Você está aqui: Página Inicial / Erasmus Mundus

Erasmus Mundus

Erasmus Mundus é o programa de cooperação e mobilidade acadêmica no âmbito da União Europeia, dedicado a promover a educação superior e o diálogo entre a Europa e outros países do mundo. O programa também observa o desenvolvimento dos recursos humanos e a capacidade de cooperação internacional entre as instituições de ensino superior abrangidas pelo programa.

As bolsas do programa Erasmus Mundus são financiadas por fundos da Comissão Europeia, geridas pela Agência Executiva de Educação, Audiovisual e Cultura (EACEA na sigla em inglês). As bolsas variam de acordo com os tipos de mobilidade. A UFAL não fornece bolsas por conta própria compreendidas pelo programa Erasmus Mundus.

O candidato interessado deve procurar mais informações como valores e regras envolvidas no portal do consórcio Erasmus Mundus.

Atualmente, a UFAL participa do seguinte consórcio Erasmus Mundus:

  • Mundus Lindo (instituição associada): chamada aberta até 15 de dezembro de 2014

AS BOLSAS:

O programa Erasmus Mundus prevê as seguintes modalidades de bolsas de intercâmbio comum a todos os consórcios:

  • Funcionários Acadêmicos e Administrativos;
  • Graduação;
  • Mestrado – completo ou sanduíche;
  • Doutorado – completo ou sanduíche;
  • Pós-doutorado;

Cada chamada de um consórcio pode contemplar um ou mais tipos de mobilidade acima, distribuídos entre os três grupos alvos. As informações sobre cada chamada são disponibilizadas nos portais dos consórcios, e todo candidato deve acompanhar os prazos estabelecidos para submeter sua candidatura.

GRUPOS ALVOS:

Cada oportunidade de bolsas de intercâmbio do programa Erasmus Mundus é direcionada para um tipo de perfil diferente dos candidatos. Isto quer dizer que uma bolsa qualquer de intercambio para graduação, tomada como exemplo, pode diferenciar candidatos de perfil específico dentre três universos possíveis, definidos pela Comissão Europeia. Nem sempre uma oportunidade de bolsa contempla todos os universos possíveis, e ainda assim, todos os diferentes tipos/modalidades de intercâmbio acadêmico. Devem-se acompanhar as diferentes chamadas para obter informações completas sobre quais oportunidades estão abertas em determinado momento.

Os três grupos alvos são descritos, em linhas gerais, abaixo:

Grupo alvo 1: direcionado aos originários das instituições parceiras do consórcio:

  • ·         Candidatos inscritos numa das instituições parceiras ou;
  • ·         Candidatos com vínculo formal a uma das instituições parceiras de países terceiros no momento da candidatura.

Observação para o grupo 1: Em ambos os casos os candidatos devem ter o apoio formal da instituição (através de uma carta de apoio formal) para submeter a candidatura.

 

Grupo-Alvo 2: direcionado aos originários de instituições associadas (inclusive aquelas que ainda não possuem vínculos com o consórcio mas pertencem ao lote regional), nos seguintes termos:

  • ·         Candidatos inscritos numa das instituições associada e não parceira de países terceiros abrangido pelo lote, ou;
  • ·         Candidatos que tenham concluído um grau universitário ou equivalente numa instituição de um dos países terceiros (parceira ou não), mas que atualmente não estejam inscritos, ou;
  • ·         Candidatos que tenham um vínculo formal com uma instituição que não seja parceira, de países terceiros, abrangido pelo lote no momento de submeter a sua candidatura.

Observação para o grupo 2: Em todos os casos os candidatos devem ter o apoio formal da instituição (através de uma carta de apoio formal) para submeter a candidatura.

 

Grupo-Alvo 3: direcionado à candidatos que supram certos requisitos relacionados a uma determinada situação de vulnerabilidade social e/ou política. Aberto aos candidatos inscritos ou com vínculo formal de qualquer instituição parceira, associada ou não parceira e não associada, abrangida pelo lote regional. Exemplos de vulnerabilidade social e política são: 

  • Ter estatuto de refugiado/a ou ser beneficiário/a de asilo (internacional ou de acordo com a legislação nacional de um dos países europeus receptores), ou
  • Provar que tenham sido objeto de expulsão injustificada da universidade por questões raciais, étnicas, religiosas, políticas, de género ou de orientação sexual, ou
  • Pertencer a uma população indígena ou ser uma pessoa internamente deslocada (IDP, segundo a sigla em inglês).

 

Requisitos gerais de elegibilidade para estudantes originários da América Latina:

  • Possuir nacionalidade compreendida dentre os diferentes países do lote da chamada;
  • Não ter residido ou realizado sua atividade principal (estudos, trabalho, etc.) por mais de 12 meses, no total, nos últimos cinco anos em qualquer dos países europeus elegíveis do programa, a contar do momento da apresentação da candidatura;
  • Não ter sido beneficiado, a qualquer tempo, por outra bolsa do programa Erasmus Mundus para o mesmo tipo de mobilidade (outros tipos são aceitos);
  • Graduandos precisam ter concluído com sucesso pelo menos um ano completo de estudos na universidade de origem;
  • Possuir conhecimento suficiente na língua que os cursos serão ministrados na universidade de destino, ou uma das línguas comuns faladas dentro do país de destino;
  • Respeitar todos os critérios específicos e adicionais aplicáveis para cada tipo de mobilidade (graduando, mestrado sanduíche ou completo, doutorado sanduíche ou completo, pós-doutorado, funcionários administrativos e acadêmicos).