Você está aqui: Página Inicial / Institucional / Histórico

Histórico

A Universidade Federal de Alagoas – maior instituição pública de ensino superior no Estado – foi criada em 25 de janeiro de 1961, por ato do então presidente Juscelino Kubitschek, reunindo as faculdades de Direito (1933), Medicina (1951), Filosofia (1952), Economia (1954), Engenharia (1955) e Odontologia (1957). Ao longo de sua existência, tem passado por grandes transformações e adaptações. Enquanto Instituição Federal encontra-se diante de um desafio particular: exercer plenamente a sua importância estadual; tornar-se efetivamente presente em todo o estado de Alagoas; e definir sua missão social exprimindo-se enquanto importante agente de desenvolvimento, em seu contexto periférico, de grandes limitações e precariedades, de grandes contrastes e contradições. Sua presença, sobretudo por meio do desenvolvimento das atividades de pesquisa, ensino e extensão, representa uma importante ferramenta no desenvolvimento do Estado, o qual possui um dos maiores indicadores de desigualdades do Brasil.

De acordo com as propostas apresentadas pelo MEC para a interiorização das IFES, em maio de 2004, a UFAL iniciou estudos para elaboração de seu projeto de interiorização. A tríade: forte demanda, base natural e vocações econômicas sub-regionais do Estado embasaram o projeto que propôs inicialmente três novos Campi: Arapiraca (Agreste), Delmiro Gouveia (Sertão) e Porto Calvo (Litoral Norte).

A criação do Campus de Arapiraca foi aprovada pela resolução CONSUNI nº 20/2005 de 01 de agosto de 2005; inaugurado em 16 de setembro de 2006 e autorizado para funcionamento através do Parecer do CNE/CES nº 52/2007. Inicialmente, começamos as atividades com 16 cursos de graduação, sendo 11 no Campus Arapiraca (Administração, Agronomia, Arquitetura, Ciência da Computação, Ciências Biológicas – Licenciatura, Educação Física – Licenciatura, Enfermagem, Física – Licenciatura, Matemática – Licenciatura, Química – Licenciatura e Zootecnia), 2 na Unidade Educacional - Palmeira dos Índios (Serviço Social e Psicologia), 2 na Unidade Educacional - Penedo (Engenharia de Pesca e Turismo) e 1 na Unidade Educacional - Viçosa (Medicina Veterinária) e 2 cursos de pós-graduação Lato sensu (Filosofia e Enfermagem).

Considerando, a alta demanda nacional para o Ensino Superior, o governo federal criou vários programas que viabilizassem o acesso às Universidades (seja ela pública ou particular), dentre eles, ressaltamos o PROUNI e REUNI. Porém para as IFES, o REUNI foi a proposta para expansão, seja de antiga ou novas estruturas. Dentre as várias Universidades Federais do País, a UFAL foi uma das pioneiras a sinalizar positivamente ao referido programa. O REUNI permitiu a expansão da sede (Campus A C. Simões), Campus de Arapiraca (Sede e demais Unidades Educacionais) e Campus do Sertão (Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Geografia – Licenciatura, História – Licenciatura, Letras – Licenciatura e Pedagogia - Licenciatura). Esse programa, além de melhorar e expandir quali-quantitatviamente a IFES, possibilitou também a abertura de novos cursos no Campus Arapiraca. Em 2011.1 no Campus de Arapiraca começou funcionar mais 03 (três) cursos de graduação (noturnos): Administração Pública, Licenciatura em Pedagogia e Licenciatura em Letras (com habilitação em Português), viabilizando o acesso de mais 120 alunos oriundos de Arapiraca e das regiões circunvizinhas. Em 2014, expandimos a Unidade Educacional Penedo, a qual, passou a ofertar três novos cursos de graduação (Engenharia de Produção, Sistemas de Informação e Ciências Biológicas – Licenciatura), ou seja, mais 150 novas vagas, sendo 50 para atender a demanda do noturno. Em 2015.2, implantamos o curso de Medicina com uma oferta anual de 80 vagas. Em termos de números (em toda interiorização) temos: a) 31 cursos de graduação, b) aproximadamente 6.000 alunos regularmente matriculados (sendo 75% oriundos de Escolas Públicas e distribuídos por 65 municípios alagoanos), c) 368 docentes e d) 223 técnicos.

Atualmente, quase todos os cursos já integralizaram sua carga horária total (exceto os recém-implantados), os quais introduziram aproximadamente 1.700 profissionais capacitados no mercado de trabalho, contribuindo acentuadamente para o desenvolvimento regional. Vale ressaltar que a grande maioria dos alunos egressos foi aprovada em concursos públicos (municipal e estadual), assim como em cursos de pós-graduação Stricto sensu em Alagoas, como também em outros Estados brasileiros (Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo, Paraíba, Sergipe, etc.).

O crescimento dos Campi interiorizados da Universidade Federal de Alagoas, não se deu apenas na oferta da graduação. Durante esses 10 (dez) anos de implantação, vários cursos de pós-graduação, seja na modalidade Lato sensu (como por exemplo: Ensino de Filosofia, Letramento e em Saúde da Mulher) ou Stricto sensu (Agricultura e Ambiente e Inovação e Tecnologia integrados a Medicina Veterinária para o desenvolvimento regional) foram ofertados para a comunidade.

Diante disto, podemos afirmar que a interiorização tem sido extremamente importante, uma vez que contribui diretamente para o desenvolvimento regional e nacional. O incentivo a vida acadêmica reflete no contexto geral do Campus de Arapiraca.