Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2016 / 7 / Ufal se reúne com instituições parceiras para discutir o Caiite 2016
21/07/2016 17h30 - Atualizado em 22/07/2016 16h06

Ufal se reúne com instituições parceiras para discutir o Caiite 2016

Evento está previsto para acontecer em dezembro e não mais em setembro

Representantes de diversos setores da Ufal e de instituições parceiras realizaram, na manhã desta quinta-feira (21) uma reunião para discutir o evento

Janaina Alves – relações públicas

Como parte dos desdobramentos da organização da quarta edição do Congresso Acadêmico Integrado de Inovação e Tecnologia (Caiite), representantes de diversos setores da Ufal e de instituições parceiras realizaram, na manhã desta quinta-feira (21), uma reunião para discutir e alinhar pontos importantes para a realização do evento.

Estiveram presentes representantes da Universidade Tiradentes (Unit), Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal), Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult) e da Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Sect), além do vice-reitor da Ufal, José Vieira, da coordenadora do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), Eliana Almeida, e do produtor cultural da Ufal, Samy Dantas.

Durante a reunião, os participantes conversaram sobre as possibilidades de parceria entre as instituições representadas e discutiram o formato proposto pela Ufal, que contempla, além das diferentes áreas do conhecimento, as trilhas acadêmicas, num esforço para incluir alunos de graduação, pós-graduação e dos cursos tecnológicos e profissionalizantes.

Outro ponto discutido foi a alteração do calendário do evento, que passa a acontecer em dezembro, entre os dias 7 a 15, nos diferentes campi da Ufal, atendendo a uma demanda de alinhamento entre os participantes, o comitê organizador, as unidades acadêmicas e as instituições externas. Também foram discutidas as propostas de programação acadêmica e cultural do evento.

Cenário financeiro atual

Os presentes concordaram com o vice-reitor, José Vieira, que apresentou um novo modelo de evento, mais enxuto e mais adequado à realidade financeira do país. “Nós reconhecemos a consolidação do Caiite em Alagoas, ao longo de suas edições anteriores e defendemos a necessidade de ele continuar a existir. Entretanto, também temos que avaliar o formato do Caiite, que no ano passado, por exemplo, teve um valor muito alto”, avaliou Vieira. A representante da Unit, Mônica Melo, comentou que o contexto econômico e financeiro também afeta às instituições particulares de ensino, colocando todos numa mesma dificuldade. Assim como a representante da Secult, Cláudia Puentes, que acrescentou: “Este modelo de parceria é excelente. Unir forças para que seja um grande evento”.

De acordo com o modelo discutido, as instituições parceiras podem oferecer atividades no campus da Ufal ou em suas próprias instalações. Também será possível propor atividades acadêmicas e culturais nos dias do evento, fazendo com que haja a circulação do conhecimento e do capital cultural por todo o estado. “Precisamos lembrar que o Caiite não é um evento da Ufal e sim do Estado de Alagoas. À nós, cabe dar o primeiro passo”, enfatizou o vice-reitor.

Por fim, José Vieira avaliou a reunião como bastante produtiva, já que novos parceiros compreendem que a proposta está sendo feita de modo realista, dentro das possibilidades de todos, mas sem perder o caráter valorativo do Caiite como um evento de integração acadêmica e cultural.