Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2017 / 12 / Alunos que perderam prova do Enade têm que solicitar dispensa junto ao Inep
05/12/2017 15h45 - Atualizado em 05/12/2017 16h25

Alunos que perderam prova do Enade têm que solicitar dispensa junto ao Inep

Prova aconteceu no dia 26 de novembro e prazo para pedido de dispensa já começa em dezembro

Foto: Domínio Público

Ascom Ufal 

O aluno concluinte que estava inscrito no Exame Nacional de Desempenho de Estudante (Enade) e que por algum motivo não pôde comparecer à prova realizada no último domingo (26 de novembro), tem que tentar pedir dispensa junto ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação da prova. O prazo para pedido de dispensa começa em dezembro e quem não fizer o procedimento, corre o risco de não se formar.

A recomendação é que se leia o item 14 do Edital, bem como o Anexo 1. Se o motivo da ausência do estiver previsto num dos itens e o aluno tiver o comprovante, basta seguir os procedimentos descritos no edital, a partir do acesso do estudante no sistema.

Caso o motivo da ausência não seja contemplado por nenhum daqueles descritos no Anexo 1, inicia-se um período de irregularidade junto ao Inep. Mesmo nesse caso, algumas providências devem ser tomadas e, para tanto, a orientação é que o aluno procure a respectiva coordenação de curso para maiores esclarecimentos.

Na Universidade Federal de Alagoas (Ufal) o Enade 2017, referente aos cursos do Ciclo 2 (bacharelados nas áreas de Ciências Exatas e áreas afins e licenciaturas), envolveu 50 cursos e 3.084 alunos concluintes inscritos. No Brasil, as provas foram aplicadas para 451.517, o que representa 84% dos 573.388 inscritos.

Dados apontam que abstenção é menor do que a de 2014, de 17%, quando o exame foi aplicado para áreas semelhantes à da edição de 2017. Já a taxa de preenchimento do Questionário do Estudante foi uma das maiores das últimas edições: 87%. A participação na prova e o preenchimento do Questionário do Estudante são obrigatórios para obtenção de regularidade junto ao Exame, permitindo a colação de grau dos estudantes habilitados.

O Enade é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação e no histórico escolar do estudante ficará registrada a situação de regularidade em relação à obrigação de participação. 

Os resultados do Enade, aliados às respostas do Questionário do Estudante e outros dados das bases oficiais serão insumos para o cálculo dos Indicadores de Qualidade da Educação Superior: Conceito Enade; Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD); Conceito Preliminar de Curso (CPC) e Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC). Esses indicadores aferem a qualidade dos cursos e das instituições do país, sendo utilizados tanto para o desenvolvimento de políticas públicas para a Educação Superior quanto como fonte de consultas.

Reforçando que o Enade impactará no Concento Preliminar dos Cursos, o Procurador Institucional Tiago Cruz destaca que na Ufal o setor desenvolveu um trabalho com a meta de aumentar o conceito de todos os cursos do Ciclo 2, visando no mínimo conceito 3.