para apurar denuncia envolvendo o Programa de Mestrado Profissional em Administração Pública (Profiap).

Valéria Correia destacou ainda a importante decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que concedeu liminar na Ação Direta de Inconstitucionalidade suspendendo  a Lei 7.800/2016, de Alagoas, que instituiu o programa Escola Livre no Estado. A Lei foi criticada por vários setores da Educação, que a nomearam "Lei da Mordaça". "Os advogados da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino (Contee) fizeram menção ao documento aprovado neste Conselho Universitário com posicionamento contrário a essa Lei", destacou.

Após os informes iniciais, foram colocadas em discussão as atas das três sessões anteriores. A ata da sessão extraordinária realizada no dia 27 de março, que tratou especificamente sobre o relatório anual de Gestão e prestação de contas de 2016, foi a única que gerou questionamentos por parte dos conselheiros.  Foi destacada a necessidade de fazer os ajustes apontados durante a sessão ao texto do relatório, e feitos esclarecimentos à taxa de sucesso da instituição, com um aumento significativo no número de alunos que conseguiram concluir a graduação. Após algumas intervenções, a ata foi aprovada com dez abstenções.

Relatório de Gestão da Fundepes

O relatório da gestão da Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes) foi apresentado pelo diretor presidente, Gabriel Soares Bádue, que assumiu em março de 2016. A Fundepes é uma fundação de direito privado, sem fins lucrativos, que tem o papel de apoiar as ações de incentivo a pesquisa científica. O diretor destacou a fiscalização do Ministério Público, por meio da promotora Faildes Mendonça, que, como veladora da entidade, exigiu a adequação da situação financeira e orçamentária.

Na carta de apresentação do relatório, o diretor-presidente destacou a situação crítica em que encontrou o órgão. "Havia inclusive a ameaça de encerramento das atividades em meio ao cenário nacional de escassez de recursos e grave crise política e econômica, cujo fim ainda não é possível prever. Para tentar reverter este prognóstico, adotamos medidas austeras, de redução de pessoal, revisão de contratos, otimização da estrutura física e planejamento de metas diante da nossa realidade", destacou Gabriel Bádue.

Os conselheiros fizeram alguns questionamentos e também parabenizaram a gestão pelo compromisso de conduzir a Fundepes com transparência e apresentando mudanças que visam fortalecer o papel da entidade na consolidação da pesquisa científica em Alagoas. "A Fundepes passou por um enxugamento, mas ainda tem um papel fundamental em Alagoas e tem o reconhecimento da comunidade científica no Estado", destacou o vice-reitor da Ufal, José Vieira, que faz parte do conselho deliberativo da Fundepes.

O vice-diretor executivo, professor Gerson Guimarães, ressaltou o empenho da atual Gestão em superar as dificuldades para que a entidade possa ter resultados melhores nos próximos anos. "Estamos mantendo o apoio às iniciativas importantes e queremos ampliar o nosso leque de atuação", destacou. Após várias manifestações dos conselheiros universitários, o Relatório de Gestão 2016 da Fundepes, já aprovado no conselho da entidade, foi ratificado por unanimidade pelo Consuni.

Calendário Acadêmico de 2017

Visando adequar as atividades acadêmicas, após as greves e ocupações que ocorreram nas Universidades Públicas Federais, em 2016, foram apresentadas duas propostas, elaboradas pela Pró-reitoria de Graduação (Prograd), garantindo 200 dias letivos por ano e os sábados letivos. O Fórum dos Colegiados acatou preferencialmente a proposta de calendário unificado para os três campi da Ufal. 

A proposta encaminhada pela Câmara Acadêmica foi debatida e questionada por vários conselheiros, que manifestaram a preocupação tanto com a condição de trabalho e de férias para os professores como a garantia de proporcionar aos alunos o recesso em janeiro e um ajuste que permita a regularização do ano letivo dentro do ano civil em um futuro breve. Foi apresentada outra proposta, com algumas diferenças, principalmente na data de início do período 2017.2.

Por 19 votos, a proposta 1 foi aprovada, contra 12 votos para a segunda proposta e cinco abstenções. Dessa forma, pelo calendário acadêmico aprovado, as aulas do período 2017.1 serão iniciadas em 5 de julho em Maceió, Viçosa e Santana, e no dia 31 de julho, em Arapiraca, Palmeira, Penedo e Delmiro.

Confira o Calendário 2017:

 

Pesquisadores já podem submeter projeto de pesquisa ao edital Pibic 2017-2018

Serão aceitas inscrições até 2 de maio

Ascom Ufal

Docentes e pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas já podem submeter propostas para o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic). Conforme edital do processo, com vigência para o período 2017-2018, para concorrer às bolsas de iniciação científica e iniciação científica nas ações afirmativas, os professores devem inscrever e submeter o projeto de pesquisa até 2 de maio.

Cada proponente pode apresentar apenas um projeto de pesquisa, vinculado à unidade acadêmica ou campus onde esteja lotado. A proposta deve ser encaminhada, exclusivamente, por meio do sistema Pibic, disponível neste link https://sistemas.ufal.br/pibic/, anexando a lista de arquivos e documentos especificada no edital.

A Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep) da Ufal, por meio da sua Coordenação de Pesquisa (CPq), é responsável pela coordenação do Programa.

Iniciação científica do estudante

Por meio do edital Pibic, estudantes também participam dos projetos de pesquisa coordenados pelos docentes da Ufal.

O orientador do projeto só pode inscrever, como bolsista ou colaborador, estudantes de graduação regularmente matriculados e que não estejam inadimplentes com a Universidade referente a outros editais encerrados ou em vigência.

O estudante que fizer jus ao benefício da bolsa de iniciação científica receberá, durante 12 meses, sendo a vigência de 1º de agosto de 2017 a 31 de julho de 2018, uma mensalidade no valor de R$ 400 que estará sujeita a alterações pelas agências de fomento.

Para mais informações, confira o edital retificado.

GraduaSUS debate políticas afirmativas e transversalidade na formação

Oficina temática de março compartilhou experiências positivas com alunos, professores e profissionais

Emeline Donato, coordenadora do PET Saúde GraduaSUS. Foto: SMS

Ascom SMS

O Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde, o PET Saúde GraduaSUS, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e a Coordenação Geral de Desenvolvimento de Recursos Humanos (CDRH) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) promoveram oficina temática Políticas Afirmativas e Transversalidade na Saúde.

O evento realizado no final de março contou com cerca de 80 participantes entre professores (tutores), preceptores (profissionais de saúde dos serviços e da gestão da SMS) e alunos dos cursos de Enfermagem, Farmácia, Medicina, Nutrição, Psicologia e Serviço Social. O PET Saúde GraduaSUS Ufal tem como objetivo central promover mudanças curriculares dos cursos envolvidos nos projetos aprovados pelo Ministério da Saúde, adequadas às políticas públicas da área e realidades locais. Com essa perspectiva, desenvolve diversas atividades mensalmente, como grupos de trabalho, reuniões gerais, oficinas temáticas, cursos, rodas de conversa, dentro da Universidade, nos serviços de saúde, na gestão, etc.

A oficina temática de março teve como foco a apresentação da experiência da professora Sandra Bonfim na Uncisal, uma vez que os cursos de saúde da instituição já passaram por reformulações de seus projetos político-pedagógicos e possuem conhecimentos comuns em seus currículos, objeto do programa, bem como a inserção dessa temática, obrigatória pelas Diretrizes Curriculares Nacionais.

“Sendo o SUS ordenador da formação em saúde, segundo a Lei Orgânica da Saúde – 8080 de 1990, é imprescindível fomentarmos espaços que permitam discussões plurais, apresentem a diversidade da sociedade contemporânea e pensem a produção de cuidado de maneira compartilhada. Considerando as experiências já realizadas e em curso, estamos articulando as instituições públicas SMS, Ufal e Uncisal para enriquecimento conjunto e atendimento qualificado aos nossos objetivos. Para tanto, é fundamental o apoio à integração ensino-serviço-gestão-comunidade, ao tempo em que investimos na formação acadêmica sintonizada com a realidade, disparamos fluxos potentes de educação permanente em saúde, olhando para os processos de trabalho no SUS”, afirma a coordenadora geral do PET Saúde GraduaSUS Ufal, Emilene Donato.

A coordenadora definiu o retorno dos participantes como muito positivo, destacando a necessidade de buscar respostas, levando em consideração aspectos sociais, históricos, políticos e culturais de pessoas e grupos, como foi discutido, o que refletiu diretamente nas reflexões do grupo acerca da abordagem.

“Ficou a reflexão sobre a importância de discutirmos amplamente esse tema. O preconceito é real, impacta na pele. Sandra trouxe uma história de lutas e conquistas, nos sensibilizou e inspirou a construir essa história juntos, levando esse conhecimento para dentro de casa, para a Universidade, para a fila do banco, a todos os lugares, para o maior número de pessoas”, afirmou Hansmille Santos, aluno do 7º período de Enfermagem da Ufal. “Foi o melhor momento do PET, porque ao mesmo tempo em que estávamos aprendendo vimos possibilidades do que queremos fazer”, complementou Francielle Silva, estudante do 6º período de Psicologia.

O Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde foi regulamentado por meio da Portaria Interministerial nº 421, de 03 de março de 2010 e reformulado pelo Edital nº 13, de 28 de setembro de 2015. A iniciativa tem como pressuposto a educação pelo trabalho e visa qualificar os processos de integração ensino/serviço/comunidade de forma articulada entre as instituições de ensino e o Sistema Único de Saúde (SUS), de acordo com seus princípios e necessidades. A Ufal tem projeto aprovado com a SMS com vigência até abril de 2018.

Reitora solicita celeridade na apuração de denúncias envolvendo mestrado

Valéria Correia encaminhou pedido à Corregedoria da Ufal para iniciar investigação

Gestão solicita apuração de denúncias envolvendo mestrado em Administração

Ascom Ufal

Preocupada com as denúncias envolvendo o Mestrado Profissional em Administração Pública (Profiap), a reitora Valéria Correia solicitou à Corregedoria da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) que fossem iniciados os procedimentos correicionais, para apurar as acusações direcionadas ao programa de pós-graduação e assim tomar as providências legais cabíveis, caso as denúncias sejam ratificadas. Denúncias de supostas irregularidades no processo seletivo foram publicadas na sexta passada (31), no Portal Diário do Poder.

Constam na matéria acusações de que alunos especiais ingressaram e avançaram no curso em contraposição ao que determinam editais e normas do Profiap. "Trata-se de uma situação grave, que coloca o nome de uma instituição reconhecida como a Ufal em xeque. Por isso, agimos para que as apurações necessárias sejam feitas, através de nossas instâncias administrativas, seguindo a prática de transparência e legalidade dos atos praticados nesta Universidade", destacou a reitora.

A gestora da Ufal pediu celeridade no trâmite processual, para que a situação seja logo esclarecida, como pode ser visto no fragmento do texto enviado à Corregedoria da Ufal (processo número 23065009739/2017-84): "Guiando-nos sempre pelo princípio da transparência e da publicidade, com a garantia do devido processo legal, do contraditório e da ampla defesa, recomendamos a devida celeridade processual, a fim de que, com brevidade, possamos esclarecer os fatos à comunidade universitária, científica, e perante a população alagoana".

Seleção do Profiap é nacional

O Profiap é um mestrado profissional em Administração Pública, em rede nacional, cujo edital de abertura de vagas e os exames de acesso são realizados via Exame Nacional de Acesso, com teste da Anpad (Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração). O cumprimento dos requisitos dos editais para alunos regulares e especiais ficam sob a responsabilidade de cada Programa.

O coordenador local do Profiap, professor Claudio Zancan, enviou ofício para o presidente do Comitê Gestor Nacional do Programa de Pós-graduação, Dario de Oliveira Lima Filho, com o detalhamento das informações citadas na denúncia, visando dar publicidade e esclarecimentos técnicos sobre os processos de seleção utilizados no curso. O diretor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Feac), professor Anderson de Barros Dantas, também ingressou com uma solicitação de apuração das denúncias junto à Corregedoria. Na sexta passada, ele havia se manifestado sobre o caso, quando publicou uma nota de esclarecimento.

Veja o conteúdo do ofício e da nota nos anexos.

NDI ganha mobiliário interativo de alunos de Design

Brinquedos educativos foram confeccionados na oficina da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Mobiliário vai ajudar na atenção, coordenação e outros estímulos

Ascom Ufal

Alunos do segundo semestre do curso de Design confeccionaram mobiliário interativo para doar ao Núcleo de Desenvolvimento Infantil da Ufal (NDI). Os produtos foram produzidos na disciplina de Representação Bidimensional sob orientação dos professores Fernando Cavalcanti e Selma Bandeira.

Os estudantes fizeram a entrega dos novos brinquedos educativos nesta segunda-feira (3) e foram recebidos com encantamento pelas crianças e professores no NDI.

"Há uma necessidade urgente de integrar os nossos alunos com a comunidade em geral, levando -os pra fora da sala de aula e assumindo o papel social que a Universidade e nosso curso tanto defendem. Foi uma ação útil para as crianças e nossos alunos que puderam interagir com as necessidades de uma realidade tão próxima e tão gratificante", ressaltaram os professores da disciplina.

Feirão de Livros da Edufal destaca os autores alagoanos

O primeiro feirão do ano promove descontos de até 70% nas obras da Edufal e destaca o tema Alagoas e seus 200 anos

Feirão de livros é o primeiro do ano da Edufal

Márcia Alencar – Jornalista

Mais de cinco mil títulos estão à disposição do público no primeiro Feirão de Livros da Edufal de 2017, sendo mais de mil títulos Edufal - descontos de 50% e 70% - e obras de literatura estrangeira e de outras editoras, como Companhia das Letras, Contexto, Boitempo, Cortez, Parábola, Editora 34, com abatimento de 10% a 30%. O evento acontece na Praça de Conveniência do Campus A. C. Simões, em frente às agências bancárias, das 9h às 19h, até  sexta-feira, 7 de abril.

Da Edufal e Imprensa Oficial Graciliano Ramos estão em destaque e, com bons descontos, os livros de autores alagoanos famosos pelo debate sobre o Estado, que completa 200 anos em setembro. A obra vencedora do Prêmio Jabuti 2016 – Lacan Chinês -  também está presente no feirão, com descontos de 20%.

As crianças foram lembradas com variados títulos da Imprensa Oficial na temática infantil. Durante o feirão, a sede da Edufal no prédio do CIC, no Campus A.C. Simões, permanecerá aberta, das 8h às 18h, com os mesmos descontos. A extensão do Espaço Cultural, na Praça Sinimbú, fica aberta das 8h às 17h, com os mesmos descontos em vários títulos e editoras.

Os livros da Edufal também são vendidos pelo site www.edufal.com.br.

Ufal sedia 7º Encontro Estadual da Rede de Sementes da Resistência

Estiagem e salvaguarda das sementes crioulas são temas do evento

Arte de divulgação do evento

Ascom Ufal

Nesta quarta e quinta-feira, 5 e 6 de abril, o Campus A. C. Simões da Ufal vai sediar o 7º Encontro Estadual da Rede de Sementes da Resistência.

O evento, a ser realizado no auditório da Reitoria, é aberto para toda comunidade acadêmica e demais interessados. Com o tema “Do chão do Semiárido brota a semente da resistência”, o encontro abordará debates sobre Os impactos da estiagem para a preservação e as estratégias de salvaguarda das sementes crioulas.

Pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas, Embrapa, Instituto Federal de Alagoas (Ifal), representantes do governo estadual, lideranças de organizações sociais, além de agricultores do Agreste, Bacia Leiteira, Médio e Alto Sertão e Zona da Mata participarão do evento.

O Encontro Estadual de Sementes da Resistência é realizado pela Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA Alagoas), com o apoio da Ufal e da Rede Alagoana de Agroecologia.

Sobre a ASA

Há 17 anos, a ASA Alagoas vem mobilizando comunidades no Semiárido e articulando políticas públicas que convergem para sustentabilidade da agricultura familiar e camponesa, que respeitem e reconheçam a importância da Região Semiárida para a manutenção da biodiversidade e multiplicação dos saberes e sabores populares, em especial, das sementes crioulas.

Confira a programação abaixo:

Cied retoma atendimento aos usuário por meio de ferramenta online

Dúvidas relacionadas ao universo da Educação a Distância são respondidas por e-mail

Cied volta a oferecer atendimento online

Ascom Ufal

Alunos, professores, tutores e demais interessados nas informações sobre Educação a Distância (EaD) da Ufal podem se dirigir à página da Coordenadoria Institucional de Educação a Distância (Cied), que retomou o atendimento aos usuários por meio de ferramenta específica, online. Basta clicar no ícone de 'contato' para enviar uma mensagem.

Durante alguns meses o serviço ficou indisponível por questões administrativas, no entanto, está sendo retomado a partir do mês de abril. Além de tirar dúvidas, as principais notícias sobre EaD, os cursos ofertados e novos editais estão disponíveis na página da coordenadoria. 

Para acessar, clique aqui

Começa hoje o Encontro dos Pró-reitores estudantis do Norte e Nordeste

A 13ª edição do encontro do Fonaprace será realizada na Ufal

Arte de divulgação

Redação Ascom

Pró-reitores, sub-reitores, decanos ou responsáveis pelos assuntos comunitários e estudantis das Instituições de Ensino Superior (IES) públicas estarão reunidos a partir de hoje na Universidade Federal de Alagoas. A abertura do 13º Encontro do Fórum Nacional de Pró-reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (Fonaprace), das regiões Norte e Nordeste, será aberta às 18h30, no auditório da Reitoria, e prossegue até sexta-feira (7).

O Fonaprace foi criado em 1987, tendo como objetivo formular políticas e diretrizes básicas que permitam a articulação e o fornecimento das ações comuns na área de assuntos comunitários e estudantis, em nível regional e nacional; assessorar permanentemente a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes); participar ativamente na defesa da educação pública, gratuita, com qualidade acadêmica e científica, e comprometida com a sociedade que a mantém; promover e apoiar estudos e pesquisas na área de sua competência, realizar congressos, conferências, seminários e eventos assemelhados.

 

Classificados para professor da UAB começam a ser convocados este mês

Em entrevista, coordenador da Cied destaca lisura da seleção e fala sobre nova fase de transparência e desafios

Gustavo Madeiro, coordenador da Cied

Manuella Soares - jornalista

A equipe de professores que dedicam parte de sua jornada de trabalho para o ensino a distância na Ufal vai aumentar em breve. Depois de um processo seletivo pioneiro, 109 novos tutores foram classificados dentro das vagas ofertadas. De acordo com Gustavo Madeiro, da Coordenadoria Institucional de Educação a Distância (Cied), eles serão chamados até o final do ano. Os aprovados com melhores classificações já assumem disciplinas a partir do dia 17 de abril.

Confira aqui a lista de aprovados que consta cerca de 20% de servidores técnicos e 15% servidores lotados nos campi do interior. Em entrevista à Ascom, o coordenador da Cied comemorou a transparência do processo seletivo e falou sobre os desafios do Ensino a Distância.

Ascom: Qual o balanço que a Cied faz desse processo?

GM: Avaliamos a realização do edital como um sucesso, e um grande passo em direção à transparência e institucionalização da EaD na Ufal. Pretendemos tornar tal procedimento um padrão para futuras ofertas.

Ascom: A lisura do edital foi bastante destacada pela Gestão. Como era a seleção anteriormente?

GM: Anteriormente, as bolsas eram distribuídas a partir de convites dos coordenadores aos professores, internos ou externos à Ufal. Num primeiro momento, tal procedimento podia ser justificado pelos exíguos prazos de uso dos recursos, pela falta de normatizações claras na lei de bolsas e, principalmente, por serem, no início da UAB, poucos cursos participantes, com a totalidade dos professores internos às unidades. No entanto, após um grande crescimento, houve diversas recomendações da procuradoria federal nos últimos anos destacando a necessidade de realização de seleção pública para distribuição das bolsas, independentemente da origem dos professores. 

Ascom: Qual o maior desafio que os novos docentes da UAB terão daqui em diante?

GM: Os docentes aprovados no Edital já começaram a ser convocados, para turmas que se iniciam ainda neste mês de abril. Esses professores terão uma grande experiência na Educação a Distância (houve aprovados que já foram professores, mas houve muitos novos professores e inclusive técnicos aprovados), mas também terão desafios que são novos à UAB, como a incerteza sobre a continuidade dos parâmetros de financiamento da Capes. Tais incertezas podem vir a prejudicar as atividades, que na EaD são fortemente sediadas nos polos do interior. Há um forte contingenciamento de recursos que afeta, por exemplo, os quantitativos de tutores para cada curso. Ou seja, há uma disputa inclusive política em torno da Universidade Aberta do Brasil, que está sob ameaça.

Ascom: Como o Ensino a Distância está sendo tratado na atual conjuntura política e econômica do país?

GM: Politicamente, estamos em um tempo de incertezas, e de grandes ameaças aos princípios de universalidade e qualidade da educação pública superior. De forma direta, diversos cortes no orçamento do MEC têm sido feitos, forçando revisões constantes nos parâmetros de financiamento, e levando à dificuldades administrativas e pedagógicas no desenvolvimento dos cursos. Não há política clara, de médio ou longo prazo, no que se refere à UaB. 

Ascom: Há previsão de novas contratações?

GM: Haverá a realização de um novo edital, desta vez de ampla concorrência, para preenchimento de vagas não ocupadas no primeiro edital. Fora isso, a realização de novos editais é dependente da aprovação de novas turmas pela Capes. Há quase 2,5 mil vagas pré-aprovadas para entrada no fim do ano, mas a maioria delas ainda depende de disponibilidade orçamentária.

Ufal representa Alagoas na etapa nacional do Desafio Universitário Empreendedor

Vagas foram conquistadas com a vitória na etapa alagoana do concurso

Equipe vai representar Alagoas na etapa nacional

Ascom Ufal

Estudantes da Universidade Federal de Alagoas estão entre os membros da equipe que vai representar o estado de Alagoas na etapa nacional do Desafio Universitário Empreendedor, evento promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Eles embarcam para Brasília nesta quinta-feira (6), onde vão participar da competição nacional já na sexta-feira (7).

Os graduandos da Ufal, Claudemir Santos da Silva, do curso de Engenharia Química, Guilherme Rodrigues de Oliveira Almeida e Yury Reis, de Engenharia Civil do Campus Sertão, e o estudante de Biomedicina do Cesmac, Jonathan Lucas da Silva Melo, são os integrantes da equipe. A conquista das vagas foi no final de março, quando eles venceram a etapa alagoana do Desafio.

Os jovens foram selecionados após a realização de semifinais, concorrendo com outros estudantes, também finalistas, de diversas instituições de ensino superior do Estado. Durante o ano de 2016, eles ainda participaram de atividades online e presenciais, promovidas pelo sistema Desafio, sob orientação dos docentes e da equipe Sebrae Alagoas. O objetivo era apresentar ideias inovadoras no formato de pequenos negócios, tudo pensado e elaborado coletivamente.

Para o estudante Claudemir da Silva, ser membro do Programa Especial de Capacitação Discente do Centro de Tecnologia da Ufal (PEC – Ctec) foi um grande diferencial para ser selecionado pelo Desafio Universitário. “Com os ensinamentos desenvolvidos no PEC e aplicados ao desafio, percebi ainda mais a importância do trabalho em grupo para o sucesso de qualquer projeto e para minha valiosa equipe não foi diferente”, afirmou.

Ele destaca que a etapa alagoana da competição foi uma experiência muito rica em todas as áreas abordadas. “Sou grato ao Sebrae Alagoas pela oportunidade, assim como a todas as pessoas que ajudaram na concretização deste prêmio que, para mim, é coletivo”, disse.

A expectativa também é grande para a etapa nacional. “Será mais um grande desafio, no qual o trabalho em equipe tem que ser muito forte. O processo é dinâmico, mas a nossa equipe dará o melhor para representar bem Alagoas”, garantiu Claudemir.

Documentos prescritos serão eliminados do Arquivo Central

São mais de 190 metros lineares de documentos com datas limites para descartar

Descarte de documentos já foi autorizado pelo Arquivo Nacional

Manuella Soares - jornalista

O Arquivo Central da Ufal publicou no Diário Oficial da União um edital relativo à Ciência de Eliminação de Documentos. A Comissão Permanente de Avaliação de Documentos (CPA-DOC) informa que os arquivos custodiados referentes a atividades-meio e fim da Instituição já estão com seus prazos prescricionais com data limite para descarte.

Serão eliminados 196,17 metros lineares de documentos, perante aprovação do Arquivo Nacional. Destes, a maioria se refere aos conjuntos documentais do Departamento de Registro e Controle Acadêmico com datas limites entre os anos de 1956 e 2013. Outro montante já prescreveu desde 1962 a 2012 e o restante é do Departamento de Contabilidade e Finanças, referente ao exercício de 2007.

De acordo com Maristher Vasconcellos, gerente do Arquivo Central, todos os professores, técnicos e alunos que desejam ter acesso a algum documento ou cópia de peças do processo devem fazer à solicitação junto ao setor até o dia 20. “Se alguém tiver algo a recorrer que faça neste período, através de solicitação endereçada a presidente da CPA- DOC, desde que tenha respectiva qualificação e demonstração de legitimidade do pedido”, ressaltou.

ASI esclarece procedimentos sobre oportunidade de bolsas no Canadá

Interessados devem ficar atentos aos esclarecimentos

Comunicado aos interessados em concorrer à chamada ELAP

 

Cumpre a nós da Assessoria de Intercâmbio Internacional esclarecer os seguintes aspectos da chamada Emerging Leaders in the Americas Program (ELAP):

 

  1. O processo de seleção é inteiramente de responsabilidade da Universidade de destino junto ao Governo canadense;

  2. As regras, critérios, requisitos e processos de seleção variam de Universidade;

  3. Embora a UFAL não possua, atualmente, acordos cooperação firmados com instituições canadenses, algumas Universidades aceitam “memorandos de entendimento” e inscrições avulsas de candidatos de toda a América Latina, sem a necessidade de acordo;

  4. Os estudantes interessados devem: a) procurar uma Universidade de seu interesse dentre aquelas que compõem o sistema de ensino superior canadense; b) encontrar o endereço eletrônico do setor de Relações Internacionais da instituição escolhida; c) enviar este endereço eletrônico para para que a ASI ou o próprio aluno faça contato com a Universidade de destino a fim de saber quais os procedimentos para inscrição no ELAP;

  5. Encorajamos os estudantes a procurarem seus respectivos professores e orientadores que tenham tido experiências acadêmicas no Canadá a contactar os pares em Universidades canadenses uma vez que a recepção dos nossos estudantes será realizada por pesquisadores supervisores canadenses que, ademais, serão os responsáveis por submeter boa parte do procedimento de inscrição.

Aruã Silva de Lima

Assessoria de Intercâmbio Internacional

Para mais informações sobre a oportunidade de bolsas no Canadá, clique aqui.

Morre aluna da Ufal que estava internada após acidente com ônibus escolar

Reitora solicita providências do Governo para melhorar condições da estrada

Reprodução portal 7 Segundos

Ascom Ufal

A direção do Campus Arapiraca suspendeu suas atividades acadêmicas de hoje em virtude do falecimento da aluna Jênnifa Lira, do 7º período do curso de Enfermagem da Ufal. Ela estava internada em estado grave no Hospital de Emergência do Agreste desde o dia 30 de março, após o acidente envolvendo dois ônibus escolares na rodovia AL- 110.

Jêniffa estava internada na UTI, foi a sétima vítima fatal do acidente. “É lamentável. Ela era uma aluna muito atuante”, descreveu com pesar a professora Márcia Silva, do curso de Biologia, que já participou de atividades com Jêniffa. O velório inicia às 15h, em Teotônio Vilela e o sepultamento será nesta sexta-feira (7) às 8h, na mesma cidade.

A outra estudante, também do curso de Enfermagem, Débora Afra Borges Vasconcelos, morreu no local do acidente. O Gabinete da Reitoria da Ufal enviou ofício ao governador Renan Filho para pedir providências em relação à melhoria do trecho da rodovia situado no município de São Sebastião, região metropolitana do Agreste. De acordo com informações dos estudantes que precisam de transporte escolar, as condições da estrada põem em risco a vida das pessoas.

Os ônibus que transportavam alunos das universidades Federal (Ufal) e Estadual de Alagoas (Uneal), além de outras instituições, envolveram-se num acidente que deixou 45 feridos e sete mortos.  

NTI fecha temporariamente central de atendimento nesta sexta

Durante duas horas as chamadas poderão ser feitas via e-mail

Ascom Ufal

O Núcleo de Tecnologia da Informação da Ufal (NTI) informa que a central de atendimento do setor estará indisponível para contato telefônico ou presencial nesta sexta-feira (7), das 12h às 14h. O motivo da suspensão do atendimento é uma reunião interna com a participação dos servidores e colaboradores no Núcleo para promover melhorias no atendimento. Durante esse período, as solicitações de abertura de chamados podem ser realizadas pelo e-mail atendimento@nti.ufal.br. Já as demandas urgentes serão recebidas pela secretaria do NTI, localizada no 1º andar da Reitoria, Campus A.C. Simões.

Obras variadas despertam interesse do público em Feirão de Livros

Títulos estarão à venda com descontos até esta sexta-feira (7)

Levid Mello aproveitou o feirão mais uma vez. Fotos: Victória Pereira

Rafaela Oliveira - estudante de Relações Públicas

Levid Mello da Silveira é motorista dos Correios e se define como um viciado em livros “assim como criança em confeitaria”. Diz possuir interesse variado que vai desde a literatura grega antiga à escrita chinesa e reforçou o interesse que tem por literatura em geral e filosofia. “Nunca perdi uma feira de livros e sou um participante assíduo do Feirão da Edufal”, enfatiza.

Como se considera um viciado em livros, a expectativa que tem é que a cada edição do evento se amplie a variedade e a estrutura para atrair ainda mais o leitor, mas aproveita para recomendar a visitação ao Feirão no Campus A.C. Simões, por ser uma oportunidade para que a comunidade conheça importantes obras que estão sendo vendidas.

O professor da área de educação infantil do município de Delmiro Gouveia, Elídio Moreira destacou que costuma vir ao campus em Maceió e diz que dessa vez a visita foi ainda mais proveitosa, porque coincidiu com o período do Feirão, que termina nesta sexta-feira (7). “Para quem se interessa por livros é bem interessante, os títulos foram bem escolhidos”, enaltecendo a diversidade de obras disponibilizadas.

De acordo com Fernanda Lins, da Edufal, a ideia é apresentar a Editora aos que estão chegando. “A intenção é apresentar a Editora da Universidade Federal de Alagoas não só como um órgão a ser visitado, mas também como referência de pesquisa”, conta. A expectativa é que o Feirão de Livros resulte, como de costume, em saldo positivo, atingindo o objetivo esperado.

Profiap convoca aprovados em segunda chamada

Confira a documentação necessária para a matrícula

Matrícula na Feac será de 10 a 12 de abril

Ascom Ufal

A Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Feac) convoca os aprovados no edital 05/2016 da seleção para o Mestrado Profissional em Administração Pública (Profiap) em segunda chamada. 

O prazo para matrícula será entre os dias 10 e 12 de abril, das 14h às 18h, no prédio da Feac. No momento da matrícula, o aluno deverá entregar uma cópia dos documentos listados abaixo:

Diploma ou Certificado de conclusão de curso de graduação

Histórico Escolar

Carteira de Identidade 

CPF

Título de Eleitor

Certidão de nascimento ou casamento

Comprovante de quitação com a Justiça Eleitoral

Comprovante de quitação com o Serviço Militar (para homens)

Duas fotos 3x4 recentes

A relação dos convocados está disponível neste link

Projeto Poesia Itinerante apresenta “Um grito de dor”

Performance acontece dia 10 de abril no Espaço Cultural da Ufal

Arte de divulgação

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

Aprovado no último edital do Programa de Iniciação Artística (Proinart) da Universidade Federal de Alagoas, o projeto Poesia Itinerante vai estrear a performance Um grito de dor. Será na próxima segunda-feira (10), às 19h, no Espaço Cultural, na Praça Visconde de Sinimbu e a entrada é gratuita. O calendário de apresentações segue até agosto deste ano.

Além do Espaço Cultural da Ufal, as intervenções poéticas também serão levadas a vários locais de Maceió: as escolas do Centro de Estudos e Pesquisas Aplicadas (Cepa) e as praças D. Pedro II, da Faculdade, Deodoro da Fonseca e dos Palmares. De acordo com Rilton Costa, um dos integrantes da equipe, Um grito de dor é resultado de interpretações de poesias de poetas alagoanos, com uso de linguagens do circo, do teatro, da dança e da música.

A proposta do projeto é transformar os espaços em palcos para recitais de poesias. Ainda em abril, o grupo vai estrear o Sarau Sexta-feira Poética, também no Espaço Cultural da Ufal. Começa dia 28 e se repetirá até agosto, sempre na última sexta de cada mês. Serão convidados poetas e alunos iniciantes na poesia para exposição e recitação de seus trabalhos.

O Poesia Itinerante é coordenado pelo professor Otávio Cabral e tem sete alunos envolvidos: Danyelle Santos, Josival Filho, Selma Santos, paloma Pontes e Rilton Costa. O projeto também conta os colaboradores: Ana Flavia Ferraz, Antônio Lopes, Toni Edson, Marcelo Gianini, Gercy Paloma e José Acioli Filho.

O que pretende o projeto

A equipe envolvida pretende “resgatar o prazer da leitura poética e valorizar o poder literário da poesia por meio da melodia da palavra e a magia que ela produz que, na maioria das vezes, é esquecida ou deixada de lado”.

O que o grupo quer é mostrar a importância da poesia como processo narrativo e incentivar o hábito do consumo da poesia tanto em relação aos alunos quanto à própria sociedade.

SERVIÇO

O quê: Performance Um grito de dor
Onde: Espaço Cultural da Ufal, na Praça Visconde de Sinimbu, Centro, Maceió-AL
Quando: 10 de abril
Horário: 19
h

Dirigentes defendem conquistas na área de assistência estudantil durante encontro do Fonaprace

Representantes de IES do Norte e Nordeste estiveram reunidos na Ufal para debater os desafios da área

Reitora Valéria Correia, o vice José Vieira e representantes do Fonaprace durante abertura do encontro regional

Ascom Ufal

Dirigentes de Instituições de Ensino Superior (IES) públicas, das regiões Norte e Nordeste, estiveram em Maceió para participar do 13º Encontro do Fórum Nacional de Pró-reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (Fonaprace). O evento foi sediado pela Universidade Federal de Alagoas.

Nesta sexta-feira (7), foi último dia de atividades do evento, iniciado na última quarta-feira (5). “É muito importante esse evento ser realizado na Ufal, principalmente, em um ano que se inicia com corte no orçamento do Plano Nacional de Assistência Estudantil [Pnaes]”, apontou a reitora Valéria Correia. “O Pnaes é considerado um programa importante para as condições de permanência e impedir a evasão. Com a democratização do acesso às universidades, possibilitando o ingresso de estudantes em condições de vulnerabilidade, a assistência estudantil é um direito e uma necessidade real para que eles tenham condições de continuar os estudos”, argumentou a reitora.

Segundo a pró-reitora Estudantil (Proest), Silvana Medeiros, o evento reuniu 77 participantes, representantes de 20 IES das regiões Norte e Nordeste. “"Foi uma satisfação sediar este encontro no ano em que o Fonaprace comemora 30 anos de existência”, afirmou. “Debatemos os desafios da política de assistência estudantil, reafirmando que os avanços conquistados devem ser mantidos para que sejam asseguradas as condições de democratização do acesso e permanência às universidades publicas", destacou Silvana Medeiros.

Valéria Correia também ressaltou que uma pauta importante da reunião do Fonaprace é a transformação do Decreto nº 7.234/2010, que dispõe sobre o Pnaes, em uma política de Estado. “É uma necessidade se ter no horizonte essa mudança. Hoje, o Programa Nacional de Assistência Estudantil ainda é um decreto. É um programa que não pode ficar à mercê de conjunturas políticas; é preciso virar uma política de estado”, defendeu. “No Norte e Nordeste, 76,6% dos estudantes pertencem a famílias de, no máximo, renda per capta de até um e meio salário mínimo. Esse dado da pesquisa do Fonaprace é muito importante porque demonstra que esses estudantes precisam da assistência estudantil para terem condições de permanecer na universidade”, apontou.

A reitora lembrou ainda do grave acidente entre ônibus escolares, ocorrido no dia 30 de março, e que vitimou estudantes da Ufal, para reforçar a importância das ações de assistência estudantil. “São fatalidades que envolvem exatamente as condições precárias dos estudantes que residem em outros municípios e necessitam do transporte para frequentar as aulas”. Para a reitora, parcerias com prefeituras são possibilidades para garantir condições de permanência dos estudantes nos locais onde a Ufal tem unidades educacionais ou campus.

Sobre o Fonaprace

O Fonaprace foi criado em 1987, tendo como objetivo formular políticas e diretrizes básicas que permitam a articulação e o fornecimento das ações comuns na área de assuntos comunitários e estudantis, em nível regional e nacional; assessorar permanentemente a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes); participar ativamente na defesa da educação pública, gratuita, com qualidade acadêmica e científica, e comprometida com a sociedade que a mantém; promover e apoiar estudos e pesquisas na área de sua competência, realizar congressos, conferências, seminários e eventos assemelhados.

A coordenação regional Norte e Nordeste esteve reunida em Maceió para discutir alguns temas muito importantes em relação à assistência ao estudante do ensino superior, como, por exemplo, saúde mental, matriz da distribuição de recursos, indicadores de avaliação, metodologia de avaliação socieconômica”, explicou Cristiane Batista, pró-reitora da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e coordenadora da Região Nordeste do Fonaprace. 

Todos esses temas foram discutidos e serão levados para a Coordenação Nacional para fortalecer essa pasta em todas as universidades federais, de modo que o estudante do ensino superior tenha esse apoio para que permaneça na universidade e a retenção e a evasão sejam minimizadas ou até erradicadas, tendo em vista que o papel da assistência estudantil é minimizar as desigualdades sociais e econômicas e possibilitar o sucesso acadêmico do estudante”, destaca.

“Parabenizo à Ufal, à reitora Valéria Correira e também à pró-reitora Silvana, pela acolhida desse encontro do Fonaprace. A Ufal é uma universidade extremamente importante e tem esse protagonismo na defesa da assistência estudantil”, disse a a pró-reitora de Ações Afirmativas e Assistência Estudantil da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e coordenadora nacional do Fonaprace, Cássia Virgínia Bastos Maciel.

Durante o encontro em Maceió,  a coordenadora nacional também lamentou o acidente ocorrido entre os ônibus estudantis. “Manifesto o pesar imenso e a solidariedade do Fonaprace Nacional e da Universidade Federal da Bahia pelo ocorrido com os estudantes. Um acontecimento como esse mobiliza muito a gestão, porque convivemos dia a dia com os estudantes”, afirmou.

Para o pró-reitor da Universidade Federal do Amapá (Unifap) e representante da região Norte no Fonaprace, Rafael Pontes, “o Fórum tem importância para as duas regiões e busca integrar as equipes que fazem assistência estudantil nas universidades, de uma forma que possa trocar experiência, debater como é que acontecem as políticas em cada região, no caso especial Norte e Nordeste, que apresentaram na última pesquisa do Fonaprace 2014 o maior índice de vulnerabilidade social e econômica”.

“É um espaço também para discutir a conjuntura nacional, aproximar as equipes, trocar experiências. Nesse momento, é importante situar o Fórum como ambiente de discussão e congruência para a assistência estudantil que vem sendo abalada por um momento de instabilidade política e econômica”, pontuou. “A assistência estudantil é uma política constituída ao longo dos anos que permitiu uma universidade mais social e inclusiva. A nossa bandeira é para garantir que ela continue no seu desenvolvimento, cresça, e não seja abalada por questões políticas, e que se torne uma política da nação e não de governo”, completou.

 

Bolsistas do Programa Bolsa Permanência do MEC devem atualizar dados em novo sistema

Prazo para realizar o procedimento é até 12 de abril

Ascom Ufal

 

Por orientação do Ministério da Educação (MEC), todos os bolsistas do Programa Bolsa Permanência (PBP-MEC) devem atualizar alguns dados obrigatórios. O prazo para realizar esse procedimento é até o dia 12 de abril, por meio do Sistema de Gestão da Bolsa Permanência (SISBP), disponível neste endereço http://sisbp.mec.gov.br.

O estudante que não fizer essa atualização cadastral ficará sem receber a bolsa. “O recadastramento implica diretamente no pagamento, o qual só poderá ocorrer com a atualização das informações nesse novo ambiente”, reforça a gerente de Assistência Estudantil da Proest, Manuella Aragão.

Ela esclarece que esse procedimento é uma exigência unilateral do MEC, sem qualquer intervenção das instituições de ensino. “Precisamos seguir o procedimento, pois assim nos foi exigido”, reforça. “Antes, o programa era gerenciado em um ambiente digital e, a partir de agora, estará nesse novo ambiente, uma nova plataforma”, explica.

"Destaco que apenas estamos repassando as medidas do MEC. Não é uma decisão da universidade. Todas as informações que nos foram fornecidas pelo Ministério estão disponíveis nesta nota, pois não houve espaço de socialização deste processo para além do documento encaminhado e o comunicado feito diretamente aos estudantes”, esclarece Manuella.

Ela orienta que, no caso de dúvidas, os estudantes devem entrar em contato com o MEC por meio do telefone 0800 61 61 61.

As orientações para acesso ao SISBP estão disponíveis no arquivo abaixo.

 

Núcleo do Campus do Sertão desenvolve pesquisa arqueológica na Paraíba

Pesquisa envolve estudo de esqueletos provenientes de cemitérios indígenas dos povos Cariri

Diana Monteiro - jornalista

 

Indícios que apontam a existência de sítios arqueológicos com restos ósseos humanos na cidade de Pocinhos, na Paraíba, motivaram a parceria firmada entre o Núcleo de Pesquisa e Estudos Arqueológicos e Históricos (NUPEAH), do Campus do Sertão da Ufal, com o Instituto Memorial da Borborema, daquele estado. A parceria visa proporcionar pesquisas arqueológicas e envolve o estudo de esqueletos provenientes de cemitérios indígenas, provavelmente, dos povos Cariri, que ocuparam desde a Pré-História a região do Planalto da Borborema. Uma das pesquisas em desenvolvimento é a que integra parte do doutorado do professor e arqueólogo Flávio Augusto de Aguiar Moraes, na Universidade de Coimbra (Portugal).

Docente do curso de História e coordenador do Núcleo do Campus do Sertão, Flávio Moraes informa que o doutorado tem como foco o estudo de esqueletos provenientes de cemitérios indígenas. E destaca: “Nas escavações do sítio arqueológico de Pocinhos, foi identificado um cemitério, provavelmente Cariri, com enterramento coletivo, com indivíduos de várias faixas etárias, desde recém-nascidos a indivíduos adultos. Associado a esse enterramento, foram encontrados objetos pessoais utilizados pelos indígenas, tais como artefatos líticos, entre eles, contas de colares e ossos de aves, a exemplo do bico de periquito”, enfatiza o arqueólogo.

A pesquisa, que objetiva fazer uma caracterização biológica dos povos Cariri, encontra-se na fase de análise científica do material coletado e conta também com a parceria do Laboratório de Arqueologia e Paleontologia da Unidade Estadual da Paraíba (UEPB). Flávio adianta que no próximo mês de maio, concomitante à fase de análise em laboratório, haverá escavações no sítio arqueológico Pedra da Tesoura, localizado no município paraibano Boqueirão. E acrescenta: “Em meados de junho está prevista a entrega do relatório ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), para subsequente aprovação”, enfatiza o arqueólogo. Ele diz ainda que, para complementação do estudo em curso, algumas amostras possivelmente seguirão para datação na Espanha.

Segundo o pesquisador, as informações existentes sobre os povos Cariris são advindas de escritos dos cronistas que estiveram na região no período colonial. “As informações são muito restritivas no que se refere a algumas características, como a condição de saúde desses grupos, do que se alimentavam, se havia divisão entre os sexos nas atividades desenvolvidas, se haviam privilégios alimentares que estariam relacionado à condição de status dentro do grupo”, reforça.

A pós-graduação do docente da Ufal integra o Programa de Doutoramento em Antropologia Biológica da instituição portuguesa e tem conclusão prevista para 2018. Participam da equipe de campo estudantes do curso de História da Universidade Estadual da Paraíba e um aluno do Mestrado em Arqueologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A cada dois meses, Flávio Aguiar disse vir ao Brasil para desenvolver pesquisas de campo e coleta de dados. São parceiros ainda do estudo a Universidade de Coimbra e a Prefeitura Municipal de Pocinhos, esta tem proporcionado o apoio logístico às atividades.

 

Núcleo do Sertão

O Núcleo de Pesquisa e Estudos Arqueológicos e Históricos (NUPEAH) foi criado no ano de 2012 e surgiu da necessidade de se ter um espaço no Sertão de Alagoas que permitisse, inicialmente, o diálogo e aproximação entre o saber arqueológico e outras áreas do conhecimento para atender uma demanda na região do semiárido. Mas as ações na área têm extrapolado os limites geográficos de Alagoas.

A parceria para a realização da importante pesquisa marca a abrangência e aprofundamento dos estudos na área sob a responsabilidade do NUPEAH, cujo setor instalado no Campus do Sertão tem também como um dos objetivos fornecer subsídios para que os estudantes do curso de História possam desenvolver seus trabalhos de conclusão de curso com a temática da arqueologia.

Instalado na Unidade Educacional Delmiro Gouveia, sede do Campus do Sertão, o Núcleo tem como vice-coordenador o professor Aruã Silva e está cadastrado no CNPq como grupo de pesquisa. Além de projetos de pesquisas, realiza atividades voltadas à Arqueologia e Educação Patrimonial e Licenciamento Arqueológico. 

O que você acha da Ufal? Vamos avaliar?

Processo de Avaliação Institucional foi prorrogado até o dia 21 de abril

Manuella Soares - jornalista

Foi prorrogado, até o dia 21 de abril, o prazo para a comunidade universitária participar do processo de Avaliação Institucional (AVI) da Ufal.

A Comissão Permanente de Avaliação (CPA) ampliou o período para que estudantes, professores e técnicos tenham mais tempo para responder ao questionário e participar do processo de construção de melhorias para a Universidade.

Este ano a AVI terá uma abordagem diferente. De acordo com o professor Tiago Cruz, a comunidade fará uma avaliação não apenas de macro dimensões, mas também, de questões que impactam diretamente em áreas específicas de servidores e discentes, além de uma auto avaliação.

“Assim, a AVI possibilita que a comunidade possa identificar suas fragilidades e indicar a construção de políticas para superação com o objetivo de melhoria da qualidade do serviços. Portanto, a sensibilidade de cada um da comunidade é importante nesse momento”. 

Durante os cinco dias serão disponibilizados por meio dos sistemas Sieweb, SIGRh e Sipac os formulários de simples e rápido preenchimento. Também é possível acessar aqui, basta digitar o login e a senha que o usuário utiliza para acessar os sistemas da Ufal.

Os estudantes farão a avaliação do curso, dos professores, das condições de estudo e da Gestão. Os professores e técnicos vão avaliar a identidade organizacional, profissional, as condições de trabalho e a Gestão do trabalho. Os docentes também avaliam as turmas sob a ótica do professor.

Ao final do processo a CPA vai preparar um formulário e apresentar ao Conselho Universitário. A proposta é, após isso, promover audiências públicas nos três campi da Ufal para apresentar os resultados.

A Avaliação Institucional pela comunidade universitária é preconizada pela Lei 10.861 de 2004 (Lei do Sinaes) que institui avaliação "interna e externa, contemplando a análise global e integrada das dimensões, estruturas, relações, compromisso social, atividades, finalidades e responsabilidades sociais das instituições de educação superior e de seus cursos . Art. 2º). 

 

NDI realiza reunião com pais de alunos para formar associação

Órgão vai auxiliar pais e mestres no acompanhamento escolar

NDI vai ganhar associação com participação de pais e mestres. Fotos de Daniel Araújo e Laize Ferreira

Jessyka Faustino - estudante de Jornalismo

O Núcleo de Desenvolvimento Infantil realizou, na manhã da última sexta-feira (7), no auditório da Reitoria, uma reunião para eleição da comissão gestora da unidade e constituição da Associação de Pais e Mestres (APM). As crianças no NDI também participaram de uma atividade de recreação, no hall da Reitoria, com o auxilio dos alunos dos cursos de Pedagogia e Educação Física da Ufal.

Segundo a coordenadora pedagógica do Núcleo, Aline Ferreira, esta iniciativa teve inicio no grupo de Estagio Supervisionado 1 - Gestão Educacional, coordenado pela professora Elisângela Mercado, em parceria com a gestão do NDI e a direção do Cedu, com o apoio da professora Andreza Fabricia e os alunos da turma Jogos e Brincadeiras. Agora, já está constituída a comissão fundadora da Associação de Pais e Mestres do NDI. 

Além dos responsáveis pelas crianças matriculadas, podem fazer parte da associação diretores escolares, coordenadores pedagógicos, professores e demais integrantes de apoio técnico-pedagógico do NDI, pais de ex-alunos, ex-professores e demais membros  da comunidade universitária e aqueles que tenham prestado relevante serviço para a Instituição. A contribuição financeira é sempre facultativa, e no início de cada ano letivo serão decididas as formas e datas de arrecadação. Será obrigação da APM expor seus balanços, em local de fácil acesso, ainda a ser definido.

A comissão da APM é formada por nove pais, seis professores e três apoios técnicos para titulares e suplentes da comissão gestora que visa a criação de um regimento interno e independente da unidade e a consolidação do vínculo com a Universidade. Para Aline, “a criação da APM é o primeiro passo no fortalecimento da gestão democrática, que poderá demandar em outros, como a eleição da equipe gestora - direção, coordenação e conselho escolar”. 

Essa iniciativa foi bem recebida por quem acompanha o dia a dia das crianças. "Acho muito válido e interessante o envolvimento da família na comunidade. Os pais precisam realmente participar da vida escolar dos filhos", ressalta a servidora pública Daniela, mãe de aluno do núcleo.

O NDI é uma unidade vinculada ao Centro de Educação (Cedu) que auxilia no seu funcionamento fornecendo apoio pedagógico. O Núcleo conta com uma equipe multidisciplinar formada por pedagogos, psicólogo, nutricionista, técnico em enfermagem, professores e auxiliares de sala da Ufal e da Secretaria Municipal de Educação (Semed). Além disso, recebe alimentação do Restaurante Universitário. Estruturalmente a unidade é independente e conta com ações desenvolvidas pelo conselho gestor, ajuda dos pais para suprir a demanda e agora com o apoio da associação.

Grupo Clowns de Quinta promove oficina para palhaços de hospitais

Inscrições podem ser feitas on-line

Arte de divulgação

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

A graça além do riso é nova oficina promovida pelo Clowns de Quinta, grupo de pesquisa da Universidade Federal de Alagoas, ligado ao curso de licenciatura em Teatro. Será nos dia 14 e 15 de abril, na sala de dança do Complexo Cultural Teatro Deodoro, em Maceió, das 9h às 17h. A inscrição custa R$ 100 e pode ser feita em plataforma on-line, até esta segunda-feira (10).

A oficina é mais uma ação do Cadê meu Nariz, evento promovido pelo Clowns de Quinta, que acontece a cada dois anos, e conta com apoio da Diretoria de Teatros de Alagoas (Diteal). Podem participar estudantes da área da Saúde, que trabalham como palhaços em hospitais, além de atores, estudantes de Teatro e outros interessados.

Quem participar terá a chance de trabalhar conteúdos como história do palhaço; jogos improvisos e cômicos; linguagens não verbais; fórmulas cômicas; esquetes clássicas e a busca e o aprimoramento do palhaço interior. “A oficina A graça além do riso propõe a busca e a reflexão pelo ‘estado de graça’, por meio da sintonia, da intimidade, da empatia, da cumplicidade, transportando o público – paciente ou interno – para um espaço de experimentações únicas que podem ir da gargalhada até a barriga doer ou os olhos marejados de emoção”, disseram os organizadores.

A equipe do Clows de Quinta garante que, na oficina, o riso não será tratado como foco central do palhaço. “Sorrir, rir, gargalhar! Será o riso a exclusiva missão do palhaço? Vamos mostrar que o riso é uma consequência de uma relação de empatia de dois seres inteiros e plenos”, revelaram.

O grupo

O Clows de Quinta é um grupo de pesquisa que tem como linha de estudo a comicidade, utilizando a linguagem circense e a arte do Palhaço. É coordenado pelo professor Ivanildo Piccoli e formado pelos estudantes Elaine Lima, David Oliveira e Nathaly Pereira.

 

Gestão destaca decisão do STF contra a Lei da Escola Livre

Conhecida como Lei da Mordaça, a lei havida sido repudiada pelo Consuni

Gestoras da Ufal na ALE

Lenilda Luna - jornalista

Na última sessão ordinária do Conselho Universitário (Consuni) a reitora da Ufal, Valéria Correia, destacou a decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que concedeu liminar na Ação Direta de Inconstitucionalidade suspendendo a Lei 7.800/2016, de Alagoas.

A lei que instituiu o programa Escola Livre no Estado, foi duramente criticada por vários setores da Educação, que ficou conhecida como "Lei da Mordaça". A lei de autoria do deputado Ricardo Nezinho (PMDB), chegou a ser vetada pelo Governador de Alagoas, Renan Filho, mas em abril de 2016, os deputados derrubaram o veto, sob protestos dos sindicatos e movimentos sociais da Educação.

Na sessão do Consuni, a reitora comemorou mais uma vitória contra o que chama de censura aos professores em sala de aula e ressaltou a participação do Conselho Universitário neste processo. "Os advogados da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino fizeram menção ao documento aprovado neste Conselho com posicionamento contrário a essa Lei", ressaltou.

Um dos educadores que se destacaram no protesto contra a lei foi o também jurista, Othoniel Pinheiro Neto. "A luta contra a Lei da Mordaça despertou a atenção para a valorização da discussão da educação no campo político, uma vez que ficou claro que a sociedade pode experimentar retrocessos significativos por intermédio de setores que não entendem de processos metodológicos e científicos e querem impor suas crenças ao seu modo e, o que é pior, sem possibilidade de diálogo", alertou o educador e jurista.

Para Othoniel, a Lei da Escola Livre propõe apenas o enfrentamento, e jamais um diálogo plural, contra o que se imagina como “doutrinação” nas escolas e universidades. "Desde o começo da luta contra a Escola Livre, fiz várias declarações apontando os equívocos da lei e que era uma proposta inconstitucional. Também fiz a advertência de que a proposta não tinha como se sustentar quando fosse submetida ao crivo do poder judiciário. Não tardou para o STF suspender a Escola Livre em medida liminar proferida pelo Ministro Luís Roberto Barroso", esclareceu o jurista.

O próximo passo será o julgamento pelo plenário do STF, que deverá acontecer nos próximos meses. "Pelas múltiplas inconstitucionalidades da lei, eu não acredito, de jeito nenhum, que o STF decida de outra maneira que não seja anulá-la de uma vez por todas. Nesse processo, foi muito importante a nota da pró-reitora de graduação da Ufal, Sandra Regina Paz, contestando pontos básicos da Escola Livre, o que ajudou na fundamentação jurídica que, mais tarde, veio a ser usada pelo STF para suspender a lei", ressalta Othoniel Pinheiro.

Para a pró-reitora de Graduação, Sandra Regina Paz, o reconhecimento deste posicionamento contrário a chamada Lei da Escola Livre deve ser estendido à toda a comunidade universitária. "O documento elaborado pela Prograd, a pedido da reitora Valéria Correia, foi apoiado e aprovado pelo Conselho Universitário em sessão realizada no início de maio de 2016. O documento, como os próprios advogados disseram, contribuiu para a fundamentação da ação no STF. A liminar suspendendo a lei é uma vitória da ciência contra o obscurantismo. Uma vitória da liberdade de expressão e do conhecimento contra a opressão", comemora a pró-reitora.

Leia aqui nota aprovada no Consuni.

Abertas inscrições para curso sobre avaliação participativa da Universidade

Programação será nas sedes dos campi Arapiraca e do Sertão

Ascom Ufal

Dando sequência às atividades preparatórias para realizar a avaliação da expansão da Ufal, a Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (Progep) promove o curso Princípios Teórico-Metodológicos e Epistemológicos para uma Avaliação Participativa e Democrática da Expansão e Interiorização da Ufal. A atividade é aberta para estudantes, técnicos e professores e será realizada na sede do Campus Arapiraca nos dias 11, 17, 18 de abril e 3 de maio; e nos dias 12, 19, 20 de abril e 4 de maio em Delmiro Gouveia.

O curso terá como facilitadores os pesquisadores especialistas no tema Georgia Cêa, Verônica Medeiros e Josimeire de Omena Leite, da Ufal; além de Assis Leão do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE). O objetivo é subsidiar o processo de avaliação da expansão e da interiorização da Ufal.

O conteúdo programático está dividido em cinco tópicos com temas como metodologias de avaliação participativa; a política de ensino superior no Brasil: histórico e determinantes internacionais e nacionais da expansão e interiorização; interiorização e expansão da Ufal: programas nacionais e gestão local da Universidade; a expansão da Universidade e o quadro de pessoal: necessidades e desafios; a expansão da Universidade e as políticas estudantis: do acesso à permanência e formação acadêmico-profissional.

Para realizar as inscrições, os docentes devem preencher os respectivos formulários: Arapiraca e Sertão. Técnicos e estudantes podem fazer a inscrição presencialmente no dia das atividades.

Sobre a avaliação

A expansão da Ufal completa 11 anos em 2017 e passa por um grande processo para avaliar os resultados e impactos. O objetivo é, também, apontar indicadores de gestão universitária, a exemplo dos aspectos acadêmicos, didático-pedagógico, acesso e permanência estudantil, gestão de pessoas e condições de trabalho, assim como gestão institucional na Ufal.

A primeira atividade aberta à comunidade acadêmica foi a realização do Seminário de Avaliação da Expansão e Interiorização da Universidade Federal de Alagoas, realizado nos dias 21, 22 e 23 de fevereiro, respectivamente nas sedes dos campi Arapiraca, do Sertão e A. C. Simões, quando foi apresentado, de forma geral, a avaliação a ser realizada ao longo de 2017.

Este projeto vai focar, especificamente, em avaliar a expansão universitária partindo da compreensão que a formação pressupõe uma inserção efetiva da universidade na sociedade, sob a perspectiva do papel social no desenvolvimento sócio-histórico, por meio de processos democráticos e participativos.

O Processo de Avaliação tem a coordenação geral do vice-reitor José Vieira e, além da Comissão Executiva de Avaliação, conta com uma equipe de assessores, constituída por estudiosos da temática, em sua maioria, servidores da Ufal, e um Conselho Ampliado, que envolverá as seis pró-reitorias, a Comissão Permanente de avaliação (CPA), os diretores dos campi fora de sede, diretores de unidade e coordenadores das unidades educacionais, bem como as entidades representativas dos três segmentos universitários (Adufal, Sintufal e DCE). 

Ufal realiza solenidade de entrega dos certificados de excelência acadêmica

A premiação vai acontecer nos campi A.C. Simões e Arapiraca

Jessyka Faustino - estudante de Jornalismo

A Universidade Federal de Alagoas realizará no dia 2 de maio, no auditório da Reitoria do Campus A.C Simões, e 4 de maio, no auditório do Campus Arapiraca, a solenidade de entrega dos certificados de excelência acadêmica para orientadores, bolsistas e colaboradores de 145 projetos do ciclo 2015/2016 do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Pibit).

Os projetos foram apresentados em exposições dentro da programação do Congresso Acadêmico Integrado de Inovação Tecnológica (Caiite 2016), no 26º Encontro de Iniciação Científica e 9° Seminário do Programa de Inovação Tecnológica e Empreendedorismo (Pite), que aconteceu nos campi da Ufal, em dezembro de 2016. 

Nestes eventos, foram selecionados os projetos premiados em excelência acadêmica, os 93 bolsistas pré-selecionados para o prêmio da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e o aluno destaque no CNPq, que representará a Universidade na competição nacional do CNPq. Os selecionados foram divulgados em janeiro e a solenidade é de responsabilidade da Coordenação de Pesquisa da Ufal.

Ensino de Sociologia é debatido em 2º Encontro Estadual

Promoção é do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Ensino de Ciências Sociais - Xingó

Arte de divulgação

Diana Monteiro - jornalista

Ensino de Sociologia em Tempos de Reforma do Ensino Médio é o tema geral do 2º Encontro Alagoano de Ensino de Sociologia/Ciências Sociais (Enales) a se realizar nos dias 25 e 26 deste mês, no Campus A.C.  Simões.  O evento é uma parceria com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), que além de possibilitar um espaço para reflexões e discussões sobre o foco central, constitui-se como um mecanismo fomentador de uma maior aproximação entre a Universidade Federal de Alagoas e professores da disciplina Sociologia, do ensino médio.

O evento é promovido pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ensino de Ciências Sociais – Xingó, vinculado ao Instituto de Ciências Sociais da Ufal (ICS) e transcorrerá durante os três horários. Terá como locais de debate os seguintes auditórios: Vera Rocha (antigo CSau), onde se dará o credenciamento, novas inscrições e a abertura; Bloco de Sala de Aulas 2 (BSA 2); e o da Faculdade de Administração, Economia e Contabilidade (Feac).

Conforme a programação, a palestra de abertura, no dia 25, será proferida pelo professor Amaury Moraes, da Universidade de São Paulo (USP), das 9h30 às 11h.  Ainda no mesmo dia também estão definidos, no BSA 2, Grupos de Trabalhos (GTs), das 13h às 17h e a mesa-redonda focada no tema Metodologias de ensino e transposição didática em Ciências Sociais: reflexões em torno da Sociologia Escolar. São expositores os professores Cristiano das Neves Bodart, da Ufal e Valci Melo dos Santos, da Secretaria de Estado da Educação. A mediação do debate será feita pelo professor Welkson Pires, da Ufal. A mesa-redonda transcorrerá das 19h às 21h.

No dia 26, das 13h30 às 17h, estão definidas oficinas e a 2ª Reunião do Fórum Permanente Sobre Ensino de Sociologia na Educação Básica de Alagoas, no Bloco de Salas de Aula 2. O evento será encerrado no Auditório Vera Rocha, com a conferência Desafios contemporâneos para o ensino de Sociologia, das 19h às 21h, com a professora Silke Weber, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Ufal sedia próximo Congresso da Associação Brasileira de Linguística

A candidatura de Maceió foi referendada durante evento realizado no Rio

Chapa vitoriosa para organizar o próximo congresso da Abralin

Lenilda Luna - jornalista

Durante o 10° Congresso da Associação Brasileira de Linguística (Abralin), realizado na Universidade Federal Fluminense, em março deste ano, a candidatura de Maceió para sediar a próxima edição foi referendada pelos participantes do evento. O congresso é realizado a cada dois anos.

A candidatura da Ufal como sede foi defendida pelo professor Jair Silva, da Faculdade de Letras da Ufal. "Sediar o Congresso da Abralin é uma grande experiência para nossa equipe e também uma forma de fortalecer os nossos cursos de graduação e, sobretudo, o Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística", ressalta o professor.

O Congresso da Abralin é uma oportunidade para os pesquisadores da área de divulgar e compartilhar estudos com linguistas do Brasil e de universidades estrangeiras. "Esse é um evento de grande porte e geralmente atrai um público de mais de duas mil pessoas", destaca o professor.

A 11ª edição do Congresso será realizada em Maceió, em 2019. A data e o local ainda serão definidos pela comissão organizadora. Estão convidados todos os que fazem parte da comunidade acadêmica da área da Linguística, como docentes do ensino superior e da educação básica, doutorandos, mestrandos, graduandos de iniciação científica e demais interessados.

A Ufal já sediou o Abralin nos anos de 1995 e 1997. Também já recebeu, no ano passado, o 3° Seminário de Estudos em Práticas de Linguagem e Espaço Virtual (Seplev), o Abralin em Cena Libras, e outros grandes eventos da área.

A comissão organizadora ficou composta pelos professores Miguel Oliveira Jr, presidente; Jair Barbosa da Silva, vice-presidente;  Helson Flavio da Silva Sobrinho, secretário; Eliane Barbosa da Silva, vice-secretária; Luciana Lucente, tesoureira; Fábia Pereira da Silva, vice-tesoureira. "Estamos seguros de que a nossa gestão dará uma continuidade sólida às ações da Abralin, promovendo, desenvolvendo e divulgando a pesquisa em Linguística no Brasil", ressaltam os professores.

Encontro Nacional de História recebe propostas de simpósios temáticos

Proponentes devem enviar até o dia 2 de maio

Arte de divulgação

Ascom Ufal

Os 200 anos de Emancipação Política de Alagoas serão o tema norteador do 9º Encontro Nacional de História, a ser realizado de 4 a 6 de setembro de 2017, no Campus A.C. Simões da Ufal. A chamada para propostas de simpósios temáticos já está aberta e pode ser feita até o dia 2 de maio, com a divulgação do resultado no dia 10 do mesmo mês.

O tema do evento é Emancipação, Conflitos Socioculturais e Construção Política nas Alagoas. O encontro é uma promoção do Centro de Pesquisa e Documentação Histórica do Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Arte (Ichca) da Ufal, com o apoio do Governo do Estado de Alagoas e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal).

Cronograma do encontro

15 de maio a 1º de agosto de 2017 – inscrição para apresentação de trabalho

10 de agosto de 2017 – resultados das apresentações de trabalho

A partir de 10 de agosto de 2017 – envio de cartas de aceite

15 de maio à 1º de agosto de 2017 – inscrição para lançamento de livros

2 de março à 1º de setembro – inscrição como ouvintes

Mais informações no site do evento.

 

Museu Théo Brandão abre inscrições para Encontro de Pesquisadores

Apresentações de trabalhos podem ser nas áreas de Artes, Antropologia, Museus, História e Memória

Arte de divulgação

Jacqueline Batista – jornalista colaboradora

Até o dia 2 de maio, o Museu Théo Brandão (MTB) está com inscrições abertas para trabalhos a serem apresentados no 4º Encontro de Pesquisadores do Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore. O evento integra a programação da 15ª Semana Nacional de Museus e será realizado de 16 a 19 de maio.

Interessados em participar devem encaminhar um resumo do trabalho e a ficha de inscrição para apreciação da comissão científica do encontro, por meio do endereço eletrônico museutheobrandao@gmail.com. Os trabalhos selecionados serão apresentados na modalidade oral.

Neste ano, o encontro está aberto a pesquisadores que trabalham com temáticas ligadas às Artes, Antropologia, Museus, História e Memória.  Serão submetidas à avaliação da comissão científica, as inscrições que estiverem de acordo com as normas e com indicação nos seguintes eixos temáticos: Artes, Antropologia e Construções Sociais; Museus e Histórias Controversas; e História, Memória e Esquecimento.

Cada proponente poderá se inscrever com até dois trabalhos, sendo um como autor e outro, coautor. Veja o regulamento completo e a ficha de inscrição na circular do evento, por meio do link goo.gl/wpyLhi.

FSSO lamenta morte de Madre Zely Perdigão

Ela era Doutora Honoris Causa pela Ufal

Madre Zely Perdigão. Foto: reprodução internet

Ascom Ufal

A Faculdade de Serviço Social (FSSO) comunica com pesar o falecimento de Madre Zely Perdigão, ex-diretora da Escola de Serviço Social Padre Anchieta e Doutora Honoris Causa pela Ufal. O velório está acontecendo no cemitério Parque das Flores e o sepultamento é previsto para 16h.

A assistente social foi lembrada no evento comemorativo dos 60 anos do Serviço Social em Alagoas, realizado no último mês de março. “Reconhecemos a contribuição de Madre Zely para a formação profissional dos primeiros assistentes sociais em Alagoas”, destacaram as professoras Rosa Prédes e Virginia Borges, da direção da FSSO.

Evento mundial chama atenção para valorização da ciência

Comunidade acadêmica pode participar virtualmente

Evento acontece simultaneamente em todo o mundo

Ascom Ufal

No dia 22 de abril haverá uma ação que acontece simultaneamente em 400 cidades, em todos os continentes. A Marcha pela Ciência vai reunir a comunidade científica em diversos locais e ganhar coro por meio da internet. O pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da Ufal, Alejandro Frery vai participar do evento virtualmente e espera contar com o apoio de todos.

“Convidamos toda a comunidade acadêmica a participar da Marcha Pela Ciência. Segundo os organizadores em São Paulo, a Marcha irá congregar cientistas e entusiastas do mundo todo que vão se unir por mais visibilidade e credibilidade para a ciência”, convocou o pró-reitor, ressaltando que a marcha será pacífica e apartidária.

Quem quiser participar ou saber mais sobre o evento, acesse aqui.

Para a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) a participação de todos é importante, visto que o evento pretende chamar a atenção de estudantes, professores, cientistas e pesquisadores, governantes, tomadores de decisão, e de toda a sociedade, sobre a necessidade de apoiar e preservar as instituições e a comunidade científica do mundo. “Esse apoio torna-se fundamental em um momento em que a atividade científica para o bem de todos sofre ameaças em diversas frentes”, reforça Helena Nader, presidente da SBPC.

A carta convite da SBPC lembra que a ciência está em todo lugar e afeta positivamente a vida de todos. Portanto, a aplicação da ciência para a sociedade não deve estar à margem das grandes tomadas de decisão no campo político. “O melhor caminho para garantir que a ciência possa influenciar diretamente nas políticas públicas é encorajar as pessoas a apreciar e se envolver com a ciência”, ressalta Nader, e conclui: “o fortalecimento da ciência passa também pelo fortalecimento da democracia em todos os países”.

MHN lança 5ª edição de prêmio de fotografia e ilustração científica

Inscrições para o concurso vão até 5 de maio; premiação acontecerá no dia 18

Inscrições para prêmio promovido pelo MHN vão até 5 de maio

Graziela França- estudante de Jornalismo

Em comemoração ao 27° aniversário, o Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) lança o edital do Prêmio Gabriel Skuk de Fotografia e Ilustração Científica. Esta é a quinta edição do concurso que homenageia o professor do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS) e pesquisador do MHN, figura importante para a ciência alagoana e apaixonado por fotografia, que faleceu em 19 de março de 2011.

Com o tema Paisagens alagoanas, os candidatos devem inscrever fotos que retratem cenários e locais do Estado. O prêmio visa estimular a prática da fotografia e ilustração científica com um caráter didático e cultural, além de promover a divulgação de imagens da biodiversidade de Alagoas. As fotos ficarão expostas para votação entre os dias 6 a 17 de maio. Já a premiação está marcada para o dia 18 do mesmo mês.

Inscrições

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até o dia 5 de maio, na sede do MHN, localizada na Avenida Amazonas, Prado (na Praça da Faculdade) das 9h às 17h. Os candidatos devem enviar a ficha de inscrição e imagem participante para o e-mail premiogabrielskuk@gmail.com.

As imagens selecionadas ficarão expostas no hall de entrada do museu para votação dos visitantes durante as comemorações dos 27 anos do Museu e da 15ª Semana Nacional dos Museus. O resultado e a premiação ocorrerão na sede do MHN.

Confira o edital do concurso com ficha de inscrição e orientações para a exposição das imagens.

Resultado final: Pré-Enem Comunitário já tem novos bolsistas

Selecionados devem procurar a Proex até dia 18

Confira os bolsistas selecionados do Programa

Ascom Ufal

O programa Conexões de Saberes da Universidade Federal de Alagoas, vinculado a Pró-reitoria de Extensão, divulgou o resultado final do processo seletivo dos novos bolsistas do projeto Pré-Enem Comunitário.

Os candidatos classificados dentro das vagas ofertadas no edital devem comparecer a Proex, na sala do programa, até o dia 18 de Abril, e entregar o formulário de cadastro do bolsista, devidamente preenchido, o Plano de Atividades, além de uma foto 3x4, comprovante de extrato bancário de conta corrente e cópias do RG e CPF.

Confira aqui o resultado.

Mais informações pelo 3214-1091.

Ufal terá atividades normais nesta quinta-feira

Feriado de Páscoa será de 14 a 16 de abril

Quinta-feira (13) será dia letivo na Ufal

Ascom Ufal

A Universidade Federal de Alagoas funcionará normalmente nesta quinta-feira (13). De acordo com o calendário acadêmico de 2016.2, aprovado pelo Conselho Universitário, o dia é considerado letivo e, portanto, haverá atividades regulares. Já a sexta-feira (14) é feriado nacional, assim como este sábado que também não será letivo devido às comemorações religiosas da Páscoa.

Confira aqui o calendário acadêmico da Ufal que foi ajustado pós-greve.

Projeto no HU busca amenizar efeitos do tratamento em pacientes com câncer

Atividades são para diminuir dores e desconfortos, além de colaborar com o equilíbrio emocional

Sala de cuidados atende pacientes do Cacon

Ascom Ufal

Na árdua batalha contra o câncer, além do acesso a medicamentos e procedimentos cirúrgicos necessários, são fundamentais iniciativas de apoio psicológico e emocional para os que se encontram no difícil período da doença. 

Para tornar o tratamento quimioterápico menos traumático aos usuários atendidos no Centro de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon) do Hospital Universitário da Ufal, as estudantes da Universidade e estagiárias de Serviço Social do HU, Érica Rocha e Paula Oliveira, idealizaram o projeto Práticas integrativas: faz mais pela vida, tendo como supervisora de campo a assistente social Gerusa Gonçalves e como supervisora acadêmica, a professora Marcia Iara Costa.

As ações do projeto, iniciadas no dia 24 de março, serão realizadas durante as terças-feiras no Cacon, até o dia 24 de maio. O objetivo é integrar o tratamento convencional às práticas complementares, cujas técnicas visam à assistência e à saúde do indivíduo, seja na prevenção, tratamento ou cura.

Meditação, Arteterapia, Reiki, Musicoterapia, Reflexologia e Massagem são as atividades que os pacientes poderão participar. Elas seguem o conceito conhecido como Medicina Integrativa, onde não se coloca a doença como o principal foco de atenção, mas sim o paciente “inteiro”, considerando mente, corpo e espírito, buscando amenizar dores, reduzir desconfortos, além de colaborar com o equilíbrio emocional. 

O projeto é realizado em parceria com a Sala de Cuidados Antônio Piranema do Núcleo de Saúde Pública (Nusp), da Faculdade de Medicina (Famed) da Ufal.

Práticas integrativas: faz mais pela vida está sendo realizado em consonância com a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), instituída em maio de 2006, onde o Ministério da Saúde reconhece, oficialmente, a importância das manifestações populares em saúde e a chamada medicina não convencional e sua implantação no Sistema Único de Saúde (SUS), como prática voltada ao equilíbrio vital do homem.

Sorriso de Plantão promove 4ª edição de congresso de ludoterapia

Evento contará com a presença de profissionais de variadas áreas

Arte de divulgação

Carolina Lima – estudante de Jornalismo

Durante os dias 4, 5 e 6 de maio, será realizado o 4º Congresso Alagoano Interdisciplinar de Ludoterapia (Cailu). O evento é organizado pelo projeto Sorriso de Plantão, uma parceria entre a Ufal e a Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal). As atividades ocorrerão no auditório do Centro Universitário Tiradentes (Unit).

A quarta edição do congresso homenageia os 15 anos de existência do Sorriso de Plantão, que realiza seu trabalho em cinco hospitais da capital alagoana e tem por objetivo mostrar pontos de vista multidisciplinares sobre a construção, a atuação e os resultados da ludoterapia.

No evento serão realizadas palestras, mesas-redondas e oficinas com o intuito de mostrar a importância da humanização no tratamento de crianças e adultos. A programação completa está disponível no site do congresso, onde também é possível realizar a inscrição.

Toda a comunidade acadêmica está convidada a participar. Para mais informações basta entrar em contato com o projeto por meio das páginas do Sorriso de Plantão no Facebook e Instagram ou pelo e-mail: contato@sorrisodeplantao.com.br .

Projetos sobre igreja e bairro do interior serão temas do Fórum Maloca

Evento, sediado no Campus Arapiraca, recebe inscrição de participantes até 14 de abril

Arte de divulgação

Ascom Ufal

De 24 a 28 de abril, o Maloca - Escritório de Habitação Social, vinculado ao grupo de extensão e pesquisa Qualidade do Ambiente Construído (Q-ARA), promove a edição 2017 do Fórum Maloca, com o tema A produção cotidiana do habitat: da igreja ao cabaré. O evento vai ser realizado no Campus Arapiraca da Ufal.

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas online até o dia 14 de abril. Os interessados em participar precisam confirmar a inscrição com a doação de 1 kg de alimento não perecível. A entrega deve ser feita no escritório Maloca, Campus Arapiraca, Bloco B2, sala 14, até o último dia de inscrição. Para os que desejam submeter trabalho, o prazo também encerra no dia 14 de abril.

Os alimentos arrecadados serão entregues à comunidade conhecida como Cabaré Velho, no bairro Itapoã, em Arapiraca. A localidade, onde as condições de habitação são precárias, é atendida por um dos projetos do Maloca.

A comissão organizadora reforça que a entrega do alimento é obrigatória para a participação no evento.

Dúvidas podem ser esclarecidas por meio do endereço eletrônico forum.maloca@q-ara.org.

Sobre o Fórum Maloca

O Fórum Maloca consiste em um espaço de discussões sobre temas relacionados à habitação. Possui como foco a habitação de interesse social em suas diferentes formas de produção.

O evento é anual, geralmente, realizado na última semana de abril. É composto de diferentes atividades, a exemplo de oficinas, palestras, debates, apresentação de trabalhos, minicursos, exibições audiovisuais e exposições.

Para mais informação sobre a edição 2017 do Fórum, clique aqui.  

MTB inscreve apresentações para Mostra Poéticas e Talentos Coreográficos

Projetos podem ser enviados até 24 de abril

Arte de divulgação

Jacqueline Batista – jornalista colaboradora

O Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (MTB) está com inscrições abertas, até o dia 24, para 1ª Mostra Poéticas e Talentos Coreográficos. As apresentações irão acontecer entre maio e agosto, no terceiro sábado do mês.

As propostas poderão ser individuais ou em grupo. De acordo com a diretora do MTB, Nadir Nóbrega, “o projeto busca ser um espaço de divulgação e incentivo para que os alunos, docentes, servidores e a comunidade em geral apresentem as suas produções artísticas, independentes de ideologias socioculturais”.

Os interessados deverão enviar nome, endereço, números de documentos e um texto em formato de resumo, contendo nome do trabalho, trilha sonora ou visual, tempo de duração da apresentação e nomes dos componentes para o e-mail museutheobrandao@gmail.com.

Veja aqui mais detalhes sobre inscrição e regulamento.

Gestão da Ufal se reúne com Adufal para discutir carreira docente

Afastamentos, infraestrutura, acessibilidade e apoio aos aposentados também foram pauta da reunião

Adufal se reuniu com gestores no gabinete da reitora Valéria Correia

Redação Ascom

A reitora Valéria Correia, o vice-reitor José Vieira, e os pró-reitores de Graduação, Gestão de Pessoas, Pesquisa e Pós-graduação, além do diretor da Sinfra reuniram-se, no último dia 6, com representantes da Associação dos Docentes da Universidade para tratar da estrutura da CPPD, setor que é responsável pela avaliação dos processos de análise de progressões, estágio probatório e demais assuntos relacionados à carreira.

Também esteve em pauta a distribuição de vagas de docentes, problemas na infraestrutura da Ufal, em especial do Campus do Sertão e a preocupação com o quadro de aposentados da instituição e a garantia de acessibilidade à Universidade.

Os docentes manifestaram preocupação com a atual conjuntura do país em relação à educação superior e a professora Valéria, em apoio à categoria, comentou sobre as reuniões realizadas com os ministros do Estado do Turismo e do Esporte, detalhando as discussões realizadas para conseguir obter recursos para obras de melhorias para a Ufal. A reitora fez ainda um relato das discussões apresentadas pela Sesu sobre a informação recebida de que não haverá mais concursos para técnicos, o que sinaliza uma terceirização. Posteriormente, essa demanda será apresentada para a classe docente.

Valéria também falou sobre o estudo de modificação da planilha orçamentária MEC-Andifes que passará por mudanças e, consequentemente, a diminuição de recursos financeiros.

A reitora informou que foi realizada uma reunião com a nova equipe da CPPD, onde foram apresentados os planos e os planejamentos para reorganização e maior celeridade dos processos. Nesta reunião, a professora Valéria informou que a preocupação com a CPPD é uma prioridade da gestão e nesse sentido, em 2016 foi realizada remoção do espaço anterior da CPPD para um novo local; ainda, aquisição de mobiliário, embora reconheça que o espaço ainda é limitado. Também, foi apresentada a decisão de implementar o processo de progressão virtual por meio da implantação do módulo no SIG, encaminhando que o DAP acompanhe essa demanda. 

Durante a reunião, a pró-reitora de Gestão de Pessoas, Carolina Abreu, explicou sobre os processos de afastamento docente para qualificação. Segundo ela, a Propep está desenvolvendo um trabalho de implantação da política de afastamentos para mestrado e doutorado. Uma das preocupações da gestão é que as qualificações sejam gerenciadas pela instituição com retornos para a classe servidora da Ufal, constituindo uma política de mais oportunidades para os servidores. Além disso, tem se destacado nos números de afastamentos docente, as licenças para tratamento de saúde, o que tem prejudicado o bom funcionamento do calendário acadêmico. Nesse sentido, em atendimento à pauta local dos servidores, está sendo publicado nos próximos meses edital de qualificação para afastamento mediante disponibilidade do banco de professor equivalente de professor substituto. O Edital permitirá que as unidades se planejem para a qualificação do seus professores e que os docentes possam se afastar mediante a garantia de professor substituto. Embora reconheça que a demanda seja maior que a disponibilidade do banco, tal política possibilitará a transparência do uso do banco de substituto, uma demanda antiga da categoria docente. Essa política de transparência iniciou com a publicação do banco de professor equivalente (efetivos - http://www.ufal.edu.br/servidor/o-servidor/banco-de-equivalentes ) (substitutos e visitantes http://www.ufal.edu.br/servidor/o-servidor/substitutos-visitantes). Esta ação da gestão constitui a consolidação de uma política de publicidade e transparência do banco de professor equivalente. 

Também, a gestão comunicou que está sendo construída uma minuta de remoção que será apresentada aos sindicatos (técnicos e docentes). Essa minuta garantirá o princípio da isonomia. 

O vice-reitor, José Vieira da Cruz, destacou que a Gestão tem o compromisso de zelar pelos servidores em todas as categorias, e detalhou ações a exemplo da criação do projeto de campanha que valoriza os servidores aposentados como o. Ele convidou a Adufal para iniciar um debate para os servidores sobre o novo regime de contratação – Funprespe, colocando que se trata de um assunto muito importante para os servidores públicos federais e que merece bastante atenção. Além disso, a necessidade da assessoria jurídica da ADUFAL acompanhar as demandas de aumento dos planos de saúde. 

Para finalizar, a reitora Valéria apresentou o projeto de adequação do elevador localizado no GR/GVR para o acesso da comunidade e falou da inauguração e entrega do Núcleo de Acessibilidade no Centro de Interesse Comunitário (CIC). Ela informou que a Gestão apresentou à bancada federal um projeto de acessibilidade para o Campus A.C.Simões, que está orçado em 2,5 milhões de reais, e que recebeu a adesão do deputado Cícero Almeida com o recurso de R$ 300 mil.

Ainda segundo a reitora, o deputado Paulão disponibilizou R$ 500 mil para reforma do auditório do Espaço Cultural. A obra está orçada em R$ 1,2 milhões deve contribuir ainda mais para o bem-estar de servidores e alunos, melhorando o funcionamento do espaço. Valéria Correia informou também sobre o andamento da construção do prédio da unidade de ensino de Santana do Ipanema, e que a UE de Ensino Penedo está com o projeto arquitetônico pronto.

Programação diversificada marca Dia da África na Ufal

Evento é promovido pelo Núcleo de Estudantes Africanos e já está com inscrições abertas

Arte de divulgação

Diana Monteiro - jornalista

O Núcleo de Estudantes Africanos (NEA -Alagoas) começa nesta sexta-feira (14) a divulgar, nas redes sociais, a programação que marcará o 54º ano da União Africana (UA) a ser celebrado de 25 a 27 de maio com atividades centralizadas no Auditório Nabuco Lopes, na Reitoria. O evento oportunizará aos participantes o conhecimento dos aspectos culturais, sociais, históricos, econômicos e do cotidiano dos países africanos.

Conforme o coordenador do NEA, King Aurel, a celebração tem a finalidade de disseminar a cultura africana permitindo o intercâmbio de conhecimento entre os alunos africanos das universidades brasileiras e os estudantes brasileiros; discutir sobre os problemas que o continente africano enfrenta; analisar as perspectivas da União Africana; e refletir sobre soluções para o desenvolvimento do continente.

Estão definidas na programação as seguintes palestras: Importância da diáspora do continente Africano; Objetivos e expectativas da U.A Horizonte 2063; Impactos negativos da colonização no processo acadêmico no continente africano; As tensões da África e os efeitos migratórios; Catorze anos na África contados por um professor brasileiro: verdade, mitos e tradições.

“Haverá a participação de algumas universidades nordestinas, assim como palestrantes e professores, além da programação cultural denominada de African Fashion", enfatiza King Aurel. A promoção do Núcleo de Estudantes Africanos de Alagoas conta a parceria da Universidade Federal de Alagoas.

Para mais informações sobre o evento e fazer a inscrição online basta acessar o site.

Confira a programação completa nos anexos.

Projeto Cultural

Com o objetivo de congregar afrodescendentes ou não de diferentes cantos de Alagoas e da sociedade brasileira em geral, há em desenvolvimento o projeto cultural 25 de Maio - Dia da África, cuja celebração da data é de grande relevância para a comunidade africana. O projeto foi criado para manter vivos ideais que levaram à conquista da independência de vários países africanos.

LCCV e Hospital Universitário compartilham experiências de tecnologia 3D

Foram avaliados casos em que a tecnologia já contribui em cirurgias no Hospital

Dirigentes do LCCV e do HU avaliam experiências

Lenilda Luna - jornalista

Nesta quarta-feira(12), o coordenador geral do Laboratório de Computação Científica e Visualização (LCCV), professor Eduardo Setton, fez uma visita técnica ao Hospital Universitário para avaliar as aplicações possíveis relacionadas à impressão 3D na Medicina. Em seguida o professor recebeu, no LCCV, a professora Fátima Siliansky, superintendente do HU, para apresentar casos reais em que o Laboratório participou diretamente no apoio à intervenções cirúrgicas no hospital.

Siliansky estava acompanhada de Manoel Álvaro, Regina Maria dos Santos e o engenheiro Huayna Valenca Padilha, integrantes da equipe do HU.

“O potencial de aplicação e o custo cada vez mais baixo das impressoras devem acelerar esse tipo de trabalho. Compramos há cerca de quatro anos, por algo em torno de R$ 100 mil, um desses equipamentos", informou o coordenador do LCCV.

Ele disse ainda que um aluno de graduação de Engenharia Civil, José Adeilson Amorim, aprendeu a utilizar e montou uma impressora 3D em casa com um custo de R$ 2,8 mil. "Essa é uma tecnologia social que pode ser acessível", relata o professor Setton.

Confira resultado preliminar para cotas da 2ª chamada do Sisu 2017.1

Candidatos podem interpor recurso no dia 17 de abril

Para acompanhar as atualizações do Sisu os candidatos devem acessar o site da Copeve

Ascom Ufal

A Copeve divulgou os resultados preliminares da análise da documentação dos convocados em segunda chamada de pré-matrícula na Ufal, do processo seletivo Sisu 2017.1, para os candidatos que concorrem nas demandas de critério regional e reserva de vagas/cotas.

Aqueles que tiveram sua pré-matrícula indeferida, em razão dos documentos apresentados, podem interpor recurso no dia 17 de abril, das 9h às 17h, nos locais especificados no edital de nº 12/2017, de 23 de fevereiro.

Para recorrer, o candidato deve preencher o formulário disponível no Anexo 4 do edital nº 05/2017 - Prograd/Ufal, podendo incluir nova documentação, corrigir, substituir ou complementar a que foi indeferida inicialmente.

O resultado final da análise da documentação do critério regional e reserva de vagas/cotas, após análise dos recursos, será publicado em 16 de maio.

Já no dia 23 de junho, todos os candidatos (cotista, critério regional e ampla concorrência) poderão conferir a composição das turmas do 1º e 2º semestres de 2017.

Para acompanhar todas as atualizações do Sisu Ufal 2017, acesse a página da Copeve

Sobre o critério regional

Disciplinado pela Resolução nº 22/2015 do Conselho Superior (Consuni) da Ufal, o critério de inclusão regional tem como objetivo estimular o acesso à Universidade Federal de Alagoas aos candidatos que residem no entorno dos locais onde há campi fora de sede, a exemplo dos campi Arapiraca e do Sertão, com suas respectivas unidades de ensino em Palmeira dos Índios, Penedo, Viçosa, e Santana do Ipanema.

Ufal oferta mais de 900 vagas para novos alunos por transferência externa

Inscrições vão até 25 de abril no site da Copeve

Interessado em transferir o curso para a Ufal? Fique atendo ao edital da Copeve

Ascom Ufal

A Universidade Federal de Alagoas lançou um edital com 933 vagas em cursos de graduação para ingresso de novos alunos por meio do processo de transferência externa. Há oportunidades no Campus A.C. Simões, em Maceió, Centro de Ciências Agrárias (Ceca), Espaço Cultural, e nas unidades de ensino de Viçosa e Santana do Ipanema.

Estudantes regularmente matriculados em cursos presenciais de outras instituições de ensino superior, públicas ou privadas, podem se candidatar às vagas. As inscrições já começaram e terminam no dia 25 de abril. Todo procedimento deve ser feito na página da Copeve e a taxa de inscrição é R$ 50.

Os interessados devem prestar atenção às especificações do edital para conferir os requisitos de inscrição, os cursos e os períodos com vagas disponíveis.

A seleção será em duas etapas: a primeira, com base nos resultados obtidos pelos estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nos exercícios de 2012, 2013, 2014, 2015 ou 2016 ou no coeficiente acumulado de rendimento acadêmico do candidato. Já na segunda etapa, serão realizadas as análises de aproveitamento das disciplinas do estudante.

Para acompanhar as atualizações do processo, fique atento ao site da Copeve.

Balé Folclórico da Bahia fará workshop no Espaço Cultural da Ufal

Será dia 22 de abril e alunos do curso de Dança também vão participar

Balé Folclórico da Bahia. Foto: Andrew Eccles

Simoneide Araujo - jornalista colaboradora

Pela primeira vez em Maceió, o Balé Folclórico da Bahia fará duas atividades no próximo dia 22 de abril. Das 9h ao meio-dia, o grupo vai estar no Espaço Cultural da Universidade Federal de Alagoas realizando um workshop para 30 pessoas. Às 21h, apresenta o espetáculo Herança Sagrada – A Corte de Oxalá, no Teatro Gustavo Leite, no Centro Cultural de Exposições Ruth Cardoso.

Para realizar o workshop, a produção local do espetáculo, Sue Chamusca Arte e Assessoria, fez parceira com a Coordenação de Assuntos Culturais (CAC) da Ufal. Entre os participantes estarão integrantes de grupos de dança afro, da Secretaria de Estado da Cultura e alunos do curso de Dança da Universidade. “Essa parceria dá oportunidade a nossos discentes estarem bem próximos do trabalho dessa companhia que já tem quase 30 anos de estada”, disse Ivanildo Piccoli, coordenador da CAC.

O espetáculo

Aplaudido nos Estados Unidos, Europa, Oceania e Caribe, o espetáculo Herança Sagrada – A Corte de Oxalá é inspirado em rituais do Candomblé, com reproduções também fiéis das mais importantes manifestações folclóricas baianas – da capoeira ao samba de roda. A direção geral é de Walson “Vavá” Botelho e direção artística, de José Carlos “Zebrinha” Santos.

A primeira parte traz coreografia baseada em danças do culto afro-brasileiro, reproduzindo com fidelidade sequências de movimentos de alguns dos mais importantes rituais do Candomblé e, na trilha sonora, cânticos sagrados. Na segunda parte, aparecem coreografias clássicas do repertório do grupo emolduradas por músicas extraídas do folclore baiano. Entram “Berimbau”, “Puxada de Rede”, “Capoeira” e “Samba de roda”, além de “Afixirê”; retratos da influência dos escravos africanos na cultura brasileira.

Nos EUA, onde circulou recentemente por 30 cidades, a temporada de três meses do espetáculo atraiu mais de cem pessoas. Nesse número, destacam-se personalidades como Gloria Estefan, Steven Spielberg, Danny Glover, David Parsons, Anne Hathaway, Harry Belafonte Judith Jamison [diretora artística da Alvin Ailey American Dance Theater, que veio ao Brasil especialmente para a festa de 20 anos do Balé, em 2008] e Jessye Norman.

O balé

Em agosto deste ano, o Balé – uma das mais importantes companhias de dança afro-brasileiras – completa 30 anos e, em sua trajetória, já se apresentou em 255 cidades no exterior, sendo 182 somente nos Estados Unidos. Ao todo, foram 25 países, incluindo Itália, Canadá, Dinamarca, Austrália, Alemanha, França, Holanda, Suíça, Suécia, Portugal, Finlândia, México, África do Sul, Togo e Benin.

Com sede no Pelourinho, em Salvador-BA, a companhia funciona em regime integral de seis horas de trabalho por dia. Os 40 integrantes –dançarinos, músicos e cantores– recebem preparação técnica para dança, música e teatro. Para preservar e divulgar as principais manifestações folclóricas da Bahia, o Balé desenvolveu uma linguagem cênica que parte dos aspectos populares e atinge questões contemporâneas.

O grupo também possui um segundo corpo de baile, que realiza espetáculos, diariamente, no Teatro Miguel Santana, no Pelourinho, tendo como público, principalmente, turistas estrangeiros e de outros estados do Brasil.

SERVIÇO

O quê: workshop e espetáculo Herança Sagrada – A Corte de Oxalá
Quando: dia 22 de abril, das às 9h ao meio-dia (workshop) e às 21h (espetáculo)
Onde: workshop – no Espaço Cultural da Ufal, na Praça Visconde de Sinimbu
           espetáculo – Teatro Gustavo Leite, no Centro Cultural e de Exposições, em Jaraguá
Informações: (82) 3235-5301

 

Alunos do Cedu organizam Oficina de Iniciação ao Rugby

Interessados em participar já podem se inscrever

Arte de divulgação

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

Alunos do curso de Educação Física da Ufal organizam, no próximo dia 20 de maio, a Oficina de Iniciação ao Rugby, modalidade esportiva semelhante ao futebol e com intenso contato físico, originário da Inglaterra. Quem quiser aprender mais sobre o esporte já pode fazer sua inscrição online.

Para participar, basta doar um quilo de alimento não perecível. A oficina será realizada no Estádio Rei Pelé, a partir das 13h. O evento é organizado por discentes da disciplina "Política e Organização da Educação Física, Esporte e Lazer" como pré-requisito de avaliação.

Espaço Cultural será fechado para dedetização

Atividades voltam ao normal no dia 24; MTB também terá atividades suspensas

Espaço Cultural da Ufal. Foto: Camila Barbosa

Simoneide Araújo - jornalista colaboradora

O diretor do Espaço Cultural da Ufal, Ivanildo Piccoli, informa que todos os setores, incluindo a Escola Técnica de Artes, estarão fechados na próxima quinta-feira (20), a partir das 13h. A medida será necessária para que seja feita dedetização em todo o prédio.

Não haverá aula na graduação nem nas Casas de Cultura e na ETA, além dos setores administrativos, que terão o funcionamento suspenso. Como a sexta-feira (21) será feriado, as atividades voltam ao normal no dia 24.

O Museu Théo Brandão também fechará para dedetização no mesmo dia 20, a partir do meio-dia.

Quer debater sobre Antropologia da Criança? Visite as reuniões do Mead

Grupo de estudos do ICS realiza chamada para novos membros

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

O Grupo de Estudos de Antropologia da Criança, Mead abriu chamada para novos membros. Pesquisadores,  estudantes e demais interessados em pesquisas com crianças e temáticas relacionadas à infância podem participar já da próxima reunião, que acontece na quinta-feira, 27 de abril, às 14h, na Ufal.

Os encontros são quinzenais, sempre às quintas-feiras, no turno da tarde. Para se inscrever, é preciso preencher um formulário disponível online. E para participar das atividades regulares do grupo é necessário realizar a inscrição até o dia 24 de abril. 

O Mead é coordenado pela professora Marina Rebeca Saraiva, pesquisadora de Desenvolvimento Científico Regional da Ufal.  

Mais informações pelo email mead.iscufal@gmail.com

Últimos dias para solicitar documentos que serão eliminados do Arquivo Central

Prazo termina no dia 20

Apenas documentos autorizados do Arquivo Central serão eliminados

Manuella Soares - jornalista

A Comissão Permanente de Avaliação de Documentos (CPA-DOC) da Ufal relembra a todos os professores, técnicos e alunos que desejam ter acesso a algum documento ou cópia de peças do Arquivo Central, têm até o dia 20 para solicitar. O edital relativo à Ciência de Eliminação de Documentos já foi publicado no Diário Oficial da União e divulgado neste portal.

 Serão eliminados 196,17 metros lineares de documentos, perante aprovação do Arquivo Nacional. Apenas estes arquivos custodiados pelo Arquivo Central da Ufal sobre atividades-meio e fim da Instituição já estão com seus prazos prescricionais com data limite para descarte.

Destes, a maioria se refere aos conjuntos documentais do Departamento de Registro e Controle Acadêmico com datas limites entre os anos de 1956 e 2013. Outro montante já prescreveu desde 1962 a 2012 e o restante é do Departamento de Contabilidade e Finanças, referente ao exercício de 2007.

“Se alguém tiver algo a recorrer que faça neste período, através de solicitação endereçada a presidente da CPA- DOC, desde que tenha respectiva qualificação e demonstração de legitimidade do pedido”, ressaltou Maristher Vasconcellos, gerente do Arquivo Central.

 

Ufal sedia Congresso Regional dos Estudantes de Engenharia Química

Trabalhos acadêmicos podem ser enviados até 22 de abril

Arte de divulgação

Manuella Soares - jornalista

Alunos do curso de Engenharia Química da Ufal em parceria com o Centro Acadêmico organizam a 22ª edição do Congresso Regional dos Estudantes de Engenharia Química (Coreeq 2017). O evento que contempla o público do Norte e Nordeste será sediado em Maceió, no Campus A.C. Simões, de 9 a 15 de julho. As inscrições já estão abertas e podem ser realizadas online até 11 de junho, mas o período de submissão de trabalhos encerra em 22 de abril.

Este ano, a tradicional Semana de Engenharia Química da Ufal (Senq) será realizada como uma edição dentro da programação do Coreeq. Este evento é promovido pelos centros acadêmicos da área das instituições numa parceria com a Federação Nacional dos Estudantes de Engenharia Química (Feneeq).

Entre as atividades do Congresso estão palestras sobre empreender, segurança de trabalho, qualidade e produtividade; e desafios do profissional no mercado industrial. Haverá também minicursos com temas variados, a exemplo de Redes Neurais; Combustível e energia; Química forense; e Indústria Alimentícia. Os participantes também podem se inscrever nas oficinas de produção de cachaça ou cerveja; automação industrial; cosméticos, lattex, e excel aplicado para a engenharia.

A programação ainda conta com atividades culturais, mostras de iniciação científica, visitas técnicas e premiações. O evento começa sempre às 8h e tem encerramento previsto para 18h.

Saiba mais sobre pacotes acadêmicos e culturais no site ou na página do Facebook, onde também é possível se informar sobre disponibilidade e condições de alojamento.

Sobre os eventos

O Congresso Regional dos Estudantes de Engenharia Química (Coreeq) é um evento de caráter técnico-científico e social, itinerante e sem fins lucrativos, realizado anualmente por estudantes da Engenharia Química do Brasil juntos da Feneeq. Já a Semana de Engenharia Química da Ufal  (SENQ) é idealizada e produzida anualmente pelo Congresso Acadêmico do curso de Engenharia Química com o intuito de enriquecer e diversificar a formação acadêmica dos alunos das mais diversas áreas correlatas.​

“No ano de 2017 esses dois grandes eventos estarão trabalhando em conjunto para entregar ao congressista a melhor experiência. O congresso terá o intuito de estimular a formação acadêmica dos estudantes para que, desta forma, eles venham desenvolver sua capacidade profissional. Além disso, ele também tem por finalidade estimular a discussão, entre estudantes de diversos estados, de temas relevantes a sociedade, sejam estes de origem cultural, social ou educacional”, ressaltam os organizadores como um convite para a 22ª edição do Coreeq. 

Concurso de identidade visual do Mercado do Artesanato inscreve até quinta

Iniciativa é de projeto de extensão da Ufal e podem participar alunos e qualquer pessoa interessada

Mercado de Artesanato. Foto: Ascom Prefeitura de Maceió

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

O projeto de extensão Mercado do Artesanato: retrato da cultura, identidade e patrimônio de Alagoas prorrogou, até as 23h59 da próxima quinta (20), as inscrições para o concurso de identidade visual oficial do Mercado de Artesanato de Maceió. Podem participar alunos da Universidade Federal de Alagoas ou qualquer pessoa que se identifique com a proposta e apresente a nova marca coerente com as diretrizes do edital 01/2017.

Cada participante poderá inscrever até três propostas inéditas da nova marca e a vencedora será usada em todas as formas de divulgação e documentos oficiais do Mercado do Artesanato. Os trabalhos devem ser enviados para o e-mail projetomercadodoartesanato@gmail.com com o título do assunto “Identidade Visual do Mercado de Artesanato”. O e-mail deverá conter todos os formatos requeridos no edital, além do nome dos concorrentes e telefone.

Não haverá premiação em dinheiro. O vencedor receberá um produto confeccionado por artesãos do local e certificado emitido pela Ufal de “1º Colocado no Concurso de Criação da Identidade Visual do Mercado de Artesanato de Maceió”. O resultado final do concurso será publicado, na íntegra, na fanpage do Projeto Mercado do Artesanato, no dia 21 de abril, e a entrega da premiação será dia 24.

O projeto

O projeto, iniciado em agosto de 2016, está inscrito no Programa de Iniciação Artística (Proinart) da Ufal e tem a proposta de fortalecer a identidade cultural do Mercado, para que a comunidade local e os visitantes conheçam o lugar, uma vez que onde ele está instalado não tem um bom acesso e está fora da rota turística. O grupo envolvido quer difundir as atividades desenvolvidas pelos artesãos e a arte genuinamente alagoana.

Programa de pós-graduação debate conservação em florestas tropicais

Evento acontece nesta quinta-feira (20), às 10h, e conta com palestra do professor Carlos Peres

Professor Carlos Peres, convidado para o debate na Ufal

Graziela França – estudante de Jornalismo 

Conservação em florestas tropicais será o tema do 3º Debate sobre Conservação no Século 21. O evento será realizado nesta quinta-feira (20), às 10h, no auditório da Reitoria. O palestrante convidado é o professor Carlos Peres, da University of East Anglia (UEA) e pesquisador da área, que já publicou mais de 250 artigos sobre ecologia florestal neotropical.

Organizado pelo Laboratório de Conservação do Século 21 (Lacos 21) e pelo Programa de Pós-Graduação em Diversidade Biológica e Conservação nos Trópicos, o evento é gratuito. Os participantes receberão certificado e as inscrições devem ser feitas por meio de um formulário disponível online.

Sobre o palestrante

Professor Carlos Peres é brasileiro, nascido em Belém, e há mais de 25 anos estuda a ecologia da floresta amazônica, incluindo manejo de recursos naturais em florestas tropicais, ecologia de paisagem, população, comunidades de vertebrados em florestas tropicais e a socioeconomia do uso de recursos naturais.

Em 1995, recebeu o Prêmio de Liderança para a Conservação da Biodiversidade, da Fundação Bay and Paul (EUA) e, em 2000, foi eleito como Líder Ambientalista para o Novo Milênio, pela Time Magazine e pela rede CNN.

Atualmente coordena quatro programas de pesquisa em ecologia e conservação em florestas neotropicais e divide seu tempo entre a cidade Norwich, na Inglaterra, e o trabalho de campo em várias florestas neotropicais.

Aquisição de livros da Biblioteca seguirá critérios de prioridade

Cursos em processo de avaliação ou protocolo de compromisso serão contemplados

Biblioteca Central fará aquisição de livros do exercício 2017

Ascom Ufal

A Biblioteca Central da Ufal está iniciando o processo de aquisição de livros, exercício 2017, e divulga alguns critérios adotados em conjunto com a Pró-reitoria de Graduação (Prograd) e Procuradoria Educacional e Institucional (PEI).

De acordo com a direção da BC, os critérios de prioridade para compras dos livros são expostos  para ratificar o princípio da transparência, já que os recursos são  para atender a demanda de toda a Universidade Federal de Alagoas.

Ficaram estabelecidos como prioritários os cursos em processo de avaliação in loco ou em processo de protocolo de compromisso, baseado nas informações da PEI. Também estão incluídos na lista do exercício 2017 os cursos que se encontram nestas mesmas condições e foram parcialmente atendidos no processo de aquisição de livros do ano passado, além de todos os outros cursos que ainda passarão pelo processo de reconhecimento.

Os coordenadores das graduações que se enquadram nos referidos critérios já foram notificadas sobre as instruções de como proceder para solicitar os títulos.

“As medidas tomadas buscam otimizar o uso dos recursos existentes e atender às necessidades mais imediatas dos cursos de graduação da Ufal”, explica a direção da Biblioteca. 

Restrições orçamentárias efetuadas comprometem o funcionamento da Ufal

Nota Técnica publicada pela Proginst aponta diminuição de mais de 17% do orçamento em relação a 2016

Gestão da Ufal divulga cortes orçamentários com preocupação

Mércia Pimentel - jornalista

Os recorrentes cortes dos recursos destinados às universidades federais vêm preocupando a Gestão central da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). A primeira Nota Técnica de 2017 produzida pela Pró-reitoria de Gestão Institucional (Proginst) mostra que houve uma redução de mais de 17% do orçamento de custeio e capital destinado à Ufal em comparação ao ano de 2016.

O documento traz o alerta de que se não houver modificações nesse repasse de recursos, as universidades públicas correm o risco de terminar o ano com apenas 70% de liberação do orçamento aprovado. A situação pode gerar dívidas e suspensões das prestações de serviços já em 2017.

O cálculo não levou em consideração despesas com pessoal, encargos sociais e benefícios, já que não estão sob a gestão direta da Universidade. No quesito despesas de custeio, referentes às contas de água, energia e telefone, bolsas dos estudantes, Restaurante Universitário e manutenção dos prédios, por exemplo, houve uma queda de mais de R$ 3 milhões, segundo a nota da Proginst.

De acordo com as informações constantes no documento, até agora houve liberação de R$ 23,2 milhões para todas as despesas correntes da Ufal, isso representa apenas 18,7% do orçamento destinado para este fim, quando deveria haver, pelo menos, 25% de liberação nesse primeiro trimestre. "Em outras palavras, de acordo com o orçamento aprovado, o governo deveria ter repassado R$ 7,8 milhões à conta da Universidade", explica o pró-reitor de Gestão Institucional, professor Flávio Domingos.

Logo após a aprovação da Lei Orçamentária anual em 2017, houve a edição do Decreto 8.961, que dispunha sobre a programação orçamentária e financeira do Executivo. O referido decreto foi alterado em março, o que restringiu "ainda mais os gastos propostos na primeira versão do instrumento, reverberando o contingenciamento de mais de R$ 42 bilhões do orçamento fiscal e da seguridade social do Poder Executivo", explicou o gestor. 

Mesmo tendo sido aprovado, o orçamento de 2017 não poderá ser utilizado em sua totalidade, caso as medidas de contingenciamentos não sejam revertidas pelo Governo Federal, o que repercute nas ações que foram planejadas, uma vez que as liberações de recursos estão cada vez mais incertas. Em vez de receber R$ 3,1 milhões para investimento no primeiro trimestre, só foi liberado para a Ufal 1/18 do orçamento aprovado, o que corresponde a apenas R$ 800 mil. 

E as limitações não pararam por aí, pois a Portaria nº 28 do Ministério do Planejamento dispõe sobre limites de despesas relacionadas à concessão de diárias e passagens, serviços de pessoa física e alguns dos contratos de segurança, manutenção e limpeza, sendo, também, proibidas novas aquisições de veículos, por exemplo.

A Nota Técnica foi apresentada no último dos três dias de planejamento da Gestão Central, em 11 de abril. A equipe de gestores estuda possibilidades de adequação dos recursos sem comprometer o funcionamento da Universidade. "Esta nota é um compromisso da nossa Gestão com a transparência e com a universidade pública e gratuita, no sentido de deixar a comunidade universitária informada sobre o orçamento que dispomos. Temos cotidianamente crescentes demandas de infraestrutura, assistência estudantil, diárias e passagens, atividades de ensino, pesquisa e extensão que afetam diretamente o trabalho dos servidores e o cotidiano dos estudantes ao tempo em que somos levados à readequação de nossas despesas, a um orçamento com cortes e contingenciamentos imposto pelo Governo Federal", destacou a reitora da Ufal, professora Valéria Correia, acrescentando: "temos que definir prioridades. Se continuarmos com os contingenciamentos e só recebermos apenas 70% do que estava previsto no orçamento, teremos que tomar decisões difíceis".

Nas próximas semanas, a reitora estará convocando os diretores das unidades acadêmicas e demais campi para apresentar a política de execução orçamentária em razão dos cortes. "Convido a comunidade universitária a refletir e a se mobilizar frente ao grave momento que passam as universidades públicas, espaços de formação e de produção de conhecimento que impactam diretamente no desenvolvimento da sociedade brasileira", destaca Valéria. 

Leia na íntegra a Nota Técnica produzida pela Proginst em anexo.

Inclusão em sala de aula é tema de palestra no dia 20 de maio

Professora Maria Dolores Fortes será a palestrante

Professora Maria Dolores Fontes

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

No próximo dia 20 de maio, a partir das 10h, acontece no auditório Heliônia Ceres, da Faculdade de Letras, a palestra Práticas de aprendizagem integradoras inclusivas em sala de aula, ministrada pela professora Maria Dolores Fortes, do Centro de Educação da Universidade (Cedu).

A palestra é aberta ao público e deve tratar do tema da acessibilidade na instituição. O evento é organizado pelo Grupo de Estudos Ensino e Aprendizagem de Línguas, da Faculdade de Letras e faz parte do 5º Ciclo de Palestras. 

A participação dá direito a certificado de 2h.

Plataforma Moodle melhora desempenho de alunos em curso presencial

Experiência no curso de Música da Ufal rendeu artigo e publicação em revista internacional

Rivaldo Silva e seus alunos da disciplina Música Brasileira, turma 2016.2

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

Que o Moodle é uma ferramenta essencial para os cursos a distância isso todo mundo já sabe. Mas a novidade é que essa plataforma passou a ser usada como apoio na disciplina Música Brasileira do curso de licenciatura em Música da Universidade Federal de Alagoas e melhorou o rendimento dos alunos. As novas tecnologias são usadas na aula presencial não como repositório de material didático, mas como instrumento de interação entre alunos e professor e discussão em sala de aula.

A iniciativa do professor Rivaldo José de Souza Silva buscou melhorar o rendimento dos alunos da disciplina, que passaram a ser o foco de sua  pesquisa. “Percebia que havia um desinteresse dos alunos na disciplina, que é teórica, e resolvi incrementar as aulas, disponibilizando textos no ambiente virtual, levando-os a interagir e discutir em sala o que haviam estudado ‘em casa’. Eles reclamavam que não tinham livros e que era difícil acompanhar sem material, por isso busquei o auxílio das TIC [Tecnologias da Informação e Comunicação]”, relatou o docente.

Os bons resultados obtidos com o uso do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) fundamentaram a pesquisa e renderam ao professor Rivaldo a publicação do artigo Análise do rendimento dos alunos com o uso do Moodle como ferramenta de apoio na disciplina presencial Música Brasileira, na Revista Internacional de Educação Superior da Universidade de Campinas (Unicamp). “Tanto instituições de ensino como professores são constantemente desafiados a melhorar a qualidade da prática docente com o uso das tecnologias que se ajustem e sejam flexíveis a cada aluno. Nesse artigo, apresento as reflexões geradas pela efetivação da disciplina Música Brasileira no período letivo 2016.1”, confirmou.

No artigo, Rivaldo apresenta os resultados sobre a utilização do ambiente de educação online da Ufal. “Concluímos que o uso do AVA Moodle transformou-se num lugar de encontro e discussão dos alunos e do professor, principalmente no segundo bimestre quando foram ampliados os recursos virtuais utilizados. Dessa forma, o Moodle mostrou-se uma ferramenta poderosa para o ensino, a aprendizagem e a interação”, disse.

A pesquisa

De acordo com Rivaldo, a pesquisa se desenvolveu a partir de levantamento de dados sobre a frequência dos alunos às aulas presenciais, análise da participação nas atividades propostas no AVA Moodle e em questionário semiestruturado. “Iniciamos a pesquisa com o seguinte questionamento: de que maneira o uso do Moodle e os recursos das TIC se traduzem em resultado expressivo na disciplina presencial Música Brasileira?”, apresentou.

Ao organizar a disciplina Música Brasileira auxiliada por recursos das TIC, Rivaldo consegue verificar como esse ambiente virtual contribuiu para a formação dos acadêmicos e para a condução das estratégias metodológicas. Além das apostilas para leitura, o docente elaborou e disponibilizou vários questionários – com questões do tipo ensaio, múltipla escolha, respostas embutidas, verdadeiro ou falso –, fóruns, vídeos-documentários, podcastswikis e também criou um grupo da turma no aplicativo WhatsApp.

Segundo o professor, ao responderem a um dos questionários, todos os alunos afirmaram que já utilizaram ou utilizam o AVA Moodle da Ufal em outras disciplinas ou outros cursos. “No entanto, houve consenso da turma quanto ao uso do Moodle apenas como repositório, para envio e recebimento de materiais. Essa afirmação reforçou nossa observação em relação ao desempenho deles na disciplina”, constatou.

E continuou: “Esse foi o nosso diferencial. Não usamos o Moodle apenas como repositório. É importante ressaltar que todos esses dispositivos usados serviram para despertar o interesse dos alunos. Eles só conseguiam responder aos questionários se lessem as apostilas e isso também rendeu uma boa participação deles nas discussões em sala de aula. Passaram a discordar do autor das apostilas, apresentando argumentos de outros autores, ou seja, eles pesquisaram e se empenharam para melhorar nossas discussões”, destacou Rivaldo.

Os alunos do período 2016.1 também afirmaram que querem levar o ambiente virtual de aprendizagem para suas futuras experiências profissionais. “O AVA Moodle é uma ferramenta que facilita a interação, a apresentação de conteúdos e o ajuste dos horários às necessidades dos alunos”, ressaltaram.

Maior rendimento

Para o professor Rivaldo, o maior rendimento de notas do segundo bimestre em relação ao primeiro, foi resultado da ampliação dos recursos do Moodle e a partir de atividades planejadas e diferenciadas. “Constatamos maior participação dos alunos no segundo bimestre devido ao aproveitamento dessas novas ferramentas elaboradas e disponibilizadas. À medida que os assuntos avançavam e os conteúdos eram disponibilizados, houve aumento do número de alunos que responderam aos questionários, justamente entre os que menos participavam no primeiro bimestre. E mais, a participação nos fóruns aumentou em relação ao primeiro bimestre com atenção às discussões levantadas pela turma e aprofundamento nos assuntos”, confirmou.

Pelas respostas dos questionários, o professor verificou que os alunos reforçaram a importância dos fóruns. “Eles afirmaram que foi possível aprender com a opinião dos outros alunos, mesmo tendo lido o mesmo texto e que o fórum é uma oportunidade de defender seu ponto de vista em relação à discussão levantada pelos colegas e em relação ao próprio texto em confronto com outras fontes e autores”, apontou.

Diante dos resultados positivos em relação ao desempenho dos alunos, inclusive nas notas, Rivaldo confirmou que o uso do AVA Moodle, como ferramenta de apoio na disciplina Música Brasileira, ultrapassou suas expectativas. “No entanto, as discussões levantaram como fatores essenciais, para o andamento de disciplinas que utilizam ambientes virtuais de aprendizagem, o acesso de todos os alunos à internet e a habilidade de manuseio de softwares. O professor tem papel fundamental nesse processo, pois necessita se adaptar a uma geração cada vez mais hábil com as novas tecnologias, além de planejar atividades interativas com os recursos e ferramentas disponíveis no Moodle”, concluiu.

Dia do Índio motiva mais uma palestra do Projeto Clinamen

Encontro será nesta quarta-feira (19), a partir das 18h

Ascom Ufal

Imagens e Artefatos Míticos de Resistência serão os assuntos de mais uma palestra promovida pelo Projeto de Extensão Clinamen, em parceria com a Coordenação do Curso de Filosofia.

O encontro será nesta quarta-feira (19), na Sala 06, no Miniauditório de Filosofia, das 18h às 19h. O tema foi escolhido em alusão ao Dia do Índio, celebrado em 19 de abril. Toda comunidade acadêmica é convidada a participar.

O professor e pesquisador Siloé Amorim, do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Ufal, será o palestrante.

Projeto Lêberdade incentiva leitura para remição de pena nos presídios

Iniciativa do Poder Judiciário tem parceria com núcleos de estudos da Ufal

Arte de divulgação. Crédito: Ascom Seris

Ascom Ufal

O Núcleo de Estudos e Políticas Penitenciárias (Nepp), da Faculdade de Direito da Ufal (FDA), e o Núcleo de Estudos sobre a Violência em Alagoas (Nevial), do Instituto de Ciências Sociais (ICS), lançam, nesta quinta-feira (20), o projeto Lêberdade. A solenidade de lançamento, em parceria com a Secretaria de Estado da Ressocialização e da Inclusão Social (Seris) e o Poder Judiciário, será no auditório da Reitoria, às 14h.

A iniciativa tem o objetivo de admissão da leitura como meio de remição da pena. A professora Socorro Aguiar, da Faculdade de Letras da Ufal, fará uma palestra sobre a importância da leitura na vida das pessoas e em especial daqueles que estão nas prisões.

O lançamento do projeto, como evento de extensão da FDA, é aberto para a comunidade universitária e os participantes receberão certificado de quatro horas. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no dia e local da solenidade. 

Aqueles que forem participar da cerimônia de lançamento podem colaborar com o acervo do projeto por meio da doação de livros.

Certificados para autores de trabalhos e apresentadores orais do Caiite 2016 estão disponíveis

Documentos são emitidos por meio do endereço eletrônico cadastrado; é preciso acessar o site para gerar o certificado

Certificados dos participantes do interior já estão disponíveis

Manuella Soares - jornalista

A Pró-reitoria de Extensão da Ufal já disponibilizou os certificados de participação no Congresso Acadêmico Integrado de Inovação Tecnológica (Caiite 2016) para autores dos trabalhos acadêmicos e os apresentadores orais, de todas as cidades onde o evento aconteceu. Para emitir o documento online, basta acessar o site do Caiite e digitar o e-mail cadastrado.  

Até o mês de março só estavam disponíveis os certificados dos trabalhos acadêmicos de Maceió e Viçosa.  Atendendo às diárias solicitações, a comissão organizadora intensificou o trabalho de produção dos certificados e agora eles já podem ser gerados.

No site também estão disponíveis os documentos dos participantes de apresentações culturais, palestrantes, monitores, avaliadores e mediadores do Caiite em Maceió.

A Proex informou que os certificados dos conferencistas, palestrantes de mesas e ministrantes de oficinas e minicursos do interior ainda estão sendo confeccionados.

Sorriso de Plantão promoveu atividades para comemorar Páscoa

A ação aconteceu nos cinco hospitais atendidos pelo projeto

Doutores caracterizados de coelhinhos da Páscoa

Janielly Carla – estudante de Jornalismo

O projeto Sorriso de Plantão realizou, no último sábado (15) um plantão em comemoração à Páscoa. Os pacientes assistidos por eles receberam cartões, chocolates, presentes e muito amor e afeto. A ação aconteceu nos cinco hospitais públicos de Maceió atendidos pelo grupo formado por alunos da Ufal e Uncisal.

“As atividades deste dia se destacaram, pois, mais que devolver a alegria dos enfermos e acompanhantes, o objetivo era expressar o significado da data comemorada e transmitir esperança e renovação”, ressaltaram os participantes.

A animação do plantão foi com músicas, danças, conversas, brincadeiras e pinturas alusivas ao coelho da Páscoa. Para Débora Santana, estudante de Terapia Ocupacional da Uncisal e voluntária do projeto, as crianças e os adultos hospitalizados, assim como os acompanhantes, por muitas vezes, pelo tempo afastado da família e por todos os problemas do período de internação acabam esquecendo de datas comemorativas importantes.

“Há 15 anos o projeto Sorriso de Plantão promove a alegria, o riso e a humanização no Hospital Universitário. Os palhaços doutores despertam nessas pessoas o desejo de dialogar, brincar e relembrar desses momentos que também precisam ser vivenciados dentro do ambiente hospitalar. A festa da Páscoa costuma trazer à tona nos indivíduos sentimentos de esperança e renovação. Esses sentimentos ficaram nítidos nos olhares e sorrisos de cada paciente alcançado nesse plantão tão especial. As crianças pintadas de coelhinhos, com suas orelhinhas e suas gargalhadas refletem a importância de lembra-las que mesmo hospitalizadas, não perdem a essência da infância. Os adultos sorridentes ao ouvir e cantar as músicas enfatizam com muito carinho que a ludoretapia também tem seu poder com esse público”, relatou Débora.

O Sorriso de Plantão é um projeto de extensão da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) junto com a Pró-reitoria de Extensão da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal). Os hospitais contemplados são: Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA/Ufal), Hospital Geral do Estado (HGE-AL), Hospital Escola Dr. Hélvio Auto (HEHA/HDT), Hospital Santa Casa de Misericórdia de Maceió - Unidade Farol e Hospital Daisy Brêda.

Edufal reedita obra rara de 1902

O Indicador Geral do Estado de Alagoas está de volta pela parceria entre Edufal, Imprensa Graciliano Ramos, Braskem, Fundação Casa do Penedo e Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas

Capa da obra reeditada pela Edufal

Márcia Alencar – jornalista

O Indicador Geral do Estado de Alagoas, de Craveiro Costa e Torquato Cabral, é uma obra de 1902, referencial para os estudiosos que pretendam conhecer a fundo aspectos da formação socioeconômica e pela história social e cultural de Alagoas. Diversos intelectuais alagoanos apresentam neste livro dados históricos, geográficos e estatísticos do Estado, por meio de textos explicativos, mapas, tabelas, ilustrações e fotos. “É o almanaque mais importante do século 20. Atinge a transição de Maceió como cidade”, ressalta o professor e sociólogo Sávio de Almeida.

Para o diretor da Edufal, professor Osvaldo Maciel, esta obra é a penúltima pendência editorial da gestão anterior, que foi concretizada. “O projeto editorial, apesar de ter sido tocado em nossa gestão, respeitou o esboço elaborado pela ex-diretora, Stela Lameiras, consultando-a em todos os momentos de sua confecção", ressalta ele.

“A reedição fac-similar do Indicador Geral do Estado de Alagoas foi possível graças aos esforços coletivos de instituições e pessoas que se mobilizaram, repetindo o esforço e altruísmo de alguns que se dedicaram ao empreendimento, dirigido por Craveiro Costa e Torquato Cabral e efetivado pelos editores Ramalho e Murta”, destaca no prefácio a professora Rachel Rocha, do curso de Ciências Sociais da Ufal. Além de trazer a escrita de Craveiro Costa em alguns capítulos, tem a autoria de Hugo Jardim, Diegues Junior, Affonso de Mendonça, Francisco Izidoro, Alfredo Rego, Eusébio de Andrade, Goulart de Andrade, Adriano Jorge e João Alberto Ribeiro.

“Da vida nos engenhos às cidades, das artes aos ofícios disponíveis em Alagoas, o livro é capaz de nominar um por um parte dos seus cidadãos, do juiz ao coveiro, do artista ao soldado, elencando profissões, lugares, costumes, pessoas e coisas, apontando elementos desse espaço alagoano em formação. É uma obra referencial”, ressalta o professor e antropólogo Bruno César Cavalcanti, em um texto de apresentação do livro.

Para o professor José Roberto Lima, do curso de História da Ufal, a importância dessa obra é ainda maior pelo espaço de tempo entre as duas edições. “São informações relevantes para estudantes, professores, pesquisadores e curiosos pelo cotidiano da época. É um olhar especial só encontrado nesta obra”, destaca. Ele aproveita para parabenizar a Edufal e a Imprensa Graciliano Ramos pela “sacada” e “mérito” em reeditar este título.

Dos editores Ramalho e Murta chama a atenção logo no prefácio do livro o texto: “ Vae correr mundo o Indicador Geral do Estado de Alagoas. No gênero é o primeiro trabalho que surge das artes graphicas alagoanas. Repositório de informações minuciosas, largas e utilíssimas sobre todos os ramos da actividade humana no nosso caro torrão natal. Vem preencher, segundo pensamos e muitos reconhecem, uma grande lacuna, tornando-se fonte copiosa de tudo quanto diz ao nosso desenvolvimento, tomado o termo em sua accepção total  - progresso, moral e material”. A capa é assinada pelo artista plástico Rosalvo Ribeiro e à época Alagoas contava apenas com 34 municípios (dos atuais 102), governada por Euclides Vieira Malta.

O livro pode ser encontrado na sede da Edufal, no Campus A. C. Simões, em Maceió; nas extensões da Edufal no Espaço Cultural, Centro da cidade, e em Delmiro Gouveia, no Campus do Sertão. Também à venda no site www.edufal.com.br.

Debate sobre a questão agrária alagoana será realizado no auditório da FSSO

Encontro será nesta quinta-feira (20), 10h

Ascom Ufal

Nesta quinta-feira (20), 10h, A questão Agrária em Alagoas será tema de debate com o professor Paulo Cândido.

O encontro, promovido pela Coordenação do Curso de Filosofia, será no auditório da Faculdade de Serviço Social (FSSO) da Ufal.

Toda comunidade acadêmica pode participar.

Ufal sediará jornada internacional e encontro sobre educação infantil

Temas da programação são voltados para a formação de professores; inscrições vão até 25 de maio

Jornada e encontro sobre educação infantil será na Ufal. Foto: Semed

Thâmara Gonzaga – jornalista

O Campus A.C. Simões vai sediar, no período de 25 a 27 de maio, a 1ª Jornada Internacional sobre a Formação de Professores (as) de Educação Infantil e o 3º Encontro da Rede de Educação Infantil da Ufal: diálogos entre teorias e práticas. A programação será realizada no auditório Vera Rocha (antigo Csau).

As inscrições para o público em geral já começaram e devem ser feitas no site até o dia 25 de maio. Os valores cobrados variam de R$ 20 a R$ 120, de acordo com os prazos determinados e com as categorias estudante de graduação, de pós, profissional, demais interessados, docente e pesquisador.

De iniciativa do Grupo de Pesquisa Educação Infantil e Desenvolvimento Humano (GPEIDH), vinculado ao Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE) da Ufal, os eventos contam com a parceria de várias instituições do Brasil e exterior, a exemplo da Universidade de Évora, universidades federais do Rio Grande do Sul (UFRGS), Santa Catarina (UFSC), Pernambuco (UFPE), Minas Gerais (UFMG), do Sul de Santa Catarina (Unisul), Fluminense (UFF) e a Universidade de São Paulo (USP).

Sétima edição da Universidança celebra dez anos do curso de Dança

Serão seis dias de programação acadêmica e artística, com oficinas abertas ao público em geral

Arte de divulgação

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

Além de celebrar os dez anos de criação da licenciatura em Dança da Universidade Federal de Alagoas, a 7ª Universidança também vai comemorar o Dia Internacional da Dança – 29 de abril, com intervenção pública no Shopping Pátio Maceió. O evento é considerado a vitrine do curso por apresentar toda sua produção acadêmica e artística para a própria Ufal e para a comunidade externa. É gratuito e pretende movimentar a semana.

A edição de 2017 acontece de 24 a 29 deste mês, com programação intensa durante os três horários, no Espaço Cultural Universitário, na Praça Sinimbú, e no Studio Jayson França, localizado no Jaraguá Tênis Clube. “Este ano mudamos o formato em relação a 2016. Ampliamos de três para seis dias, colocamos programação pela manhã, tarde e noite, concentrando as atividades voltadas aos nossos alunos e aos da Escola Técnica de Artes para o horário da manhã. À tarde e à noite é aberto ao público em geral. Vale a pena conferir”, disse a professora Isabelle Pitta, coordenadora do evento.

Serão ofertadas mesas-redondas, apresentações de trabalhos de comunicação oral, Grupos de Trabalho, oficinas e apresentações artísticas. A programação completa e o regulamento poderão ser consultados na página do evento no Facebook.

Para participar, basta chegar meia hora antes da atividade e fazer a inscrição. O turno da noite será para apresentações coreográficas, resultado de trabalhos dos alunos, e Isabelle também vai reapresentar, dia 27, seu espetáculo Sapatos Vermelhos, na Pinacoteca Universitária. “Nossa semana acadêmica traz a oportunidade que público, de uma maneira geral, e os alunos dos cursos de Artes conheçam a nossa produção. Teremos apresentações de TCCs [Trabalhos e conclusão de curso] e defesa de TCC. Nossos alunos e professores vão mostrar suas pesquisas e suas performances – suas produções artísticas. Por isso que é a vitrine do nosso curso”, destacou Isabelle.

Serão realizados três GTs: Dança e Produção Cultural; Dança e Educação; Dança e Identidade Racial. “Estamos retomando os Grupos de Trabalho, que foram importantes em duas edições anteriores e resultaram na criação e ofertas da disciplina eletiva Dança, Gênero e Identidade Racial, ministrada pela professora Nadir [Nóbrega]”, contou.

A coordenadora do evento fala da satisfação de receber a ex-professora do curso, Paula Caruzo, que hoje leciona na Universidade de Campinas (Unicamp). “Ela está vindo especialmente a Maceió participar do evento e vai apresentar alguns resultados de sua pesquisa realizada em Alagoas por seu grupo de pesquisa da Unicamp. Por ter sido nossa docente, ela ainda mantém o vínculo e estamos abrindo esse espaço”, revelou Pitta.

Momento de integração

Isabelle Pitta explica que o ponto principal da Universidança é formentar nos alunos a produção, seja acadêmica, seja artística. Além disso, ela considera que o evento é um momento de integração entre as turmas. “Queremos despertar nos alunos que estão chegando – do primeiro e segundo semestres –, para que eles se sintam motivados a se envolver com pesquisa e possam participar nas próximas edições apresentando seus trabalhos. Será uma semana muito movimentada e esperamos incentivar o interesse em todos”, definiu.

Será um momento de encontro dos professores e dos alunos e do curso com a comunidade. “Teremos três oficinas ministradas por nossos alunos e voltadas para o público externo. Duas são sobre danças urbanas e a outra de dança de salão. Para realizar essas atividades, fizemos parceria com o Stúdio Jayson França, que foi nosso aluno”, anunciou a coordenadora.

Pró-reitor participa de estágio na Academia Chinesa de Ciências

Pela primeira vez, um pesquisador brasileiro participou deste programa

Alejandro Frery com um dos professores do Programa na China

Danielly Bezerra - estudante de Relações Públicas

O professor Alejandro César Frery Orgambide, à frente da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep) da Ufal, retornou no início do mês de março após dois meses inserido em um estágio para capacitação no Northwestern Institute of Eco-Environment and Resources, promovido pela Chinese Academy of Sciences (CAS), localizada na cidade de Lanzhou, estado de Gansu, na China.

O programa, intitulado The Chinese Academy of Sciences President’s International Fellowship for Visiting Scientists, que teve como anfitrião desse convite o professor Xin Li, é mantido pela CAS e recebe pesquisadores de diversos países para atividades de pesquisa e extensão. O programa vem se consolidando no decorrer dos anos e, recebeu, pela primeira vez, um pesquisador do Brasil. “A dimensão dos Institutos de Pesquisa que visitei é invejável. É claro o investimento que a China faz em pesquisa científica e em transferência de tecnologia, tanto em infraestrutura quanto em recursos humanos. Impressiona particularmente a forma de gestão, com pouquíssimos cargos permanentes e um elenco de jovens pesquisadores focados na produção científica e tecnológica de qualidade. Há claramente uma visão de estado, com o objetivo de alcançar e manter patamares internacionais”, afirmou.

Durante a participação no estágio de capacitação, o pró-reitor teve a oportunidade de visitar a cidade de Sanya e compartilhar os avanços de suas pesquisas em modelagem e análise de dados de polarimetria em microondas, participando inclusive da 29ª Reunião do Grupo Diretor Científico do WCRP/GEMEX (Programa Mundial de Pesquisas Climáticas). Alejandro também ministrou palestras e minicursos com temas como How to be lucky publishing, Elements of Practical Statistical Inference e Statistical Models & Model Fitting.

A CAS, sediada em Pequim, na China, foi fundada em 1949 e reúne cientistas e engenheiros do país e de todo o mundo para abordar problemas teóricos e aplicados usando abordagens científicas e de gestão de classe mundial. Como descrito no site da academia, a CAS “é a pedra angular do impulso da China para explorar e aproveitar a alta tecnologia e as ciências naturais para o benefício da China e do mundo”. Atualmente, são mantidos 39 centros de transferência de tecnologia e incubação e mais de 250 entidades de pesquisa conjunta. Somente no ano de 2014, as mais de 700 empresas derivadas da CAS representaram cerca de US$ 56 bilhões.

Outras atividades

Logo após concluir o estágio de capacitação na academia chinesa, na primeira semana do mês de março, o professor Alejandro seguiu para Miami (EUA) e participou da primeira reunião anual do IEEE Geoscience and Remote Sensing Society. O Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (em inglês, IEEE), de origem norte-americana, é a maior organização profissional do mundo dedicada ao avanço da tecnologia em benefício da humanidade e sem fins lucrativos. O pró-reitor, que já atuava como Editor Chefe do periódico IEEE Geoscience and Remote Sensing Letters, foi reconduzido para o cargo por mais dois anos (biênio 2017-2018).

“Ser o Editor Chefe de um periódico tipo Letters é um enorme desafio. É necessário aliar qualidade e rapidez, para levar à comunidade científica especializada trabalhos inovadores que abordem problemas de grande interesse. O foco da minha gestão tem sido na qualidade do produto entregue. Para satisfação da IEEE Geoscience and Remote Sensing Society, na última avaliação de periódicos indexados, este veículo aumentou o seu fator de impacto de aproximadamente 1,8 para mais de 2. Com isso, ele se posicionou firmemente no primeiro quartil dos periódicos da sua área. O mesmo crescimento pode se afirmar quando observadas métricas de prestígio como, por exemplo, o Eigenfactor e o Article Influence. É uma grande honra ser reconduzido para esse cargo, representando assim a Ufal no cenário dos melhores periódicos científicos”, destacou Alejandro.

A segunda reunião da Sociedade está marcada para o mês de julho, em Fort Worth/Dallas, no estado do Texas, por ocasião do International Geoscience and Remote Sensing Symposium (IGARSS), e a terceira e última reunião do ano acontece em novembro, na cidade de Atlanta, Geórgia, ambas nos Estados Unidos e com a participação confirmada do pró-reitor.

Para consultar a produção mais recente de Alejandro Frery ligada à sociedade, clique aqui.

Projeto que possibilita remição de pena por meio da leitura é lançado na Ufal

Ação do Poder Judiciário e do Governo de Alagoas contou com a parceria da Ufal em sua elaboração

Diretor da Edufal, Osvaldo Maciel, autoridades do Poder Judiciário e do Governo do Estado durante solenidade de lançamento do Lêberdade

Thâmara Gonzaga - jornalista

A leitura abre novos horizontes, faz nascer perspectivas, sonhos e planos de vida. Por meio do projeto Lêberdade, o hábito de ler também vai proporcionar reintegração e remição de pena para os presos condenados do sistema prisional de Alagoas.

A cerimônia de lançamento do projeto foi nessa quinta-feira (20), no auditório da Reitoria da Ufal. Autoridades do Poder Judiciário, juízes José Braga Neto (da Vara de Execuções Penais) e Maurício Brêda (auxiliar da Presidência do Tribunal de Justiça de Alagoas); da Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social, secretário-executivo de Gestão Interna da Seris, major Henrique do Carmo; da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), servidores e reeducandos participaram da solenidade. O diretor da Editora da Universidade (Edufal), professor Osvaldo Maciel, representou a reitora Valéria Correia.

“Parabenizo a todos que fazem parte dessa iniciativa. Pelas apresentações realizadas, percebe-se o quanto há de envolvimento. A Ufal está de portas abertas, pois é preciso derrubar os muros, aproximar a academia da sociedade”, afirmou Maciel. Ele levou exemplares do catálogo da Edufal para doar ao projeto. “Espero que mais pessoas se motivem a doar também e ajudar ainda mais essa ação”.

O Lêberdade é uma ação do Poder Judiciário, do Governo de Alagoas, através da Seris e da Seduc, e contou com a parceria da Ufal em sua elaboração. A coordenadora do Núcleo de Estudos e Políticas Penitenciárias (Nepp) da Faculdade de Direito (FDA), professora Elaine Pimentel, representou a Universidade na comissão do projeto, que também contou com o apoio do Núcleo de Estudos sobre a Violência em Alagoas (Nevial), do Instituto de Ciências Sociais (ICS). “A Ufal foi convidada a compor a equipe responsável pela elaboração. Esse lançamento é um momento importante, pois representa mais uma forma de reintegração social”, destaca a coordenadora do Nepp.

A programação da solenidade contou ainda com uma palestra da professora Socorro Aguiar, da Faculdade de Letras da Ufal, sobre a importância da leitura na vida das pessoas, em especial, daqueles que estão cumprindo pena.

Sobre o Lêberdade

A gerente de Educação, Produção e Laborterapia da Seris, Andréa Rodrigues, explica que o projeto será realizado em fases específicas. “Equipes técnicas multidisciplinares acompanharão todas as etapas do projeto, desde a escolha do gênero literário até o momento da verificação presencial da aprendizagem”, esclarece.

Segundo Rodrigues, as leituras deverão ser de obras literárias, clássicas, científicas ou filosóficas. “Teremos uma comissão para definir quais os títulos que poderão ser lidos, outra equipe para realizar a seleção do reeducando, além de uma operacional, responsável por estabelecer o prazo para término da leitura, avaliar a produção escrita e arguição oral”.

Ela esclarece que, para obter o benefício por meio do Lêberdade, o reeducando deve apresentar as condições de condenado do regime fechado, ser voluntário, saber ler e escrever.

Para cada livro lido, explica Andréa Rodrigues, o reeducando terá direito a quatro dias a menos na pena. “Para fins de remição de pena, é limitado a leitura de um livro por mês, mas o reeducando pode ler quantos livros quiser. O objetivo do projeto é, antes de tudo, estimular o hábito da leitura”, reforça.



Jornada Universitária debate Reforma Agrária

Abertura será nesta segunda – feira (24), às 16h

Arte de divulgação

Diana Monteiro – jornalista

Debates, rodas de diálogos, feiras e atividades culturais movimentam a 2ª Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária (Jura) que transcorre até o dia 13 de maio em Maceió, Arapiraca, Palmeira dos Índios, Satuba e Delmiro Gouveia. A abertura na Ufal será nesta segunda-feira (24), às 16h, na Praça da Paz, Campus A.C. Simões.

A jornada ocorre em todo o país neste mês, denominado de Abril Vermelho, relembrando o Massacre de Eldorado dos Carajás, em 17 de abril de 1996. O evento busca contribuir para o enraizamento do debate acerca da reforma agrária e da luta pela terra nas instituições de educação superior.

No Estado, além da Universidade Federal de Alagoas, a jornada conta com programação específica coordenada pela Universidade Estadual de Alagoas (Uneal) e visa mobilizar alunos, professores, movimentos sociais e interessados.

O Grupo Som no Cantinho marcará participação na abertura da Jura na Praça da Paz, fazendo uma apresentação com referências às lutas do Abril Vermelho.

Educação escolar é tema do Abril Indígena

Evento será realizado no Museu Théo Brandão

Arte de divulgação

Jacqueline Batista – jornalista colaboradora

O Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (MTB) vai realizar o Abril Indígena, na próxima quinta-feira (27), das 8h às 17h. A programação terá mesas-redondas e exibição de documentário etnográfico. O evento, que está em sua sétima edição, é aberto ao público.

De acordo com o professor Evaldo Mendes, um dos organizadores do Abril Indígena, a programação deste ano vai enfatizar o debate sobre a educação escolar indígena em Alagoas. “O objetivo principal é iniciar uma reflexão sobre a escola indígena a partir da experiência concreta de seus professores. Nesse aspecto, o 'Abril Indígena' oferecerá também uma oportunidade para o debate sobre o papel da escola e as perspectivas atuais e futuras da educação escolar indígena em Alagoas", explicou. 

Entre 8h e 11h, vai acontecer a mesa-redonda Professores indígenas em Alagoas: relatos de experiências, desafios e perspectivas, com a participação dos professores indígenas Xukuru-Kariri Cássio Junio Ferreira da Silva e Gecinaldo Soares Queiroz; e os professores indígenas Wassu-Cocal Evandro Lima e Simone Maria dos Santos.

A mesa-redonda Reflexões sobre a educação escolar indígena em Alagoas será realizada entre 13h e 15h, com as mestrandas em Antropologia Social Aldjane de Oliveira (UFPE) e Jéssika Danielle dos Santos Pereira (Ufal), a estudante de Direito Viviane Wanderley, e o doutor em História pela UFPE, Gilberto Geraldo Ferreira.

Às 16h, tem início a exibição do documentário Educação na Amazônia: o saber indígena. Dirigido por Jorge Mansur, o curta-metragem descreve as experiências de professores indígenas na escola dos índios Tembés, no estado do Pará.

O evento tem apoio do Instituto de Ciências Sociais (ICS), do Programa de Pós-graduação em Antropologia Social (PPGAS) e do Grupo de Pesquisa em Etnologia Indígena. A comissão organizadora é formada pelo professor Evaldo Mendes da Silva e os alunos do PPGAS Jéssika Danielle dos Santos Pereira e Ítalo Dennis de Oliveira.

Núcleo de Línguas convida comunidade universitária para curso de inglês

Para se inscrever é necessário ter feito o TOEFL

Curso de inglês é oferecido de graça para estudantes, técnicos e docentes

Rafaela Oliveira - estudante de Relações Públicas

O Núcleo de Línguas da Universidade Federal de Alagoas (Nucli/Ufal) convida a comunidade universitária se inscrever no curso My English Online - MEO. O curso é gratuito e oferecido pelo Programa Idiomas sem Fronteiras. Para se inscrever é necessário ter feito o Test of English as a Foreign Language (TOEFL ITP). 

As inscrições são abertas a estudantes da graduação, pós-graduação, docentes e técnicos administrativos. Ao se cadastrar no sistema e realizar o ‘Teste de Nivelamento’, o usuário terá seis meses para concluir o curso.

Sérgio Ifa, coordenador do Nucli na Ufal, destaca que o curso auxilia na internacionalização da Universidade e o Núcleo depende do interesse da comunidade para continuar oferecendo suas atividades presenciais.

Para estudantes, a inscrição deve ser feita no site do curso . Já os docentes e técnicos podem realizar a inscrição aqui.

Mais informações na fanpage do Nucli no Facebook.

Liga de otorrino promove campanha para saúde da voz

Atividades serão realizadas no Denisson Menezes, no dia 6 de maio

Atividades da campanha serão realizadas no Denisson Menezes

Ascom Ufal

A Liga Acadêmica de Otorrinolaringologia Alagoana, da Faculdade de Medicina (Famed) da Ufal, é parceira na realização do evento promovido pela Academia Brasileira de Laringologia e Voz (ABLV) com apoio da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF). Com o tema Dê voz ao que é bom, a campanha será realizada no dia 6 de maio, no Denisson Menezes.

A programação, gratuita para toda a população, conta com atividades lúdicas e de orientação por profissionais e estudantes. Coordenadora da Liga, a professora Therezita Galvão Castro conta que o evento é em alusão ao Dia Mundial da Voz, comemorado em 16 de abril, e tem como principal objetivo provocar a reflexão sobre a importância da saúde vocal, uma vez que ela é um aspecto importante da convivência social.

"Problemas com o aparelho fonador têm grande impacto social, econômico, profissional e pessoal, configurando-se como uma das causas de afastamento do trabalho. Levando informação dos cuidados com a voz, do controle de fatores de riscos que podem até levar ao câncer de laringe, como tabagismo, álcool, ambiente de trabalho, refluxo gastroesofágicos  e outros. No aparecimento do sintoma de rouquidão que persista por mais de 15 dias, deverá procurar o  medico otorrinolaringologista , para realização do exame de videolaringoscopia e obter o diagnóstico de doenças da laringe. Devendo ter a participação da fonoaudióloga na terapia da voz”, explicou Therezita.

Os membros da Liga Acadêmica de Otorrinolaringologia Alagoana já realizaram, neste mês, atividades no Shopping Maceió e no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA) da Ufal.

Inscrições para o Pré-Enem do Conexões de Saberes podem ser feitas até 30 de abril

São 350 vagas destinadas para estudantes de escolas públicas

Thâmara Gonzaga – jornalista

As inscrições para a seleção do curso Pré-Enem, vinculado ao Programa Conexões de Saberes da Ufal, já estão abertas. Conforme o edital, são 350 vagas destinadas para estudantes de escolas públicas. Os interessados em participar devem acessar o site da Copeve para se inscrever. O prazo vai até o dia 30 de abril. 

Para participar do processo seletivo, os candidatos devem ser provenientes de escola pública e possuir renda per capita familiar igual ou inferior a um e meio salário mínimo vigente. É preciso, ainda, estar regularmente matriculado no terceiro ano ou ter cursado, integralmente, o ensino médio na rede pública estadual, municipal ou federal. O Pré-Enem Comunitário também aceita inscrição de aluno da rede particular, incluindo a cenecista, desde que comprove ser bolsista integral.

Este ano, o programa traz a novidade de abertura de 50 novas vagas com aulas a serem realizadas na Usina Ciência da Universidade. As demais continuam com a equipe do Centro de Tecnologia (Ctec). Os estudantes devem conferir no edital os requisitos exigidos para concorrer às vagas destinadas para cada local.

A seleção será realizada pelo Programa Conexões de Saberes da Ufal, por meio da Pró - Reitoria de Extensão (Proex).

Procedimentos após inscrição no site da Copeve

Depois de se inscrever no site, o candidato deve confirmar a inscrição no período de 2 a 5 de maio, das 9h às 21h, na sala do Programa Conexões de Saberes, localizada no bloco do Centro de Educação (Cedu), Campus A. C. Simões, em Maceió.

Comprovante de inscrição on-line, cópias e originais do histórico escolar ou declaração da escola, comprovante de renda per capita familiar, CPF, RG ou outro documento oficial com foto devem ser apresentados na ocasião.

A partir do dia 15 de maio, o candidato deve acessar o site da Copeve para consultar a lista de homologados e imprimir o cartão de inscrição, com a respectiva indicação do local de prova. A apresentação do cartão, junto com um documento de identificação oficial, é condição indispensável para ter acesso ao exame seletivo.

A prova será no dia 21 de maio, com início às 14h.

Início das aulas

A aula inaugural do curso Pré-Enem 2017 será no dia 9 de junho. As aulas começam no dia 12 do mesmo mês e serão realizadas até a edição do Exame, prevista para o mês de novembro.

No Campus A. C Simões, em Maceió, as aulas acontecerão de segunda a sexta-feira, no horário de 19h às 22h. Na Usina Ciência, localizada na Rua Aristeu de Andrade, 452, Farol, de segunda a sexta-feira, no horário de 13h às 18h.  

Faculdade de Letras promove 2º Seminário de Extensão

A programação inclui minicursos e mesas-redondas

Faculdade de Letras da Ufal vai promover seminário sobre extensão

Rafaela Oliveira - estudante de Relações Públicas

Nos dias 3 e 4 de maio, a Faculdade de Letras da Ufal (Fale) realizará seu 2º Seminário de Extensão, com o tema Educar para transformar. A programação inclui mesas-redondas e minicursos e haverá certificação aos participantes.

Segundo a coordenação de extensão da Fale “trata-se de um momento muito importante para o desenvolvimento da extensão em nossa faculdade, em que poderemos expor nossas ações, discutir e ampliar nossa atuação neste que é um dos tripés que sustentam a Universidade”,

A abertura do evento está marcada para às 9h, no mini auditório Heliônia Ceres, com mediação da professora Simone Makiyama. O tema do debate será Extensão e universidade: estabelecendo diálogos entre o ensino e a sociedade.

Os minicursos do primeiro dia serão oferecidos pelos professores Flávia Colen Meniconi e Paulo Leôncio da Silva. Já no dia 4, as professoras Fabiana de Oliveira e Jacqueline Velasquez ministrarão outros minicursos de Redação Oficial e Introdução à pragmática de espanhol.

A programação ainda conta com sessões de comunicação oral. Confira no anexo. 

Colóquio sobre antropologia da criança será realizado dia 4 de maio

Evento é promovido pelo Geppeci

Auditório do Centro de Educação da Ufal sediará evento

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

O Grupo de Estudos e Pesquisas em Pedagogias e Culturas Infantis (Geppeci) realiza no próximo dia 4 de maio, a partir das 14h, no auditório do Centro de Educação, o 1º Colóquio do Geppeci. A pesquisadora Marina Rebeca Saraiva é a convidada do evento para debater o tema A infância e as Ciências Sociais: contribuições da Antropologia da Criança.

Liderado pelos professores da Ufal Solange Estanislau dos Santos e Cleriston Izidro dos Anjos, o Colóquio será aberto ao público e dará certificado de participação. A professora Marina Rebeca Saraiva é pesquisadora de Desenvolvimento Científico Regional da Ufal e coordena o Grupo de Estudos de Antropologia da Criança (Mead).

Mais informações sobre o evento pelo e-mail geppeci@gmail.com, ou no Facebook

Grupo de extensão realiza curso de práticas inclusivas

Público alvo são professores de educação básica, alunos de graduação e pós de psicologia e pedagogia, além de técnicos da Ufal

Curso semipresencial vai debater educação inclusiva

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

O grupo de extensão Habilitando Recursos Humanos para a Inclusão Educacional (Humanese) realiza, durante o mês de maio, o curso de Práticas de Aprendizagem Integradoras e Inclusivas.

O curso, destinado a professores de educação básica, alunos de graduação e pós-graduação de psicologia e pedagogia e técnicos da Ufal,  tem carga-horária de 20 horas, das quais sete horas serão online.

A primeira turma terá aulas presenciais nos dias 2, 9, 16, 23 e 30 de maio, na sala do Instituto de Psicologia, das 14h às 16h30. Com 30 vagas, o curso será ministrado pela professora Maria Dolores Fortes Alves e colaboradores. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas aqui.

Os participantes aprenderão sobre as estratégias de autoconhecimento e concentração; dinâmicas de acolhimento às diversidades; o valor da diversidade; recursos de tecnologias assistivas e construindo recursos internos e externos. O material didático conta com folhetos, vendas, protetores auriculares, cadeiras de roda, muletas e atividades online.

Os certificados serão emitidos pela Pró-reitoria de Extensão. Mais informações pelo email: j.carolinepimentel@gmail.com ou pelos telefones: (82) 996437985 / 988812592 / 999718210 (Todos whatsapp).

Edufal destaca livro da área de saúde

A Edufal aproveita o Dia da Saúde comemorado em abril para destacar um dos principais livros de seu acervo na área: Antibióticos e Quimioterápicos Antimicrobianos

Publicação é referência nacional na área

Márcia Alencar - Jornalista

O mês de abril também comemora o Dia Mundial da Saúde e a Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal) aproveita para destacar um dos livros mais antigos e ainda procurados de seu acervo: Antibióticos e Quimioterápicos Antimicrobianos. Os autores são os médicos e professores José Maria C. Constant e André B. L. Constant, em sua segunda edição, de 2015, numa parceria com a Sarvier Editora de Livros Médicos.

Esta obra é um guia eficaz para quem precisa fazer uma consulta sobre espectro antimicrobiano, indicações, efeitos colaterais e contraindicações dos antibióticos. Também apresenta capítulos escritos por médicos especialistas, a exemplo de hepatologista, intensivista, nefrologia, pediatra, obstetra, oftalmologista, dermatologista e otorrinolaringologista, além de odontólogos, que falam do uso de antibióticos em suas respectivas especialidades.

Sobre os autores, José Maria C. Constant é médico especialista em doenças infecciosas e parasitárias e clínica médica, professor aposentado da Universidade Federal de Alagoas e da Uncisal e médico do Hospital de Doenças Tropicais Constança de Góes Monteiro (1968 a 200). Já André B. L. Constant é médico especialista em doenças infecciosas e parasitárias do Hospital Escola Dr. Hélvio Auto (Uncisal). Segundo eles, os escritos nasceram e tomaram corpo gradativamente ao longo de cinco de cursos de Atualização em Antibióticos, promovidos pelo Centro de Estudos do Hospital de Doenças Tropicais, ainda na década de 1970. “O apoio e interesse dos alunos nos fez decidir pela publicação das palestras, ainda com a participação do médico Hélvio Auto”, diz José Maria Constant.

Assim saíram mais quatro edições até 2008, quando novos conceitos surgiram, velhos e sólidos conceitos permaneceram e foi ampliado o quadro de colaboradores, trazendo profissionais médicos e odontólogos que disseram ao clínico o que pode ser feito nas suas especialidades. “Consideramos mudada a essência da publicação, resolvemos em acordo com a Edufal, apresentar a 1ª edição de Antibióticos e Quimioterápicos Antimicrobianos, dedicada ao professor Hélvio Auto”, relatam na apresentação do livro, ressaltando também a parceria com a Editora Sarvier, que levou a publicação a nível nacional.

O livro pode ser encontrado na sede da Edufal, no Campus A. C. Simões, em Maceió; nas extensões da Edufal no Espaço Cultural, Centro da cidade, e em Delmiro Gouveia, no Campus do Sertão. Também à venda no site www.edufal.com.br.

MTB prorroga inscrições para Mostra Poéticas e Talentos Coreográficos

Projetos podem ser enviados até 5 de maio

Arte de divulgação

Jacqueline Batista – jornalista colaboradora

O Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (MTB) prorrogou, até 5 de maio, as  inscrições para 1ª Mostra Poéticas e Talentos Coreográficos. As apresentações irão acontecer entre maio e agosto, no terceiro sábado do mês.

Os interessados deverão enviar nome, endereço, números de documentos e um texto em formato de resumo, contendo nome do trabalho, trilha sonora ou visual, tempo de duração da apresentação e nomes dos componentes para o e-mail museutheobrandao@gmail.com.

Veja aqui mais detalhes sobre inscrição e regulamento.

Ufal oferta cinco vagas para Mestrado Profissional em Química

Inscrições já começaram e podem ser feitas até 26 de maio

Arte de divulgação

Ascom Ufal

O Mestrado Profissional em Química em Rede Nacional (Profqui) está com inscrições abertas para o processo seletivo de ingresso no segundo semestre de 2017. As inscrições devem ser feitas neste endereço até o dia 26 de maio. Por esse programa, na condição de instituição associada, a Universidade Federal de Alagoas (Ufal), por meio do Instituto de Química e Biotecnologia (IQB), está com a oferta de cinco vagas.

Podem se inscrever candidatos que estejam no efetivo exercício da docência em Química na educação básica e sejam portadores de diplomas de graduação em licenciatura em Química, ou áreas afins, em cursos reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC).

O Profqui é um programa de pós-graduação reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e tem como objetivo proporcionar formação aprofundada e relevante ao exercício da docência no ensino médio. O curso é semipresencial, ministrado por instituições de ensino superior que integram a Rede Nacional.

A coordenação é do Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em cogestão com a Sociedade Brasileira de Química (SBQ) e apoio das instituições associadas, inclusive a Ufal, formando uma Rede Nacional de Pós-graduação no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Mais informações sobre o curso estão disponíveis neste endereço.

Escola Técnica de Artes apresenta três recitais de percussão

São recitais de formatura dos alunos Atarcizio Alexandre, Leo Costa e Mylanne Santana

O primeiro recital será de Atarcizio Alexandre, no Espaço Cultural

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

Mais três alunos da Escola Técnica de Artes (ETA) estão concluindo o curso de Percussão e para fechar a pauta serão realizados recitais de formatura com Atarcizio Alexandre, Leo Costa e Mylanne Santana. O primeiro será dia 28 de abril, próxima sexta-feira, e os outros dois em 22 e 29 de maio, todos no Espaço Cultural da Universidade Federal de Alagoas.  

As apresentações dos formandos terão a participação do Percufal, grupo percussivo da ETA. Dia 28 de abril, às 19h, será a vez Atarcizio Alexandre, o formando número 4. No repertório, obras dos compositores Jesus Martinez, Daniel Berg, Andrea Schneider, Charley Wilcoxon e Amadeus Mozart. O percussionista Herson Hondinely também fará parte do concerto.

O recital de formatura em Percussão de Leo Costa será dia 22 de maio, às 19h. Os compositores que ele vai apresentar no repertório são: Ney Rosauro e Spiros Laboukas, além da participação do Clube do Jazz, interpretando clássicos da bossa nova e do jazz como Samba de Verão, Gentle Rain, Bluesette Blue Monk, entre outros. Grupo Percufal, Maglione Santos, Felix Baigon, Rony e Beto Silva são convidados especiais.

Finalizando a maratona de concertos, a formanda Mylanne Santana se apresenta dia 29 de maio, também às 19h, com a parceria de Maycon Ferreira. Seu repertório traz as obras dos compositores Osvaldo Lacerda, Khachaturian, Mitchell Peters, John Beck e Eckehardt Keuner.

Segunda turma

Essa é a segunda turma formada em Percussão pela ETA e de acordo com o professor Augusto Moralez, a premissa do curso é o desenvolvimento do aluno e a preocupação que ele saia com vivência musical artística de qualidade. “Eu avalio como esse aluno chegou e como ele está saindo. Esse caminho é muito importante para nós. O aluno que chega sem saber bater palma e sai do curso tocando bem uma música, para mim, esse aluno é nota 10, porque contatamos que ele evoluiu”, revelou.

O professor diz que partindo da premissa do desenvolvimento do estudante, pode-se afirmar que cada um deles está saindo da ETA com uma vivência musical muito grande. “Eles tiveram a oportunidade de conhecer vários instrumentos, tiveram a oportunidade de vivência artística de qualidade com o Percufal, que é um grupo no qual nosso trabalho principal é a excelência, sem nenhuma prepotência. Buscamos o refinamento e é isso que tento ensinar para os nossos alunos, principalmente”, ressaltou.

E completa: “A maior lição do curso, o que o professor pode passar para o aluno, é ensinar para ele o carinho que temos de ter com as poucas coisas que a gente faz. O que a gente faz é o mais importante. Eles saem daqui pensando no capricho, no cuidado, que tipo de som que eles querem ter, como preparar o palco, como se portar em cima do palco; essas são algumas lições que eu ensino”.

De acordo com Moralez, Alagoas é um estado muito percussivo. “As pessoas são percussionistas naturalmente, mas aqui na ETA, o que eu busco não é só uma vivência percussiva; procuro proporcionar uma vivência que prepare eles para o mundo profissional, principalmente. Por isso que, algumas vezes, as pessoas não se adaptam bem ao curso, porque entram esperando uma vivência que não vão encontrar aqui. Nossa proposta é profissionalizar e dar uma vivência artística de qualidade; que nosso aluno tenha um aprendizado, sempre buscando a melhoria profissional e que entendam como é se colocar no mercado de trabalho de maneira competente”, reafirmou.

SERVIÇO

O quê: Recitais de Percussão
Quando: 28 de abril, 22 e 29 de maio, às 19h
Onde: Espaço Cultural da Ufal, na Praça Visconde de Sinimbu
Entrada gratuita
Mais informações: 3214-1614

Projeto discute comunicação pública voltada à amamentação

Proposta é aprimorar a comunicação sobre aleitamento materno em hospitais e postos de saúde; grupo promoverá evento no dia 11 de maio

Arte de divulgação

Bruno Presado – estudante de Jornalismo

Após o nascimento, o aleitamento materno constrói um vínculo importante - e natural - entre a mãe e o filho. Não apenas na relação sentimental, ou afetiva, mas também no aspecto da saúde, pois o leite materno contribui na imunidade inicial atendendo às necessidades de nutrientes e sais minerais no período de desenvolvimento da criança.

Em Alagoas, a taxa de mortalidade infantil é a segunda maior do Brasil, o que preocupa a comunidade acadêmica. Por isso, o projeto Comunicação pública para a saúde: promovendo ações para conscientização e divulgação dos benefícios da amamentação reúne propostas para melhorar a informação em hospitais públicos e, a partir disso, discutir o assunto para aumentar a aceitação das gestantes sobre o aleitamento materno como um hábito saudável podendo, inclusive, contribuir para melhorar esse índice.

O projeto de extensão, que também faz parte dos grupos de pesquisa Giemi e Corps, é liderado pela professora de Relações Públicas, Manuela Callou, junto a cinco alunos de comunicação. A iniciativa atende aos critérios do Programa Círculos Comunitários de Atividades Extensionistas (Proccaext) da Proex. Desde julho do ano passado, o projeto fortalece a interação com comunidades próximas à Universidade Federal de Alagoas (Ufal) em ações específicas, como entrevistas com gestantes, representantes e servidores do Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes (HUPAA). Sobre a proposta, a intenção é aprimorar a comunicação pública relacionada à amamentação, para torná-la eficiente a qualquer nível de instrução.

Ações do projeto em maio

Na semana das mães, em maio, o projeto promove o evento Vamos conversar sobre amamentação? nos corredores do HU. O encontro terá palestras com especialistas, dinâmicas lúdicas em grupo e, além disso, irá sortear duas premiações para acolher as gestantes e mães de recém-nascidos. Isso contribuirá à pesquisa apresentar um panorama sobre a situação no Estado. A ação acontece no dia 11 de maio, na sala de aula de radiografia, do Hospital Universitário, às 8h30.

O evento trará uma abordagem diferente para as pacientes que também podem participar com depoimentos e questionamentos sobre o aleitamento materno. A partir disso, com a colaboração dos médicos e servidores do HUPAA, a equipe está empenhada para incentivar a busca por informação e, ressalta, que o evento é parte integrante da Semana Mundial da Amamentação, comemorada em agosto.

Para mais informações, acesse a página do evento no Facebook.

Estudantes de jornalismo lançam agência com foco em exploração de dados

Agência Tatu de Jornalismo de Dados é a primeira no segmento em Alagoas

Logotipo de divulgação - Jangada Filmes

Redação Agência Tatu 

A expansão e o aprimoramento dos mecanismos de transparência nos últimos anos têm facilitado o acesso aos dados públicos. Sabendo do potencial contido nessas informações para a construção de uma sociedade mais participativa, três estudantes do curso de jornalismo da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) criaram a Agência Tatu de Jornalismo de Dados.

A plataforma é a primeira no segmento no estado de Alagoas e baseia-se na extração, estruturação, análise e visualização de dados. A ideia é transformar as informações presentes nos números em notícias de relevância para os alagoanos.

“Já estamos há algum tempo estudando, pesquisando e fazendo o possível para viabilizar o projeto da agência e agora, com o lançamento, sentimos que este é o primeiro passo para concretizar esta área no jornalismo alagoano”, ressalta uma das fundadoras da agência, Graziela França.

O lançamento da plataforma ocorre dias após a equipe da Agência Tatu conquistar o primeiro lugar no Prêmio Braskem de Saúde e Segurança no Trabalho, na categoria estudante, com a matéria Fim da linha: assaltos a ônibus afetam saúde mental de rodoviários em Maceió. Leia aqui. 

O material produzido para dar início aos trabalhos da agência explora dados de assaltos em transporte coletivo na capital alagoana, obtidos junto à Secretaria de Segurança Pública de Alagoas, e os apresenta ao público por meio de gráficos e um mapa interativo.

“Conseguimos perceber, por exemplo, que grande parte dos assaltos acontece no bairro do Jacintinho, com pico de ocorrências às 20h. Com essas informações fizemos um link direto com os relatos de agressões psicológicas e traumas sofridos pelos rodoviários em Maceió e constatamos que a falta de segurança afeta diretamente a saúde mental de muitos deles”, explica outro fundador, Lucas Thaynan.

A estudante Micaelle Morais, também fundadora da agência, conta que um dos planos é oferecer o conteúdo produzido para republicação da imprensa local, com o intuito de expandir o alcance.

“Queremos contribuir com a circulação de conteúdo novo nos veículos de comunicação do Estado, para que boa parte da população tenha acesso e possa desfrutar de uma experiência diferenciada no fazer jornalismo. Sabemos que a correria do dia a dia nas redações torna difícil para o jornalista destinar tempo para coleta e apuração de dados, por isso, decidimos atender a esta demanda”, pontua.

Agência Tatu

É uma agência de notícias desenvolvida por alunos do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Alagoas, com foco em jornalismo de dados. Sob orientação dos professores Magnólia Rejane, Julio Arantes e Érico Abreu, os estudantes produzem material jornalístico relevante sobre o Estado de Alagoas a partir da exploração e visualização de dados em múltiplos formatos, com a utilização de elementos como texto, vídeos e gráficos estáticos e interativos.

O objetivo é produzir conteúdo que vá além da informação factual, utilizando dados dispostos em portais de transparência, e solicitações feitas aos órgãos por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).

Proest destaca importância de debater sobre depressão

Campanha da OMS trouxe o tema para o Dia Mundial da Saúde, neste mês de abril

Arte de divulgação

Ascom Ufal

Este ano a campanha da Organização Mundial da Saúde abordou a depressão por estimar que 350 milhões de pessoas de todas as idades sofrem com esse transtorno. Com o lema Let’s talk (Vamos conversar, em português) o objetivo é incentivar o diálogo sobre formas de prevenção e tratamento da depressão. A Pró-reitoria Estudantil da Ufal (Proest)também reforça a importância de debater o tema e recentemente lançou o Guia de Atenção Psicossocial em Saúde Mental de Alagoas.

“A depressão se apresenta por um conjunto de sintomas que tendem a aparecer associados. Uma das principais queixas é o rebaixamento do humor representado por uma tristeza duradoura ou outra vivência afetiva semelhante. Pode afetar pessoas em qualquer idade e em qualquer fase da vida”, destacam os psicólogos da Proest.

No Guia é possível encontrar os serviços disponíveis na rede pública de saúde, com os respectivos endereços dos Centros de Atenção Psicossocial, que atendem também o público infanto-juvenil e os dependentes de álcool e drogas.

A psicóloga Lucélia Gomes alerta que o assunto é “relevante e precisa ser divulgado no contexto acadêmico”.  A Proest está planejando ações para debater a depressão com a comunidade universitária.

Saiba mais sobre a campanha aqui. E baixe o Guia da Proest para consultar os serviços. 

Quinta Sinfônica volta ao palco do Teatro Deodoro com violinos e percussão

Concerto desta quinta-feira marca início da temporada 2017 do projeto

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

A 7ª temporada do Quinta Sinfônica começa nesta quinta-feira (27). Desta vez, quem vai entrar no palco do Teatro Deodoro, abrindo os concertos de 2017, são violinistas e percussionistas, que integram a Orquestra da Universidade Federal de Alagoas, e os convidados Augusto Moralez e José Rocha, com seu acordeon. A entrada é gratuita!

A Orquestra não estará em sua formação completa uma vez que passa por uma reestruturação, mas o regente Joselho Rocha preparou um concerto com a participação de 20 violinistas e três percussionistas e seus convidados especiais. Augusto Moralez, professor da Escola Técnica de Artes, fará um solo com vibrafone – teclado de percussão –, apresentando as peças O Sambista, de Leonardo Gorosito; e Enseada, de Douglas Gutjahr.

Moralez estreia no Quinta Sinfônica e diz estar honrado em receber o convite. Sobre a mistura de estilos e ritmos, ele deixa claro: “Estou feliz em participar da abertura da temporada 2017 e mais feliz ainda porque vamos ter música de qualidade para apresentar para o público cativo da Orquestra. Não diferencio música clássica, erudita, popular...; para mim o que importa é que seja música de qualidade, independente do estilo”, destacou.

Após a apresentação do solo de percussão de Morlaez, entram no palco violinistas e percussionistas e o também convidado da noite, José Rocha, com seu acordeon. O repertório do grupo terá quatro peças: Ária, de Sebastian Bach; Canon, de Johann Pachelbe; Fly too me the moon, de Bart Howard; e Só nós no traquejo, de Joselho Rocha.

O projeto

Realizado pela Ufal, em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult/AL) e a Diretoria de Teatros de Alagoas (Diteal), o projeto está no sétimo ano e oferece concertos gratuitos para a comunidade, sempre na última quinta-feira do mês. O Quinta Sinfônica foi criado em 2011 como um projeto de extensão da Ufal e vem conseguindo apresentar um repertório de músicas que vão do erudito ao popular, com o objetivo de formar público para concerto.

 

Serviço

O quê: Quinta Sinfônica

Quando: 27 de abril

Onde: Teatro Deodoro

Horário: às 20h

Entrada gratuita

Mais informações: 3315-5656

Atendimento ambulatorial no HU será suspenso nesta sexta-feira (28)

Consultas e exames serão remarcados

Ascom Ufal

A superintendência do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA) informa que, nesta sexta-feira (28), os atendimentos ambulatoriais no HU serão suspensos, com posterior remarcação de consultas e exames.

Segundo memorando circular, de nº 3/2017, emitido pelo gabinete da superintendência, a medida considera os impactos da greve geral anunciada para o referido dia, com a adesão de diversos segmentos de trabalhadores, inclusive, os rodoviários do transporte público municipal e intermunicipal. Ainda de acordo com o documento, busca-se “evitar prejuízos às pessoas que deveriam comparecer e não terão condições objetivas de fazê-lo”.

A direção do hospital assegura que “garantirá o atendimento aos pacientes internados e a todos que necessitem de atendimento de urgência e emergência, como o caso da maternidade e Serviço de Pronto -Atendimento - Oncologia, para usuários cadastrados no HUPAA-Ufal/Ebserh”.

Igdema realiza evento em comemoração ao Dia Nacional da Caatinga

Programação se estende até esta sexta-feira (28), com atividades no Campus Sertão

Evento do Igdema celebra Dia Nacional da Caatinga

Ascom Ufal

O Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente (Igdema) da Ufal iniciou, nesta quarta-feira (26), a Semana da Caatinga. As atividades começaram às 15h, no Igdema, com uma mesa-redonda que contou com a presença dos docentes da Ufal, Ana Paula Lopes e Jorge Luiz Lopes, sobre recuperação de áreas degradas nesse bioma.

A partir das 19h, será a vez do professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Lucas Cavalcanti, falar sobre paisagens semiáridas.

A programação se estende até esta sexta-feira (28), com atividades no Campus Sertão. Professores da Ufal e UFPE, além de um profissional do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA), estarão presentes no evento que celebra o Dia Nacional da Caatinga, comemorado no Brasil no dia 28 de abril.

Importância do bioma Caatinga, das unidades de conservação e cartografia de paisagens são os temas contemplados pelo evento promovido pelo Igdema.

 Confira a programação no arquivo abaixo.  

RU só atenderá comensais da Residência Universitária nesta sexta

Restaurante do Ceca também vai ter atendimento restrito

RU só atenderá comensais da Residência Universitária do Campus A.C. Simões

Asom Ufal

A Pró-reitoria Estudantil (Proest) informa que o Restaurante Universitário estará com atendimento limitado aos estudantes da Residência Universitária Alagoana nesta sexta-feira (28). Já no sábado, 29 de abril, o RU vai funcionar normalmente para o almoço, já que consta no calendário acadêmico como dia letivo.

A Proest comunica ainda que o Restaurante do Centro de Ciências Agrárias (Ceca) também fechará ao público na sexta e só vai fazer o atendimento solicitado previamente por organizadores de um evento acadêmico no local.

Curso de extensão sobre consciência corporal inscreve até quarta

São 30 vagas abertas para alunos da Ufal e a comunidade em geral

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

A terceira turma do curso de extensão Consciência corporal através de exercícios de alongamento está com inscrições abertas até a próxima quarta-feira, dia 3, quando também começam as aulas. Esta é mais uma atividade da licenciatura em Dança, vinculada à Pró-reitora de Extensão da Universidade Federal de Alagoas. São 30 vagas disponíveis.

Podem participar alunos e professores da graduação em Dança, Teatro e Música e da Escola Técnica de Artes, além da comunidade alagoana, ou seja, é um curso para as pessoas que queiram trabalhar seu corpo em busca de uma melhor qualidade de vida.

O curso é gratuito e as aulas vão acontecer às segundas e quartas-feiras, das 12h15 às 13h30, no Espaço Cultural, na Praça Sinimbu. As atividades serão coordenadas e ministradas pela professora e bailarina Isabelle Rocha. “É mais uma forma de oferecer mais horas práticas, principalmente para atender as necessidades dos nossos alunos da licenciatura, mas, também, estamos abrindo para a comunidade”, revelou.

De acordo com Isabelle, a proposta é possibilitar o autoconhecimento por meio do movimento. “Nosso trabalho é focado na postura para fazer o movimento e isso possibilita que consigamos chegar mais às sensações. É uma aula que se adapta e respeita os limites do corpo. Vale a pena participar”, disse.

As aulas começam dia 3 de maio e vão até final de novembro deste ano. As inscrições estão sendo feitas pelo Sistema Sigaa da Ufal. 

Projeto do Profmat destaca Branquinha em olimpíada de matemática

As seis menções honrosas e duas medalhas de bronze são fruto de um projeto para produzir estudantes vencedores na competição nacional

Cícero Rufino, idealizador do projeto para formar vencedores

Diana Monteiro - jornalista

Figurar no cenário da ciência Matemática com destaque e sair premiado reforça o que tanto se diz e se sabe: a educação é o caminho para a transformação social. Foi isso que comprovou o município de Branquinha, localizado na zona da mata alagoana, a 64 km de Maceió, na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) 2016, ao obter seis menções honrosas e duas medalhas de bronze na disputada competição promovida pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa). Mas isso não seria possível se não fosse a dedicação e o empenho do professor Cícero Rufino de Goes ao tomar a decisão de lançar, em 2015, um projeto para promover o aprendizado da matemática vislumbrando mudanças na realidade social do município.

Com o título Desenvolvendo e aplicando a matemática: um projeto voltado para produzir vencedores na Obmep e elevar os indicadores sociais do município de Branquinha, a iniciativa, apoiada pela prefeitura local, mobilizou 14 escolas municipais e capacitação a todos os professores da disciplina e aos 1,8 mil estudantes da rede. Cícero enfatiza que os primeiros resultados começaram a ser obtidos já em 2015, quando os participantes ganharam suas primeiras menções honrosas. O que trouxe reflexo para o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), alcançando 4,8, nas turmas dos anos iniciais, contra 2,2 em 2005; já as séries dos anos finais subiram o índice de 2,1 em 2005, para 3,6.

Vale destacar os inúmeros desafios enfrentados assim como o tamanho deles para a obtenção do bom resultado que tanto tem orgulhado a população branquinhense e elevado a autoestima da comunidade escolar. Branquinha pertence a um estado que ainda detém o maior índice de analfabetismo no país; no Censo de 2010, dentre os 102 municípios alagoanos, ficou na 96 ª colocação no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), tendo também se destacado  negativamente, no índice nacional. A cidade foi devastada há sete anos pela enchente do rio Mundaú e reconstruída em outro local interferindo e mudando a dinâmica de vida da já carente população.

O projeto para fazer campeões de Branquinha na Obmep é tema do recente trabalho do professor Cícero Rufino, natural da cidade, no Mestrado Profissional em Matemática (Profmat), em desenvolvimento no Instituto de Matemática (IM/Ufal).  Para ele, a premiação na Olimpíada tem um significado muito especial por considerá-la também a realização de um sonho, almejado desde o tempo em que foi estudante de uma escola do município e participante da competição.

“O sonho de 2005, quando participei da competição, concretiza-se agora, como professor e o reflexo positivo que traz para a comunidade escolar e para a realidade social e educacional do município, considero a maior vitória. A vontade para alcançar êxito nunca esmoreceu por eu saber que não faltava potencial e sim, preparação. O projeto implantado teve esse foco, deu bom resultado e terá continuidade. Desmistificou ser a matemática ‘o bicho-papão’ ou a disciplina chata”, frisa.

Ele enfatiza que a experiência em Branquinha tem despertado o interesse da comunidade escolar de outros municípios alagoanos e aproveita para destacar o apoio recebido pelo poder público municipal e de todos os professores da disciplina para a efetivação das atividades e consolidação do projeto. Como reforço ao objetivo e foco do trabalho, Cícero Rufino criou a Olimpíada Branquinhense de Matemática destinada a alunos do 1º ao 9º ano, uma atividade preparatória para a tão sonhada e disputada Obmep.

A premiação à equipe será em meados de junho, como normalmente ocorre, em uma solenidade conduzida pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual da Educação com participação de representantes da Ufal e de autoridades diversas. Os alunos medalhistas de bronze Rebeca Barros e Melquíades Marques, também foram agraciados com bolsa para participação no Programa de Iniciação Científica (PIC) da Ufal, que dá direito a estudar no Instituto de Matemática, com aulas, quinzenalmente, aos sábados. O PIC é um programa da Capes, Impa e Sociedade Brasileira de Matemática.

Em todos os estados o mestrado profissional que Cícero Rufino participou, o Profmat, tem a coordenação da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). Com participação de mais de 70 universidades e institutos é considerado o maior programa da área no Brasil. Classificado com nota máxima da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o mestrado já formou desde 2011 mais de três mil mestres.

 “A Ufal mudou a minha vida”

Natural de Branquinha, onde estudou, vive e trabalha, Cícero Rufino é graduado em Matemática pelo Programa de Educação a Distância (EaD), do polo de São José da Laje. A aprovação para o mestrado profissional ocorreu antes mesmo da conclusão da graduação, em 2014, e ele destaca o quanto a Universidade Federal de Alagoas foi determinante em toda sua formação profissional e trajetória de vida.

“Sempre gostei e me identifiquei com a disciplina Matemática, mas ingressar na Ufal para a graduação, seguida da pós-graduação, foi decisivo para a minha atuação profissional e crescimento. A Ufal mudou a minha vida e aproveito para agradecer o estímulo e apoio sempre recebidos dos professores do Instituto de Matemática, Isadora Maria e Viviane, e do meu orientador, Amauri Barros, em todo processo de minha formação, que resultou na experiência exitosa implantada visando aprendizado em consonância com desenvolvimento social em Branquinha”, lembrou Cícero. 

Sobre a dinâmica das atividades do projeto, ele informou que transcorrem em sua rotina com aulas para a próxima competição em três escolas de Ensino Fundamental: Escola Zumbi dos Palmares; Escola Demócrito José; e Escola Santo Antônio da Boa Vista. Uma vez por semana os alunos inscritos para a Obmep 2017 participam do curso preparatório realizado no horário contrário ao do período regular de aulas. “A olimpíada é dotada de duas fases: na primeira todos os alunos participam de uma prova seletiva composta por 20 questões. A segunda já é a preparação dos alunos para competição nacional”, enfatiza.

A Olimpíada Brasileira das Escolas Públicas conta anualmente com a participação de cerca de 20 milhões de estudantes, envolvendo mais de 47 mil escolas, sendo considerada uma das maiores competições do mundo na área.

Artigo na Folha online   

O projeto implantado por Cícero Rufino estimulou a publicação de um artigo na versão online da Folha de São Paulo, de autoria do diretor do Impa, Marcelo Viana,  convidado para participar da banca da defesa da dissertação, assim como o professor Isnaldo Barbosa, do IM.

Em um dos parágrafos do artigo, publicado no dia 7 de abril, Viana destaca:  “Cícero é um desses professores que fazem a diferença: vêm à mente Antônio Amaral (Cocal dos Alves - Piauí), Claudiene dos Santos (Coité do Nóia - AL), Geraldo Amintas (Dores do Turvo - MG), Luiz Felipe (Rio de Janeiro - RJ) e muitos outros. Frente a tantos teóricos da educação, que nem sequer entram em sala de aula, na sua dissertação ele nos brinda com um diagnóstico lúcido, em linguagem simples, com a legitimidade de quem sabe (e faz) o que diz”.

Confira o artigo completo aqui.

Professor da ETA fará recital de piano no Teatro Jofre Soares

Apresentação faz parte da programação do projeto Sesc Partituras

Arte de divulgação

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

O pianista Mario Marochi, que também é professor da Escola Técnica de Artes da Universidade Federal de Alagoas, é o convidado do projeto Sesc Partituras. Ele vai estar no palco do Teatro Jofre Soares, em Maceió para apresentar um recital de piano no próximo sábado, dia 29, às 17h. A entrada é gratuita.

Marochi vai apresentar oito peças de compositores brasileiros, escolhidas por ele na lista publicada no site do Sesc Partituras. “É um prazer fazer parte desse projeto especial porque destaca a música brasileira. E o objetivo desse projeto é esse mesmo: divulgar esses compositores, cujas peças são de alta qualidade; estão no nível de grandes compositores estrangeiros”, declarou.

O repertório que Marochi escolheu tem duas peças de Francisco Mignone; uma de Ernesto Nazareth; uma de Chiquinha Gonzaga; uma de Guerra Peixe; duas de Alexandre Schubert [o nome é em homenagem ao compositor austríaco Franz Schubert]; e uma de Alberto Nepomuceno.

Sobre Mario Marochi

Mario Marochi tem graduação em licenciatura pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (2001), bacharelado pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (2002) e é mestre em Música pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007). Desde 2010 é professor de piano da Ufal e desenvolve pesquisa sobre performance musical e sobre a obra do compositor paranaense Brazílio Itiberê da Cunha.

SERVIÇO

O quê: Recital de piano com Mario Marochi
Quando: sábado, 29 de abril
Horário: às 17h
Onde: Teatro Jofre Soares, Unidade Sesc Centro, Rua Barão de Alagoas, 229
Entrada gratuita

Resultado de trabalhos selecionados para 8ª Senar sai dia 30

Evento será no Campus Arapiraca nos dias 10, 11 e 12 de maio
Diana Monteiro - jornalista
 
As boas práticas da enfermagem na construção de uma sociedade democrática é o tema geral da 8ª Semana de Enfermagem, a ser realizada no Campus Arapiraca. O evento será dotado de programação variada com palestras, mesas de debates, homenagens, mesas temáticas, espaço cultural, minicursos e eleição da nova gestão do Centro Acadêmico (CA) A Voz da Enfermagem.
 
A submissão de trabalhos foi prorrogada até esta quinta-feira (28), com resultado da seleção a ser divulgado no dia 30 de abril (domingo). A inscrição de trabalhos contemplou as seguintes modalidades: Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), pesquisa de extensão/relatório final, pesquisa em andamento/ notas prévias e relato de experiência.