Você está aqui: Página Inicial / O Estudante / Diário do fera / 2015 / 4 / A saudade bate, a fome também, mas é necessário seguir em frente, ainda que de carona
23/04/2015 16h17 - Atualizado em 24/04/2015 14h19

A saudade bate, a fome também, mas é necessário seguir em frente, ainda que de carona

Em sua segunda colaboração, Gabriel Cortez, o estudante de Engenharia de Agrimensura, nos relata como foram as aventuras de seu primeiro mês no Centro de Ciências Agrárias (Ceca). Aqui, ele comenta sobre as disciplinas, os gastos com a faculdade, os perrengues do cotidiano e continua suas dicas para a sobrevivência de um calouro.

De volta aqui para falar um pouco da minha jornada. Nesse último mês aconteceram coisas incríveis!

Acho que o primeiro mês é o mais difícil, em qualquer canto, mas uma coisa é certa: se você sobreviver ao primeiro mês, sobreviverá ao longo do seu curso, de boa. O que mais pesa é a saudade da escola e dos amigos, mas logo, com o tempo, é possível ver que podemos criar novas amizades e novos ambientes de vivência. Nunca achei que diria isso, mas que saudade eu tenho das provas da escola no final de semana!

Mas poderíamos mudar de assunto e falar sobre o principal meio utilizado pelos professores para passar conteúdo e a razão para a fama de que os estudantes vivem sem grana: a nossa amiga xerox. O que você vai reservar da sua mesada vai depender do humor e da disponibilidade de assuntos dos seus professores.

Um pouco sobre minhas aulas: que tal um pouco de Cálculo?

No começo parece russo... depois grego e, por fim, começa a aparecer o seu idioma. Dizem que pouquíssimas pessoas passam em Cálculo, e deve ser isso mesmo! Todos os que conheço que já fizeram, repetiram (e os que passaram, demoraram anos); é normal repetir nessa matéria. Se você estiver pagando ela, não se desespere, foque em aprender e tirar o melhor de você.

Geologia: ótima aula e muito produtiva, sempre temos aulas práticas. É bem melhor aprender na prática do que só na teoria.

Quem nunca pegou carona com estranhos? Eu também não, mas dizem que tudo muda na faculdade, então vamos lá: tudo começou numa segunda-feira. Assim que cheguei no Ceca, descobri que não haveria aula e o ônibus que nos levaria para o A.C. Simões só sairia às 17h. Logo, toda turma decidiu ir para porta do Ceca esperar algum meio de transporte. Nunca achei que aconteceria comigo, mas fiquei segurando a folha de caderno com o nome "Maceió", escrito à caneta. Achávamos que não íamos conseguir, mas eis que surge uma Kombi, que surpreendentemente parou um pouco longe, foi quando nos sentimos igual ao filme Pequena Miss Sunshine: com a Kombi em movimento e todos correndo e entrando. 13 pessoas entraram. Não aconselho a fazerem isso!

Retomando as dicas de sobrevivência:

5. Não pegue carona com estranhos.

É muito perigoso e nem todas as pessoas querem te ajudar.

6. Não faça trabalhos de véspera

Pode parecer um simples trabalho, porém há quase que um criptograma na produção, que leva sempre horas para fazermos coisas simples.

7. Roupa

Escolha uma roupa sua para fazer de farda, caso o curso não possua uma camisa como uniforme. O gasto com roupa é muito grande e se você está preparado(a) para isso, tudo bem, mas se não, selecionar as roupas que vai usar na faculdade é uma boa maneira.

8. R.U.

O segredo é chegar sem fome e ficar com fome durante a fila. Porém se não houver outro jeito, tente chegar muito cedo, ou muito tarde, para comer tranquilo.

9. Ande sempre acompanhado(a)

Por motivos de segurança, é sempre bom andar em grupos, para evitar roubos. Ouví boatos que os ladrões se fazem de amigos para não chamar atenção.