Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2016 / 4 / Professor da Ufal está entre os 13 aprovados do país em acupuntura veterinária
26/04/2016 10h55 - Atualizado em 29/04/2016 10h36

Professor da Ufal está entre os 13 aprovados do país em acupuntura veterinária

Pierre Barnabé, da unidade Viçosa, foi o único representante do Nordeste no processo seletivo

Alunos fazendo eletro acupuntura em animal com fratura e deformidade flexural

Diana Monteiro - jornalista

A primeira prova do país realizada para título em acupuntura veterinária tem entre os selecionados o professor Pierre Barnabé, do curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Alagoas. O processo seletivo, realizado recentemente, em Campinas -SP, pela Associação Brasileira de Acupuntura Veterinária (Abravanet) e Conselho Federal de Medicina Veterinária, contou com 31 participantes e aprovou, para a especialidade, 13 candidatos.

A acupuntura passou a ser reconhecida no Brasil como especialidade após 17 anos de criação da associação. O único representante do Nordeste, o professor Pierre Barnabé, e renomados nomes da área do Brasil participaram do processo seletivo. A seleção foi dotada de: avaliação de currículo, prova teórica (100 questões), com caráter de aprovação para quem obteve nota igual ou superior a 70 e também realização de provas práticas em equino e cão (com caráter eliminatório), para quem pontuou menos de 70%. “No Nordeste a especialidade é ainda pouco difundida, o que deve explicar uma única participação, que foi a minha”, disse o professor.

Pierre Barnabé enfatiza a positividade da acupuntura para a saúde e diz ser milenar a utilização da ciência no combate e no desequilíbrio do organismo em cujo procedimento há a aplicação de agulhas e técnicas variadas em pontos anatômicos específicos. E explica: “Utiliza-se a base na medicina tradicional chinesa a partir de estudos dos acupontos, da energia denominada de Chi, dos cinco movimentos [fogo, terra, metal, água e madeira] e dos oito princípios: interior/exterior, calor/frio, vazio/cheio e Yin/Yang para diagnóstico e tratamento das doenças”, enfatiza. Pierre acrescenta que na medicina veterinária muitos casos, desde afecções infeciosas, como cinomose, à paralisias, são tratados com sucesso.

Coordenador do projeto Carroceiro VET-Legal da Ufal, que envolve uma equipe multidisciplinar nas diversas atividades, Pierre informou que o curso de Medicina Veterinária oferece uma disciplina eletiva sobre o tema, assim como há o desenvolvimento de pesquisas nessa área. Como parte prática da disciplina ministrada atualmente a acupuntura é utilizada em quase todos os animais que passam por atendimento.

Dizendo-se fascinado pela especialidade, enfatiza a acupuntura e a conexão energia-matéria na resolução de casos clínicos e ressalta que a ampliação dos debates, com a realização de eventos na área, a exemplo de congressos brasileiros, deu-se a partir de 1999, quando da fundação da Associação Brasileira de Acupuntura Animal .

Em 2002, como pesquisador da Universidade Estadual de São Paulo de Botucatu, durante o 4º Congresso Brasileiro de Acupuntura Veterinária na Unesp, Pierre Barnabé disse ter tido a oportunidade de levar ao hospital em Indaiatuba (SP), onde atuava, o famoso acupunturista de equinos dos Estados Unidos, Marvin Cain, que diagnostica lesões a partir da sensibilidade nos acupontos.

Atividades acadêmicas

Em 2011 Pierre foi o orientador do trabalho de conclusão do curso da aluna Carla Loureiro intitulado de Acupuntura com o tratamento dos distúrbios comportamentais em cães, capa da revista Nosso Clínico. “Na revista, a atual acupunturista veterinária renomada no Estado, mostrou a eficácia da técnica no tratamento de cães agressivos e com síndrome de ansiedade da separação. O TCC foi o pontapé inicial nas pesquisas sobre acupuntura na Universidade Federal de Alagoas”, frisou.

Na continuidade dos estudos, o pesquisador informa que está em fase inicial na unidade Viçosa uma pesquisa que tem como objetivo fazer o diagnóstico da doença neurológica degenerativa denominada de mieloencefalite protozoária equina em cavalos assintomáticos, a partir da sensibilidade de acupontos com a comprovação do diagnóstico positivo a partir do exame de Western Blot no líquido cefalorraquidiano.

Outra pesquisa a se iniciar este ano tem como foco farmacopuntura, que trata sobre o uso de subdoses de medicamentos em pontos de acupuntura voltados à tranquilização e analgesia de equinos submetidos à castração. O estudo conta com a parceria da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), da Unesp e proporcionará a visita do pesquisador do CNPq Stélio P. Loureiro Luna à unidade Viçosa para o desenvolvimento das ações definidas. Ele atua na área de anestesiologia animal, com enfoque em avaliação e controle da dor, acupuntura, bem-estar animal e bioética. “Outro renomado parceiro das atividades científicas do curso de Medicina Veterinária da Ufal é o professor Jean Joaquim, oriundo do Instituto Bioethicus-Botucatu”, reforçou Pierre Barnabé.