Você está aqui: Página Inicial / O Estudante / Diário do fera / 2015 / 6 / Tempo de pausa
05/06/2015 17h33

Tempo de pausa

Como é período de greve, nossa última postagem será sobre esse momento de pausa. Quem traz as considerações desta vez é a nossa querida Eduarda Meireles. Aqui, a aluna de Administração se despede da seção representando um pouco de cada um dos estudantes que vêm participando ou acompanhando do Diário do Fera nesses últimos meses.

Hoje eu vim falar sobre a pausa, sobre a liberdade e tudo aquilo que acontece alheio aos nossos desejos. Afinal, os alunos das universidades federais sabem muito bem o que é isso. E é curioso perceber que atrelado ao sentimento de liberdade que sentimos dentro do campus, estão os olhos do governo, que não nos deixam tão livres assim.

Essa semana tivemos a confirmação de que a greve será iniciada, mas não temos ideia do fim... Os alunos estão bastante incomodados com a paralisação. Mas, será que dão a devida importância aos R$ 9 bilhões a menos da educação? Será que tem conhecimento sobre este corte? Sequer sabem o que motiva os grevistas? E o que acomete aos docentes? Será mesmo que tentar conhecer e compreender a causa é tão difícil assim? É preciso enxergar o que está além da sua realidade, da sua casa e da sua sala de aula... E no momento eu sinto falta desta sensibilidade quanto às necessidades dos outros, da compreensão sobre o que não lhe cabe.

Como aluna, obviamente, sinto-me lesada pela greve, tenho medo do tempo que pode ser perdido, porém como cidadã, reconheço a sua importância e legitimidade. Além da situação caótica da educação no país, as pautas das reivindicações são extremamente válidas: a defesa do caráter público da educação, a luta por melhores condições de trabalho, a defesa da autonomia universitária, dente tantas outras que dignificam a profissão do educador e valorizam o sistema educacional. Porém, é triste constatar mais uma vez que o benefício de alguns (classe docente) só acontece em detrimento do direito de tantos. 

Vale destacar ainda que a causa da educação não pertence apenas ao professor e tampouco ao aluno. É uma causa de cunho social, já que a sociedade como um todo necessita de qualidade e melhorias no ensino hoje, para que sejam sanados problemas sociais que refletem no amanhã. Como a criminalidade latente que torna vítima o nosso estado, dia após dia. E somente através da educação conseguiremos alcançar a mudança social a qual tanto necessitamos. 

Com este texto, encerro a minha participação no Diário do Fera e deixo um enorme agradecimento a todos que prestigiaram as minhas vivências dentro da universidade e que foram generosos ao compartilhar o seu tempo comigo. Por fim fica o desejo de que a greve seja breve.